1. Spirit Fanfics >
  2. The Treasure Of Love - Sett x Aphelios >
  3. Corações conectados... Mas e a Distância...?

História The Treasure Of Love - Sett x Aphelios - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Hey peoples! Retornei FINALMENTE com o capítulo sete! Espero que gostem! Boa leitura para todos! ;3

Capítulo 7 - Corações conectados... Mas e a Distância...?


Fanfic / Fanfiction The Treasure Of Love - Sett x Aphelios - Capítulo 7 - Corações conectados... Mas e a Distância...?

Seguiam-se os dias, Aphelios parecia cada vez mais preocupado, não pela irmã não lhe alertar sobre aonde a arma estava, mas sim por não ter notícias dela. 

A cada momento que passavam juntos, o Lunari conseguia descobrir um pouco mais sobre o lutador que encarava com ele aquela viagem louca atrás de uma relíquia poderosa. Via que ele adorava conversar com as crianças vastaya que passavam brincando na praça todos os dias. Elas o admiravam, chamavam-no de herói, e o Escolhido, apenas ficava a olhar, encantado em ver como ele lidava com tantos pequenos de uma vez.

Possuindo um carisma enorme que Aphelios já havia descobrido um pouco, por mais que Sett aparentasse ser teimoso e provocador, o Targoniano via nele uma boa pessoa, e notando que o meio-vastaya, escondia um passado nada agradável, sofrendo desde pequeno com insultos e agressões, e o chefe, nunca se deixou levar.

Por breves momentos, Aphelios queria ter sido como ele, podendo sair e viver sua vida gloriosa sem ter um grupo inimigo pronto pra te atacar apenas por suas opiniões não serem as mesmas que a deles.

E também, mesmo que o Lunari fosse quieto, Sett percebeu seus costumes e gostos, como, sempre sair e treinar todas as noites para aliviar o stress, admirar a lua brilhante por longas horas sem nem se mover, querer descobrir mais sobre o lugar aonde ele se encontrava no momento. Aphelios não era apenas um rapaz calado e um pouco estressado, era preocupado com quem amava, tudo que ele queria desde o início, e Sett percebera isso, era apenas pegar a maldita arma e retornar para seu lar original, e tentar impedir, uma guerra desnecessária de acontecer.

----------

Era mais uma noite em que Aphelios iria sair para o jardim e treinar. A frustração constante em não receber notícias da irmã o queimava por dentro, mas continuava a repetir para si mesmo para ter esperança, não desistir, e que Alune estava bem, não havia o que se temer. Porém, não parecia ser o suficiente, não para ele.

Se colocou no centro do local e sentiu o brilho forte do luar pairar no seu rosto, de sua mão, Calibrum surgiu, o lindo rifle reluzia sob a luz branca, e assim, invocou outra arma, Crescendum. Jogou ela no chão, e a mesma se tornou uma sentinela, servindo de base como um oponente seu, logo a mesma começou a atirar, e Aphelios, rápido e ágil como sempre, atirando com precisão e elegância no seu "inimigo".

Quando destruiu, invocou outra, desta vez com as habilidades de outra arma, Infernum, o lança chamas. 

As lindas chamas azuis-escuras eram lançadas na direção dele, o mesmo pulava, se esquivava, como se nada nunca pudesse acertá-lo, até que enfim, atirou com tudo na sentinela.

Fez isso mais algumas vezes, até sua cabeça estar focada apenas naquilo, queria esquecer por pelo menos um momento os problemas a sua volta. Aphelios se sentou no chão para respirar, e seu olhar, negro como a noite, rapidamente retornou a lua. A brisa calma e um pouco fria, passava suavemente por seu rosto, retirando lentamente os fios de seu cabelo escuro.

Ao longe, Sett abrira a porta que separava a parte externa do jardim, da interna de sua moradia, olhando para frente, viu Aphelios. Se aproximou aos poucos, o Lunari apenas o notou quando o mesmo se sentou ao seu lado.

O Escolhido cruzou as pernas e ajeitou a postura, já Sett, sentava-se com uma perna curvada para cima, a outra esticada no chão, uma de suas mãos inclinadas para trás lhe dando apoio, enquanto a outra era deixada sob o joelho de sua perna erguida.

