1. Spirit Fanfics >
  2. The Umbrella Academy - imagine >
  3. Chapter two

História The Umbrella Academy - imagine - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Me desculpem qualquer erro

Capítulo 3 - Chapter two


P.O.V S/n


Acordo um pouco mais cedo do que o normal, porque o Five falou que era pra estar de pé cedo.

Escuto alguém bater na porta e logo grito.

— Entra!!

Five — Ótimo, já tá acordada. A gente sai em 20 minutos. E vê se anda rápido!

— Aham.

Ele sai tomo meu banho, me arrumo e desço pra sala.

Five — 10 minutos... — olho pro relógio.

— Ah nem vem! Você falou que iríamos sair em 20 minutos, ainda temos 10.

Five — Cada minuto é importante. — abro a porta da casa. — Vamos logo!

Saímos de casa e entramos na van dele.


No local....


Five — Chegamos, fica aí.

— Tá.

Ele parou em frente à um prédio bem grande que se parecia mais com uma clínica médica.

Ele sai da van mais volta com uma expressão não tão legal. Tá mais quando o Five tá com uma expressão legal? Esquece o que eu disse.

Five — Precisamos de algum adulto, alguém maior de idade. — passo a mão pelo meu cabelo. 

— Tem alguma ideia? — ele nega com a cabeça. — Mais eu tenho.

Five — Qual?

— O Klaus.

Five — Sério? Não tá falando sério né?

— Eu tô falando muito sério. Vestimos ele com as roupas do velho e pedir pra ele fazer o que quer que seja.

Five — Tá e por que ele aceitaria?

— Porque eu tenho isso. — mostro uma nota de vinte dólares.

Five — Eh, é um bom plano. Você não é tão inútil como parece. 

— Haha tô me acabando de rir. — reviro os olhos. — Vamos buscar o Klaus.

[...]


— Klaaaaus!!!

Klaus — Oi, tavam onde?

Five — Precisamos da sua ajuda.

Klaus — Pra que?

— Só aceita.

Klaus — Por que eu aceitaria hein?

Five — Porque temos isso. — mostro a nota de vinte dólares para ele.

Klaus — Tá, oque vocês querem?

Sabia que ia ser fácil.

[...]


Estava sentada numa pontrona olhando para Klaus e Five, tentando adivinhar o que eles estavam conversando com um doutor.

Em algum momento o Klaus deu um soco na cara do Five o que me fez segurar o riso. Por que ele fez isso? Sei lá, só dava pra reparar na cara do Five. 

Five me lança um olhar sério me fazendo ficar séria também.

Doutor — Você é louco.

Klaus — Ihhh você nem faz ideia.... — falo enquanto pego um globo de neve que estava na mesa dele. — "Paz na Terra" , isso é tão fofo. — falei rapidamente enquanto quebro o mesmo na cabeça. — Aaaaahhhh!!! Isso  dói!

O doutor pega o telefone parecendo que ia ligar para os seguranças, mas Klaus foi rápido e disse:

Klaus — Alô, polícia? Houve uma agressão, No escritório do Dr. Big, venham aqui agora! — desligo o telefone — Os seguranças vão chegar em menos de 60 segundos, melhor você pegar o arquivo que precisamos.

O Dr. foi procurar o arquivo, mais não achou nada....Five que estava de mal humor ficou pior ainda.

Pelo jeito isso tudo não valeu a pena.

Saímos da clínica e Klaus começa a falar coisas sem sentido algum. 

Five — Vem. — pego na mão da S/n e me teletransporto pra um táxi. — Pode continuar....

Klaus — Eiii!!! E o meu dinheiro?! — grito.

Apenas o ignorei.

[...]



Fomos pra casa, na verdade eu. O Five foi fazer alguma coisa que eu não sei o que é.


Depois de algumas horas o Five chegou com alguma coisa que estou bem curiosa pra saber o que é.

Vou até o quarto dele e vejo que a porta está entreaberta. 

— Five? — bato em sua porta.

Five — Que é?

— Você tá bem? — entro em seu quarto e vejo ele com um....Maniquim em seu colo. — Isso é um....Maniquim?

Five — Respondendo a primeira pergunta, sim eu estou bem. E o que você tá fazendo aqui?

— Vim em paz, queria ver se estava bem.

Five — Nossa! Ela se importa. Já pode ir.

Faço menção de ir mais paro.

— Essa é a tal Dolores?

Five — Tá com algum problema? Precisa de algo?

— Só queria saber se é a Dolores mesmo. — Dolores foi com quem ele passou 30 anos no apocalipse.

Five — Pode ir, tchau, tchau.

Esse garoto me irrita. Não sei porque ainda me preocupo com ele.


No outro dia....


P.O.V Five


Acordo faço minhas higienes pessoais, e como de costume vou para a cozinha.

Vejo Alisson e Diego conversando mais eles param quando chego.

— Continuem, finjam que não estou aqui.

Alisson — Five...

— Hm.

Alisson — Disse algo para a S/n ontem?

