1. Spirit Fanfics >
  2. THE UNIT - jikook >
  3. Quatorze

História THE UNIT - jikook - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Quatorze


J I M I N


Hábitos são geralmente criados sem que percebamos, e quando se instalam já é tarde demais para quebrá-los.

Eu sempre tive vários. Arrancar a pelezinha dos lábios, passar os dedos pelo cabelo para jogá-lo para trás, só conseguir dormir depois de estralar as costas, etc. Hábitos.

Jungkook bater na minha porta e dormir no meu quarto no hotel virou um deles.

Não era mais preciso perguntar. Ele apenas aparecia, e eu não achava isso ruim. Ficávamos horas a fio conversando, jogando jogos, fazendo todo o tipo de coisa besta, até que o sono batesse.

Ele sempre acordava antes. E eu sempre acordava grudado nele.

Não era algo que eu podia controlar.

Chegava a ser inútil para a empresa pagar um quarto de hotel só para ele, já que só usava para guardar suas coisas a para tomar banho.

E eu não duvidava que, aos poucos, fizesse essas coisas no meu quarto também.

Jungkook apareceu na minha porta até o último dia de Busan. Quando pegamos a estrada para Daegu, a próxima cidade, eu acreditei que ele não fosse mais trocar o quarto dele pelo meu.

Mas obviamente eu estava errado, já que dez e meia da primeira noite, ouvi batidinhas leves na porta e corri até lá, já sabendo quem estava do outro lado. Ele coçava a nuca, olhando para baixo, parecendo até envergonhado.

-Você ainda quer companhia, Jimin-ah?

Mas parecia que quem queria companhia era ele. Aparentava gostar de ser usado como bichinho de pelúcia, já que sempre acordava comigo grudado ao seu corpo.

Não ia até meu quarto para fazer seu papel de colega de trabalho, me oferecendo apoio. Ele ia porque gostava. E eu sabia disso.

Não respondi, apenas o puxando para dentro e trancando a porta.

Já ciente que, a partir dali, seria difícil que levássemos a sério essa coisa de ''cada um tem seu quarto, por questões de privacidade''.

Agora, já era o nosso segundo dia na cidade de Daegu, e eu tinha noção que assim que chegássemos no hotel depois do primeiro show, Jeon bateria na minha porta e dormiria ao meu lado.

E não é como se eu não gostasse disso.

Eu fui o último a fazer passagens de palco pela manhã, e quando terminei a primeira coisa que eu fiz foi ir para a básica salinha de espera. Era padrão de todos os lugares onde ficávamos que tivesse a tal salinha, e eram nelas onde eu e minha dupla passávamos a maioria do tempo.

– Ainda bem que você terminou, vem cá – Jungkook chamou.

Seu notebook estava em seu colo, e ele arrancou os fones do ouvido da entrada na lateral do computador. Aumentou o volume, e eu me sentei ao seu lado.

Um vídeo começou.

Era o Golden Closet Film.

Finalmente.

Começou com uma introdução rápida, e assim que a música se iniciou, cenas gravadas por ele começaram a rolar.

Mas tinha algo errado.

O objetivo era para ser GCF in Busan. Mas tinha mais Jimin do que Busan.

No entanto, aquilo não era uma reclamação. Jungkook capturou boas cenas, com bons ângulos, boas cores e bons ritmos. Soube editar cada mísero detalhe, e essa foi a peça principal para deixar aquele vídeo tão gostoso de assistir.

Eu me peguei sorrindo várias vezes, por Jeon ter incluído cenas minhas fazendo palhaçadas e caretas. E ele levou uns bons tapinhas por ter de fato colocado no vídeo.

A música acabou, uma tela preta lentamente apareceu, e Jungkook afastou o computador, me olhando cheio de esperança e animação.

-E aí, o que achou?

