História The suicidal boy - (Oneshot) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bts, Bts Jikook, Bts Kookmin, Drama, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, One-shot, Park Jimin, Suícidio
Visualizações 47
Palavras 1.970
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Single chapter


Fanfic / Fanfiction The suicidal boy - (Oneshot) - Capítulo 1 - Single chapter

Frequentemente somos guiados pela nossa devoção, amor e afeição.

Um laço que nos leva a caminhos não negociados.

Park estava em seu quarto, como outros dias seus olhos estavam cheio de lágrimas enquanto escutava seus pais gritando no andar inferior da casa. Ele estava apavorado, pois podia escutar objetos sendo quebrados no chão ou na parede, e gritos mais altos por parte de sua mãe. Ele só estava ali ainda, por causa de seu irmão dormindo com seus fones de ouvidos e música alta, para não ter perigo de escutar tudo aquilo. Logo cedo Park voltaria a seu apartamento, e pediria que sua mãe deixasse seu irmão ir morar consigo. E quem sabe, ela fosse junto e deixasse para trás o podre de seu pai.

•••

Na manhã seguinte Park havia saído da cama, e se arrumou juntou sua mochila e hesitou em se despedir da mãe e o irmão que dormiam tranquilamente. Então tomou seu rumo ao seu apartamento, e decidiu faltar a aula aquele dia, e perdeu todo seu dia deitado olhando para a tela do celular vendo vídeos aleatórios, e a noite despencou em lágrimas e soluços altos. E foi assim que adormeceu, abraçado o um ursinho de pelúcia que Jeon havia o presenteado, em seu último aniversário.

•••

Assim que acordou fez sua higiene, tomou seu banho e se arrumou. Apenas comeu algo leve para ir a escola e arrumou a sua mochila enquanto cantava, A Thousand Years, assim que terminou juntou a chave do apartamento e saiu do mesmo, e começou a caminhar até a escola enquanto cantava de forma serena e calma.

Logo que chegou a escola viu um grupo ao lado de Jeon, e o mesmo estava visivelmente irritado, e vermelho. Algo estava errado, e muito errado, Park sentiu um frio na barriga ao ver Jeon naquele estado, não era bom, e Park estava com mal pressentimento sobre aquilo, decidiu não incomodar Jeon naquele estado, e também não queria falar com os amigos dele, então desviou com o olhar baixo e adentrou a escola, e correu até a sala de aula.

•••

No intervalo Park deixou suas coisas encima da carteira e saiu da sala com um sorriso pequeno, talvez essa fosse a hora certa para conversar com Jeon e perguntar o porquê, do seu nervosismo repentino. Então começou a andar pelos corredores e respirou fundo, sentindo um frio na barriga. Foi descer a escada mas acabou sendo interrompido por Jeon com um semblante totalmente desagradável.

— Ah! Kook estava a sua procura! — O loiro disse com um sorrisinho no rosto, e um tanto nervoso por estar sendo segurado de forma bruta por Jeon.

— Não me venha com essa JiMin! Até quando continuará sendo falso? Você é estava me evitando, nem para dizer a realidade na minha cara você presta! — Park ficou chateado com aquilo, mas estava perdido com todo aquele papo, principalmente, o fato de Jeon estar apertando cada vez mais seu braço.

— Mas JungKook, eu não sou falso, e eu nem conversei com você nesses dias... — Park disse de forma calma, e com a voz trêmula, igual suas mãos. Estava começado a sentir uma vontade de chorar, mas estava segurando.

— Então, porque, me mandou mensagens de ódio e rancor? Decidirá mostrar sua verdadeira face, e depois quer pagar de inocente! — Jeon estava aumentando o tom de voz mas, provavelmente, ninguém apareceria para o fazer soltar Park, e o acalmar. Já que ninguém nunca conseguiu o acalmar, só Park tinha esse "dom" e nesse momento estava encrencado, e nem sabia o motivo de tanto ódio consigo.

— Eu não te mandei nada JungKook! Ontem passei meu dia deitado, como iria mandar mensagem assim se, eu o am... — Park estava prestes a começar a chorar, e dizer oque realmente sentiu por Jeon em oito anos de amizade, mas foi totalmente cortado com a voz alta e raivosa do outro, estava praticamente gritando e apertado mais ainda o braço delicado do loiro.

