História The two sides of love - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Abandono, Amber Heard, Drama, Ed Westwick, Gravidez, Justin Bieber, Maggie Elizabeth Jones, Romance
Visualizações 100
Palavras 4.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores, e aqui vamos nós para mais uma atualização.

Boa leitura!

Ah! Essa semana ou melhor, amanhã nossa fic linda completa 1 ano de existência HAHA \o/ Parabéns para nós , e muito obrigada por vocês leitores amados, continuarem acompanhando a fic participando me incentivando sempre. Amo todos vocês 😘

Capítulo 23 - 22. My Little Present


Fanfic / Fanfiction The two sides of love - Capítulo 23 - 22. My Little Present

Aquela noite era a primeira de muitas que viriam pela frente, mas Kassi não estava disposta a fechar os olhos e adormecer novamente, muito pelo contrário ela queria continuar observando seu pequeno anjo perfeito em seus braços. Mas com a aproximação da madrugada, a fio e o cansaço batendo forte e sua pequeno já totalmente adormecida em seus braços, ela com máximo de cuidado possível se levantou, ajeitando e pequena Hope no bercinho ao lado de sua cama, dando um beijo de leve em sua cabecinha ela voltou para cama, se deitando não demorando muito a pegar no sono finalmente.

Na manhã seguinte, quando o sol invadiu o quarto mãe e filha ainda se encontravam adormecidas, enquanto lá fora a vida seguia na correria, e logo foi inevitável alguém adentrar o quarto querendo saber de ambas. Era Mathews, que bem cedo tratou de organizar seu dia e comprar alguns mimos para sua mais nova “Família” sendo assim, após apresentar seu cartão exclusivo de visitante ele abriu a porta do quarto 300º  e percebeu que as cortinas ainda estavam abaixadas e o quarto estava quase escuro, com cuidado ele entrou fechando a porta atrás de si , colocando as várias sacolas sobre um dos sofás próximo a porta, ele começou a espalhar pelo quarto alguns agrados e deixar o quarto mais apropriado para o momento. Terminando ele sorriu se aproximando do bercinho de Hope, vendo-a dormir ele sorriu sentindo seu coração se aquecer era a melhor sensação que ele poderia sentir na vida, pensando consigo mesmo ele tentava repreender a ideia ... você não é o pai dela... mas posso ser ... se a mãe dela deixar... e posso ser muito além disso um protetor de mãe e filha... e um grande amigo... se for o caso. Ainda perdido em pensamento ele não percebeu que Kassi, abriu os olhos lentamente se espreguiçando silenciosamente focando finalmente seu olhar nele, de imediato ela sorriu era nítido o carinho que já existia ali no olhar de Mathews sobre Hope.

— Bom dia! — Escutando-a ele ficou sem jeito de ter sido pego de surpresa, mas logo deu a volta na cama olhando-a.

— Bom dia bela flor! 

Kassi rio olhando-o balançando a cabeça, mas antes que ela disse algo ela percebeu os detalhes do quarto, ele havia comprado vários balões em diferentes formas, com dizeres “ Seja Bem-Vinda” sem falar das flores, e até algumas plaquinhas. Abismada ela se virou para ele, até sem palavras.

— Uau! .... Uau! Minha nossa Mathews como você consegue, ser .... Como consegue ser tão bom comigo e com a Hope? Você é incrível obrigado por existir em nossas vidas.

Ouvindo-a o loiro, balançou a cabeça puxando-a para seus braços e depositando um beijo entre seus cabelos, sussurrando. — Quero dar a vocês só as melhores coisas. — Voltando a olha-la ele continuou sorrindo, vendo aquele famoso sorriso perfeito no rosto dela.

Logo a atenção foi voltada para Hope, que parecia ter acordado e estava incomodada com algo, ansiosa Kassi se levantou da cama, pegando a bebê analisando seu rostinho, devido o quarto estar ainda um pouco escuro, Mathews tratou de abrir as cortinas e persianas clareando o ambiente. Os gemidos de insatisfação continuavam, e Kassi ajeitava a bebe em seus braços balançando-a algumas vezes, notando que ela ia esfregando lentamente seu narizinho e abrindo a boquinha em direção ao seu seio, surpresa ela olhou para Mathews que imediatamente voltou sua atenção para as sacolas ainda fechadas sobre o sofá. Rindo ela voltou para cama mas precisou de ajuda já que estava com a bebê no colo, ajudando-a se endireitar na cama ele ia se afastando, mas ela segurou seu braço.

