1. Spirit Fanfics >
  2. The Unexpected >
  3. Midvale

História The Unexpected - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal, primeiramente eu gostaria de me desculpar por ficar tanto tempo sem atualizar, eu juro que não foi algo intencional, mas está acontecendo muitas coisas ao mesmo tempo ultimamente e por mais que eu saiba qual o caminho eu quero seguir com a fanfic, eu não tenho tido inspiração pra escrever e eu não acho justo com vocês, que eu entregue algo meia boca. Sei que vocês merecem capítulos de qualidade, portanto, quando eu estiver mais animada a escrever eu postarei com mais frequência, até lá, peço que sejam pacientes.
Gostaria de agradecer a todos por favoritarem e por comentarem.
Espero que gostem co cpaitulo. ♥

Capítulo 15 - Midvale


Kara estava nervosa andando de um lado para o outro enquanto esperava Lena arrumar suas coisas. Alex já estava arrependida em ter combinado de sair junto com a irmã, já estava a mais de meia hora esperando Lena terminar as malas, até Lori estava entediada. A loira por sua fez respirava fundo e imagina diversos cenários diferentes em sua cabeça sobre como contar para a Eliza sobre Lori.

– Por que ela está demorando tanto? – Alex reclamou pela quinta vez, não estava irritada apenas pela demora, mas também pelo fato de Kara estar andando de um lado para o outro na enorme sala de Lena.

– Tenha paciência, Alex. – Disse Kelly, que parecia não se importar com a demora de Lena e ela estava estranhamente tranquila para alguém que iria conhecer a sogra.

– Pronto! – Lena apareceu na sala com roupas casuais e duas malas grandes. A morena levantou o olhar quando percebeu que ninguém dizia nada, e a quatro mulheres apenas lhe encaravam. – O que? – Questionou confusa.

– Você vai se mudar pra casa da minha mãe? – Alex perguntou se levantando do sofá.

– Não! – Lena logo respondeu.

– Então pra que uma mala tão grande se vamos passar apenas o fim de semana lá? – A agente estava nervosa e queria chegar logo a Midvale, a CEO apenas olhou para as malas um pouco incerta.

– Acha que eu exagerei? – Alex olhou para a irmã e em seguida para a sobrinha, cada uma carregava uma mochila nas costas, olhou para Kelly que também estava com uma mochila.

– Com certeza. – Lena encolheu os ombros com a resposta e respirou fundo.

– Mas estou levando apenas o essencial. Vou arrumar outra mala.

– Esquece! – Alex falou um pouco mais alto. – Leva as duas, não vamos mais ficar esperando você se arrumar.

– Desculpa.

– Tudo bem, Lena, Alex só esta nervosa em apresentar a Kelly pra Eliza. – Kara respondeu com um pequeno sorriso, para tranquilizar a morena. – Mas vamos logo, que o caminho para Midvele é longo. – Kara balançou as chaves e Alex fez uma careta.

– Você vai deixar a Kara dirigir? – Questionou para Lena, que assentiu, sem entender a pergunta. – Se eu fosse você não faria isso, a Kara é uma péssima motorista.

– Mentira! – Tratou de retrucar a irmã. – Eu dirijo muito bem! – Ela estava ofendida pelas palavras da irmã.

– Dá ultima vez que fomos a Midvale você quase deixou o carro cair em um penhasco.

– Eu estava desviando de um esquilo! – Se defendeu. – Não acredite nela, Lena, ela mente!

– Por via das dúvidas. – Lena pegou as chaves de Kara. – Acho melhor eu dirigir.

– Mas...

– Kara. – Lena a impediu de falar. – Você e a Lori podem ser de aço, mas eu não. – Passou pela a loira indo em direção a porta. – Aproveita e leve as minhas malas. – Alex gargalhou da expressão indignada de Kara, que apenas abaixou a cabeça e pegou as duas malas de Lena. Kelly e Lori riam baixinho, a cena era um tanto cômica, ainda mais se pensar que Kara é a Supergirl.

