História The Truth Untold - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Angst, Bangtan Boys (BTS), Colegial, Drama, Hetero, Imagine Jungkook, Romance, Sadfic, Taehyung!kid
Visualizações 73
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde meus amores.
Demorei mais do que queria mas consegui atualizar a fanfic pra vocês 💕💕💕

Quero dizer que, faltam apenas dois capítulos para acabar e meu coração tá apertado 💔

Espero que gostem da nova att 💕

Capítulo 17 - Um amor que nunca morreria


Após alguns meses, Kyra já estava familiarizada com a sua nova rotina maternal, a cada sorriso do pequeno Taehyung, Kyra se apaixonava mais e mais, Jungkook sentia tantas coisas ao mesmo tempo que não sabia explicar.

Kyra precisou implorar a mãe para respeitar o homem a quem ela escolheu para viver o resto da vida, mesmo contra a vontade da mulher, ela aceitou Jungkook como genro, podendo assim, ter contato com o neto que ficava cada vez mais espertinho.



[...]



Jungkook terminava de arrumar o quarto das crianças com a ajuda dos pequenos, Yoongi havia ligado novamente para dizer que estava à caminho de casa e que o visitaria no dia seguinte com Hanna e Hoseok.

— Papai, se a mamãe não podia mais ter bebês, como foi que eu nasci? O senhor me adotou?

Mia era a criança mais inteligente que Jungkook poderia ter conhecido, nada passava despercebido aos olhos da pequena e era o que mais encantava no pai orgulhoso dos seus bebês.

Taehyung terminou de guardar seus brinquedos no baú, espreguiçou o corpo doloroso e foi até Jeon.

— Pai, posso tomar banho? Tô com sono e tô cansado. O dindinho Yoon padrinho só vai vir amanhã mesmo.

Jungkook sorriu beijando os cabelos do filho e assentiu com a cabeça. — Pode sim meu amor. O papai termina aqui. Daqui a pouco, vou levar seu achocolatado.

Taehyung saiu do quarto com o seu roupão do homem aranha e Mia olhou para o pai com as mãozinhas na cintura.

— Pai, o senhor não me respondeu. Como eu nasci da mamãe se ela não podia mais ter bebês?

Jungkook sorriu pegando a filha no colo, sentou-se na poltrona e contou, quase tudo, da forma em que ela fora concebida.



[...]



A banda Soulmate estava de volta, após Jungkook, Yoongi e Hoseok terem sido convidados para cantar em um casamento de amigos de Hanna, não imaginavam que lá estaria um empresário, louco para promover bandas novas. Fecharam um contrato de 3 anos inicialmente, a empresa não era tão conhecida assim, BigHit Entertainment, mas a banda faria jus à confiança que o empresário havia depositado neles.

Os garotos estavam no céu, estava tudo voltando ao normal em suas vidas e davam um duro danado para poderem fazer as melhores apresentações para os fãs, que voltavam gradativamente para a banda.

Puderam fazer uma festa linda de aniversário de um ano para o pequeno Taehyung, conseguiram comprar a casa própria, o carro, não esbanjavam com coisas desnecessárias, aprenderam da pior forma, a darem valor à tudo que tinham e conseguiam com tanto esforço.

— Rapazes, tenho novidades. — O senhor Park entrou na sala de reuniões com a banda. Estava relativamente feliz e deixou os garotos curiosos.

— Fale que já estou ficando nervoso. — Yoongi sorriu, esfregando as mãos uma na outra, mostrando como está a suando.

— Fechei contrato com uma grande empresa de eventos e teremos shows por um ano, consequentemente, o contrato de vocês irá se extender por mais um ano.

Os meninos mal acreditavam no que ouviam, estavam felizes e assustados com a notícia. Teriam muito trabalho pela frente mas fariam com todo orgulho e felicidade do mundo.

— E quando começamos? — Jungkook já estava louco para começar a trabalhar, estava louco para contar para a esposa e para o seu pequeno.

— Os ensaios começam na sexta, terão hoje e amanhã para descansarem, colocarem compromissos em dia porque depois, só daqui a um ano que terão folga.

O homem explicou como e onde seriam as apresentações, os pagamentos e os meninos se abraçaram forte, junto com os outros companheiros de banda e de equipe. Se despediram para irem para casa contar a novidade e quando Jungkook chegou, Kyra estava limpando as janelas do quarto do filho enquanto o pequeno andava de um lado para o outro com o seu carrinho.

— Amor, tenho ótimas notícias.

Jungkook pegou a esposa da escada e se sentou na cama com ela em seu colo. Ganhou um beijinho nos lábios, chamando a atenção do pequeno que foi até eles pedindo colo também.

— Taetae quer beijinho também, papai.

