1. Spirit Fanfics >
  2. The Time Legacy - TaeKook >
  3. Capítulo Único: Vamos derrubar o sistema!

História The Time Legacy - TaeKook - Capítulo 1



Notas do Autor


Oi, meu amores aqui é a @Sou_blackpanth e @koovoyeur e esse é o nosso debut nesse projeto, nós abordamos o tema ficção científica e essa estória foi inspirada em um filme, caso vocês saibam qual é deixe nos comentários (O primeiro a acertar eu vou fixar!). Devemos admitir que ficamos bastante nervosas com a escolha do tema, mas no final deu tudo certo.Bom, meu amorecos é isso, fiquem com The time legacy.

Capítulo 1 - Capítulo Único: Vamos derrubar o sistema!


Fanfic / Fanfiction The Time Legacy - TaeKook - Capítulo 1 - Capítulo Único: Vamos derrubar o sistema!

[Narrador/personagem Jungkook] 


Olho para o relógio marcado em minha pele e suspiro enquanto levanto da cama, percebo que ainda tenho algumas horas de vida, ou seja, terei que trabalhar para ganhar mais algum tempo, essa era a única diferença entre nós e os ricos no tempo em que vivo. 


Os ricos tinham horas para viver uma eternidade, e nós, bem, uma hora a nossa vida vai chegar ao fim.


ㅡ Já vai sair, meu amor? ㅡ Minha mãe perguntou quando cheguei à cozinha, ela estava tomando uma xícara de café ao passo em que eu adentrava o cômodo. 


ㅡ Feliz cinquenta anos, mamãe! ㅡ Beijei sua testa, ouvindo um obrigado em troca.


ㅡ Já fiz cinquenta anos e você ainda não me deu netos, quando vai tomar vergonha na cara? ㅡ Ela cruzou os braços fazendo um biquinho fofo, minha mãe ainda é uma bebê. 


ㅡ Se tivéssemos tempo, eu te daria netos.


ㅡ Eu preciso sair e só volto depois de amanhã, então esteja no ponto de ônibus para me buscar. ㅡ Peguei minha jaqueta, vestindo-a e pronto para sair. ㅡ Espera, meu bem, deixa eu te dar um tempo para um almoço decente.


Ela colocou o seu antebraço por baixo e o meu por cima, era algo semelhante a um aperto de mão, mas com o antebraço. Fitamos nossos braços contrários e pudemos ver o quanto tempo nos resta, e agora eu tinha trinta minutos a mais e ela a menos.


ㅡ Agora eu preciso ir, até amanhã, mamãe. Quando voltar comemoramos seu aniversário com o champanhe que eu comprei. ㅡ Dei um último beijo nela e saí.


Mais um dia de luta e com muitas poucas glórias, porém como não tenho tempo para reclamar, vou à luta após comprar um café.


ㅡ Como assim o café está quatro minutos? Ontem eram três ㅡ disse, olhando o atendente que não estava no seu melhor dia.


ㅡ Vão querer café ou lembranças? ㅡ o atendente disse já sem nenhuma paciência conosco. 


Coloquei o meu pulso com o braço que não continha os números sobre a pequena máquina de metal, essa máquina era como a de cartão, mas não precisávamos de senha. Olhei o meu braço que continha os números e vi oito minutos irem embora. 


ㅡ Obrigado. ㅡ peguei meus copos e segui para o trabalho.


Eu trabalho fabricando esse tipo de máquina que pega tempo, ela é prata e tem uma curvatura na parte de cima, onde você coloca o pulso. No meu caso, fabricamos dois tipos desta, a que nós podemos levar conosco na bolsa ou mochila e a que é usada nas lojas para pagamento, que não são móveis como esta. É um trabalho que não ganha muito, mas que também não é uma miséria, dá para viver.


[23:34 PM]


Estava na fila para receber o meu tempo do dia, coloquei o pulso na máquina, entretanto logo notei que havia alguma coisa errada. 


ㅡ Está faltando tempo aqui? Por quê? ㅡ e o rapaz que estava dentro da cabine disse:


ㅡ A cota aumentou e você não conseguiu cumprir.