— Me poupe JiMin! Oque você tem de mentiroso você tem de falso. Eu te odeio, eu tenho nojo de você. — Park foi solto com brutalidade, e viu de canto JungKook sair a passos pesados e descer a escada. Mas não se atreveu a se mexer, e mordeu o lábio sentindo algumas lágrimas quentes caírem pela sua bochecha. E então seu peito se apertar pela tristeza que sentirá no momento.

Voltou a sala e arrumou seu material, pediu para ser dispensado mais cedo e passou correndo por Jeon e chorando, o mesmo ignorou com um sorriso maldoso nos lábios.

•••

JiMin chegou ao seu apartamento e jogou a mochila no chão e deixou as lágrimas caírem descontroladas pelo seu rosto já pálido, se sentou a cama e levou as mãos no rosto já cansado de tanto correr e com dores fortes de cabeça e tontura. Sua pressão estava abaixando por conta do desespero, e estava o deixando com o corpo mole e sem força. Então se virou tentando se acalmar, o observou o ursinho em seu travesseiro e o puxou o agarrando com força e murmurando repetidamente "perdão" ao ursinho que agora estava começando a ficar molhado com as lágrimas do loiro.

Depois de se "acalmar" Park arrumou uma caixinha de remédios fortes e um copo de água, junto com uma lâmina e deixou encima de seu criado mudo. E então arrumou a cama e deixou o ursinho no criado mudo livre, do outro lado. Ele estava sentadinho em uma almofada pequena, e estava virado a cama.

••• × •••

TaeHyung contou que ele havia feito aquela brincadeira de mal gosto com JungKook, e o mesmo se sentiu mal assim que viu Park correr desesperado para fora da escola. Agora Jeon se sentia culpado, pois sabia que o loiro não merecia ter escutado aquelas mentiras. E então pediu para ser liberado mais cedo, juntou suas coisas e saiu da escola indo até o apartamento de Park, e no caminhou comprou um pequeno buquê com as rosas preferidas de Park, e voltou ao seu caminho.

Quando chegou no apartamento, subiu as escadas sentindo um pressentimento ruim e um aperto no peito. Foi só nessa hora que Jeon lembrou que Park tinha muitos problemas, e vive triste pelos cantos, vive chorando, e toma anti-depressivos, só nessa hora Jeon percebeu que havia feito algo horrível.

O moreno correu e tocou a campainha, bateu na porta, mas nada. Sua última escolha foi arrombar a porta e deixar o buquê na mesa e correr ao quarto de Park. Já era tarde, a caixa de remédio estava vazia, e a lâmina no lençol ensanguentada, Park estava deitado de lado, e com os olhos ainda abertos e respirando pesado. Jeon não teve reação, e paralisou na porta, deixando que a capa tomasse conta de si, e suas lágrimas caíssem. Olhou Park, seus olhos o acompanharam vendo que ele havia visto o outro no quarto, acabou dando um sorriso fraco sincero, e seus olhos se encheram de lágrimas, não por arrependimento de ter feito aquilo, mas de felicidade por poder ver JungKook uma última vez, e então seus olhos se fecharam e Jeon correu até Park, o segurando nos braços igual uma noiva e pedindo para não o deixar, que ele iria ficar bem, que ele sentia muito.

•••

Duas semanas haviam passado e Park estava em coma induzido no hospital, seu corpo não estava reagindo no começo, estava se entregando a morte. Mas Jeon não desistiu, ficou todo o dia ao lado de Park segurando sua mão, e conversando praticamente, sozinho. Mesmo Park em coma, ele escutava cada palavra de Jeon, só não tinha como as responder.

Seu corpo deu sinal de melhora, e então sua medicação foi diminuindo, então o tiraram do coma induzido, e esperarão que o mesmo acordasse.

•••

— Me perdoe... A culpa é minha — Jeon lamentava segurando a mão pálida de Park, enquanto a acariciava com os olhos cheios de lágrimas, mas se assustou assim que a mão do garoto segurou a sua de forma fraca.