...

 Poucas horas depois, as cinco mulheres já estavam em frente à casa dos Danvers. Kelly estava um pouco ansiosa para conhecer a sogra, desceu da moto um pouco nervosa ao ver uma mulher loira e de olhos azuis na porta da casa. A mulher estava tranquila ante, mas agora diante da sogra o nervosismo percorreu seu corpo. Olhou para Alex que sorriu e respirou fundo, ficando um pouco mais calma, provavelmente a situação da Kara tiraria totalmente a tenção dela.

Lena já conhecia Eliza, mas pela situação inusitada de que se encontrava com Kara, seus nervos estavam a flor da pele. Já a pequena Lori estava mais animada com a ideia de ver o mar e curtir a praia que conhecer Eliza, não que ela não estivesse animada em conhecer a mulher que cuidou de Kara por tantos anos, mas ela já sabia que independente de tudo Eliza iria ama-la e cuidar dela, assim como fez com sua mãe Kryptoniana.

Eliza estranhou a presença de Lena e de um jovem muito parecida com Kara, porem sorriu ao ver as filhas, estava com saudades e esse sentimento falava mais alto nesse momento. Logo abriu os braços e Alex a abraçou com força e Kara fez o mesmo em seguida, se aconchegando nos braços de sua segunda mãe, como se buscasse por apoio e principalmente coragem.

– Estou tão feliz em vê-la – Seus olhos azuis brilhavam em alegria. Logo viu Kelly se aproximar timidamente e sorriu para a mulher. – Você deve ser a Kelly. – A puxou para um abraço, a Olsen relaxou com o contato. – Alex falou muito de você. – Kelly sorriu sem graça.

– É muito bom conhecer a senhora. – Eliza fez uma careta.

– Pode me chamar de Eliza, querida. – Corrigiu gentilmente e Kelly concordou. – E Lena, é sempre bom vê-la. – Se aproximou da mulher e a abraçou, era um gesto um pouco desajeitado, já que a Luthor não estava acostumada a tanto afeto, que não vinha de Kara. – E essa jovem quem é? – Perguntou curiosa olhando para Lori.

– Mãe, você sabia que a Kelly trabalhou como psicóloga no exército? Isso não é incrível? – Kara desconversou fazendo com que a mãe cruzasse os braços desconfiada.

– Certo... O que está acontecendo aqui? – Perguntou olhando para as duas filhas. Alex coçou a nunca e Kara encarou os próprios pés.

– Talvez seja melhor conversarmos lá dentro, Eliza. – Lena sugeriu, assumindo as rédeas da situação. A mulher apenas assentiu e as mulheres caminharam até a casa.

– Podem se ajeitar, mas logo depois eu vou querer saber o que está acontecendo. – Apontou para as mulheres.

– Fique tranquila mãe, explicaremos tudo. – Alex assegurou. – Bom, Kelly e eu podemos ficar no quarto de hospedes, e vocês três no nosso quarto. – Alex sugeriu e Kara achou uma boa ideia, já que quarto delas era grande e caberia as três tranquilamente. Subiram rapidamente para fugir do olhar inquisitivo de Eliza.

Lena entrou no quarto de Alex e Kara e sorriu ao ver como aquele quarto refletia a personalidade das duas. A loira logo se jogou em sua cama e Lori foi para a outra que com certeza era de Alex, agora a grande questão era, onde a morena iria dormir? A CEO decidiu deixar isso de lado e ficou em uma foto em um porta retrato em uma pequena mesa que ficava no quarto, ela provavelmente usavam para estudar.

Era uma foto de Alex e Kara na adolescência, pegou o objeto e logo olhou para Lori, era impressionante a semelhança entre as duas.

– Você e Alex eram muito fofas. – Lena comentou.