- É uma bela noite não é? - Perguntou o chefe apenas para não ficar um gelo desconfortável entre os dois.

- Sim... - Respondeu o Lunari rapidamente.

- Você não anda muito bem esses últimos dias... - Falou Sett de maneira direta.

O Targoniano, surpreso por sua fala direta, virou seu rosto para ele, deixando o luar de lado, e focando no rosto do lutador, que Aphelios, realmente achava bonito, não apenas o seu corpo.

- Ha ha, vamos... não faça essa cara de surpreso. Eu iria perceber uma hora ou outra. - Dizia o meio-vastaya em resposta.

- Eu já imaginava... nunca fui bom em esconder o que eu sinto... - Respondera o Lunari abaixando um pouco seu rosto e desviando o olhar.

- Hey, não fica assim. Você não precisa esconder nada de mim. Eu posso até parecer meio irritante as vezes, mas eu sei escutar ta bem? - Falava ele se aproximando de Aphelios, sua mão segurou o queixo do mesmo, o levantando, fazendo o Escolhido olhar nos olhos do homem a sua frente.

- Sim... obrigado, Sett... Eu só... estou muito preocupado com a minha irmã e... com a situação dos outros Lunari... os Solari aparentemente vão avançar mais e mais a cada dia... e eu temo que algo de pior possa acontecer... - Revelou Aphelios, deixando seu queixo ser segurado pela mão do meio-vastaya.

- O melhor nessas horas é você continuar tentando, Aphelios. Desistir não é uma opção, e ao que aparenta, os Lunari não vão desistir, você é um deles e você tem uma força incomum, não digo por parte de seus poderes ou suas armas, mas sim uma força dentro de você, que te torna único. - Falava Sett com um sorriso carinhoso para Aphelios no rosto.

Aquelas palavras carregadas de gentileza e sinceridade, fizeram o oração do Escolhido bater contra as suas costelas, as bochechas do mesmo se esquentaram um pouco.

- Nunca ninguém havia dito isso pra mim... Obrigado, Sett... - Agradeceu o Lunari, sorrindo para Sett de maneira gentil pela primeira vez.

As orelhas do chefe se colocaram para trás, seus olhos se arregalaram um pouco e suas bochechas possuíam um leve rubor, ver Aphelios sorrindo foi algo fulgurante para Sett, algo tão lindo que nem mesmo ele conseguia explicar, ele havia colocado um sorriso naquele rosto tão sério e concentrado.

Por impulso, o chefe envolveu seus braços ao redor do Lunari e o abraçou, contudo, os dois acabaram caindo na grama, o meio-vastaya sobre o Targoniano que tentava raciocinar o que acontecia.

- Aphelios... você é ainda mais lindo quando sorri... E por favor... não me agradeça em nada... ficar do seu lado esse tempo todo.. foi milhões de vezes melhor do que ser admirado por outras pessoas que eu nem conheço... - Falava o lutador enquanto abraçava com carinho o Lunari.

Aphelios, com o coração derretido por aquelas palavras tão gentis, se permitiu deixar levar naquele momento. Uma de suas mãos ficando nas costas do meio-vastaya, massageando a mesma, enquanto sua outra mão acariciava os cabelos ruivos e macios dele, as orelhas de raposa continuando baixas.

- Sett... - Ele sussurrou o nome do chefe gentilmente, não sabendo o que dizer no momento.

- Aphelios... - Sett sussurrou o nome dele em resposta, a voz dele baixa e rouca provocou arrepios no corpo do Escolhido.

O meio-vastaya se aproximava cada vez mais, suas mãos subindo pela cintura dele, até tocar no rosto do mesmo, Aphelios percebia a proximidade aumentando, mas não se mexia, apenas inclinava sua própria cabeça pra mais perto da face do lutador.

Rapidamente, os lábios de Sett encontraram os de Aphelios, o beijo se iniciou calmo e lento, mas repleto de significado. O Lunari sentia-se aliviado por ter seus sentimentos correspondidos, tais sentimentos que ele nunca havia sentido tão profundamente por ninguém antes.

