História The Sweet's - Mitw (Pausada) - Capítulo 11


Escrita por: e Luvitten

Visualizações 96
Palavras 1.183
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii gente ^^

Eu sei que demorei muito pra postar, mas é que a escola puxou muito de mim e da minha criatividade, mas logo vou postar normalmente daqui a algumas semanas, afinal tenho uma semana de prova pra enfrentar ;-;


Fiquem com esse Cap meio triste... digamos assim

Capítulo 11 - Capítulo Onze


Fanfic / Fanfiction The Sweet's - Mitw (Pausada) - Capítulo 11 - Capítulo Onze

The Sweet's

Capítulo Onze

•×°Narradora/Tawan Anci "@tawan"°×•

Tawan estava confuso. A única coisa que se passava em sua cabeça era um certo garoto. Também conhecido como André Felipe, ou melhor, MeiaUm. Isso estava tirando o seu sono. Antes de terminar com Isa, tudo parecia mais claro, porém ao terminar com a garota, tudo se complicou. A garota havia ficado devastada com o término e o jogou na cara coisas, chorou, implorou e tentou de tudo para negar o que ele mesmo havia dito. Foi cansativo, foi doloroso e havia o marcado. Ela apelou para um lado seu que pensava já tinha sido cicatrizado, porém não era bem isso que estava acontecendo. A dor sempre voltava, dia ou outro. Era difícil estar num mundo onde nem sabia se nesse minuto estava feliz ou se ficaria quebrado novamente. 

As lembranças sempre voltavam, aquele sentimento doloroso de perda vinha como um lembrete de que aquilo realmente aconteceu e que sempre estaria em sua memória. Sempre era assim que ele ficava quando a tristeza o abalava. Sua mãe poderia mentir até para si mesma, mas nunca para a dor que marcou os dois membros da família. Os únicos que conseguiram se manter em pé depois da tempestade que os afundou numa cidade cinza e cansativa. Aquilo era um buraco negro que o sugava cada vez mais. As lágrimas marcavam seu rosto e no espelho havia um garoto quebrado de olhos vermelhos, cabelos desgranhados e o semblante de um morto. 

Mas ele realmente se sentia assim. Quebrado, bagunçado e morto. Uma bela composição que sempre o machucava. Sozinho no banheiro repetia sempre a mesma cena. O garoto desliza lentamente pela parede atrás dele, largado no chão frio sentindo cócegas com as lágrimas que cismavam sair. Sua visão embaraçada e os soluços contidos o faziam refletir o porquê disso tudo. Sua mãe sempre dizia que era para ele contar tudo para ela, mas não adiantava. Sua dor pertencia à si mesmo e não iria partilhar com ela. Seria egoísmo deixar esse sofrimento cair em cima de uma pessoa que já sofria pelo mesmo. 

Mais uma vez lembrou de um rosto risonho e iluminado. O calor de seu abraço e o carinho em seus toques suaves em sua pele. Parecia um vício para ele lembrar dele. Sua presença tão forte e tão intensa. Seu riso tão belo e tão cheio de alegria. Seus olhos firmes revelando sentimentos frágeis. Ele, uma vez, esteve em seus braços em breves momentos de dor, mas na sua memória só se passava a cena de quando foi socorrido por aquele garoto que tinha o coração de si nas mãos. Era engraçado, mas quando esteve junto ao seu amigo, havia sofrido e desabado, porém logo estava sentindo seu coração bater aquecido com o carinho que aquele garoto fazia nele. Era uma sensação boa aquela que sentiu, porque sentia que o Sol havia chegado para o tirar da chuva que caia sobre si. 

Porém nunca poderia o dizer isso, nunca poderia se alinhar à ele. Nunca poderia aproveitar daquele seu sorriso contagiante, do calor de seu corpo, da presença tão intensa do mesmo. Nunca poderia sentir seus lábios colados nos seus, seu abraço forte, seus carinhos tão amorosos e nunca poderia ter ele para si totalmente. 

•×°Felipe Z. "Felps"°×•

- Cellbit? O que você vai... 

O loiro saiu andando com um passo forte e parecendo irritado. Sem demora vou atrás dele. O que Ycaro tinha dito para o seu loiro ir tão irritado na direção do quarto de Saiko? Só sabia que o cheiro de treta parecia palpável. Pac apareceu calmo e quando viu Cellbit, ia logo dizendo:

- Cell, você sabe onde... - O garoto ignorou totalmente o moreno, que logo olhou para mim com dúvidas nos olhos.

- Nem me pergunta. Se prepara que vai ter uma treta quentinha saindo do forno e o Saiko tá fudido. 

- Eita, Porra. Vamo logo acompanhar. Vou mandar mensagem para os outros agora. 

- Ok, mas vamos logo. Não quero perder nenhum detalhe.

Nós corremos até o quarto de Saiko atrás de Cellbit. Logo quando chegou em frente do cômodo, ele foi entrando do nada e ouvimos um Saiko reclamar da invasão. 

- Eii, que merda é essa?