Jungkook Sorriu pegando Taehyung e beijou sua bochecha fazendo barulho e cócegas na pele sensível, arrancando gargalhadas da criança.

— Fechamos contrato de um ano com uma empresa de eventos amor e assim, nosso contrato com a BigHit se extende por mais um ano também.

Kyra cobriu a boca espantada, tentando processar a nova informação, Taehyung desceu do colo do pai para voltar a brincar com seus carrinhos e Kyra abraçou forte Jungkook em meio a lágrimas.

— Amor, eu não acredito! Deus está do nosso lado, eu sempre tive essa certeza, Kook.

Jungkook a beijou carinhosamente, lhe acariciando a cintura e sorriu. — Eu sempre soube, meu amor. Quando o Tae dormir, a gente comemora.

Sorriu sapeca, ganhando um carinho da esposa em seus cabelos, explicou como seria esse contrato, shows, viagens, Taehyung e Kyra poderiam ir em algumas viagens se quisessem e claro que ela o acompanharia.

Naquela noite, comemoraram, com vinho caro que mereciam, petiscos preparados único e exclusivos para a ocasião. Dançaram ao som de James Blunt e Connor Maynard, fizeram amor a noite na própria sala, no tapete branco felpudo enquanto Taehyung dormia tranquilamente em seu quarto.

Dois dias depois, iniciavam os ensaios da banda, Jungkook apresentou músicas novas, inclusive The Truth Untold para o empresário. A demo fez sucesso com toda a equipe que simplesmente se apaixonaram pela música na voz doce do moreno que prometeu colocar uma dedicatória no CD para o filho, caso ela fosse lançada.

Os show passaram a acontecer, às vezes cinco vezes na semana, Jungkook já vivia em hotéis e sempre que podiam, Kyra e Hanna acompanhavam os maridos.

Num evento em que estavam...

— Hanna, vamos ao banheiro comigo? Não estou me sentindo bem.

Jungkook viu Kyra sair da plateia com a melhor amiga e ficou preocupado mas tentou manter o foco na apresentação que era impecável como todas as outras. Kyra vomitou tudo o que tinha e o que não tinha no estômago, Hanna lhe trouxe uma garrafinha d’água enquanto a amiga se recompunha.

— Amiga, será que... que você está grávida?

— Acho que não amiga, eu não posso mais ter filhos, lembra?

Kyra bebeu mais um pouco da água e lavou o rosto na pia do banheiro. — Vamos fazer um exame de sangue, só pra descartar a possibilidade?

A garota olhou séria e confusa para a outra, assentindo com a cabeça, depois de um tempo, voltaram para a plateia para prestigiarem os amores de suas vidas.



[...]



Mia ouvia o pai atenta, suas mãozinhas se mexiam lentamente nos botões da camisa do Jeon que lhe balançava até que sentisse sono mas a pequena estava elétrica, queira mais daquela história incrível que o pai contava.

— Então, eu nasci mesmo da mamãe? Foi Deus quem me colocou na barriga dela, não é papai?

Jungkook sorriu, segurou a mão da filha, a levando até a cozinha para prepararem o chocolate quente, sentou a pequena na bancada, pegando os copos e arrumando a bebida.

— Foi sim amor, foi Deus quem colocou você na barriga da mamãe. Ele sabia que o Tae ia ficar triste se não tivesse você com a gente.

A pequena bateu palmas, com um lindo sorriso nos lábios, comemorava por não ter sido entregue aos pais por uma cegonha.

— O Tae é um mentiroso. Eu sabia que não foi a cegonha quem me trouxe pra mamãe. Eu vou bater nele.

Jungkook deu uma gargalhada gostosa, como já à algum tempo não dava, só mesmo a inocência de Mia para lhe trazer tanta paz. — Ele não fez por mal, meu amor.

Mia estendeu os braços para que o pai a pegasse no colo, o Jeon sorriu, pegando a pequena no colo, colaram as testas uma na outra e Jungkook pôde perceber o quanto Mia era parecida consigo, fisicamente. Se perdeu na imensidão de seus olhos negros e sorrindo lhe deu um beijinho na ponta do nariz.

— Eu te amo tanto, filha.

— Eu também te amo papai e tenho orgulho do senhor, por tudo o que fez por mim e pelo Tae. A mamãe também está orgulhosa do senhor.

— Eu sei... — Sussurrou fechando os olhos que lacrimejavam, aquela dor jamais passaria e talvez um dia, se transformaria em uma saudade boa de sentir. 





Notas Finais


Sim, foi assim que os meninos entraram na BigHit kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tudo o que disseram pra vocês até hoje, foi mentira kkkkkkkkkkkk

Brincadeira 💕💕💕💕

E aí, gostaram? Estão preparados para os momentos finais?

Eu não estou kkkkkkkkkk então, até lá

Bjo Bjo e até 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...