A pergunta veio rápido demais, já que eu precisava de um certo tempo para absorver o que tinha sido aquilo. Eu não imaginei que as habilidades de Jungkook em edição eram tão grandes assim, já que reparei em cada corte e transição, imaginando como ele tinha feito aquilo.

Mas não tinha dúvidas de minha resposta. Olhei para o moreno, que tinha os olhos quase saltados de tão ansioso para o que eu estava prestes a dizer:

-Jungkook... Ficou perfeito.

Um sorriso aliviado tomou conta de seu rosto, e ele fechou os olhos, como se um peso gigantesco tivesse saído de cima de suas costas.

Coçou a cabeça e perguntou:

-Mesmo?

Não tive paciência para aquela incerteza dele, e por isso tomei suas mãos para mim, segurando-as com força.

-Sim! Eu adorei cada partezinha dele -tirei os olhos dele para fitar o computador -Até as partes que eu faço careta.

Seu sorriso se intensificou com minha resposta, e tinha completa certeza que ele coçaria a nuca envergonhadamente outra vez, se eu não estivesse segurando suas mãos.

-Eu nunca imaginei que você fosse talentoso com edição de vídeo também -finalizei, por fim soltando as mãos gigantes dele.

-Mas eu não tenho -explicou, pegando o notebook mais uma vez -Eu vi um tutorial na internet, não foi tão difícil.

Eu encostei o queixo em minha mão, fitando ele abrir o computador novamente, enquanto eu já estava pronto para pedir um bis. Provavelmente assistiria aquele vídeo até enjoar.

-Mas vem cá... -ele voltou a falar -Lembra que eu te falei que não tinha intenção de postar?

-Deixa eu adivinhar -anunciei e o garoto olhou para mim -Agora você quer.

Ele apenas fez que sim com a cabeça, analisando minha reação com um sorriso sem jeito.

-Posta.

-Certeza?

-Sim. Posta.

E foi isso que ele fez. Juntos, pensamos até escolher uma legenda, Jeon escreveu e então apertou em 'Publicar'.

O vídeo estava sendo enviado para suas contas no Instagram e Twitter.

Depois disso, apenas nos distraímos e esquecemos completamente que os seguidores de Jungkook veriam o vídeo. Ficaríamos por horas ali continuando a conversa sobre o que quer que estivéssemos falando, mas Hoseok surgiu nada.

-Jungkook-ah -disse, chamando a atenção de nós dois -Você saiu hoje cedo? Passei no seu quarto e ninguém abriu a porta.

E foi ali que trocamos olhares sérios, rindo de leve depois. Tampei a boca com a mão, abaixando a cabeça ao rir.

-O que queria, Hoseok-ah?

-Nada, na verdade -se aproximou do sofá onde estávamos sentados -Companhia.

Ele se deixou cair no estofado, relaxadamente, e o adicionamos na conversa.

Faltavam boas horas para o show, então tivemos um bom tempo para papear sobre coisas completamente inúteis. Acabamos não vindo o tempo passar.

-Agora você vai ter que mostrar!

Depois que Jungkook citou as músicas que eu tinha guardado dentro do pendrive amarelo, Hoseok não sossegou até que eu as mostrasse para ele.

Percebendo que não teria escolha, me esgueirei até minha mochila, onde eu havia o guardado da última vez, colocando-a em meu colo para procurar o tal pendrive.

Tentei primeiro no bolso onde eu lembrava ter deixado. Não estava lá. Fui para os bolsos maiores, e então os laterais. Olhei na parte principal. Nada.

Meu pendrive havia sumido.

-Vai logo, inferno -Hoseok choramingou -Vocês me deixaram ansiosos!

No entanto, não tinha como eu ir mais rápido na procura do pendrive. Pois não tinha pendrive pra procurar. Não estava ali.

-Ele sumiu -falei, sentindo meu coração bater forte no meu peito.

-Sumiu? Como assim? -Jungkook tirou os pés de cima da mesinha de centro e se aproximou mais ainda de mim, fitando minha mochila preta -Você deixou aqui -abriu o bolso onde era para estar, também não encontrando.

