História The surprise of life - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Peter Pan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador)
Tags Captain Swan, Captainswan, Emma Swan, Killian Jones, Once Upon A Tims, Ouat
Visualizações 90
Palavras 2.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey guys!!! Aqui estou eu com mais um cap.

MEU DEUS DOIS CAPÍTULOS EM MENOS DE QUINZE DIAS🙀🙀🙀🙀🙀
Kkk sim eu To tentando voltar aos velhos hábitos, espero que gostem bjs❤️

Capítulo 18 - Eu não posso perdê-las


Depois de meu breve momento com Emma volto ao meu lugar em silêncio e seguro a mão de Hope. Passamos minutos em silêncio, como se aquela breve conexão fosse uma leve brasa que se apagou. Mas eu não vou deixar isso assim, vou ter Emma de volta! Custe o que custar. "Ela é perfeita" digo acariciando os lindos fios negros de Hope "Sempre se pareceu muito com você, em tudo" Emma fala sorrindo fracamente pressionando a mão no abdômen "Você está bem?" Pergunto preocupado "Sim, só uma dorzinha de leve" ela fala e eu nego indo até ela "Não, vocês sofreram um acidente e eu te conheço, essa sua cara não é por que está sentindo uma dorzinha. Você está escondendo oque realmente está sentindo" digo e ela fica paralisada me olhando com a boca entreaberta "Você me conhece?" Ela pergunta num sussurro "Killian vai pro inferno. Você não me conhece, você não sabe nada sobre mim. E se eu disse que estou sentindo uma dorzinha é por que é insignificante, nada comparado com dores maiores que senti no coração" ela diz entre dentes me fazendo engolir seco. Ali estava a chama que se ascendeu se apagando, volto para meu lugar e volto a olhar para Emma. "Como aconteceu?" Pergunto num sussurro "Oque?" Ela questiona "O acidente?" Falo e ela suspira, mas sua expressão de dor volta a tomar conta de seu rosto "Hope tentou me impedir de ir embora, se jogou em cima de mim me fazendo perder o controle e bater na placa" ela fala me deixando completamente furioso "Você ia embora?" Pergunto não conseguindo manter minha calma"Ia, algum problema?" Ela fala no mesmo tom que o meu "Claro que sim. Por deus Emma, Hope é minha filha! Você não pode tirar ela de mim" digo e ela ri cinicamente antes de se levantar e estender o dedo na frente do meu rosto "Não! Ela não é sua filha. Você deixou de ter esse direito quando foi embora. Então nem pense que você pode entrar nas nossas vidas de uma hora pra outra como se quiséssemos você de volta..." ela grita com raiva, mas antes que termine seu corpo perde o equilíbrio e cai, antes que ela atinja o chão a pego e a deito em meus braços "Swan" a chamo acudindo ela "Meu amor, por favor acorde. Eu não posso te perder novamente" digo tentando de tudo para acorda-la. Finalmente a ambulância para e dois paramédicos abrem a porta puxando a maca onde Hope estava e o outro olha confuso para mim que segurava Emma. "Ela se alterou um pouco e acabou desmaiando, por favor ajudem ela" digo e ele vem até mim a pegando de meus braços para colocar na outra maca "precisamos fazer o exame com ela, não se preocupe senhor, vamos tentar ajudá-las" ele diz e eu nego "Não, vocês vão fazer o impossível para alçar minha esposa, eu acabo com você se..." Nem termino de falar e meu corpo é imprensado com a parede "Killian se acalme, deixe eles cuidarem de Emma e Hope" Graham diz tentando me acalmar "Eu... Eu não posso perdê-las. Eu não posso perder elas de novo" falo sentindo uma dor enorme no coração "Você não vai perdê-las, não foi um acidente grave" ele diz e eu assunto ainda temeroso. Em seu bolso ele pega dois celulares "São delas, achamos no local do acidente" ele diz e eu assinto pegando os dois aparelhos. Me sento em uma das cadeiras e ligo um dos aparelhos, logo uma foto de Emma e Hope juntas sorrindo toma conta da tela, não consigo evitar de sorrir também, elas estavam felizes. Emma abraçava Hope com tanta força que a menina gargalhava de uma maneira incrível, chego até imaginar o som de sua risada, talvez igual à de Emma, começando fraca mais aos poucos se tornando alta e incontrolável. Desbloqueio a tela sem senha e vou para a galeria, e para a minha surpresa uma foto me chama atenção, Emma, Hope e Carrie. Elas estavam juntas e abraçadas, elas ainda são amigas. Sem