História The Unexpected - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, estou voltando com mais uma fanfic supercorp, espero que gostem, pois estou adorando escrever essa história.
Tenham Boa leitura ♥

Capítulo 1 - A Garota Misteriosa


O barulho a sua volta era ensurdecedor, a claridade do sol queimava seus olhos, os fechou com força sentindo-os arder. Sua pele inteira parecia queimar e ouvia diversos sons diferentes em direções diferentes, não sabia onde estava, não sabia identificar aquilo que escutava, quando de repente sons de gritos invadiram seus ouvidos. Tapou os ouvidos na esperança de abafar os sons, mas foi em vão. Estava assustada. Abriu os olhos e viu pessoas armadas correrem em sua direção e sem pensar em nada, correu, o mais rápido que podia.

Quando parou de correr, não estava mais naquele local desconhecido, outros sons invadiram seus ouvidos e mais uma vez os tampou com as mãos. Carros corriam de um lado para o outro, buzinando, alertando para que ela saísse de frente, quando do nada apareceu um caminhão. O motorista distraído, assim que viu a mulher freou o veículo, porem era tarde demais, acabou por atropelar a mulher. Entretanto ela não sofreu um arranhão, diferente do caminhão, cujo o para-choque amassou por inteiro. O motorista saiu de dentro do veículo desesperado.

A dor em seus olhos voltou e ela os fechou novamente com força. As pessoas começaram a se amontoar ao redor da garota, que gritava de dor. Abriu os olhos novamente e raios laser saíram deles acertando a fachada de um prédio. As pessoas começaram a correr e a gritarem e quando deu por si, começou a flutuar. Os raios azuis voltaram a sair descontrolados de seus olhos e ela tentava se segurar em algo enquanto subia acaba vez mais.

Repentinamente parou de subir e começou a cair, gritava em desespero e só conseguia ver o chão cada vez mais próximo, fechou os olhos, contudo, não sentiu o impacto eminente. Abriu os olhos novamente e viu uma mulher loira com roupa azul diante de si. Ela voava.

Supergirl percebeu os olhos da garota desconhecida ficarem vermelhos e ela sabia muito bem o que aqui significava. Assustada a garota a empurrou e os raios saíram de seus olhos e ela os fechou em seguida. Kara voava diante da desconhecida ainda sem acreditar, aquela menina seria Kryptoniana?

Tirou as mãos dos olhos e olhou para a mulher diante de si. Por alguma razão ela reconhecia aquela mulher, lagrimas caíam de seus olhos, eles ardiam e ela estava assustada.

– Socorro. – Pela primeira vez a desconhecida falou e Kara se surpreendeu ao ouvi-la falar em inglês. Ela começou a flutuar mais alto e os sons voltaram a se intensificar, as buzinas, os motores, as sirenes, as pessoas, tudo ressoava alto em sua cabeça. – MUITO BARULHO! – Gritou tapando os ouvidos e fechando os olhos com força.

Supergirl voou até a garota e segurou seus ombros, fazendo ela permanecer no lugar.

– Calma. – Disse baixo. A garota abriu os olhos e a fitou. – Respira fundo, fique calma e tente se concentrar apenas em mim. – Pediu e agora apenas assentiu com a cabeça. Tirou as mãos dos ouvidos, por alguma razão ela confiava naquela mulher estranhamente familiar. – Está melhor? – A garota balançou a cabeça em confirmação. – Qual é o seu nome? – Perguntou.

– Eu... Eu não sei... – Respondeu. Então a heroína analisou melhor a garota, as roupas que usava eram maiores do que ela e claramente masculinas e estavam rasgadas em alguns lugares.

– De onde você veio? – Decidiu mudar a pergunta. A garota olhou para os lados, como se procurasse a resposta da pergunta.

– Eu não sei. – Voltou a responder. Supergirl respirou fundo.

– Venha comigo. – Estendeu a mão para garota e a segurou sem hesitar.

...

Nia acordou em uma casa desconhecida por si, e ao longe conseguia ouvir o barulho das ondas do mar, ela estava no litoral. Olhou para as escadas que davam para o segundo andar, algo ali em cima a chamava. Foi subindo as escadas e viu diversos porta retratos vazios pendurados na parede. Ao chegar no segundo andar, se direcionou para a única porta aberta no lugar.

Era um quarto infantil, cheio de brinquedos e com um berço rosa no centro, olhou para o lado e viu Kara, segurando um bebê em volto a uma manta amarela. Ela velava o sono do bebê com um sorriso terno nos lábios. Nia aproximou-se e viu a feição serena da criança. Aquilo era um sonho, Nia sabia, mas não conseguia interpreta-lo. Ela não tinha ideia do que tudo aquilo significava.

Kara levantou a cabeça e sorriu para Nia.

– Lena. – Disse, Nia franziu o cenho ainda mais confusa. Então repentinamente foi tirada de seu sonho e acordou em seu quarto. Sentou-se na cama.

– O que foi isso? – Perguntou para si mesma, tentando de algum modo decifrar aquele sonho.

...

Kara estava diante da garota desconhecida, que agora dormia tranquilamente em uma das macas da ala medica do DEO, ela claramente não sabia controlar os poderes e usa-los assim desenfreadamente cansou a jovem, principalmente a visão de calor. Supergirl cruzou os braços se perguntando de onde aquela garota surgiu. Segundo Brainy, nenhuma nave pousou ou entrou em orbita terrestre nas ultimas vinte e quatro horas, ou seja, ela já estava no planeta. Os poderes Kryptonianos era o que mais intrigava Kara, mesmo sem um teste definitivo ela sabia que a garota era de Krypton.