ㅡ A minha produção aumentou muito semana passada!


ㅡ E a cota também. ㅡ O cara respondeu me encarando irritado, não disse mais nada e apenas saí da fila.


Eu até poderia ir para a minha casa se não tivesse que buscar o Yoongi em uma boate, o Yoon é um amigo meu de longa data e trabalha no mesmo lugar que eu, porém em uma área diferente.


Entrei na boate avistando um grupo de amigos, nós jogávamos carta quando tínhamos tempo.


ㅡ Oi JungKook, vai jogar uma? ㅡ Park Jimin disse. Ele é um loiro baixinho viciado em jogo, perde direto para mim, mas devia admitir, o Park é um ótimo jogador.


ㅡ Não tenho tempo para isso.


ㅡ Graças a Deus. ㅡ Ele jogou as cartas sobre a mesa mostrando que havia ganhado do outro rapaz. ㅡ Afinal, toma as horas que eu estava te devendo. ㅡ Fizemos aquele esquema, segurando o antebraço um do outro, o meu por cima porque eu estou recebendo e o dele por baixo porque ele está me dando, e pronto. Tenho um minuto a mais de vida.


Me aproximei do meu amigo Yoongi, que estava sentado perto do balcão bebendo, ele já estava bêbado.


ㅡ Sua mulher está a sua procura, meu jovem Min. 


ㅡ Aquele homem ali está pagando bebida a noite toda, ele tem séculos, Jungkook! ㅡ Olhei na direção do homem de quem ele estava falando e tive certeza de duas coisas:


A primeira é que ele é rico.


A segunda é que se ele não sair daqui agora, ele vai morrer.


Olhei para o outro lado e, sentado em uma mesa sozinho, um homem todo de preto olhava o engomadinho. Me aproximei do homem que estava com duas mulheres e pedi licença às moças.


ㅡ Você precisa sair daqui antes que alguém roube o seu relógio. ㅡ Ele me olhou e virou o copo de bebida, ingerindo o resto do álcool. 


ㅡ Sério? ㅡ falou debochado e pouco se importando para o que eu disse.


ㅡ Para quê importa ter tanto tempo de vida se pode perdê-la em segundos? Vai embora antes que… ㅡ Dois tiros foram disparados para o alto, fazendo o povo sair de dentro do bar e eu e meu amigo também.


ㅡ Vamos logo, Jungkook, os ladrões de tempo não brincam em serviço, o engomadinho pediu por isso. ㅡ Continuei atrás da porta, olhando o que ia acontecer. ㅡ Jeon.


ㅡ Eu não vou fazer burrada, ‘tá bom?! Agora vai embora e cuida da sua esposa. ㅡ Ele saiu e eu fiquei observando o que o homem ia fazer.


Ele disse alguma coisa para os outros caras e foi na direção do banheiro, eu corri na frente e entrei na última cabine e ele foi vomitar na penúltima, junto dele estava um homem. 


Antes que o cara o levasse, eu abri a porta com força batendo nele, peguei o "senhor do tempo" e saí correndo sem olhar para trás. Quando viramos a rua, olhei para trás e vi o carro dos gângsters, nós passamos a correr mais rápido, ajudei o homem a pular o muro e corremos até chegarmos em uma rua deserta. 


Por sorte ali tinha uma casa abandonada, arrombei o cadeado, entramos e ficamos calados. Quando ouvimos o barulho do carro segurei a corrente e rezei para eles não nos acharem.


E eles não nos acharam, então fomos para a parte de cima do edifício abandonado, o burguês se jogou no sofá e eu fiquei em pé, olhando os caras nos procurando feito cães farejadores.


ㅡ Mas, que merda! ㅡ Eu estava muito irritado. 


ㅡ Bebe um pouco que passa. ㅡ Ele me estendeu um cantil de bebida, peguei de suas mãos e coloquei nos meus lábios, mas meu Deus, que gosto ruim. ㅡ Bebe mais que fica com o gosto mais agradável. 


Não, não fica.


Entreguei o cantil de volta para ele e fiquei em pé, vendo os caras saindo do carro.


ㅡ Prazer, me chamo Kim Taehyung.