— Se você vai estar em nossas vidas, precisa se acostumar com ideia de que irei amamenta-la muitas vezes ... não precisa fugir.

Não sabendo o que fazer, ele decidiu pôr fim se sentar na poltrona ali do lado da cama, enquanto Kassi abria sua camisola, e aproximava sua pequena menininha de seu seio...

....

Enquanto isso na casa dos Bieber

Molly havia acordado como de costume no mesmo horário cedo, e após se arrumar ela seguiu para cozinha para o café da manhã. Só que aquela manhã em si ela estava totalmente em dúvida sobre um assunto específico, e assim que entrou na cozinha ela viu Bella preparando o café organizando a mesa, e não teve dúvida se aproximando da mesma.

— Bella, Bom dia! — A mesma sorriu para patroa. — Bom dia senhora! —

Suspirando Molly se sentou, ainda olhando a empregada. — Bella, eu estou em dúvida sobre um assunto e para mim é importante... sabe é sobre o Justin... — Mencionando o nome do filho casula a matriarca olhou para o corredor para ver se não vinha, ninguém para interromper a conversa.

— Então é sobre o Justin, mesmo sabendo o que ele fez de horrível a um tempo atrás com a Kassi, sei lá talvez pelo fato dele ser meu filho, estou em dúvida se devo contar a ele sobre o nascimento da bebe.

Imediatamente Bella, se aproximou da patroa com olhar preocupado. — De jeito maneira, senhora ... não faça essa crueldade com a menina Kassi ... sei que ama o menino Justin, mas ele fez uma coisa imperdoável ... por isso não merece saber da existência da menininha Hope, ele fez uma escolha agora é tarde.

Ouvindo aquilo, Molly suspirou sentindo que Bella estava certa mesmo que seu coração doesse em esconder aquele fato do filho, ele mesmo havia cavado sua própria cova, e essa decisão andaria com ele pelo resto de sua vida. Ainda inerte em seus pensamentos, Molly só voltou a si quando Charles surgiu pela porta com Jennifer.

— Bom dia mãe! Bom dia Bella! —

As duas em uníssono responderam, se pondo em seu lugar na mesa Molly tentou disfarçar ao máximo o que havia comentado mais cedo com empregada, não querendo iniciar um total desconforto já no início da manhã. Mas Charles, nem percebeu nada afinal estava com a cabeça no hospital, e queria terminar o café logo e seguir para lá o mais rápido possível.

— Charles, menos. Come de vagar homem que isso, para que tanta pressa? — Perguntava Jennifer analisando o noivo. — Temos de voltar para o hospital, quero saber se a Kassi e a bebê passaram a noite bem.

— Aff! Tenho certeza que as duas estão bem, e não vão a lugar nenhum.

Revirando os olhos para noiva, Charles continuou a comer no mesmo ritmo até que olhou para mãe, vendo-a distraída.

— O que foi mãe?! Está tudo bem?

Molly rapidamente assentiu que sim. — Sim, querido estou ótima só um pouco pensativa sobre alguns assuntos nada importantes. Mas como mencionou, vamos terminar o café mesmo e seguir para o hospital, e no caminho quero passar em uma floricultura, vou comprar algumas flores para levar para Kassi.

— Boa ideia, alguns enfeites também afinal precisamos saldar a chegada da pequena Hope.

Rindo os três seguiam terminando o café, e logo cada um foi pegar o que faltava para irem em fim para o hospital. Como Charles ia, para o escritório mais tarde, ele pegou suas coisas e preferiu ir dirigindo seu carro mesmo, enquanto Molly e Jennifer iam juntas no carro dela.

....

Após amamentar Hope, Kassi endireitou a pequena em seus braços batendo de leve em suas costinhas, analisando se a mesma arrotava como a medica havia ensinado antes, deixando-a empezinha em seus braços, ela desviou seu olhar para Mathews que vinha trazendo uma bandeja com várias coisas. Voltando a olhar a bebê rapidamente, ela deu mais algumas batinhas de leve deixando-a empezinha a sua frente, sorrindo feito boba olhando a filha que logo soltou um arroto fazendo-a comemorar, e aconchegar novamente a pequena em seus braços.