- Que merda é essa? É isso que eu digo, Rodrigo! Que merda você fez pro Ycaro? Quer saber? Nem importa, você perdeu o menino de ouro que ele é. Parabéns, seu trouxa. O único que prestava você fudeu tudo! PARABÉNS, SAIKO. VOCÊ COM SUA BURRICE DESTRUIU SUA ÚNICA CHANCE DE MERDA DE ESQUECER AQUELA VACA! 

- VAMOS COM CALMA AÍ, RAFAEL. QUEM É VOCÊ PARA SE INTROMETER ASSIM NA MINHA VIDA?

- AH, EU? SEI LÁ, ACHO QUE EU SOU UM AMIGO QUE SEMPRE ESTEVE CONTIGO, CUIDOU DE VOCÊ, AJUDOU VOCÊ E SEMPRE TE DEFENDEU. NINGUÉM IMPORTANTE, NÉ? PORQUE SE O YCARO QUE ERA UM GAROTO INCRÍVEL QUE TE FARIA FELIZ, VOCÊ AFASTOU, IMAGINE UM ZÉ NINGUÉM QUE NEM EU E O RESTO DOS SEUS AMIGOS DESSA CASA!!! 

- Eu...

- QUER SABER? FODA-SE, SAIKO. Eu cansei disso. Quantas pessoas você vai destruir para tentar esquecer quem te destruiu? Você é um idiota de merda que não sabe nem lidar com a bagunça que seu coração se tornou. NÓS, DESSA CASA, SOMOS SUA FAMÍLIA, SERÁ QUE VOCÊ NÃO PODE NEM VALORIZAR ISSO? OU SERÁ QUE VOCÊ TAMBÉM VAI NOS AFASTAR SÓ PARA TER O GOSTINHO DE SER UM FRACASSADO? Você está fazendo o que aquela puta queria. Você está machucando os outros e se ferindo junto. Você não consegue nem se levantar da merda em que ela te colocou. Por que você não se permite ser melhor? Ser feliz? Simplesmente viver? Ela te afundou nesse seu poço, mas tantas pessoas que passam por sua vida e tentam te levantar, porém você não quer. Você não consegue! VOCÊ NÃO CONSEGUE NEM SE PERMITIR SER SALVO, SER AMADO, SER CUIDADO. OLHE PARA MIM E OLHE PARA VOCÊ MESMO. SERÁ QUE VOCÊ NÃO PODE SIMPLES SIMPLESMENTE LUTAR POR SI MESMO? SE LEVANTAR? SE AMAR? SE CUIDAR? EU ESTOU HÁ ANOS FAZENDO ISSO POR VOCÊ E VOCÊ TENTA PASSAR ESSE POSTO PARA UM GAROTO BONITO QUALQUER QUE PASSA NA SUA FRENTE. Essas pessoas não merecem isso. Não merecem a metade de um coração. O Ycaro não merecia isso. Eu tinha tanta fé...- Rafael nesse ponto chorava e começou à sussurrar - ...tanta fé que ele iria conseguir. Ele iria te salvar... eu tinha tanta certeza... mas no final você estragou tudo. Parabéns novamente, Rodrigo... - Cellbit olhou para a porta e se deparou com todos da banda na porta chorando também. Ele olhou para mim e um soluço saiu de sua boca. Seus olhos pareciam embaçados. Logo ele voltou a olhar Saiko e deu um tapa na cara dele - o Ycaro pediu esse tapa e apesar de tudo, Rodrigo, me machuca ter feito isso. Machuca mais ainda saber que você merece isso...

Rafael corre até mim e me abraça. Eu logo o tiro dali com cuidado. Olhei para trás e vi que todos permaneciam no mesmo lugar. A situação era complicada. 


Notas Finais


Bem, esse Cap não teve nenhum shipp, mas acho que é fundamental da história nem ter sempre só foco no romance, mas também nos problemas e modo de ser dos personagens.

Esse Capítulo nos mostra bem a influência da dor em nossas vidas e até na vida das pessoas que nos amam. Apesar de tudo, os sentimentos ruins sempre estão ali no cantinho e nunca tem um momento certo para voltarem a nos assombrar.

De qualquer forma, fiquem com minha opinião sobre:

A dor me faz me sentir viva, me sentir mais humana e frágil. As nossas cicatrizes sempre estarão presentes na nossa vida e não podemos ignorar os sentimentos e memórias que vêm com elas. É difícil e dói muito, porém a cada dia estamos vivendo da nossa maneira. Em pequenos ou grandes passos na direção do nosso futuro. Todo dia é uma luta, uma motivação, mas também pode ser uma perda. Sempre vamos cair e nos levantar, porque é assim que funciona. Somos fortes por isso. Por cada dia suportar o peso que nós e os outros tem no nosso destino ou passado. Então não podemos fugir disso, mas podemos aprender a sermos felizes acima das nossas dificuldades. A vida não para, não espera e nem é um mar de rosas, porém nós também não. No final da dor, nós sabemos que estamos prontos para viver o resto do dia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...