– Isso quando não brigávamos para saber quem usava o banheiro primeiro. – Kara respondeu se levantando e ficando ao lado de Lena. A loira possuía um sorriso sapeca nos lábios.

– Algo me diz que você sempre vencia essa disputa.

– Admito que não é uma disputa muito justa quando se tem super velocidade. – Lena acabou rindo do comentário da amiga. Lori apenas observava a interação das duas em silencio, deveria se sentir chateada ao ver que elas agiam como se ela não estivesse ali, porem aquele momento era tão fofo, leve e agradável que fez com que a jovem sorrisse. Quando elas iriam perceber? Era o que Lori se questionava.

– Você pode dormir na cama. – Kara disse repentinamente. – Eu não me importo de dormir no chão. – Lena até pensou em retrucar, mas então se lembrou que para Kara, talvez não fizesse diferença.

– Tudo bem. – Concordou agradecida.

– Acho melhor voltarmos lá pra baixo. – Lori pulou da cama e a duas mulheres respiraram fundo. – Eu sei que estão nervosas, mas vamos fazer isso juntas. – Segurou uma das mãos de Lena e com a outra segurou a de Kara. – Sei que a Eliza vai me amar! – Sorriu para tranquilizar as duas mulheres.

– É, vamos fazer isso juntas. – Olhou para Lena e sorriu.

...

– Então... – Eliza começou, já fazia alguns minutos que estavam na sala, Kara e Lori comiam alguns cookies que a mulher havia feito, parece que ninguém fazia questão de se pronunciar, a jovem até queria explicar tudo, contudo, estava mais interessada em apreciar aqueles cookies deliciosos feito por sua avó adotiva. – Quem vai começar? – Olhou para todas, Kara engoliu em seco o biscoito e quase engasgou, vendo o sufoco da loira, Lena passou a mão nas costas dela com delicadeza. Eliza arqueou uma sobrancelha.

– Kara e eu temos uma coisa para contar. – Lena começou e a loira passou a mão na testa, estava sem os óculos e com certeza se estivesse com eles agora estaria mexendo neles nervosamente. – Essa daqui é a Lori. – Lena apontou para a menina.

– Suponho que ela seja a Kryptoniana que apareceu ne National City do nada. – Eliza deduziu.

– Sim. – Kara concordou ainda sem jeito.

– Kara, você me disse que tinha algo importante a me dizer, mas não vejo onde a Lori e a Lena se encaixam nisso.

– É que... – Kara mordeu o lábio, como começaria aquela conversa com Eliza?

– A Lori é filha da Kara e da Lena. – Alex disse dando de ombros, se ela não tomasse uma atitude, Kara muito provavelmente ficaria divagando.

– Alex! – Kelly, Lena e Kara disseram quase ao mesmo tempo em tom de repreensão.

Eliza não sabia o que dizer, ela estava verdadeiramente surpresa, e não conseguia desviar seu olhar de Lori, que lhe dirigia um sorriso. A jovem não sabia o motivo, mas mesmo não conhecendo aquela mulher, ela já tinha um enorme carinho por ela.

– Posso te abraçar? – Lori disse chamando a atenção de todas.

– Claro! – Eliza sorriu ternamente e abriu os braços, Lori se aproximou cuidadosa e abraçou a mulher, tomando cuidado com a força que usava. Ela passou a ultima semana treinando com Kara, mas mesmo assim ainda não se sentia confiante para aplicar qualquer força a mais. Eliza olhou para a filha durante o abraço. – Como? – Questionou se separando e acariciando os cabelos loiros e sedosos da jovem.

– Bom, essa é a parte complicada. – Lena começou, respirou fundo e contou toda a história para Eliza, que escutava tudo com atenção.

– Pelo menos uma coisa boa aconteceu com isso tudo! – Eliza disse sorrindo, porem ela estava preocupada com o que poderia acontecer, não apenas com Lori, mas com Lena e Kara também. – Você é adorável e eu vejo muito de Lena em você, embora o apetite e a aparecia você tenha puxado de Kara. – Comentou fazendo a garota sorrir amplamente.