Olhando as duas, Mathews se arrependia de não ter levado uma câmera, consigo para o hospital pôs ele queria registrar todos aqueles pequenos momentos, e eterniza-los em fotos. Percebendo o olhar dele sobre elas, Kassi sentiu suas bochechas corar, ela ainda conseguia ficar sem jeito perto dele algumas vezes. Disfarçando Mathews se aproximou mais colocando a bandeja a frente dela, deixando-a analisar seu conteúdo.

— Você andou assaltando a geladeira de onde em? — Ele rio vendo a expressão no rosto dela, de total surpresa. — Não preciso assaltar geladeiras sabe disso bem. — Ela voltou a olha-lo sorrindo.

— Tá... mas acha que irei comer tudo isso?

— É café para dois, não se esqueça de mim também.

Sorrindo largamente ele pegou um dos cafés, tomando um gole generoso ainda a olhando, vendo-a fazer o mesmo, colocando Hope em uma posição confortável para ambas, que resumia ela escorada em seu braço direto e ela usando o esquerdo. Não conseguindo, continuar nesse esquema ela suspirou olhando a bebê.

— Está meio difícil ficar com você em meu colo, eu estando deitada né meu amor... vamos para o bercinho até a mamãe comer.

Rindo para si mesma, ela se virou inclinando o corpo um pouco, mas logo olhou Mathews sorrindo para ele.

— Me ajuda a coloca-la no bercinho. — Ele a olhou surpreso. — Eu? — Ela suspirou. — Óbvio né.

Com receio maior do que tudo, ele deu a volta se aproximando das duas, mesmo que fosse um gesto de segurar a pequena Hope e colocá-la de volta no berço, Mathews já estava visivelmente apavorado. Kassi lutava para não rir da cena, que estava parecendo hilária, após finalmente deixá-la nos braços dele, tensos e inseguros ela sorriu.

— Pode colocá-la no bercinho, e tenho certeza que não irá machuca-la como deve estar imaginando.

Ainda com a pequena nos braços, o loiro levantou o olhar para Kassi olhando com aquela expressão como você sabe, mas ela continuou sorrindo olhando-os gostando muito do que via, afinal além dela e das enfermeiras Mathews estava sendo o primeiro a segurar Hope nos braços e ela parecia gostar.  Depois de alguns segundos, observando aquela menininha em seus braços tão frágil o loiro finalmente a colocou no berço, dando a volta sentando na poltrona ao lado da cama pegando seu café novamente.

— E aí como foi? — Ele rio. — Foi a sensação mais inexplicável que já tive. — É eu sei, foi assim comigo também, já sou viciada nela.

Os dois riram, tomando o café que seguia entre pães e torradas, frutas e até um danone que Kassi se recusava a tomar, depois de ter comigo quase tudo da bandeja ela o olhou.

— Você quer me deixar gorda, para de me enfiar comida. Vou fazer dieta, daqui em diante afinal antes eu podia tudo agora estou de dieta.

Mathews rio colocando uma uva na boca dela, pegando-a de surpresa os dois riram por um tempo até seus olhares se cruzarem de forma diferente, ela engoliu seco voltando atenção a Hope que parecia não querer ficar ali deitada longe da mãe.  Tirando a bandeja de café, Mathews voltou a menininha de volta para os braços da mãe, observando-as em mais um momento único, desviando o olhar da filha Kassi sorriu para ele.

— Vem se reúne a nós. — Dizendo isso ela se ajeitou na cama, dando um espaço para ele se encaixar ali com elas, de início ele recusou, mas se deixando levar, ele tirou os sapatos e com maior cuidado o homem 1.80 se deitou ao lado de loira e sua bebe recém-nascida. Se encaixando na cama, Kassi deu espaço para que Mathews passasse o braço ao seu redor descansando-o sobre os travesseiros, enquanto ela mesma se aproximou mais dele e trouxe Hope mais para perto para que ambos pudessem segura-la juntos, acariciando os cabelinhos ainda ralos dela Mathews agradecia mentalmente aos deuses, pela sorte que tinha naquele exato momento. Olhando-o Kassi mordeu os lábios sentindo uma onda de sentimentos únicos.

