História The taste of sin - vhope - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Visualizações 68
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


_____________❂___________

Queria que todas minhas fraquezas pudessem ser escondidas

BangTan Boys (BTS) - Fake Love
_____________❂___________

Capítulo 17 - Não quero deixar você sozinho.


Fanfic / Fanfiction The taste of sin - vhope - Capítulo 17 - Não quero deixar você sozinho.

Tae: Tudo bem! - vou em direção a cama.

Hoseok: Ainda bem que tenho você, se não eu estaria sozinho agora. - diz ele. 

Tae: Não se preocupe, tudo isso vai passar. - o abracei e ele se virou para se encaixar em meu abraço. Depositei um beijo calmo em sua testa,  e ele se afaga em meu peito. 

Ele dormiu, mas eu demorei um pouco, pois eu o admirava, e percebi que perdi muito tempo odiando e insultando ele, ao invés de ver o garoto forte que ele era. As vezes eu não me reconheço, pois quando estou com Hoseok, eu me torno um novo Taehyung, eu sinto vontade de proteger ele, eu realmente gosto dele, e não quero perdê-lo. Acho que deixar ele longe do meu pai, vai ser o melhor, porque meu pai pode tirar Hoseok de mim, porque além de meu  pai abominar relacionamentos homossexuais, ele não suporta ver as pessoas felizes. Se meu pai já me odeia assim, imagina se ele souber que eu estou amando um garoto.  No começo eu até queria usar Hoseok pra contrariar meu pai, mas a partir do momento que  percebi que Hoseok é o meu melhor, eu quero manter ele longe do meu pai. 


Dia seguinte..


Me acordei e vi que Hoseok não estava na cama, fiquei confuso. Levantei e escutei barulho de água do banheiro, então deduzi que ele estava no banho. Então fiquei por ali olhando a tela do celular, de repente entro no friedline e mais uma publicação do Hoseok. 

" Meu coração doí, infelizmente você não está mas comigo."  

Eu pensei em comentar algo, mas meu medo foi maior. Eu não tenho dúvidas de que Hoseok seja importante para mim, ele é muito importante, mas tenho medo do que os outros vão pensar. Eu queria não parecer egoísta agora, mas infelizmente eu sou assim. Eu fiquei pensando no que eu poderia dizer, no que eu poderia fazer para ele se sentir melhor, mas nada vinha a minha mente. 

Hoseok finalmente saiu do banheiro, seu rosto era pálido e seus olhos estavam inchados, pois com certeza ele chorou durante o banho. Ele não falou nada, somente seguiu até seu guarda-roupa e pegou uma roupa qualquer. 

Tae: Você chorou né?

Hoseok: Sim, mas agora tô melhor que ontem. 

Tae: Que bom. 

Hoseok: Vou ter que aceitar de qualquer forma. 

Tae: infelizmente temos que aceitar. 

Hoseok: olha se você quiser ir pra sua casa, pode ir. Desde de sexta-feira a noite que você não vai. 

Tae: Não quero deixar você sozinho. 

Hoseok: Não se preocupe, eu vou ficar bem. 

Tae: tem certeza? - ele acente. - então eu te ligo quando chegar em casa. 

Dei um abraço apertado nele, e um beijo calmo e não muito demorado. Eu realmente não queria deixar ele ali sozinho, tenho medo dele pensar em besteira. Mas mesmo assim, mesmo preocupado com ele, eu fui pra casa. 

Taeri: tae oppa! Onde você estava? Você tem noção de que sumiu por quase dois dias. 

Tae: tava por ai. - passo a mão em seus cabelos. - Cadê o papai? 

Taeri: Ele saiu cedinho. 

Tae: há bom. Vou tomar banho, e pode ser que eu saia de novo. 

Taeri: Pode me levar junto? - eu pensei sobre e tive uma idéia. 

Tae: que tal irmos assistir um filme? 

Taeri: Pode ser, tem um filme que eu quero muito ver. Mas você não ia sair? 

Tae: Posso levar a pessoa comigo. Só temos que voltar antes do papai. Ele já tá furioso comigo. 

Taeri: Ta bom. Mas desde de quando você leva meninas no cinema, você sempre disse que isso é brega. 

Tae: Não enche. Baixinha. - vou em direção ao meu quarto. 

Eu tentei descontrair, mas Hoseok tristonho daquele jeito, não saia da minha cabeça. Uma parte de mim queria voltar lá e ficar com ele, mas ao mesmo tempo eu queria dar um tempo pra ele. Eu liguei só pra saber se ele estava bem.

Chamada on 

Tae: E aí você tá bem? 

Hoseok: Tô melhor. Não precisa se preocupar comigo. 

Tae: É inevitável, amor...posso te levar no cinema? 

Hoseok: Você não pode fazer isso comigo...

Tae: O que? Te chamar pro cinema?

Hoseok: Não. Me chamar de amor por telefone, quando nem se quer posso te abraçar. 

Tae: Hoseok!! Você aceita? Quer ir comigo no cinema, pra se distrair um pouco? 

Hoseok: Aceito amor. 

Tae: Não fala assim que eu fico tímido e com vontade de te morder, de te beijar, abraçar e tudo. - foco tae. -  Vou te pegar lá pelas sete, tá?!

Hoseok: Ta amor, vou sentir saudades. 

Tae: Eu também. 

Chamada of 


Meu coração está a mil, só de ouvir a voz do Hoseok pelo telefone, mesmo eu tendo visto ele a horas atrás, eu realmente senti falta dele. Fiquei ansioso pra que chegasse a hora do cinema, eu só queria ver Hoseok. A hora foi se passando e se passando, até que deu seis e meia e eu fui no quarto da taeri. 

Tae: Maninha, cade você não vai não? 

Taeri: Pensando bem eu não quero ficar segurando vela, então, pode ir você e sua convidada.

Tae: Não é convidada, é convidado. 

Taeri: Como assim? 

Tae: Convidei o Hoseok.

Taeri: sério? Eu soube que ele tá bastante mal, por conta da morte da mãe dele. Você sabia? 

Tae: Sim, eu soube, eu fui no enterro.

Taeri: Então você tava com Hoseok? 

Tae: Tava.

Taeri: Quer dizer que são amigos? 

Tae: Resolvi dar uma chance pro moleque, e eu queria que ele se distraisse um pouco, já passamos por isso e sabemos como é difícil perder alguém. 

Taeri: É foi tão complicado perder a mamãe. - ela parece refletir sobre o assunto. - Então vou me vestir e em dez minutos eu estarei lá em baixo. 

Tae: Ta bom, então vou te esperar lá. 

Desci pra baixo, e o carro do meu pai estacionou. Pronto estragou tudo. eu ouvi mais de uma voz. Fiquei deitado no sofá e meu pai entrou no escritório acompanho com um homem, a voz dele não me era estranha. Então dei uma espiada e vi que aquele cara era o mesmo do enterro da mãe do Hoseok, mas o que ele veio fazer aqui? O que ele veio fazer com meu pai?

Continua...


Notas Finais


↝❈ se você gostou da história. favorita e comente sua opinião, isso me incentiva a continuar ❈↫

↝ATÉ A PRÓXIMA↫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...