História The two sides of the game - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dajan, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Priya, Rosalya
Tags Amor Doce, Armin, Hentai, Romance
Visualizações 160
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde galera!
Hoje eu venho aqui fazer um agradecimento mais antes um aviso.
Essa semana não terá capítulos novos nem segunda e nem terça, porque eu vou estar viajando e onde eu vou estar não tem Internet.
Agora eu quero muiiiiiiiito agradecer aos 22 favoritos, isso me incentiva demais a continuar. Muito obrigada mesmo por valorizarem o tempo que tenho gasto com essa fic.
Boa leitura.

Capítulo 15 - Cap. 15


Fanfic / Fanfiction The two sides of the game - Capítulo 15 - Cap. 15

Sem mais nem menos Armin levou para dentro do banheiro masculino.

Armin: Feche a porta e fique atrás dela.

Assim eu fiz mas antes que eu pudesse lhe perguntar qualquer coisa, ele saiu pelo banheiro, parecia estar a procura de algo. Não demorou muito, ele veio em minha direção segurando uma chave, a usando para fechar a porta atrás de mim.

 

Angel: Mas o… - ele tampou minha boca com uma das mãos.

Armin: Shhiu. Caladinha.

 

Ele começou a beijar o meu pescoço e depois mordeu o lóbulo da minha orelha, fazendo arrepiar o meu corpo por completo, isso foi o sinal que ele esperava para que pudesse tirar a mão da minha boca, mas logo a tapando novamente com um beijo selvagem. Eu fui prensada contra a porta do banheiro, enquanto Armin me beijava com muito desejo e eu lhe correspondia da mesma forma. Ele me levantou me segurando pelas coxas, me colocando de um jeito em que nossas intimidades se esfregavam de forma indecente. Mal tínhamos começado e eu senti o pênis do Armin totalmente ereto contra minha intimidade que estava encharcada de tesão. Em um movimento rápido ele me pegou e saiu andando comigo pelo banheiro enquanto ainda nos beijávamos, eu estava de olhos fechados mas eu podia sentir seus movimentos que faziam com que seu pau roçar - se ainda mais na minha intimidade, até que eu senti algo gelado na minha bunda. Só então paramos de nos beijar e eu vi que ele tinha me sentado no mármore das pias do banheiro. Armin abriu o zíper do meu vestido e tirou as mangas às fazendo cair até a cintura e deixando os meus seios à mostra, ele parou por um instante os avaliando, o seu olhar se transformou em pura luxúria, e sem qualquer cerimônia ele enfiou um em sua boca o mordeu e logo depois assoprou onde tinha mordido, de início eu arqueei as costas de dor mas logo a dor deu lugar a sensação de prazer.

Eu já estava morrendo de tesão, meu corpo suplicava para ter o Armin dentro de mim novamente, quando bateram na porta.

Armin: Calma, não diga nada que ele vai embora.

 

A adrenalina agora estava presente nas minhas veias, estávamos quase transado em uma boate cheia de gente e poderíamos ser pegos a qualquer instante e isso me causou certa preocupação e aumentou ainda mais a  minha excitação.

 

Armin: Ei, olhe pra mim. - ele pegou em meu queixo tirando o meu olhar da porta que nem eu mesma tinha percebido que encarava. - De vez em quando se arriscar é necessário. - ele piscou pra mim e mordeu o meu lábio inferior.

 

Não precisou que ele dissesse mais nada pra que eu voltasse ao clima, o tesão falou mais alto. Quando pararam as batidas nas porta Armin, enfiou dois depois dentro de mim eu gritei em uma mistura de susto e prazer, ele começou a pôr e tirar os dedos em uma velocidade frenética ao mesmo tempo em que massageava o meu clitóris com o dedão e em poucos minutos eu senti que iria gozar, então abaixei minha cabeça em um movimento involuntário fazendo que os meus cabelos caíssem sobre o meu rosto.

 

Armin: Levante a cabeça. - ele puxou os meus cabelos para trás com a sua mão desocupada. - Eu quero que você goze olhando pra mim quando eu mandar. - meio sem jeito, respondi que sim com a cabeça.

 

Ele voltou a me penetrar, agora mais lento com movimentos circulares que me levavam a loucura, mas não durou muito tempo logo ele estava me penetrando fortemente com seus dedos.