— Nós podemos nos acostumar com isso. — Ele rio, olhando-a. — É acho que eu também.

....

Enquanto isso no trajeto para hospital

Molly havia parado em uma floricultura, e comprado flores e após comentar com a vendedora ficou bem satisfeita em encontrar balões, e cartões com as famosas frases de “ Seja Bem-Vinda e Parabéns mamãe” após comprar tudo, ela voltou ao carro e Charles voltou ao dele e novamente os três seguiram caminho. Ao chegarem no hospital, Molly e Jennifer apresentaram seus cartões de visita e Charles deixou para apresentar só no andar do quarto de Kassi, seguindo na frente após sair do elevador, ele passou pela portaria do andar apresentando seu cartão seguindo pelo corredor. Já ansioso para saber notícias de Kassi e Hope, ele se aproximou da porta abrindo-a sem ao menos bater, entrando em seguida ..., mas antes que ele dissesse algo ou desse mais algum passo ele viu a cena, Kassi ali deitada com Hope nos braços, e ninguém menos que Mathews ali deitado com elas, parecendo uma família feliz. Automaticamente Charles sentiu seu sangue ferver, ele fechou até a mão controlando a imensa vontade de arrancar Mathews de perto de suas duas garotas.

MAS QUE PORRA É ESSA?

Ouvindo a exclamação, vindo de tão perto e tão alta Kassi e Mathews levantaram o olhar notando Charles, ali parado com fúrias nos olhos. Piscando algumas vezes ainda surpresa, Kassi viu Mathews se levantar quase em um pulo, procurando seus sapatos, encontrando-os e já os calçando se afastando um pouco dela.

Ela ainda estava sem reação, e Hope em seus braços notaram a movimentação e começara a resmungar em protesto a mudança de clima inesperado, mas por fim ela se empertigou.

— Como você vai entrando assim no quarto, sem bater e ainda fazendo questionamentos que não tem nada a ver com você Charles? Como assim?!  O Mathews estava fazendo companhia para mim e Hope, estávamos muito bem sabia.

— Posso imaginar que estavam ...

— Não ouse, falar assim comigo... você não sabe de nada.

Percebendo o clima nenhum pouco favorável, Mathews se virou para Kassi sorrindo de leve para ela, mas ele podia ver raiva em seu olhar para o irmão mais velho. Acariciando o rosto dela, e o rosto da bebê ele segurou sua mão.

— Hey! Não se exalte ok... não faz bem a bebê ... eu preciso ir, tenho aula e algumas palestras então é melhor eu ir logo.

Olhando-o com semblante triste, ela aninhou mais Hope em seus braços.

— Tem certeza? Não precisa ir, se não quiser... os indesejáveis que devem sair.

Escutando aquilo, Charles ficou ainda mais bravo dando voltas no quarto, tentando ao máximo não tirar Mathews de perto dela, aos murros e ponta pés, coisa que pelo jeito Kassi nunca o iria perdoar.

Sorrindo com máximo de convicção, Mathews assentiu dando um beijo na testa de mãe e filha se afastando um pouco.

— Tchau meninas...

— Você vai voltar? — Ele ficou pensativo. — Talvez, não sei. — Dizendo isso Mathews, se aproximou das sacolas que tinha levado, pegando algumas deixando duas ali no sofá, se virando para ela.

— São para vocês duas, acho que iram gostar.

Saindo do quarto por fim, Kassi que antes estava com semblante de atenção e carinho ficou seria olhando feio para Charles.

— Sai daqui, não quero conversa com você... — Olhando-a indignado ele bateu pé. — Não saiu, eu tenho que sair sério? Eu chego aqui e vejo essa cena... o que? Não... Kassi ... você nem conhece esse cara e fica aí deixando ele participar da sua vida, ultimamente até mais do que eu.

— Charles entenda uma coisa, não sou propriedade sua.... Eu sou apenas sua irmã adotiva, ok não me trate como propriedade sua, porque não sou ... deixe de ser possesivo .... Eu gosto do Mathews ele me faz bem, e vejo que a Hope também gosta dele.