O lutador tocou o coração do Lunari de uma forma intensa, o impressionando em diversos aspectos. Fosse por sua teimosia que era, por mais que irritante, engraçada, fosse por sua força e preocupação com os demais, ou a sua personalidade cativante e espontânea, tudo nele agradava a Aphelios, ele apenas demorou para perceber isso.

Aquela busca por uma arma, se tornou algo muito maior, algo que o Escolhido jamais pensaria que ocorresse, mas repetia para si mesmo que nunca devia duvidar do destino, as estrelas se alinhariam para trazer uma nova situação, quer ele quisesse ou não.

O beijo se prolongava, e depois de diversos minutos, separaram seus lábios, procurando resgatar o ar perdido que lhes fazia falta.

- Eu te amo, Aphelios... - Falou ele tão baixo que apenas o Lunari podia ouvir.

O coração do Escolhido batia extremamente rápido, não podia ainda acreditar que seus sentimentos foram correspondidos, pensava que era tudo um sonho, e desejava que nunca acabasse. Por um momento, os dois esqueceram dos problemas, o que mais importava ali, e agora, era que eles estavam nos braços um do outro.

- Eu também te amo, Sett... - Respondeu ele no mesmo tom de voz, calmo e sereno. Sua mão percorreu a bochecha dele até retirar uma mecha de seu cabelo ruivo para o lado, podendo ver melhor seu rosto.

- Desculpe se eu fui rápido demais... é que... eu já não me aguentava... - Falou o chefe revirando seu olhar para o lado constrangido, e o que o companheiro fez em seguida o pegou de surpresa.

Aphelios segurou o queixo dele e o puxou gentilmente para perto novamente, lhe dando um selinho lento e um pouco demorado, separando seus lábios depois disso.

- Não se desculpe... foi perfeito... - Respondeu o Targoniano com um sorriso doce.

- Awwn! Você é tão fofo! - Disse Sett sorrindo de volta, suas mãos percorrendo a cintura do amado, fazendo cócegas ali.

- Ah! Não! Ha ha ha! Sett...! Esse é meu ponto fraco...! - Falava ele em meio a risos, deixando Sett ainda mais encantado com sua beleza e a risada contagiante.

Depois de alguns minutos, o meio-vastaya parou com o ato, descendo sua mão para agarrar o quadril de Aphelios e a livre segurar a bochecha dele com carinho, retornando a se aproximar do rosto dele.

Outro beijo, desta vez mais intenso, a língua do lutador se enlaçava na do Lunari. O desejo crescia entre eles, e seus corações, batiam perfeitamente em uma sincronia bela e única.

Sett se empolgava, subindo sua mão do quadril do parceiro para o casaco do mesmo, o agarrando e começando a tirá-lo lentamente, Aphelios percebeu, mas não o interrompeu, afinal, o desejava como ele o desejava.

Separaram seus lábios ofegantes, olhando um para o outro, o chefe permanecendo com um olhar faminto e um sorriso galanteador e provocante no seu rosto. Em um suspiro, sussurrou no ouvido dele.

- Aphelios... eu já não me aguento mais... desde que te vi... eu sentia um imenso desejo de beijá-lo, de acolhe-lo... - Sussurrava, lambendo a parte de trás da orelha dele, mordendo o lóbulo levemente em seguida.

- S-Sett... - Chamou o Lunari o nome dele, servindo para espalhar arrepios pelo corpo do meio-vastaya e seu desejo crescer mais.

- Quando você chama meu nome assim... - Prosseguiu o chefe, descendo seus lábios pelo pescoço do Lunari, o mesmo se arrepiando por sentir os lábios dele ali.

O desejo ardente e irresistível de ter um ao outro naquele momento era algo que apenas crescia, contudo, a voz da irmã de Aphelios ecoou por sua cabeça, ele, entristecido por isso, colocou as mãos nos ombros de Sett, o que fez o mesmo parar seus atos.

- O que foi? - Perguntou ele de maneira preocupada.

- Minha irmã... ela deseja falar comigo... - Respondeu o Lunari.

- Ah... entendi... - Falou Sett, suas orelhas se abaixando, pois antes haviam se levantado.