pensar duas vezes vou para as ligações recentes e o número de Carrie está no topo, fico nervoso em ligar, nunca consegui perdoar ela pelo que ela fez, por conta dela minha vida foi destruída e perdi o crescimento da minha filha, por culpa dela tudo deu errado. Sem perceber toco no botão verde e a primeira chamada é feita, espero por poucos minutos até que a voz da loira invade meus ouvidos "Emma, que bom que ligou fiquei preocupada? Eai como está sendo aí? Como a mascote está lidando?" Ela fala na disparada, abro a boca diversas vezes, mas nada sai "Emma?" Ela pergunta novamente preocupada "Não é a Emma" é a única coisa que falo até tudo do outro lado se tornar silencioso por um bom tempo "Killian..." Ela diz num sussurro "Como está Carrie?" Pergunto com toda a calma dentro de mim "Oque você está fazendo com o celular da Emma? Cadê ela?" A loira pergunta do outro lado desesperada "Por que você quer saber da Emma? Ela e Hope é minha responsabilidade não sua, depois de tudo oque você fez você não tem nenhum direito em perguntar sobre elas" digo e percebo que ela está chorando "Killian me desculpe, eu nunca quis..." Ela fala, mas não quero ouvir nenhuma explicação, a corto antes que termine de falar "Não fale Carrie, nem sei porque eu te liguei" falo prestes a desligar, mas ela se desespera me impedindo "Killian por favor, me escuta. Eu nunca quis que aquilo acontecesse, eu me amaldiçoo todos os dias por ter feito aquilo com você, a cada dia que eu via Emma sofrendo e Hope acreditando que você tinha morrido uma parte de mim sofria por guardar esse segredo. Eu sei que fui a causa de estragar sua vida, mas por favor me perdoa, você sempre foi um grande amigo para mim, eu te amei como um irmão, eu ter te conhecido foi a melhor coisa pra mim, você me fez ter uma família" ela diz chorosa "Por favor, eu sei que você não irá me perdoar agora, mas não tire a Emma e Hope de mim. Elas são as únicas pessoas que eu tenho" ela pede e ficamos mais uma vez em silêncio "Encontrei a Hope primeiro, não sabia quem ela era. Mas depois eu a vi junto com a Emma e associei, Emma tentou ir embora mais infelizmente acabou sofrendo um acidente" digo e um choro incontrolável alcança meus ouvidos do outro lado da linha "Como elas estão?" Ela pergunta tentando se acalmar "Eu não sei... Eles não me disseram nada só as levaram daqui. Eu estou com medo... Não posso perder elas" digo já sentindo as lágrimas tomarem conta de mim "Killian eu vou para aí" ela diz determinada fungando um pouco "Oque? Não você não pode" digo já deixando as lágrimas de lado e ficando um pouco apreensivo "Por que não? Eu preciso ir para aí" ela diz firmemente "Carrie uma magia muito poderosa bloqueia essa cidade para que ninguém entre e ninguém saia, você não faz parte do nosso mundo, não pode entrar" digo e ela bufa "Não existe magia nenhuma que me impeça de ir aí" ela fala e logo em seguida desliga o telefone. Respiro fundo afundando minha mão em meus cabelos tentando relaxar a tenção, uma enfermeira passa praticamente correndo  e eu me ponho a sua frente a impedimento de continuar seu percurso "A senhora sabe alguma coisa da mulher ou da menina do acidente?" Pergunto e ela franze a testa com raiva "Espere como todos os outros também fazem, a qualquer momento o médico lhe dará noticias" a mulher diz saindo da minha frente e seguindo seu rumo "Merda!" Grito chutando uma parede, percebo que muitas pessoas me olharam, mas não To nem aí, não são elas que estão com toda sua família dentro de um hospital e sem saber oque ocorre com elas.
Uma mão delicada toca em meu ombro me fazendo virar "Oque foi?" Grito assustando a mulher de cabelos curtos "Ei, eu sei que deve ser difícil, mas tente se acalmar elas vão ficar bem" ela diz com um sorriso acolhedor "Não, elas não vão. É sempre assim, tudo é minha culpa" digo e ela me conduz delicadamente para uma cadeira próxima "Posso ter certeza que não é. Tenha esperança, elas vão ficar bem" ela diz e eu assinto "Obrigado..." Começo querendo saber seu nome "Mary Margaret" ela diz docemente "Killian Jones" digo e ela concorda abrindo sua bolsa e tirando um chocolate "Toma, isso sempre me ajuda quando estou tendo um momento difícil" ela diz me estendendo o doce e eu aceito abrindo