Indignado, Charles deu alguns passos para perto, dela balançando a cabeça.

— Ela gosta dele? HAHA ... sério?? Kassi para com isso...

— Para com isso você, coloca nessa sua cabeça que daqui em diante o Mathews vai estar presente, você queira ou não. Não, Charles eu não vou ser aquela que se fecha para o mundo e fica cercada pelos muros altos daquela mansão, que vivemos. Vou ser livre, e minha filha também será.

Antes que Charles, pudesse responder Kassi com ainda muito raiva, eles escutaram Molly entrando e já repreendendo ambos.

— Mas que gritaria é essa logo cedo? Meu deus, vocês já estão brigando nem respeitam a bebê. Dizendo isso Molly, se aproximou de Kassi passando a mão nas costas dela, sentindo a tensão até em seus músculos, sussurrando calma no ouvindo dela, a matriarca foi a acalmando-o e de longe olhava o filho fuzilando-o por inteiro.

Após, mas calma, Kassi deixou que a avó pegasse a neta enquanto ela se levantava um pouco para esfriar a cabeça em um banho.

Logo ainda muito bravo Charles saiu do quarto, e ali fora ele ainda andava de um lado para o outro totalmente insatisfeito com o rumo que a conversa tinha tomado, ou melhor discussão, Jennifer se encontrava escorada na parede do corredor olhando ele.

— Quando você vai parar de se meter na vida dela?

Surpreso o moreno, levantou os olhos para noiva totalmente incrédulo da pergunta dela, se aproximando mais ele balançou a cabeça.

— Não estou me metendo estou protegendo-a.

— De que Charles? Humm? De todos os homens do mundo inteiro? Talvez seja, não é mesmo... e melhor você tenta protegê-la e afastar todos os outros... para que um dia, um dia talvez ela olhe para você e veja o que você luta desesperadamente em vão para esconder, que gosta dela... que você é o homem certo para estar ao lado dela, ao invés do Justin ou Mathews ou seja lá quem aparecer no caminho dela.

Ouvindo aquilo Charles ficou em choque, ao ponto até de ter paralisado ali diante da noiva, que o olhava com pura raiva e decepção, ele não tinha resposta para aquilo, na verdade ele nem sabia o que dizer ou de que forma agir.  Mas por fim ele deu a volta, levando as mãos aos cabelos ainda em choque, voltando a olha-la.

— Eu vou para escritório... vai ser melhor.

Dizendo isso ele se afastou, deixando Jennifer ali no corredor com uma sensação de vazio e pura derrota, se sentindo exaustas ela se sentou em um dos bancos ali, chorando em silêncio.

Voltando ao quarto

Kassi estava tomando banho tentando ao máximo, esfriar a cabeça e não se exaltar mais ainda.... No quarto, Molly havia se sentado na poltrona que havia no quarto e segurava a neta com todo cuidado e carinho, alisando seus cabelinhos outrora seu rostinho naquele momento ela estava envolta de um amor único pela neta recém-nascida, seu pequeno presente. Ainda perdida nesse momento logo ela voltou a atenção a porta, quando Jennifer entrou novamente com uma expressão não muito boa, e automaticamente ele notará que ela havia discutido com Charles.

— Diz para mim que vocês não discutiram ?!

Escutando a sogra Jennifer suspirou, se aproximando delas olhando a pequena Hope ali nos braços dela, a mesma se movimentava bastante e olhava para todos os lados, em alguns momentos parecia até fazer bico para as duas, sorrindo por fim para sobrinha Jennifer deu de ombros.

— Não é novidade..., mas cadê a Kassi?

— Ela foi tomar um banho esfriar melhor a cabeça, mas já faz um tempo isso e não estou ouvindo nenhum sinal do chuveiro ligado, acho melhor ir ver o que aconteceu.

Dizendo isso Molly se levantou deixando, a pequena Hope de volta no bercinho, se aproximando da porta do banheiro de início ela deu uma batidinha de leve, não ouvindo resultado insistindo ela moveu a maçaneta da porta entrando. O interior do banheiro, estava tomado pelo vapor do chuveiro e sentada sobre a tampa da privada, estava Kassi enrolada a toalha não parecendo nada bem, notando aquilo Molly se aproximou dela olhando-a.