ㅡ Jeon Jungkook ㅡ disse, olhando para o meu tempo no braço e notando que havia pouco.


ㅡ Vejo que você precisa de ajuda ㅡ disse enquanto me engolia com os olhos.


ㅡ Não, obrigado. ㅡ respondi. Ficamos em silêncio até ele perguntar.


ㅡ Qual é a sua idade, mas sem ser pelo tempo no seu braço?


ㅡ Vinte e dois anos, e a sua?


ㅡ Cento e cinco anos ㅡ disse abaixando a cabeça, ele não parecia feliz com esse tempo todo.


ㅡ Se continuar assim, não vai chegar aos cento e seis.


ㅡ Você está certo, mas chega um dia em que já deu, sua mente se esgota mesmo que o seu corpo não… ㅡ Ele baixou a cabeça, mas logo a levantou. ㅡ Nós queremos morrer, nós precisamos.


Andei da janela onde eu estava até parar em sua frente.


 ㅡ É esse o seu problema? Você está vivo há muito tempo? ㅡ Ele me olhou. ㅡ Você já conheceu alguém que morreu?


Ele ficou quieto e a minha vontade foi de socar a sua cara.


ㅡ Para poucos serem imortais, muitos têm que morrer. ㅡ Me sentei na poltrona que tinha ali e fiquei o encarando, dando espaço para que ele continuasse. ㅡ Você não sabe mesmo, né? Se todos pudessem viver para sempre não teríamos mais espaço, por que acha que existe as zonas de tempo? Por que acha que as taxas e preços sobem mais a cada dia que passa? O custo de vida continua subindo para que as pessoas continuem morrendo, de que outro jeito poderia ter homens com um milhão de anos quanto tem gente que vive dia após dia? Mas, a verdade é que tem mais do que o suficiente, ninguém precisa morrer antes do tempo certo. ㅡ Ele negou com a cabeça, ficando parado por alguns minutos e logo voltou a me olhar. ㅡ Se você tivesse tanto tempo quanto eu, aí nesse relógio, o que faria com ele?


ㅡ Iria parar de olhar para ele. ㅡ Olhei para o relógio vendo o tempo passar.  ㅡ Uma coisa eu te digo, se eu tivesse esse tempo todo, eu não o desperdiçaria. ㅡ O homem sorriu para mim. ㅡ Descanse um pouco e não se preocupe que eu não vou roubar o seu tempo.


ㅡ E nem eu o seu. 


[00:44 PM]


Não conseguia dormir depois de tudo aquilo, eu fiquei refletindo sobre a vida antes de tudo isso. Ela era feliz e cheia de graça, as pessoas não precisavam correr contra o tempo para viver, mas a ganância do ser humano fez com que essa merda em que vivemos hoje, no ano de 2078, acontecesse. 


Por pura ignorância eles fizeram isso, a ganância leva o homem à ruína. O mundo era normal até um infeliz dizer que o mundo em que vivíamos não era nada, então ele inventou esse maldito relógio, afirmando que as coisas iriam melhorar, que a economia iria subir e que o mundo ia ficar melhor, mas é claro que ia ficar melhor! Vazio. Eles queriam refazer o mundo e estão conseguindo.


ㅡ Não consegue dormir também? ㅡ Taehyung perguntou, virando-se no sofá para me encarar, parecia um pouco mais sóbrio e eu me sentia grato por isso, ele se sentou no sofá e eu me sentei também, o encarando.


ㅡ Não ㅡ disse, massageando as têmporas.


ㅡ É estranho ㅡ ele comentou, depois de alguns minutos em silêncio então, ele sorriu ㅡ Acho que eu gosto de você. Eu me sinto estranhamente confortável e ansioso quando eu estou com você, mesmo que essa seja a primeira vez.


Sorri, vendo ele me encarar, mas se perdendo em alguma coisa em mim, isso soa bem clichê, porém, talvez ele tenha se perdido no meu sorriso.


ㅡ Eu também gosto de você. ㅡ Ele nada disse, apenas se ajeitou no sofá e continuou me olhando, e eu nem sequer sabia o que fazer.