um sorriso "Obrigado mais uma vez, acho que relaxar eu não vou, mas aliviar até que seria bom" digo e ela concorda "São sua esposa e filha?" Ela pergunta e eu concordo "Sim, Emma e Hope" digo é uma luz toma conta de seus olhos "Que nome lindo, Hope" ela fala e eu concordo "Sim, ela é minha maior esperança" digo pensando nos poucos momentos que estive com minha menina, ela é a esperança em pessoa "Por que esse nome tão lindo para uma criança?" Ela pergunta me deixando sem resposta "Eu não sei, talvez por ela ser a única esperança da minha esposa na época. Sabe, passamos por um momento muito delicado. Eu não sabia que tinha uma filha até cinco horas atrás" digo e ela abre a boca surpresa "Eu perdi elas uma vez... Eu não posso perder mais uma vez. Eu não vou suportar viver num mundo onde não pude amar minha esposa da forma que ela merece ser amada e uma filha que não pude conhecer direito, que não pude cuidar e mover o céu e a terra por ela. Eu sempre quis ter elas comigo, mas agora estão la, e ninguém me diz oque acontece com elas" digo sentindo meu coração doer e as lágrimas esquentarem meu rosto "Ei, elas não vão morrer, vai ficar tudo bem com elas. Tenha fé" ela diz acolhedoramente assinto, mas ainda não consigo conter Minhas lágrimas. 
Depois de algum tempo onde eu estava sentado e Mary ao meu lado decido perguntar o porque dela estar aqui "Você está esperando alguém?" Pergunto e ela nega "Não, só acho que todos precisam de alguém ao seu lado quando passam por momento difíceis. Não vou deixar você sozinho até ter certeza que a Emma e Hope estejam bem" ela fala amigavelmente me surpreendendo "Oque? Não, não precisa você já foi de grande ajuda. Não precisa ficar aqui vendo um homem miserável lamentar pela esposa e filha" digo e ela nega "Isso não está me custando nada, e também pelo que me contou também fiquei preocupada com elas, quero ter certeza que tudo está bem" ela fala e eu assinto. Pouco minutos depois o cirurgião geral da cidade aparece a procura de alguém "Parentes de Emma Swan?" Ele pergunta e eu me levanto em um pulo indo até ele "Oque aconteceu? Ela está bem? É a minha filha?" Jogo as perguntas e ele tenta me acalmar "Se acalme senhor, sua esposa teve uma grande hemorragia interna, mas conseguimos achar o local da hemorragia e concertamos..." Ele fala, Minhas pernas fraquejaram. Cai direto numa cadeira afundando minha cabeça em minha mão "Mas?" Pergunto, sempre existe um mais nessas circunstâncias "Mas ela perdeu muito sangue, usamos todos os que tínhamos compatíveis, mas não é o suficiente. Precisamos de um doador da família ou compatível para fazer uma transfusão" ele diz e minha respiração fica irregular "Ela... Ela é órfã, mas a Hope pode..." Começo, mas ele nega "Sua esposa é A- e sua filha O+" ele diz e pela lógica Hope puxou ao meu sangue também "Eu sou A-" Mary fala chamando minha atenção "Você é doadora?" Ele pergunta e ela nega "Não, mas farei o que for preciso para salvar a vida dela" Mary diz e eu me levanto a abraçando "Muito obrigado" sussurro e ela nega "Não agradeça, estou fazendo a coisa certa" ela diz se afastando "A senhorita terá que fazer alguns exames" Whale diz e ela assente, os dois saem e eu me sento novamente.

"Killian" sito alguém me sacudindo, abro os olhos só agora percebendo que adormeci "Elas? Oque aconteceu?" Pergunto a Graham que segurava dois cafés "Eu não sei, decidi te trazer esses cafés e também porque encontrei uma pessoa que te procurava" ele diz me deixando confuso "Killian?" Escuto a voz em um sussurro, me levanto num pulo vendo Carrie atrás de Graham "Carrie? Co-como você conseguiu entrar?" Pergunto completamente surpreso e confuso "Eu disse... Não há nada que poderia me impedir".  


Notas Finais


OWWWWW COMO ASSIM SENHORITA CARRIE ENTROU NA CIDADE??? Hahaha não vou dizer loves. ANDY, GIH E BRUH CALEM A BOCA.
Sério, eu To muito anciosa pro próximo cap, já que a Mary decidiu fazer a doação de sangue com toda certeza vcs imaginam como será a interação dela é dela Emma, que possivelmente fique viva kkk.
Obg por lerem e bjs, até breve.
Obs: Gente eu To assistindo muito Grey's anatomy. Mano fiquei me sentindo quando falou de hemorragia interna kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...