História The True Heirs of Blood - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, IKON
Personagens B.I, Bobby, Chanwoo, Donghyuk, Jennie, Jinhwan, Jisoo, Junhoe, Lisa, Rosé, Yunhyeong
Tags Blackpink, Hentai, Ikon, Jennie, Junhoe, Lisa, Sobrenatural, Vampiro
Visualizações 42
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction The True Heirs of Blood - Capítulo 7 - Capítulo 7

Privado JunHoe

Lalisa naquele momento faltava apenas comer em minha mão. Estava totalmente entregue a mim, seu olhar para mim era até mesmo diferente desde a primeira vez que nos vimos, estava me amando. Ouvindo sua frase final, me fez sorrir gentilmente acariciando seu rosto jovem e macio, saindo de cima da mesma e caminhando até a porta abrindo e chamando atenção das duas camareiras que entraram e foram até o fundo do quarto arrastando o guarda roupa deixando a parede livre, então começaram os desenhos com um giz de cera vermelho enquanto a outra dizia palavras sem sentido. Lisa naquele momento, como sempre sem entender nada. Antes que ela viesse com as perguntas fiz com que suas pernas ficassem retas e fiquei sobre ela mais uma vez, abrindo sua camiseta a rasgando e a tirando.

_ Elas estão aqui para nos ajudar.- Falo arrastando o cabelo curto dela para o lado deixando seu pescoço completamente livre. Mais uma vez estava fazendo aquilo, e rezava internamente para ser a última delas. Deixando ela apenas de sutiã, olho para trás vendo o grande vazio na parede, a escuridão total, e naquele momento as camareiras se aproximaram destravando as rodinhas de metais dos pés da cama, e segurando na cabeceira, esperando meu sinal para empurrar. - Você me ama não é? Você confia em mim?- Seguro seus ombros se aproximando dela, passando meu nariz no pescoço da mesma procurando a veia perfeita.

_Eu amo você, daria minha vida a você!- Sorri de lado, abrindo minha boca levantando meu olhar encarando a camareira e piscando para ela, e assim eu fiz. Mordendo a jugular da mesma, sentindo suas mãos me empurrar com força mas eu não me mexia, e a cama a se mover com velocidade entrando no portal.

Privado HanBin

Eu estava o esperando, ansioso e aflito, afinal ele iria trazer a substituta, andava de uma lado para o outro na sala, olhando para aquele maldito portal, não havia entendido porque ele pediu para ser tão grande mas assim eu fiz. Minhas mãos cruzadas na altura do peito, se meu coração batesse estaria explodindo naquele momento. Apenas no piscar de olhos e ele estava ali com ela, sobre seu corpo a mordendo, a garota se debatia debaixo do corpo pesado do vampiro velho. Rapidamente caminho até o portal o fechando e vendo as garotas do outro lado fazer o mesmo, se ouvia gritos de dor, gemidos de dor vindo da pobre Lalisa.

Aquilo poderia durar horas, JunHoe permanecia imóvel com suas grandes presas fincadas no pescoço magro dela. As mãos dela empurrava o corpo dele, suas pernas de debatiam, ela nem mesmo conseguia abrir os olhos de dor, podia ver suas lágrimas molhando toda sua face ainda rosada. JunHoe com os olhos fechados, mas chorando lágrimas de sangue sobre o lençol da cama, não que ele estivesse triste, mas doía internamente, afinal ela estava recebendo uma dose dele, e não era nenhum pouco agradável criar alguém.

_ Alguém..- Ela pedia chorando gritando.- Me ajuda...ha!- Seus gritos poderiam ser ouvido de todos os cantos daquele andar. Eu sabia exatamente qual era a dor que ela estava passando, era como se seu corpo estivesse sendo esmagado, perfurado por lâminas afiadíssimas, como se estivesse bebendo piche, como se seus órgãos explodissem, seus dentes fossem arrancados um por um, o ar faltava e seu coração parava.

Aquela tortura durou aproximadamente quatro horas, até todo o veneno ser espalhado pelo corpo, ainda mais o dela, ela era alta. JunHoe tirou suas presas, deixando dois buracos negros em seu pescoço, sua boca agora estava suja pelo sangue negro. Estava agora com a aparência que realmente lhe pertencia, estava esgotando visualmente,sua pele quando deixava, era branca demais, tudo dependia do poder que um vampiro tinha, fisicamente ou intelectualmente falando, ele tinha os dois, seus olhos não eram vermelhos como o da maioria, apenas quando desejava, eram azuis escuro reluzentes, seu cabelo negro como as noites em RedNown, aparentemente perfeito, a melhor obra de sua mestre, uma vadia sem comparações.