...

Já era noite e Kara observava o céu estrelado de Midvale, sentada na varanda sentindo a brisa do mar passear por seu rosto como uma caricia. Ela segurava um xicara de chocolate quente enquanto todos estavam lá dentro, se divertindo com algum jogo. Eliza não desgrudava de Lori e tentava ao máximo dar atenção a Lena e a Kelly, a mulher era a pessoa mais adorável que Kara conhecia na Terra e esse fato tirou um grande peso de duas costas. Agora só faltava ela apresentar Lori a mãe biológica em Argo City. Só de pensar que Lori teria contato direto com Krypton fazia com que Kara sentisse algo que nunca pensou em sentir antes, agora que aquecia seu amago e que a deixava em um estado de felicidade inexplicável. Lori não conheceria apenas uma parte dela, mas de si mesma, pois assim como Kara, ela era uma parte Krypton.

– Por que está tão pensativa? – Eliza perguntou, ela estava com uma xicara de café em mãos.

– Estou pensando em como vai ser quando a Lori conhecer Argo. – Respondeu sem tirar os olhos do céu.

– Tenho certeza de que ela vai amar. – Eliza respondeu com um sorriso. – Ela é adorável.

– É sim! – Respondeu com orgulho. Ser mãe era sentir orgulho toda a vez que alguém elogia o filho? Era o que a loira estava se perguntando no momento.

– Como Lena reagiu? – Perguntou curiosa.

– Ela surtou. – Kara riu se lembrando da cena. – Nós duas desmaiamos. – Eliza soltou uma gargalhada. – Mas admito que eu cai primeiro.

 – Eu imagino. A maternidade é assustadora.

– Demais! – Kara estava aliviada em conversar com alguém que a entendia de alguma forma.

– Imagino que seja mais ainda quando não se espera, ainda mais uma adolescente. – Kara assentiu, ficando um pouco triste.

– Principalmente se pensarmos que nunca a veremos crescer. – Suspirou com pesar.

– Veja pelo lado bom, não vai precisar trocar fraudas. – Eliza disse e Kara riu.

– É uma vantagem. – Concordou. – Não me vejo trocando fraudas e muito menos a Lena.

– Vocês são uma família bonita.

– Você acha? – Eliza viu o brilho de expectativa nos olhos da filha, e naquele momento teve certeza de que Kara não amava apenas Lori, mas a Lena também.

– Sim! – Respondeu com sinceridade e Kara a abraçou, a loira não sabia que precisava daquele abraço de conforto até recebe-lo.

...

O dia em Midvale amanheceu ensolarado, então as meninas decidiram ir à praia. Lori estão saltitante pela praia de areia branca, enquanto olhava para o mar fascinada. Lena estava com um grande chapéu de praia e óculos escuro, com roupas leves e confortáveis, Kara estava com um short, uma camiseta branca e uma blusa xadrez por cima. A CEO podia jurar que a pele da Kryptoniana reluzia diante do sol de Midvale. Kara parecia mais alegre e brilhante, assim como Lori.

Elas montaram uma grande barraca na praia, para se protegerem do sol, Alex e Kelly passaram protetor solar e logo foram pular na água juntamente com Lori, Eliza sentou em uma espreguiçadeira e começou a ler um livro. Kara e Lena decidiram dar uma volta na enorme praia.

– Deve ter sido muito bom crescer aqui. – Lena comentou.

– Teve seus momentos. – Kara colocou a mão no bolso do short. – Foi muito difícil no começo, a Terra é muito diferente de Krypton. Alex e eu não nos dávamos bem no começo e eu era meio que uma adolescente rebelde.

– Não consigo te imaginar sendo uma adolescente rebelde. – Lena fez uma careta e Kara riu.