 

Armin: Agora, pode gozar olhando pra mim.

 

E como se ele tivesse apertado um botão dentro de mim, eu gozei ao seu comando gritando o seu nome, sem nenhuma preocupação se alguém poderia me ouvir.

 

Armin: Está bom né? - eu respondi que sim ainda ofegante com o prazer que circulava em meu corpo. - Mas ainda não acabou.

 

Rapidamente me desceu da pia e me virou de costas para ele me fazendo ficar com o rosto encostado no espelho, ele levantou o meu vestido e me deixando com a bunda de fora, eu o olhava pelo espelho quando ele também me olhou e deu um tapa na minha bunda me encarando no espelho, eu gemi, como aquilo era bom. Armin pegou minha calcinha e a rasgou, aquela brutalidade estava me deixando louca, então ele desabotoou a sua calça e a abaixou a deixando cair até seus pés, seu pênis estava ereto na sua mão, ele era ainda maior do que eu me lembrava pela manhã. Ele esfregou meu membro na minha bunda devagar me instigando ainda mais, e der repente ele me penetrou sem nenhuma sutileza, ele entrou com força bem fundo fazendo o meu útero doer com tamanha agressividade, mas logo passou quando ele começou a se movimentar, primeiramente bem lento e mas logo depois a velocidade se fez necessária e ele me apertou pela cintura com uma muita força acompanhando a o movimento de seus quadris. Eu me deliciava com o som de seus gemidos que mesmo com a música alta eram capazes de ser ouvidos, eu também gemia alto, mentalmente agradeci a Deus pelo barulho de música alta que estava lá fora, pois é impossível não gritar de prazer quando o Armin está dentro de mim.

 

Armin: Como eu precisava estar dentro de você.

 

Ele disse tão baixo que eu me perguntava se tinha ouvido certo. Eu mal tinha acabado de gozar e já estava quase gozando de novo, e não tinha dúvidas que com o Armin, eu poderia passar um dia inteiro assim.

 

Angel: Owwn! Eeu…

 

O prazer era tão grande que não conseguia nem falar, mas não foi preciso Armin já tinha entendido e aumentou a pressão puxando o meu cabelo me fazendo encara - lo pelo espelho, eu gozei novamente gemendo ainda mais alto e em seguida sentindo Armin gozar dentro de mim sussurrando coisas do tipo: gostosa e safada ao meu ouvido.

Depois de um pequeno tempo que já tinha gozado ele tirou seu pau de dentro de mim, é isso me trouxe a estranha sensação de vazio. Ele foi até a lugar onde havia papel e o pegou, voltou até a mim e me limpou.

 

Armin: Prontinho, agora temos que sair daqui antes que um dos funcionários pegue a chave reserva e abra a porta. - ele disse enquanto se vestia.

 

Eu fiz o mesmo ajeitei o meu vestido e arrumei no meu cabelo. No banheiro o silêncio predominava  e começou a ser incômodo. Armin foi até a porta a destrancou.

 

Armin: Saia você primeiro eu vou logo atrás.

 

Eu fiquei chateada pela forma que ele disse, eu tinha acabado de ter uma das melhores experiências da minha vida com ele e agora ele me tratava tão estranho, eu diria até com certa frieza. Eu passei por ele e sai do banheiro sem olhar em seu rosto e fui procurar por Rosa, já estava tarde e eu queria ir embora, eu a encontrei no bar ainda conversando com as mesmas garotas de antes.

 

Angel: Vamos embora Rosa.

Rosa: Só mais um pouquinho. - ela me olhou fazendo biquinho.

Angel: Não. Se quiser pode ficar. - eu disse já me virando para ir embora.

 

Quando eu já estava um pouco longe quando escutei Rosa me gritar, mas eu continuei andando só diminui a velocidade para que ela pudesse me alcançar.

 

Rosa: Você vai me dizer o porquê de você ter sumido e ter voltado assim.

Angel: Eu só quero ir embora. - eu caminhei na sua frente.


Nós saímos da boate e pegamos o primeiro táxi que passou e durante todo o  caminho ficamos caladas.


Notas Finais


Deu trabalho fazer esse hentai viu 😅
Até quarta feira.
Bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...