— Não é sua culpa. Eu fiz isso, porque, eu achei melhor... — O loiro disse com a voz fraca, e teve atenção do moreno com o rosto molhado pelas lágrimas que estavam caindo. No calor do momento Jeon abraçou Park de forma fraca mas tentou o deixar confortável, e começou a chorar no ombro do amigo.

— Você acordou! Você está bem! Me perdoe JiMin! Me perdoe! — Jeon estava com a voz fraca e trêmula, mas ficou aconchegado, quando sentiu a carícia leve em seus cabelos.

— Não peça perdão, isso me deixa triste Kook. Eu estou vivo, não chore... — Mesmo pedindo para o amigo não chorar, ele havia deixado as lágrimas caírem. Enquanto sentia o abraço de Jeon.

— JiMin! Eu te amo! Eu te amo muito! Eu nunca te odiei... Em oito anos, você foi especial para mim... — Park ficou sem reação, e observou o moreno se afastar devagar, com as bochechas rosadas. Mas acabou sorrindo, e segurou o rosto do mesmo.

— Eu também amo você... — Park puxou Jeon de forma calma, e juntou os lábios do moreno ao seu. Mas o soltou assim que escutou a porta ser aberta, e escutando seu irmão gritar de felicidade. Suas bochechas ficaram vermelhas, mas estava feliz de finalmente ter feito aquilo, e ter escutado tais palavras.

•••

JiMin saiu do hospital uma semana depois, Jeon quase obrigou Park a morar com ele, pois agora iria cuidar dele a todo custo. Então ele aceitou, mesmo achando que iria atrapalhar o moreno.

Jeon cuidava de Park quando ficava doente, e Park retribuía isso e cuidava de Jeon sempre. Depois de dois meses os dois finalmente se assumiram e namoraram sério, viajaram juntos assim que terminaram o colegial, e procuraram empregos meio período para se sustentarem, Park começou a fazer faculdade de enfermagem, e Jeon faculdade de medicina já que queria de especialização em medicina emergencista.

Na formatura de Park, Jeon foi e fitou tantas fotos do loiro, que agora estava também moreno. No baile final, a música que marcaram as suas adolescências começou a tocar, e todos os bons momentos vieram em mente. Jeon chamou Park, para uma dança lenta no salão, e tiveram a atenção de todos. Que terminou com um beijo longo e carinhoso, e Jeon se ajoelhando na frente de Park, na pista livre em um círculo, com a atenção apenas para os dois. É apenas algumas palavras foram ditas pelo moreno "Você aceita, se casar comigo Park?" Que no mesmo instante de alegria e algumas lágrimas, recebeu um "Sim" é um abraço apertado. E o salão inteiro gritando e aplaudindo os noivos. E agora a música que Park adorava começou a tocar, e o mesmo fez Jeon dançar com ele, enquanto estavam abraçados e cantava de forma calma e serena para o seu amado.

O coração acelerado

Cores e promessas

Como ser corajosa?

Como posso amar quando eu estou com medo de cair?

Mas vendo você ser independente

Todas as minhas dúvidas de repente vão embora de alguma forma

Um passo mais perto

Eu tenho morrido todos os dias esperando por você

Querida, não tenha medo, eu tenho te amado

Por mil anos

Eu vou te amar por mais mil

O tempo para

Beleza em tudo o que ela é

Eu serei corajoso

Eu não deixarei nada levar embora

O que está na minha frente

Cada respiração

Cada hora tem caminhado pra isso

Um passo mais perto

Eu tenho morrido todos os dias esperando por você

Querida, não tenha medo, eu tenho te amado

Por mil anos

Eu vou te amar por mais mil

E o tempo todo acreditei que te encontraria

O tempo trouxe o seu coração pra mim

Eu tenho te amado por mil anos

Eu vou te amar por mais mil

Um passo mais perto

Um passo mais perto

Eu tenho morrido todos os dias esperando por você

Querida, não tenha medo, eu tenho te amado

Por mil anos

Eu vou te amar por mais mil

E o tempo todo acreditei que te encontraria

O tempo trouxe o seu coração pra mim

Eu tenho te amado por mil anos

Eu vou te amar por mais mil



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...