– Mas eu era, na escola eu até que me comportava, ninguém falava comigo, nem mesmo Alex, mas não fazia os deveres de casa e as vezes ia mal nas provas de propósito. Eu achava inútil ir à escola.

– Acredito que todo o adolescente seja assim.

– Mas no meu caso eu já havia visto tudo em Krypton, pelo menos as matérias de ciências e exatas. – Deu de ombros. – E eu nunca fiquei realmente interessada em conhecer mais sobre a Terra, porem isso mudou quando Alex e eu começamos a nos dar bem.

– E o que fez a relação de vocês mudar? – Questionou curiosa.

– Não é uma história muito bonita. Um amigo nosso foi assassinado e nos juntamos para descobrir quem foi o assassino. – Respondeu um pouco nostálgica.

– Sinto muito. – Disse com pesar.

– Tudo bem, é passado, e por mais que seja difícil, pelo menos nós duas nos aproximamos.

– Muitas vezes a perda faz as pessoas se aproximarem, assim como a chegada de alguém. – Lena parou de caminha e sorriu para Kara, a loira olhou para a mulher diante de si também com um sorriso, estava feliz que elas tinham deixado qualquer diferença de lado.

– E eu estou feliz por isso. – Kara respondeu pegando a mão de Lena.

– Kara? – As duas olharam para a voz desconhecida. – É você mesmo? – Perguntou uma mulher de longos cabelos castanhos, olhos claros e sorriso brilhante. Levou alguns segundos até a loira reconhecer a mulher diante de si.

– Vick? – Kara estava surpresa em vê-la.

– Sim! – A mulher concordou com um sorriso. – Que surpresa a ver aqui. Como está?

– Ah... Bem... – Kara respondeu ainda incerta, Vick era a melhor amiga de Alex da escola e ela sabia que a irmã nutria uma paixonite por ela. – Você ainda mora aqui? – Perguntou, pois não sabia mais o que dizer a ela.

– Sim, eu sou medica, pediatra para ser mais especifica. Veio a passeio? Sei que Eliza está morando sozinha agora.

– Sim!

– A Alex também veio? – Kara assentiu. – Ah que bom! Quero tanto poder revê-la, éramos tão amigas, é uma pena o que aconteceu. – Disse com pesar, e Kara apenas assentiu.

– Ela está pra lá. – Apontou para trás. – Se quiser podemos ir juntas.

– Claro! – Respondeu animada.

– Aproposito, essa é Lena, minha melhor amiga. – Apontou para a morena, que estava em silencio observando a estranha interação entre as duas. Lena percebia que Kara estava claramente desconfortável enquanto a outra mulher estava animada. – E essa é a Vick, ela e Alex eram melhores amigas na época da escola.

– É um prazer, Lena. – Estendeu a mão para a morena que retribuiu o gesto com um sorriso cortes.

– Igualmente.

– Então vamos? Acho que a Alex vai ficar feliz em te ver. – A verdade é que Kara não tinha muita certeza sobre isso, mas não seria ela que diria a Vick que a irmã tinha uma paixão por ela na época de escola.

...

Vick chegou animada cumprimentando Eliza com um abraço, Alex e Lori que brincaram na areia pararam ao ver Kara e Lena com uma terceira mulher, e não demorou muito para que a agente a reconhecesse. Kelly que fazia companhia a Eliza na barraca levantou-se da cadeira e cumprimentou a desconhecida.

– Vick? Que surpresa! – Alex comentou se aproximando.

– Alex! É muito bom ver você depois de tanto tempo. – Abraçou a velha amigas que retribuiu um pouco sem jeito. – Adorei o cabelo!

