História The Twenty-Fifth Murder - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Duran Duran
Personagens John Taylor, Nick Rhodes, Personagens Originais, Roger Taylor, Simon Le Bon
Tags Anos 80, Assassinato, Crossover, Drama, Duran Duran, Kajagoogoo, Morte
Visualizações 7
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI KSJSKS
mano eu ja to vendo que isso aqui vai flopar bonito aeuhaueh
desculpem qualquer erro jsjsjsjs

Boa leitura :))

Capítulo 1 - Chapter One


⋙━━━━━━❖━━━━━━⋘
29 de novembro de 1986.
02:18 a.m



Com um pouco de pressa, Nicholas Beggs andava por uma rua deserta de Londres numa madrugada de sábado. Voltava de uma festa.

O vento gelado que batia em sua pele branca o causava arrepios e calafrios. Ele estava enjoado por causa das bebidas que havia tomado durante a festa. Apesar disso, ele estava sóbrio, não completamente, mas estava. Tudo em sua volta parecia normal, sem luzes fortes, sem nada girando, apenas o embrulho em seu estômago.

Ele foi tirado de seus devaneios ao ouvir vozes se aproximando cada vez mais. Não deu muita atenção, pensou que era coisa da sua cabeça. Ele percebeu que realmente não era coisa da sua cabeça ao passar por um beco e ver um grupo de quatro homens espancando um garoto. Não pensou duas vezes e entrou no beco quase escuro.

"Hey! O que pensam que estão fazendo? Parem de bater nele!" Aumentou seu tom de voz, assustando os outros.

"Saia daqui! Você não tem nada a ver com isso!" Disse um dos homens, soltando o garoto e encarando Nicholas. "Já disse, saia daqui!"

"Saiam daqui vocês!" Deu ênfase no 'vocês' enquanto tirava de seu casaco um revólver, o apontando para o homem, fazendo o mesmo levantar as mãos em sinal de rendição.

"Corram! Ele está armado! Deixem o garoto aí!" Disse o homem antes de correr para dentro do beco junto dos outros.

Nicholas guardou seu revólver e correu em direção ao garoto que estava jogado no chão. Este garoto tinha seu rosto completamente machucado, sua camisa rasgada e um corte quase profundo em sua bochecha. Estava desacordado.

Tentou reacordá-lo, mas foi em vão. Pensou em levá-lo para o hospital, mas não havia nenhum por perto e o único lugar mais próximo era sua própria casa.

O colocou em seu colo e então foi para sua casa.

Quando chegou, a primeira coisa que fez foi deitar, com cuidado, o garoto no seu sofá da sala de estar. Correu para a cozinha, pegou uma toalha branca pequena e a molhou, depois voltou para a sala e se agachou ao lado do sofá onde estava o garoto. Passou a toalha delicadamente pela bochecha dele e esperou que aquilo surtisse algum efeito. Mas nada aconteceu.

Nicholas se sentia excessivamente cansado e até mesmo abalado, o que fazia com que seu estômago desse vários embrulhos piores que os anteriores. Afinal, ele quase ia usando seu revólver que seu pai lhe deu quando mais jóvem pela primeira vez, salvou um garoto desconhecido e o levou para sua casa. Isso era demais para Beggs.

Não demorou muito tempo e ele colocou a pequena toalha branca – agora manchada de sangue – na mesa de centro e andou apressadamente até o banheiro mais próximo. Ele não aguentava mais os embrulhos no estômago.


⋙━━━━━━❖━━━━━━⋘
29 de novembro de 1986.
09:35 a.m



Abriu os olhos lentamente e olhou ao redor.

Aonde estava? Aquela não era a sua casa. E por que sua bochecha doía tanto?

Essas eram as perguntas que mais surgiam na mente de um adolescente de cabelos negros e de pele branca. Ele queria fugir dali, sair correndo, gritar. Mas seu corpo doía por completo e sua garganta parecia estar sendo arranhada por um garfo.

"Será que fui sequestrado?" pensou.

Olhou ao redor mais uma vez e finalmente percebeu que ao seu lado, sobre uma mesa de vidro, havia uma toalha branca com sangue seco. Pensou na possibilidade de seu "sequestrador" ter cortado sua bochecha e depois ter tentado secar o sangue com a toalha. Como o sangue estava seco, concluiu que aquilo não aconteceu tão recentemente e sim há algumas horas atrás.

Seus pensamentos foram imediatamente interrompidos por um barulho de porta abrindo e fechando vindo de trás do sofá. Logo ouviu passos se aproximando.

Seu coração acelerou. Estava com medo. Talvez aquele poderia ser o último momento de sua vida.

Após isso, um homem alto, loiro e de olhos azuis apareceu na sua frente, o observando.

~

"Oi… Não precisa ter medo de mim." Disse aquele homem alto, sorrindo de forma com que o moreno ficasse um pouco mais calmo. "Eu salvei você de uma briga hoje de madrugada e te trouxe pra cá."