ㅡ Vai ficar aí me encarando com essa cara de idiota esperando um convite formal para me beijar? ㅡ disse tirando a gravata e o blazer.


Eu fiquei o encarando e depois olhei para o meu relógio e deduzi uma coisa: se eu morrer, que seja depois de transar com um cara que eu salvei e que vai ter bastante tempo para lembrar dessa foda.


Levantei, tirando a jaqueta e indo sentar no sofá, mas ele segurou a minha cintura, me fazendo sentar em seu colo. O engomadinho é safado.


ㅡ O engraçado é que eu também queria beijar você ㅡ comentei.


ㅡ Só me salvou por que queria me beijar? Achei que estivesse interessado no meu tempo, fui ingênuo. ㅡ Taehyung brincou, me fazendo sorrir.


ㅡ  Seu coração bate sempre assim? ㅡ Brinquei, vendo o rosto de Taehyung tomar uma cor avermelhada, ele é fofo. Observei o Kim passar a língua entre os lábios, ansioso para o beijo.


Ele apenas me beijou timidamente e minha mão correu por sua nuca e ficamos ali, envoltos um no olhar do outro por alguns curtos segundos. Eu não precisei falar nada, ele entendia o que eu queria dizer e eu podia sentir isso. 


Nossos olhares novamente se encontraram e agora me sentia, mais que antes, envolvidos neles. Passei a mão sobre seus cabelos, sussurrei alguma coisa no ouvido de Taehyung e enfim ele se entregou a um beijo apaixonado, aquele beijo apaixonado em que senti que todo o amor do mundo era expresso ali.


Em um misto de emoções, nossas bocas se soltaram, voltamos a nos olhar e eu suspirei.


ㅡ Sempre suspira assim? ㅡ Ele perguntou com um olhar carinhoso e eu simplesmente sorri.


A noite começará e terminará ali, em algumas poucas e eternas horas, a noite mais mágica da minha vida.


[No dia seguinte]

   

No dia seguinte eu acordei e não vi o Kim no sofá e quando olhei o meu braço quase tive um treco, eu estava com tantos números no braço que eu nem sabia quanto tempo tinha ali.


Levantei da poltrona e quando olhei para o chão tinha uma coisa escrita na poeira.


"Não desperdice o meu tempo."


Foi quando me bateu um desespero e eu comecei a procurar ele pela casa, mas não o achava, então quando olhei pela janela o vi sentado na beira da ponte esperando o tempo acabar. Não pensei duas vezes e saí correndo para aquela ponte.


ㅡ Taehyung, não! ㅡ Ele olhou para mim com seus olhos brilhantes e sorriu, então pulou.


Eu parei no meio da ponte e fiquei ali sem acreditar naquilo, eu mal o tive, e já o tinha perdido.


ㅡ Mas, que merda! ㅡ Olhei para o alto e vi a câmera me gravando, então saí dali.


Logo lembrei de uma coisa, ou melhor, de uma pessoa, a minha mãe.


Corri desesperado para o ponto de ônibus que estava bem longe dali, eu preciso chegar lá antes que o tempo dela acabe, eu tenho tanto e devo usá-lo com sabedoria. 


ㅡ Jungkook! ㅡ Minha mãe estava correndo na minha direção e eu só corri cada vez mais rápido na direção dela. ㅡ Jungkook, o meu tempo está acabando! 


Cinco, 


ㅡ Mãe!


Quatro,


Ela correu mais rápido.


Três, 


Eu não posso perdê-la.


Dois,


ㅡ Mamãe, mais rápido!


Um


Ela segurou o meu braço e então eu pude respirar, ela estava viva e bem, ao contrário de mim, que estou vivo por fora e morto por dentro, não me sinto nem um pouquinho bem.


ㅡ Filho, o seu braço… ㅡ Puxei a manga do blazer do Kim, tampando o relógio.


ㅡ Em casa a gente conversa.


[Noite anterior]


Ele me deitou no sofá velho e começou a beijar a minha bochecha, meu queixo e a minha boca. No local só era possível ouvir nossas respirações pesadas e o estalo do nosso beijo, que ele findou. 