— Kassi, o que houve?

Piscando algumas vezes, a loira balançou a cabeça. — Estou me sentindo fraca, e exausta sem falar da dor aqui no pé da barriga. — Imediatamente, Molly a ajudou a se levantar saindo do banheiro com ela olhando Jennifer que ficara no quarto. — Vá chamar a enfermeira a Kassi não está bem.

Assentindo Jennifer saiu do quarto, indo a procura de ajuda, enquanto isso Molly ajudou Kassi a vestir a camisola e voltar para cama, fazendo isso ela se recostou nos travesseiros olhando para sua bebê ali deitada no bercinho sorrindo fraco, recostando completamente a cabeça nos travesseiros em seguida.

— Isso tudo, é por causa do nervoso que passou a pouco sabia?! Você acabou de dar à luz a menos de 24 horas e se estressa assim desse jeito, olha aí o resultado.

Sussurrando lentamente fazendo carinha de dó, Kassi fez bico. — Não briga comigo madrinha, tem que brigar com Charles pôs é tudo culpa dele, não minha. — Dizendo isso ela fechou os olhos tentando se sentir melhor.

— Pode deixar que irei dar uma bronca nele.

Logo a enfermeira entrou no quarto, acompanhada de Jennifer e logo providenciou calmantes para Kassi, e fez uma intravenosa de soro com mais alguns remédios, para diminuir as dores musculares e o mal-estar.  Com a medicação a loira acabou adormecendo, completamente e nesse período que as enfermeiras vieram levar Hope para um banho, e outras analise.

Aquela tarde, quando finalmente Kassi acordou novamente o quarto estava quase vazio somente com Jennifer ali lendo um livro, abrindo e fechando os olhos lentamente a loira olhou para o bercinho de Hope vendo-a adormecida ali também. Se sentindo melhor ela voltou a olhar a cunhada, que também notou que ela havia acordado.

— Ahh que bom que acordou Kassi, estava esperando você acordar para eu ir embora. Bem sua medica veio aqui, e disse que você terá alta amanhã no primeiro horário e que todos os exames da Hope estão completos e ela está como uma garotinha muito saudável.... Ah! Molly deixou seu celular aqui caso você queira falar com alguém. Bem é isso cunhada, deixa eu ir pôs tenho que resolver algumas coisas, nos vemos amanhã.

— Obrigada, Jenni você um amor.

A morena sorriu saindo do quarto em seguida, deixando Kassi ali com sua princesinha, tentando se distrair ela ligou a tv começando a assistir um filme, e logo percebeu os primeiros resmungos de Hope, com cuidado ela pegou a pequena no colo já sentindo o que ela queria, abriu a camisola aproximando a pequena de seu seio para amamentá-la. Já no fim da noite, como ela percebeu que Mathews não voltaria ela pegou o celular digitando uma mensagem para ele.

“ Olá, Mathews ... vejo que não deu para você voltar hoje :(  Então nos vemos amanhã.

PS; amanhã terei alta do hospital, no primeiro horário.

Bjos Kassi. ”

Enviando ela logo notou uma resposta do mesmo.

“ Olá Kassi, realmente fiquei atarefado hoje ...

Mas amanhã irei estar te esperando na porta do hospital. Boa Noite!

PS; senti saudades. “

Sorrindo ela desligou celular, voltando a aninhar Hope em seus braços conversando com a mesma até que chegasse o sono.

....

Enquanto isso na mansão dos Bieber

Charles deixou para voltar para casa, bem tarde naquele dia com esperança de não ter que falar com ninguém, mas assim que ele abriu a porta do hall de entrada, Molly fechou o livro que lia se levantando caminhando até o hall olhando-o. Ao vê-la ele ficou surpreso e pelo olhar da mãe ele estava bem encrencado, sendo assim foi preciso somente um olhar para ele se dirigir a biblioteca para uma conversa que ele sabia que seria longa.

....