Não demorou muito para Vick se enturmar com todos, até Lori gostou da animação da mulher e as duas foram para a água, logo depois Kelly e Alex se juntaram a elas. Kara observava a guerra de água com um sorriso nos lábios, Lori estava se divertindo como qualquer adolescente. Depois de alguns minutos Lori e Vick foram chamar a loira e não pensou duas vezes em entrar no mar participar da brincadeira, aparentemente Alex e Vick tiveram a ideia de fazer briga de galo e para deixar as coisas um pouco mais justas Kara iria se juntar a elas.

E ver Kara Danvers de biquini tirou Lena Luthor de orbita. Cada pedacinho do corpo de Kara gritava músculos, porem não era nada exagerado era tudo na medida e ver aqueles pequeno gominhos naquele abdômen fez com que a CEO sentisse que sua alma estava deixando o seu corpo. Tirou o chapéu e começou a se abadar, de repente estava sentindo mais calor. A chamaram para entrar na água também, contudo ela achou mais seguro continuar na areia, não lhe faria bem ficar perto da loira com tanta pouca roupa. A Luthor se sentia a pior pessoa do mundo por sentir essas coisas perto da melhor amiga.

No entanto, o pior foi ver como Vick se agarrava a Kara e parecia fazer questão de passar a mão na loira a todo o momento, Lena queria acreditar que esse era o jeito dela, porem algo dentro dela a incomodava e gritava que a mulher estava fazendo de propósito.

– Lena. – Eliza chamou sua atenção. – Você deveria fazer alguma coisa, ficar olhando não vai adiantar nada. – A morena arqueou uma sobrancelha sem entender o que a mulher falava.

– Não entendi.

– Você não para de olhar para a Kara e a Vick juntas.

– Estou apenas olhando a Lori se divertir. – Desconversou conseguindo disfarçar a vergonha por ter sido pega. – Não conheço essa Vick, então é bom eu ficar de olho não acha?

– Claro! – Eliza concordou com um sorriso no rosto, claro que ela não havia caído na desculpa de Lena, mas a morena agradecia que ela não havia continuado o assunto.

A CEO continuou olhando a interação, ela queria relaxar, mas não conseguia vendo aquela mulher tão próxima a Kara e o pior, a loira não parecia se importar. Em um determinado momento Kara pegou a mulher no colo e jogou na água, fazendo o mesmo com Lori em seguida, a mulher pulou na loira e tentou tirar os óculos da mesma, porem Kara conseguiu ser rápida e impedir. Aquela situação já estava insustentável para Lena, que decidiu tomar uma atitude e levantou aproximando-se do mar.

– Kara. – Chamou a atenção da amiga que fugia de Vick. – Será que você poderia passar protetor nas minhas costas?

– Você vai entrar? – Lori questionou animada e Lena assentiu, a menina comemorou jogando água em Vick, que acabou devolvendo o gesto. Kara saiu do mar com um sorriso no rosto seguindo Lena até a barraca. De repente Lori parou de jogar agua em Vick, focando olhar em Kelly e Alex, que estava se beijando dentro da agua, olhou para a mulher a sua frente com um sorriso travesso. – Está pensando o mesmo que eu? – Arqueou uma sobrancelha e Vick gargalhou.

– Você não presta, garota. – Comentou.

As duas se aproximaram sorrateiramente de Alex e Kelly e começaram a lançar água nas duas, que gritaram em frustração.

– Idiotas! – Alex gritou jogando água nas duas e pulando em Vick em seguida, dando um caldo na mulher. Afinal, ela sabia que era inútil tentar fazer isso com Lori.

Quando chegou a barraca, Lena tirou a blusa, ficando apenas com a parte de cima do biquini a mostra e sentou na espreguiçadeira. Kara pegou o protetor e espalhou um pouco na mão, sentou na beirada da espreguiçadeira e começou a espalhar o protetor pelas costas alvas de Lena. Instantaneamente a CEO sentiu os pelos de seu corpo se arrepiarem com o toque das mãos quentes e macias da loira.

– Está tudo bem? – Kara perguntou ao sentir o corpo de Lena arriado.