-Sumiu! Desapareceu. Eu perdi ele!

O clima que antes era tranquilo e leve, entre amigos, começou a ficar tenso, tenso, e mais tenso. Não estava em bolso algum.

Os dois me ajudaram a vasculhar a sala, olhando debaixo do sofá, procurando pelos cantos. Mas simplesmente desaparecera.

Depois de um certo tempo procurando, desistimos. Eu me sentei no sofá, apoiando meus cotovelos em minhas pernas, olhando para o chão.

A mão de Jungkook segurava meu ombro, enquanto ele dizia palavras tranquilizadoras na intenção de me deixar mais calmo.

-Pode estar no seu quarto, Jimin-ah. Lembra a bagunça que estava antes da gente ir dormir, ontem? Pode estar no meio daquela bagunça!

Não vi a reação que Hoseok teve, mas ouvi suas palavras:

-Como sabe que o quarto do Jimin estava bagunçado?

Mas nenhum de nós se atreveu a responder.

-Mistério resolvido -Hobi continuou, brincando -Jungkook é o ladrão! Entrou no seu quarto sem que você percebesse e roubou o pendrive!

-Deus -Jungkook suspirou -Dai-me paciência. Ou um revólver.

-Não está em nenhuma das minhas malas, Kook -o apelido saiu sem que eu percebesse -Eu só peguei ele pra te mostrar as músicas e guardei nessa mochila, bem guardado!

-Pode ter caído em algum lugar... -Hoseok sugeriu.

-Cala boca, linguarudo -escutei Jungkook depositar um tapa na testa do homem -Isso piora a situação. Se caiu em algum lugar é mais difícil achar! É melhor pensar que está no quarto do Jimin, e está, tenho certeza.

-E se eu deixei cair em Busan? E se alguma pessoa da equipe do local encontrou e roubou? E se eu deixei no hotel de Busan?

As possibilidades eram infinitas e isso me deixava ansioso. Mas eu não iria deixar que um ataque viesse horas antes do show.

As músicas naquele objeto amarelo eram importantes, de fato. Mesmo não sendo tão boas, eram simbólicas.

Se alguém as publicasse, menos mal. Mas e se tivesse sido jogado no lixo? Se tivesse caído num ralo?

-Jimin-ah, eu ia te falar pra não se preocupar mas sei que vai ser inútil -Jeon disse, massageando meu ombro -Mas vou te falar que vamos resolver isso, tá legal? Está no hotel, tenho certeza!

Nós três passamos um bom tempo naquela sala, conversando sobre isso, até que meu coração se sentisse mais leve. Consegui manter a calma e ficar confiante antes que o show começasse.

Eu deveria deixar todas as minhas preocupações do lado de fora do palco. Precisava ser Park Jimin, o cantor. Era hora de ser profissional e esquecer o ocorrido.

A plateia, as músicas, a emoção de ter milhares de pessoas ali por você, o clima... Tudo me ajudou a esfriar a cabeça e colocar os pensamentos no lugar.

Enquanto o motorista dirigia até nosso hotel, a inquietação e o afligimento voltaram, já que estávamos próximos de descobrir se o desaparecido estava mesmo lá.

Jungkook nem sequer passou no quarto dele, apenas entrou no meu, jogando sua mochila no chão e começando a procurar.

De fato, nós havíamos deixado aquele lugar como um chiqueiro, com várias coisas fora de seus devidos lugares. Não sabia nem como tínhamos conseguido bagunçar tanto em tão pouco tempo naquele quarto.

Olhamos por dentro de cada mala, por cada centímetro do banheiro, atrás da TV, dentro da cômoda, debaixo do edredom da cama.

Varremos o quarto com nossos olhares e mãos, caçando o pendrive amarelo por cada canto.

E não estava em lugar algum.

Uma crise de choro que eu já estava segurando desde cedo me atingiu com força, e eu apenas me sentei na borda da cama, levando as mãos até meu rosto para tampá-lo.