- Fica tranquilo, outra hora prosseguimos com isso... - Falava o Targoniano enquanto acariciava uma das orelhas de Sett, fazendo o mesmo fechar os olhos e sorrir de forma fofa, como se fosse um gato recebendo um cafuné.

- Já disse que amo quando você faz carinho em mim? - Comentou o meio-vastaya.

- Não... mas fico feliz em ouvir isso... acho que se tornará mais frequente... - Supôs o Lunari.

- Tomara...eu vou adorar. - Concluiu o lutador.

Rindo levemente depois disso, Sett ajudou Aphelios a se levantar, beijando sua testa em seguida e entrando em casa, o Escolhido ajeitava suas roupas, se comunicando com a irmã logo após isso.

- Aphelios! Tenho boas notícias! - Dizia Alune em tom de repleta felicidade.

- Diga então, irmã. Estou ouvindo. - Respondeu ele.

- Consegui localizar a arma, está em uma das cidades a leste de Noxus, lhe direi mais detalhes. - Alune começou.

- Prossiga então, por favor. - Pediu Aphelios.

Alune lhe informou sobre o nome da cidade e o porto que eles poderiam desembarcar, alertou que deveriam tomar cuidado ao entrarem pois aquela região era muito frequentada por bandidos e abusadores, pediu para ele tomar precaução extra ao colocar os pés lá, e ele, confiante, afirmou que tomaria o máximo de cuidado.

Conversaram um pouco mais, contudo, Alune não lhe avisou sobre os alertas que a Lunariana Diana havia lhe dado a duas semanas. Não queria preocupar o irmão, ela percebia que ele estava feliz e tranquilo, chegou quase ao ponto de perguntar o motivo, mas não o fez.

-Eu vou indo agora meu irmão, cuide-se, eu amo você. - Falou ela gentilmente.

- Eu também te amo Alune. Cuide-se. - Pediu ele também, se despedindo da irmã.

Abriu seus olhos e encontrou-se olhando para a lua, sua cabeça inclinada para cima, mas logo a abaixou, caminhando para dentro da casa do meio-vastaya para alertá-lo sobre a cidade que deveriam ir.

----------

Aphelios lhe contou sobre a conversa com a irmã, dizendo a ele a cidade correspondente. Sett arregalou um pouco os olhos, porém, não era de pavor ou algo do tipo, era apenas surpresa, pois fora lá que ele havia enfrentado seu primeiro adversário e massacrado o mesmo, por pouco não havia morrido.

- Então... foi em Noxus que sua carreira começou...? - Perguntou Aphelios.

- Sim, mas lá nunca foi o meu lugar, a política era deplorável, digo, até hoje é, contudo, eu consegui vir para Ionia, e passei a morar aqui. Eu dediquei a maioria do dinheiro ganho para ajudar os vastayas que precisavam, inclusive a minha mãe... as crianças me veem como um herói, não como um espancador profissional, e eu espero que continue assim... - Contava ele olhando para o Lunari sentado ao seu lado no sofá.

- Entendo... tenho certeza que irá continuar assim... - Afirmou ele em resposta.

- Você é uma graça... - Elogiou Sett beijando a bochecha dele.

Depois de mais uma breve conversa, foram resolver quanto ao assunto da embarcação, tanto um quanto o outro esperando que finalmente pudessem concluir aquela bendita missão, mas sempre ficava a duvida na cabeça do Escolhido, quando voltasse para Targon e tudo se resolvesse, como ficaria a relação dos dois...? 

Aphelios pela primeira vez tinha amado alguém com todo seu ser, e continuaria a amar, mas o que aconteceria depois...? Como eles iriam resolver isso...? Sett devia permanecer em Ionia, e Aphelios em Targon... porém, ele não queria isso, queria poder ficar ao lado do vastaya que tocou seu coração e alma

Teria de pensar nisso uma outra hora, pois agora, embarcar no navio que ia até a cidade de Noxus que eles queriam, era o mais importante no momento.


Notas Finais


E acabamos por aqui! Muito obrigada a todos por lerem!

Vejo vocês no próximo capítulo! Bom dia, tarde ou noite pra quem quiser, fui! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...