– Sim, é só o protetor que está gelado. – Respondeu e olhou para Eliza, que lhe fitava com um sorriso de lado. Mais uma vez havia sido pega.

– Tem certeza de que está tudo bem? – Insistiu, parando de espalhar o protetor, mas sem tirar as mãos das costas de Lena. – Seu coração está batendo muito rápido. – Lena respirou fundo.

– Kara, apenas continue passando o protetor, e pare de ouvir meu coração. – Mesmo sem Lena ver, a loira assentiu e continuou a passar o protetor em Lena.

...

Já era noite e todas estavam reunidas na sala de jantar da família Danvers desfrutando de um delicioso jantar feito por Eliza. Kara e Lori estava de boca cheia, verdadeiramente famintas depois de um dia de diversão na praia. Lena estava feliz e mais tranquila, já que naquele momento não havia ninguém indesejado, ou seja, Vick. Mesmo que a mulher tenha dito que tinha um namorado, Lena ainda não gostava dela e do jeito invasivo que ficava perto de Kara.

– A comida está uma delícia, Eliza. – Lori falou depois de engolir a comido, pelo menos ela tinha educação. – Eu me diverti tanto hoje, queria poder ficar mais. – Kara parou de comer e olhou para Lori, assim como Lena, o olhar das duas mulheres se cruzaram, aquela frase partiu o coração de ambas. Ela sentiam o peso daquela frase, obvio que a filha não tinha dito por mal, porem era claro que ali em Midvale ela teve um dia normal, um dia de adolescente feliz sem preocupações, um dia que ela nunca poderia ter em National City, não até elas resolverem os problemas com a CADMUS e Amanda Waller.

...

Kara não tinha ideia do horário, mas ela tinha ciência de que já era tarde. Mais uma vez observava as estrelas, pensativa. Ultimamente ela não conseguia pensar em outra coisa que não fosse deixar sua família segura. Fechou os olhos com força e segurou a caneca de chocolate quente com um pouco mais de força também. As palavras de Lori durante o jantar lhe atingiram em cheio, mais forte e mais mortal que kryptonita. Ela só queria que a filha fosse livre, e pudesse ter o máximo de normalidade em sua vida. Bom, Kara não gostava muito da palavra “normal”, porem diante da situação, era o que mais desejava a sua filha.

– Está tudo bem? – Lena sentou ao seu lado, ela havia percebido a morena se aproximando.

– Não, e com você? – Perguntou olhando para ela.

– Também não. – Tomou um gole de café. – Não consegue dormir? – Kara negou. – Eu também.

– Eu só queria que tudo isso acabasse e que a Lori pudesse ser feliz. – Kara falou, seus olhos estavam lacrimejados.

– Eu também. – Respirou fundo e olhou para as estrelas. – Eu sinto como se ela não estivesse feliz, como se o que damos a ela não fosse o suficiente. E provavelmente não é. Ela vive praticamente presa.

– E hoje ela estava tão livre. – A loira completou. – Estava brincando sem qualquer preocupação e ainda conheceu uma pessoa nova, alguém que não tem nada a ver com toda essa confusão.

– É... – Lena concordou sem saber o que dizer, e não era necessário, ambas compartilhavam o mesmo sentimento. A mesma tristeza de não poder proporcionar tudo aquilo que Lori merecia. Lena aproximou-se mais de Kara no banco e deitou a cabeça em seu ombro, sentindo o calor que emanava da kryptoniana, fechou os olhos desfrutando da paz que estar tão perto da loira, lhe proporcionava. Kara passou o braço pelos combros de Lena, abraçando-a de lado e pousando a cabeça em cima da cabeça da morena, deixando um leve beijo no local.

Era tão bom sentir o apoio da amiga e depois de desabafar, Kara sentia-se um pouco melhor, ela não estava passando por isso sozinha. Lena e Kara iriam resolver todos seus problemas juntas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Vejo vocês no proximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...