Jungkook interrompeu suas buscas, se sentando ao meu lado na cama em que iríamos dividir novamente naquela noite.

Ele não disse nada, sabia que não tinha o que falar. Sabia que aquilo era importante para mim, e que agora eu havia o perdido para... Sempre?

Eu pensei que ele apenas ficaria ali, sentado ao meu lado, mas tirou as mãos de meu rosto, e colocou seus braços ao redor de mim, deixando que eu chorasse dentro de um abraço.

E chorei, chorei muito. Chorei até sentir uma de suas mãos acariciar meu cabelo. Chorei até que uma dor de cabeça começasse. Chorei até que não houvessem mais lágrimas.

Jungkook disse que o melhor para mim naquele momento era um banho quente, e eu segui sua sugestão, demorando o quanto eu precisava. Bagunçava meu cabelo com uma toalha para secá-lo, quando voltei para o quarto, pronto para deitar e ficar triste pelo resto da noite.

Jeon estava lá, também já de banho tomado, arrumando a bagunça que tínhamos feito durante a procura do pendrive.

Eu tentei ajudá-lo naquela tarefa, mas ele apenas me segurou pelos ombros e me jogou na cama, ordenando que eu descansasse.

Me cobri com o edredom, deixando apenas minha cabeça de fora, vendo cada movimento de Jungkook pelo quarto, sem sentir que o tempo estava passando.

Ele guardou tudo direitinho, se aconchegando debaixo das cobertas ao meu lado logo depois.

Eu me deitei de lado, colocando a mão entre minha cabeça e o travesseiro, o olhando nos olhos. Ele estava fazendo o mesmo.

E foi só ali que eu percebi que novamente ele estava no meu quarto, prestes a dormir, como eu havia previsto. Não era algo ruim.

-Tá melhor?

-Me acalmei -respondi sinceramente.

-Amanhã, vamos anunciar para a equipe ficar atenta. Para que avisem se acharem o pendrive por aí.

Suspirei -Kook, eu perdi ele pra sempre. Até eu aceitei isso e você não.

-A esperança é a última que morre -e um pequeno sorriso surgiu em seu rosto.

O silêncio se instalou, mas não nos incomodou de forma alguma. Continuamos ali, encolhidos pelo frio, debaixo das cobertas, de frente um para o outro, apenas nos fitando.

Uma das mãos de Jeon saiu de debaixo das cobertas, pousando sobre o meu cabelo, e ali ficou, acariciando, até que eu caísse no sono.

Quando estava numa linha tênue entre acordado e adormecido, minha mente insistiu em pensar naquele maldito pendrive.

Por alguns segundos, eu relembrei da época em que ninguém sabia da minha existência, e eu apenas focava em duas coisas: estudar e cantar.

Aquele Jimin estaria orgulhoso de me ver agora?

Ficaria feliz se soubesse que no futuro perderia o pendrive? Certamente não.

Milhares de outros pensamentos desse gênero ameaçaram aparecer, me tirar o sono. Mas a sensação gostosa do cafuné que eu estava recebendo foi mais forte.

Eu fiquei relaxado, deixando as preocupações para o outro dia, e então adormeci como uma pedra.

Na manhã seguinte, estávamos no nosso terceiro dia em Daegu, e era um intervalo de um show para o outro. Em outras palavras, era nossa folga antes do show do dia seguinte.

Por mais incrível que parecesse, eu fui o primeiro a acordar, diferente dos outros dias. Tirei minha cabeça do ombro de Jungkook -e juro não saber como tinha ido parar ali -mas deixei que seu braço continuasse sobre minha barriga.

Não me mexi por alguns bons minutos, apenas fitando o teto do quarto. Os pensamentos que eu bloqueei de minha mente na noite anterior, estavam voltando com toda a força, sem me deixar sequer acordar direito.