— Não que eu me lembre....

Alisson — Estranho, ela saiu do seu quarto chateada...Tem certeza que não disse alguma coisa?

— Certeza eu não tenho de nada.

Diego — Seja o que for, peça desculpas a ela.

— Tanto faz. — nem sabia que ela tinha ficado chateada. Saio da cozinha indo procurar a S/n e acabei trombando nela.

S/n — Olha por onde anda peste!

— Depois de tomar seu café se arruma, vamos sair.

S/n — Por que?

— Não era você que queria salvar o mundo? Agora tem que cumprir o que disse.

S/n — Hm, tá. — vou até a cozinha.

[...]


Estamos no me.me.solugar de ontem só que observando o cara.

S/n — Vamos ficar o dia todo encarando esse prédio?

— É o plano!

S/n — Ah ok. — olho pra trás do banco e vejo a maniquim vulgo Dolores, ele tinha que trazer ela né! — Como conheceu a Dolores?

— Acho que isso não é da sua conta!

S/n — Eu já cansei! — abri a porta da van e saio.

— Ei! Onde você vai?

S/n — Pra um lugar onde eu não tenha que ficar te aguentando.

— Vai na fé, não vai fazer nenhuma diferença! 

S/n — Bom pra você.

Quando vi ela saindo Lembra o do que meus irmãos tinham me dito. Saio da van e vou atrás dela 

— Vamos entrar na van, lá conversamos.

S/n — "Conversamos " ?! Você nunca conversa Five!

— Vamos S/n!

S/n — Eu só vou porque...Porque eu vou.

Entramos na van de novo.

— Desculpa...Eu sou grosso com você as vezes... — olho pra ela.

S/n — As vezes? E eu ouvi um "desculpas" ?

— Pra ser melhor, sempre. Eu sei que ninguém gosta de ser tratado desse jeito. Desculpa por ser um idiota com você, por te tratar dessa forma o tempo todo. Eu não sabia que você fica triste... — desvio meu olhar dela.

S/n — Tá....Espero não ter tomado a dedução errada. — olho pra ele. — Me dá um abraço?

— Nhe, você sabe que eu não gosto dessas baboseiras.

S/n — Felicidade dura pouco....

— Aff. — Me inclino pra abraça-la.

S/n — Obrigada.

– Calma Dolores, eu e a S/n não estamos fazendo nada de mais.

S/n — Porque não me conta como conheceu a Dolores?

— Tá b... — sou interrompido por Luther.

Luther — O que vocês estão fazendo ai?!

— Nada, só conversando...Mas e você. O que está fazendo aqui?!

Luther — Vim buscar vocês dois.

S/n — Pra que?

Luther — Esta tendo uma reunião de família na nossa casa. Precisamos conversar sobre a morte do papai.

— Agora não dá, estamos ocupados.

Luther — Fazendo o que? Se beijando?

S/n — NÃO!! Tá louco?! Eu nunca na minha vida beijaria esse daí.

Luther — Aham sei...

— Esse daí tem nome.

— De qualquer forma não podemos ir agora, estamos esperando um cara sair daquele prédio. Ele tem algo haver com esse olho que eu achei no futuro.

Klaus — O que esse olho tem de tão importante?

— Alguém avi perder um olho em menos de sete dias, e esse alguém tem algo haver com o apocalipse.

Luther — Tá legal, vejo vocês depois.

Klaus — Juízo vocês dois hein!

— Tchau Klaus.

S/n — Atéééé. Tá demorando de mais.

— É só esperar mais um pouco..

.....

S/n — Five! Não é aquele?

— Sim é. Espera aí, eu já volto.

S/n — Uhum.

[...]



P.O.V S/n 



O Five estava demorando de mais, resolvo sair da van e ir atrás dele.

Estava na frente do prédio esperando o Five sair de lá, até que eu vi ele de longe, ele estava vindo com aquele mesmo cara da clínica. Sinto um cheiro de fumaça e deduzo que vai acontecer alguma coisa então me afasto. Em questões de segundos o prédio já estava pegando fogo, quando o Five entra na frente e o ligar explode fazendo ele ser arremessado pra longe.

— FIVEEE!!!!!! — corro até ele. — Ei! Acorda! Acorda! — balanço o mesmo. — Eu não posso te perder de novo. — uma lágrima minha cai em cima dele.

Five — C-chorando S/n? E porque não pode me perder mm de novo? — Me levanto.

— Pelo visto você tá ótimo.

Five — Só com alguns arranhões, mais nada de mais.

— Quer que eu... — sou interrompida.

Five — Não, não preciso da sua ajuda.

— Não mudou nada.

Five — Eu não disse que ia mudar.

— Mais eu pensei que você ia mudar.

Five — Mas não mudei.

— Eu te odeio. — sou um soquinho em seu braço.

Five — Não era você que estava chorando e falando que não podia me perder de novo?

— Estava, não estou mais.
























Notas Finais


Mais um pra vcs

Espero q gostem, e estejam gostando. Bjos 💫✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...