O menino não sabia o que dizer, nem mesmo pensar no que dizer, pois sua cabeça doía tanto que o dificultava de fazer qualquer esforço.


"Me desculpe, meu nome é Nicholas Beggs. Me diga o seu nome também, sim?"


Aquilo poderia ser algum tipo de armadilha? Será que aquele tal Nicholas queria seu nome apenas para falar para outros sequestradores que talvez poderiam estar ali também?

Sim, o moreno ainda achava que fora sequestrado.


"S-Stuart…Stuart Croxford Neale…" Sua voz saiu tão baixinho que pensou que Nicholas poderia não ter ouvido muito bem.

"Certo. Você tem quantos anos? Vinte e um?"

"Dezesseis…" Respondeu, ainda com uma certa dificuldade, sua bochecha dificultava com que sua boca mexesse.

"Você parece ser bem mais velho."

"E você…tem quanto? Quarenta?" Mesmo com todas as dificuldades, Stuart revidou.


Nicholas riu.


~


"Não, sou sete anos mais velho que você."

"Então v-você tem vinte e três?"

"Exatamente."

Beggs andou até o outro sofá do outro lado da sala enquanto Stuart o acompanhava com o olhar e sentou-se, por final cruzando as pernas.

"Então, Stuart..." Começou. "Onde você mora? Eu posso te levar de volta para a sua casa."

"Não s-sei o caminho."

"Você ao menos sabe o número da casa dos seus pais?"

"Meus pais estão...mortos."

Nesse momento, Nicholas sentiu um arrepio percorrer por toda a sua espinha. Estaria aquele garoto mentindo? Ou tentando o assustar?

Coincidentemente os pais de Nicholas também estavam mortos e isso o deixava ainda mais encabulado. Tentou afastar alguns maus pensamentos.

"Enfim, você mora com quem?" Nicholas finalmente perguntou, tentando disfarçar o estranho clima ali presente.

"Com um tio distante."

"Ahh, menos mal." Sorriu aliviado. Achava que Stuart poderia talvez morar na casa de estranhos. Ficou aliviado em saber que estava enganado.

Depois desse diálogo, Nicholas levantou-se do sofá, pegou a toalha ensanguentada e foi para os fundos da casa deixando Stuart sozinho na sala. Pegou uma bacia de tamanho médio e a encheu de água, em seguida colocando sabão em pó e, por último, a toalha.

Se sentia péssimo. Apesar de ter vomitado mais de três vezes durante a madrugada, seu estômago continuava se revirando. Ele sentia sua cabeça doer, latejar, como se tivesse algo prensando-a contra a parede. Mesmo assim ele estava ali, de pé, desde as oito e meia esperando com que Stuart acordasse.

Beggs não admitia para si mesmo que estava preocupado com o garoto desconhecido. Ele era orgulhoso demais para isso.

Ao terminar de deixar a toalha de molho, voltou para a sala e encontrou Stuart tentando se levantar com muita dificuldade.

"Hey, você consegue andar? Quer uma ajuda?" Perguntou Nicholas observando o moreno.

"Err...Não." Stuart respondeu enquanto se apoiava em tudo que via pela frente para conseguir andar, mas sentiu suas pernas doerem e ficarem fracas. Se apoiou na parede. Se ela não estivesse ali, com certeza ele teria caído.

Nicholas rapidamente se aproximou dele e o segurou.

"Ouça, você não tem capacidade de andar por aí neste estado, entendeu? Me diga para onde você quer ir que eu te carrego." Disse Beggs.

"Eu...quero me deitar em alguma cama, só isso."

A única cama que tinha naquela casa era a de Nicholas e ele odiava que pessoas desconhecidas deitassem nela, mas naquele caso...

"Tudo bem. Você pode ficar na minha, mas, antes de mais nada, você precisa tomar um banho." Disse rindo.

E então, Nicholas ajudou Stuart a ir para o banheiro e o esperou no corredor.

O moreno entrou no banheiro e trancou a porta. Ele observou cada detalhe daquele lugar para ver se não tinha nada de errado.

Já havia uma toalha ali, o que o fez sorrir aliviado, pois não teria de pedir que Nicholas o levasse uma.

Mas ele desmanchou esse sorriso ao ver seu próprio reflexo no espelho. Seu olho direito estava roxo e inchado, seu cabelo completamente bagunçado, alguns arranhões pelo pescoço, sua camisa preta continha alguns rasgos e o pior: aquele corte na bochecha que, apesar de pequeno, era o que mais o incomodava.

Tirou toda a sua roupa e a colocou sobre a pia e então entrou no box. Ligou o chuveiro e quando a água tocou no seu corpo, tudo doeu, ardeu.

Talvez esse fosse o preço que estava pagando pelo o que fez no passado.


Notas Finais


Se gostou, ja sabe ksjsjsk
Obrigada <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...