O que eu faço com você, jovem Jeon? Me diga. Ele deitou sobre o meu corpo e se pôs a maltratar a pele esbranquiçada do meu pescoço. 


Que tal parar de enrolar e transar comigo? Tirei a sua camisa, tendo uma visão maravilhosa do seu peitoral e abdômen, ele é lindo. 


Taehyung sorriu passando a língua entre os dentes, o desgraçado é o diabo. Devagar, ele tirou a minha camisa e se pôs de pé para tirar a calça e os sapatos. deixando apenas a cueca, e eu fiquei admirando o corpo esbelto de lindo do homem à minha frente. Deitado, tirei os sapatos e a calça enquanto o outro rapaz parecia enlouquecer em silêncio com o olhar sobre mim, sentei o olhando bem nos olhos e ele se aproximou, segurando o meu queixo. O Kim e sua postura dominadora totalmente diferente do engomadinho que eu salvei.


Ele me pegou no colo e eu entrelacei as pernas em volta de sua cintura, então aos beijos, ele me encostou na parede e rasgou a minha cueca, assim fazendo o mesmo com a sua. Findei o beijo quando senti seu membro pressionar o meu orifício, e por impulso abaixei a cabeça.


Não tardou em levantá-la  novamente com a mão que estava livre Essa será a última vez que eu vou ver você, então eu quero te foder e ver cada uma de suas expressões. Quero levar isso para sempre comigo. Ele pressionou meu corpo com mais força contra a parede e me beijou com luxúria. 


Aos poucos o membro dele foi entrando em meu interior e, em meio ao beijo, eu gemia, Taehyung impulsionou a minha cintura para baixo e me fez sentar de uma vez no seu pau.


Aí! Merda, Taehyung… 


Perdão, meu bem, mas você é muito apertado. Sem me dar tempo de dizer mais nada, ele começou a se movimentar.


Ele praticava forte, mas devagar acertando o lugar certo, seu sorriso safado me dava mais tesão e o jeito manhoso em que eu gemia no seu ouvido o fazia arrepiar. Toda essa delicadeza acabou quando ele, com ambas as mãos, abriu mais as minhas nádegas e começou a estocar rápido, acertando no ponto de prazer.


Goza para mim, Jungkook e geme bem gostoso. Jogou a cabeça para trás, indo mais fundo, enquanto eu arranhava os seus ombros, sentindo meu abdômen contrair com força. 


Ele me olhou e eu não pude evitar de gemer feito uma puta com aquele olhar, engomadinho desgraçado.


Taehyung!Apertei os olhos, ouvindo o gemido grosso do Kim ecoar pelo local, arranhei a sua nuca e me joguei sobre o seu corpo.


Nos vestimos e ele colocou o seu blazer em mim, ficamos em silêncio aproveitando o momento e o clima gostoso que pairava no ar.


[Agora (12:34)]


Bati na porta da casa dos Min, sendo atendido pelo próprio Yoongi, ele me mediu da cabeça aos pés.


ㅡ O que você fez, Jungkook? ㅡ perguntou, então eu sorri para ele.


ㅡ Ainda não fiz nada, mas nós vamos fazer. ㅡ Ele saiu de casa, fechando a porta e começamos a andar.


ㅡ O que vamos fazer? ㅡ Coloquei o pirulito na boca, dando um para ele.


Nós vamos derrubar o sistema.


Notas Finais


Finais: Já sabem o nome do filme? Vou esperar ansiosamente pelas respostas! Nós adoramos escrever essa estória e abordar esse tema que é novo para a gente, e se você gostou não custa nada, literalmente nada dar o seu favorito e comentar.

Agora a parte boa:

OBRIGADO SUA LINDA @Tori_N pela capa e banner perfeitos, botem palminhas para ela nos comentários por favor.

E O MEU AGRADECIMENTO VAI TAMBÉM PARA A @jiminstrip, a sua betagem está perfeita e perdão pelos nossos erros de português. Palmas para ela também nos comentários gente.

Agora sim, obrigado a todos e eu espero ver vocês lendo as minhas estórias desse projeto maravilhoso mais a frente.

✨@UtopiaJK obrigado!✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...