Minhas engrenagens me moveram, eu fui raciocinando cada vez mais. Eu tinha certeza que não havia deixado o pendrive em Busan. Nem no hotel. Tinha deixado-o na mochila a qual levei para o local do show.

Tinha sido roubado. Não tinha outra explicação.

Um bom tempo depois, cansado de pensar sobre aquele objeto e quem quer que tivesse o furtado, eu decidi abandonar Jungkook na cama, me levantando pronto para iniciar o dia.

Tomei cuidado para não fazer barulhos enquanto eu trocava de roupa, escovava os dentes e organizava minhas coisas, já que eu não queria acordar a bela adormecida que dormia na cama de casal do meu quarto.

Pronto para sair do quarto, decidi me aproximar de Jeon para checar se ainda dormia.

Olhos fechados, a boca levemente aberta, respiração pesada... É, estava dormindo.

De repente, uma ideia surge em minha mente, mas rapidamente abano a cabeça, e tomo cuidado para não falar muito alto:

-Não, não... -pendurei as mãos em meus quadris, fitando o dorminhoco -Não mesmo. É. Não. Melhor não. Que ideia idiota, Jimin.

Dei as costas para o garoto, rindo levemente da ideia que eu tinha tido, mas não demorou para que eu me virasse para ele novamente.

-Não... Não! -pensei mais um pouco -Mas e se...? Melhor não, isso é idiota...

Mas depois de continuar fitando o moreno, ainda cogitando a ideia, eu acabei não resistindo.

Me aproximei dele em silêncio, tirei uma boa parte de seu cabelo escuro de sua testa, deixando-a livre para mim.

Me aproximei, beijando aquela área.

Jungkook parecia um bebê quando dormia, mesmo que fosse de boca aberta, e que de vez em quando roncasse.

Depois do beijinho de despedida dado, me afasto dele e saio do quarto, indo até a recepção. Pergunto se no hotel tem alguma área onde eu possa ensaiar coreografias, e a recepcionista sugere a academia.

-É dia de semana, não temos muitos hóspedes, e também está cedo. Provavelmente está vazia! -a mulher explicou.

Esperançoso, fui para direção indicada por ela, encontrando a academia vazia. Coloquei minha playlist no celular, não em um volume muito alto, e depois de uma pequena sequência de alongamentos, comecei a dançar.

E dancei até cansar, até suar, até dizer chega. Ensaiei cada uma das coreografias do show, na intenção de aperfeiçoá-las.

Quando um senhor na faixa dos cinquenta anos adentrou a academia, eu achei que poderia ser desconfortável para ele dividir o espaço com um jovem dançando loucamente, e também estava cansado demais para continuar. Por isso, peguei minha garrafinha de água e meu celular, voltando até meu quarto.

O quarto que talvez eu não pudesse mais chamar de meu. Tecnicamente, eu não era o único que dormia ali.

E foi justamente isso que eu fui checar assim que cheguei, se Jungkook estava acordado ou não. E a resposta era negativa. Na verdade, parecia até que ele tinha caído num sono ainda mais profundo do que estava quando saí.

Baguncei seu cabelo, peguei roupas limpas e fui para dentro do box do banheiro, deixando que meu corpo relaxasse com a água quente que batia nele.

No entanto, quando finalizei a ducha e voltei para o quarto, encontrei o mesmo dorminhoco de alguns minutos atrás dormindo feito pedra.

-Ei, acordou? -disse enquanto bagunçava meu cabelo com uma toalha.

-Jurei que você tinha sido sequestrado quando acordei e não tava aqui -Jeon sorriu, com seu notebook no colo -Sempre sou eu que acordo primeiro.

-Te peguei desprevenido, né? -brinquei, jogando a toalha no encosto de uma poltrona para secar -Tá fazendo o que?

-Editando um novo GCF.

Automaticamente me surpreendo. Não tinha feito um dia que ele havia me mostrado o GCF in Busan, e já estava trabalho no próximo?