– Ela é Kryptoniana. – Disse Alex assim que o resultado do scanner saiu. – Porem é humana também. – Kara olhou surpresa para a irmã.

– Mas como é possível? Achei que Kal-El e eu fossemos os únicos Kryptonianos na Terra.

– Pelo visto não são. – Alex respirou fundo. – O que essa garota te disse?

– Nada, aparentemente ela não se lembra de nada. Ela provavelmente desenvolveu os poderes dela agora.

– Ótimo! Uma super sem controle dos poderes.

– Eu posso ajuda-la. – Disse com determinação.

– Nós nem sabemos quem ela é, ou de onde veio. – Alex ponderou.

– Eu era como ela quando cheguei aqui Alex. E eu tive Eliza, Jeremia e você para me ajudar. E ela vai ter a mim, alguém como ela para ajudá-la. – Alex nada disse, sabia que a irmã não mudaria de ideia. – Temos o que aconteceu com ela.

– E temos de descobrir quem ela é, e quem são seus pais. – Definitivamente precisavam descobrir quem era aquela garota.

...

Nia mordia a ponta da caneta, pensando sobre o estranho sonho que teve. Ela sabia que tinha algo a ver com gravides, mas Kara não estava gravida, disso tinha certeza. Olhou para a amiga que estava concentrada em algo no computador, quando Kara chegou parecia um pouco nervosa e Nia imaginava o motivo, afinal todos já comentavam sobre a estranha garota com os mesmos poderes dos maiores heróis da Terra. Queria contar a Kara sobre o sonho, porém não achou apropriado comentar com ela sobre isso nesse momento.

Então a jovem sonhadora lembrou-se de outro momento do sonho, aquele momento pouco antes de acordar. Kara disse o nome de Lena. Será que Lena estaria gravida? Mas o que Kara teria a ver com isso? O mais logico seria ela sonhar com James. Eram muitas perguntas e poucas respostas. Esse foi o sonho mais enigmático que já teve desde a descoberta de seus poderes.

Começou a bater a caneta na mesa enquanto balançava a perna, viu Lena entrar na Cat.Co e mordeu o lábio inferior. Ah, como ela queria poder perguntar a Lena. Só lhe restava esperar Kara aparecer e perguntar a amiga e Nia sabia que iria demorar, já que toda a cidade estava em alerta com a nova Kryptoniada que causou caos nas primeiras horas do dia em National City. Nia estava ansiosa e odiava se sentir assim, bufou em frustração e bateu com a testa na mesa, só lhe restava esperar.

...

Já era quase meio dia e Supergirl andava de um lado para o outro na ala medica do DEO, esperando a adolescente acordar, já havia ligado para Lena e inventou uma desculpa qualquer para faltar o trabalho. Kara se odiava por enganar a amiga, mentir para Lena a machucava tanto quanto Kryptonita, porem chegou a um nível que a verdade já não era mais viável, preferia a mentira a perder a amizade da Luthor.

Parou de andar um pouco e encarou a jovem que dormia tranquilamente, era um pouco estranho olhar para garota, ela era tão parecida com sigo. Cabelos loiros, cumpridos e sedosos, além dos olhos azuis, porem pelo tempo que esteve com a menina, Kara percebeu que a cor dos olhos dela mudam com a luz do sol e fica uma linda mistura de verde com azul. A menina começou a se remexer na cama e Kara se aproximou. Ela abriu os olhos e a expressão assustada se suavizou ao ver Kara.

– Está tudo bem. – Disse docemente. – Já se lembra quem é? – A garota negou com a cabeça. – Me diga a ultima coisa de que se lembra. – Pediu e no mesmo instante Alex entrou no quarto, a garota se encolheu na cama. – Está tudo bem, ela é minha amiga, Alex. – A jovem relaxou ao ouvir o nome da ruiva. – Agora pode me dizer a ultima coisa que se lembra? – A jovem concordou com a cabeça.

– Era um lugar branco e frio, havia pessoas vestidas de branco, não me lembro do rosto delas, minha visão estava turva. – Mordeu o lábio e respirou fundo. – Depois disso eu lembro de um monte de homens armados correndo em minha direção e eu fugi e encontrei você. – Alex e Kara se olharam. Tudo indicava que a garota estava presa.

– Você não se lembra dos seus pais? Ou do seu nome? – A diretora questionou.

– Isso é tudo o que eu me lembro. – Respondeu acuada, de repente seus olhos voltaram a arder e Kara viu que eles começaram a ficar vermelhos, Alex recuou.

– Ei, calma! – Kara segurou a jovem pelos ombros. – Respira fundo, se acalma. – A garota fez o lhe foi pedido, começou a respirar fundo e aos poucos seus olhos voltaram ao normal.

– Acho melhor fazermos mais alguns exames em você. – Alex falou para a garota e ela franziu o cenho confusa. – Talvez você tenha batido a cabeça ou algo do tipo. Assim podemos ter certeza do que aconteceu com você e talvez se ajudar a recobrar a memória. – A garota assentiu. – Então vamos. – Estendeu a mão para ela, ela olhou para a mão de Alex e logo depois para Kara.

– Você vai comigo? – Perguntou, Kara olhou para aqueles olhos que no momento estavam esverdeados.

– Claro! – Ela simplesmente não conseguiu dizer não aquela garota frágil e assustada e tanto se assemelhava a si mesma quando chegou a terra.

Só que diferente de Kara a garota desconhecida não tinha qualquer memória de seu passado, e ela estava disposta a ajudar a garota no que fosse preciso.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Até o próximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...