No mesmo instante caminhou até a beirada da cama puxando as correntes prendendo as mãos e pernas da garota a cama, ela ainda iria se debater muito por um longo tempo, não era tão fácil fazer alguém se tornar vampiro, nem mesmo rápido, a qualidade de um vampiro variava da importância de seu mestre. Lalisa seria muito...Odiada.

Ele apenas me encarou e caminhou em direção a saída do cômodo me deixando só com ela, que começava a se mexer e gemer, possivelmente em um pesadelo. Puxando suas mãos e começando a gritar mais uma vez enquando dormia. Essa era minha função cuidar de todos aqueles que o príncipe desejasse, principalmente da sua pupila. Me aproximo da cama vendo a garota se contorcer, estava com os seios quase à mostra, tinha o corpo magro e os cabelos loiros, tingidos, curto. Os lábios carnudos e bochechas não muito grandes, os olhos eram asiáticos, tailandesa, daquela parte do globo. Apenas cansava de imaginar tudo que teria que dizer a ela, a prometida Lalisa.

Seria um completo tédio minha vida, mas do que ela já era. Mas ao mesmo tempo tentaria tirar um proveito daquilo, talvez atiçar a moça, a deixar com raiva dele. Não. Isso não era possível, mas não custaria tentar. Se a moça for realmente apaixonada por ele, seria ainda mais interessante, JunHoe a trataria como qualquer uma, como tantas outras. O que mais me deixava curioso em tudo aquilo, era...Porque ele escolheria ela? Tão aparentemente frágil, tão boba, burra e infantil. Ele não teria gastado tanto tempo de sua vida preciosa observando ela em vão. Caminho em sua direção colocando minha mão em seu rosto, realmente sua mente estava em branco, uma confusão, não conseguiria ver nada hoje. Todos no reino sentiram o cheiro dela, sentiriam a presença de uma recém criada, protegida por ele. Ela estava liberando um cheiro forte de seu corpo, como se todo seu sangue estivesse secando, horas haviam se passado e ela aos poucos estava se acalmando. Estava com a aparência de uma vampira agora.

A pele uniforme e branca, a pele sempre ficava impecável, os detalhes de seu rosto ainda mais vivo como se fosse uma boneca a mesma, seu cabelo loiro uniforme perfeito como se uma tinta fosse recém colocada nele, seus olhos teriam um tom normal? Ou diferente? Os meus, por exemplo, eram verdes por conta da minha mestre.

Enquanto ela começava a finalmente descansar, me retiro do quarto, caminhando em direção aos andares térreos procurando os grandes barris de sangue fresco da própria adega de JunHoe, ele me disse para fazer aquilo. Alimentar sua pupila com o melhor sangue, do seu próprio assim ela se criaria forte como tal. Um dos vampiros servos carregou o barril em suas costas até o quarto da moça, sim. Aquele ele era seu quarto, a sala onde teve todo o procedimento. O garoto ficou a olhando, a encarando. Não saberia saber se ela por sua beleza ou por ódio, levemente coloco minha mão em seu ombro enquanto o conduzia a saída, fingindo minha gentileza e pude ver, ele estava a enojando, raiva, ciúmes.

Fecho a porta trancando e logo sentando na beirada da cama, a olhando. Teria que tirar aquelas suas roupas ridículas, e foi o que eu fiz, ela já estava desmaiada. A deixando nua sobre a cama, enquanto mexia nas gavetas procurando algo mais adequado para a jovem. Logo me aproximando, eu não conseguia sentir sentimento nenhum, não tinha desejo, nem felicidade, nem raiva dela. Talvez um pouco de inveja ou ironia, não sabia exatamente. Poderia tocar seu corpo inúmeras vezes e nunca sentiria um pingo de prazer, fora ser ordem de JunHoe, mas meu coração pertencia a outra mulher, a qual me rejeitava até a morte, se isso algum dia acontecesse comigo.

Término de por suas roupas e caminho ao barril o colocando sobre uma mesa de mármore, pegando uma taça que estava na mesa, girando a pequena torneira depositando um pouco ali. Quando viro meu corpo. Lá estava ela me olhando, me encarando, a cada passo que eu dava, podia sentir a sensação boa que vinha da jovem, seus olhos eram rosados puxados para o púrpura realmente bonitos. Mas no mesmo instante ficavam vermelhos como sangue, ela tinha sentido o cheiro de sangue, suas presas logo começavam a surgir e ela a chorar, se debatendo na cama. Estava morrendo de fome, porém com medo e sem controle.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...