-Você é rápido -respondi me deitando ao seu lado na cama -Mas a gente nem saiu de Daegu ainda.

-Tô só cortando o que gravei ontem -explicou, salvando o projeto e fechando a aba do editor -E nem adianta vir todo engraçadinho pro meu lado. Não vai ver até estar pronto.

-Jungkook-ah! -choraminguei, estendendo o 'a' -Não é justo, eu apareço na maioria do que gravou. Quero ver seu processo criativo parte por parte, não só o treco pronto!

-Ótimo argumento -ele deu uma piscadinha -Mas não convenceu.

-Tá, mas e o feedback do que postou? As pessoas gostaram?

Suas sobrancelhas se levantam, ao passo que os olhos arregalam.

-E se eu te falar que... Eu esqueci de ver?

Puxei o computador de seu colo o posicionando no meu, clicando no navegador para iniciar uma nova guia, pesquisando website do twitter para encontrar os comentários.

Começamos a rolar para baixo do vídeo, lendo em voz alta tudo que encontrávamos.

– ''A edição está ótima, Jungkook parece profissional''

– ''Eu acho que vou ficar preso nesse vídeo para sempre''

– ''Jiminie está tão fofo nesse vídeo <3''

– ''O que é GCF?'' – li a resposta para o comentário – ''Golden Closet Video, sua burra. Tá escrito no vídeo''

E estávamos nos divertindo ao ler várias daquelas declarações, poderíamos ficar ali o dia inteiro, vivendo na seção de comentários. Mas então, sem saber do que se tratava, eu li em voz alta:

– ''Os cortes, as cenas, a música, os lugares, Jimin todo feliz... Esses dois parecem até um casal!''

A frase pareceu até fazer eco depois que pronunciei a última palavra, já que um silêncio repentino tomou conta da conversa.

Trocamos um olhar rápido, como se estivéssemos tentando confirmar se ambos tínhamos escutado aquilo.

Senti minha garganta se secar com uma velocidade até assustadora, com uma onda de tosse logo depois.

Peguei a garrafinha de água que eu tinha levado e trazido de volta da academia, engolindo bons goles do líquido para que a tosse passasse.

Mas não era sede. Era nervoso.

-Eu vou... -Jeon se levanta da cama, indo até sua mala -Trocar de roupa... Escovar os dentes. Sabe... Começar o dia. Na verdade... Acho que vou tomar um banho!

Percebi instantaneamente que ele estava nervoso pela frase que acabou de ser lida, mas não poderia julgá-lo por isso, já que eu também me afetara por ela.

O moreno se trancou no banheiro, e torci para que todo aquele clima esquisito apenas desaparecesse até que Jungkook saísse do banheiro.

Enquanto a trilha sonora era o barulho do chuveiro e da água batendo no chão de azulejos, eu me distraí lendo mais comentários.

E tive a imensa sorte de ter lido aqueles em silêncio, sem Jungkook ao meu lado. O que foi lido mais cedo não chegava perto dos que encontrei mais afundo na seção de comentários.

Eram teorias, milhares de mensagens dizendo que estávamos apaixonados, e que aquele vídeo fora uma... Declaração de amor.

Além dos milhares, repetitivos e quase profetizantes ''eles parecem um casal de namorados''.

Fiquei pensativo com tudo aquilo, cheguei até a reassistir o vídeo, mas assim que ouvi o barulho do chuveiro sendo desligado, fechei a página e joguei o computador de Jeon para longe de mim, que aterrissou no edredom da cama.

Era melhor deixar que aquele assunto morresse.

-Sabe o que eu tava pensando?-Jungkook anunciou para mim assim que saiu do banheiro -E se o seu pendrive foi roubado?

A ideia não parecia um absurdo. Eu tinha certeza absoluta que não havia o tirado do lugar, e o único que sabia de sua existência era Jeon, que não tinha motivos para pegá-lo sem minha permissão.