No outro dia como de esperado, Melissa passou no quarto de Kassi para lhe dar alta junto com a bebê, as duas se abraçaram e a medica deu alguns concelhos e dicas para a loira seguir dali em diante como mãe de primeira viagem. Terminando de arrumar as coisas, Kassi notou finalmente a sacola que Mathews havia deixado para elas, abrindo-a ela ficou surpresa ao tirar de lá um porta retrato em tamanho médico com uma foto dela segurando Hope pela primeira vez, sem saber como e quando Kassi ficou abismada, sorrindo.

Com a chegada de sua madrinha, que a ajudou a levar as coisas Kassi pegou Hope no colo, envolvendo-a na manta que compunha a saída da maternidade que ela havia ganho meses antes de um tal professor, as duas seguiram para saída do hospital e como prometido com lindo buque de rosas brancas, lá estava Mathews esperando-a assim que o viu ela acelerou os passos se aproximando dele.

— Olá desconhecido. — Ele sorriu. — Olá desconhecida, tudo bem com a senhorita?! Ou melhor com as senhoritas?

Ela rio assentindo, observando os dois Molly balançou a cabeça se aproximando do carro dela colocando as coisas, tanto da bebê como de Kassi também, voltando a olha-los ela sorriu.

— Bem você irá comigo ou com seu “amigo”?

Kassi sentiu suas bochechas corarem com a pergunta da madrinha, mas assentiu confirmando que iria com Mathews mas prometia que iria no banco de trás do carro, com toda segurança. E assim fez, entrando no carro logo Mathews deu partida seguindo para a casa da loira.

Chegando ao destino, após os dois carros estacionarem na garagem aberta, Kassi desceu do veloster prata, arrumando Hope em seus braços, e assim que entrou ficou maravilhada com a decoração que haviam feito, havia muitos balões, flores, cartões e uma faixa no centro do hall de entrada com os dizeres. “ Sejam Muito Bem-Vindas meninas! ” Sorrindo super feliz ela se aproximou de Jennifer abraçando-a de lado devido estar com Hope nos braços.

— Amei cunhada, ficou perfeito.

Dando alguns passos para trás, ela ainda observou mais a decoração e pensou consigo mesma que mais tarde, iria querer ler os cartões que provavelmente eram de suas amigas de faculdade. Voltando a olhar o ambiente, Kassi viu Charles um pouco afastado olhando-a, mas ela nem deu atenção voltando a olhar Mathews que havia entrado com ela carregando a outra bolça da bebê.

— Obrigada lindo, você sempre me faz bem. Ah! E ainda estou sem palavras sobre o presente que deixou ontem para nós duas, amei de verdade acho ... melhor tenho certeza que irie guarda-lo pelo resto da vida.

O loiro sorriu se sentindo totalmente satisfeito consigo mesmo, não querendo continuar ali no hall Kassi o chamou para sala de estar, e que ficasse para o almoço pelo menos, o mesmo aceitou e os dois seguiram para sala, e agiam como se o olhar de reprovação de Charles não estivesse ali os observando a todo tempo. No final da tarde, já mais tranquila trocada de roupa em seu quarto muito bem acompanhada de sua bebê, Kassi começava a ter seus primeiros momentos de mãe, ainda com um pouco de receio, mas totalmente aberta a apreender ela seguia as instruções de Molly que a ajudava a dar o primeiro banho em Hope.

Tudo era novidade, e cada dia que se passava era uma nova descoberta, e aos poucos Kassi ia conhecendo seu novo universo, ser mãe de uma bebezinha, e sentia um amor crescer em seu peito de uma forma única que nunca na vida ela poderia imaginar que sentiria um dia. E em momentos que estavam só as duas, preferencialmente no quarto dela ela observava Hope dormir, sussurrando. — Meu melhor presente da vida, é você, minha princesa. Te Amo!


Notas Finais


Ownt! Capitulo cute em amores?! Sem falar que rolou de tudo rs.

Bem meus amores, espero que tenham gostado desse lindo capitulo , cheio de reviravoltas e surpresas.

Ahh recadinho : Agradeço profundamente os comentários, do ultimo capitulo vocês são uns amores , amei todos comentários e opiniões , continuem me surpreendo que eu irei fazer o mesmo com vocês. E aos novos leitores deixo o meu lindo Sejam Bem-Vindos.

Xoxo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...