-Mas... Quem além de nós dois sabia que que ele estava na minha mochila?

-Olha, pensei bastante a respeito -ele jogou a toalha no ombro, parando para me fitar-A única pessoa que eu vi entrar naquela sala e que a gente não conhece, foi aquela garota. Até chegamos a pegar ela no flagra saindo de lá.

Me esforcei para relembrar o nome dela, e então entoei:

-Miso?

-É, deve ser isso, não lembro direito -respondeu -Ela estava saindo da sala quando chegamos...

-Mas como ela sabia do pendrive, Jungkook?

Minha mente rapidamente saiu do raciocínio que estávamos ambos fazendo, para então reparar que parecíamos detetives das séries policiais.

E eu estava maluco para encontrar quem tinha posto as mãos no meu precioso.

-Não sei, tem gente da equipe por todo canto, ela deve ter escutado a gente falando sobre...

-Pra falar a verdade eu nem sequer lembrava que a gente tinha esbarrado com ela -declarei, cruzando os braços enquanto eu pensava sobre aquilo -E sua sugestão não é maluquice não, pode muito bem ter sido ela.

-Que outra pessoa seria? Só Nayeon, Seokjin, e Hoseok entraram naquela sala, tirando nós dois. Não é uma sala aberta para a equipe, é como se fosse... Um camarim nosso.

-Eu vou falar com essa garota a-go-ra -soletrei e me levantei, jogando o cabelo para trás, andando até a porta do quarto -vou descobrir se foi ela ou não.

-Jimin-ah, a gente nem sequer sabe onde ficam os quartos dos dançarinos -Jeon segurou meu braço, me impedindo de ir para fora dali -E não temos certeza se foi ela, imagina se não foi? É melhor esperar mais, pensar mais, e amanhã antes do show conversamos com ela, ou com outros ''suspeitos''.

Já não era novidade que eu era impulsivo demais, e provavelmente teria feito um barraco na porta da garota até ela me entregar a porra do meu pendrive. Jungkook, no entanto, agiu com a razão e não com os sentimentos -que, no meu caso, eram pura raiva e sede de vingança.

Aceitei sua sugestão, voltando a me sentar ainda pensativo. Passamos um bom tempo discutindo sobre aquilo, tendo ideias até impossíveis sobre quem era o autor do crime.

Era nosso dia livre, poderíamos passear por Daegu assim como tínhamos feito em Busan, mas nosso cansaço falou mais alto e ambos decidimos ficar o dia todo no hotel.

Eu estava pegando meu notebook, um caderno de anotações e um estojo, me preparando para assistir as aulas enviadas pela escola para meu e-mail. E foi aí que Jungkook soltou, depois de reclamar que tinha que ir até o outro lado do corredor apenas para buscar um adaptador de tomada:

-Eu nem deveria deixar minhas coisas no meu quarto, sendo que eu só vivo no seu.

Eu coloquei meus materiais sobre a escrivaninha do quarto, e respondi:

-Então não deixa mais, oras. Trás tudo pro meu de uma vez.

-Jimin-ah, eu preciso urgentemente voltar a dormir nos quartos que pegam pra mim. Se a Nayeon ou o Seokjin descobrem que eu to vivendo no seu...

Eu deixei meus materiais de lado, fitando Jungkook com certo desespero. De onde ele tinha tirado aquela ideia?

-Não!!!! Como assim? Não! Tá maluco?

Jungkook no entanto, que estava de pé para ir até seu quarto buscar o tal adaptador de tomada, sorriu de canto e levantou as sobrancelhas, e eu sabia o que estava prestes a acontecer, assim como sempre acontece quando aquele sorriso aparecia.

Ele ia me provocar. Revirei os olhos antes que começasse.

-Tudo isso é medo de dormir sem mim, medrosinho?

Segui revirando os olhos, tentando me forçar a não sorrir e falhando miseravelmente. Minhas bochechas começaram a queimar.

Jeon se aproximou, me cutucando em pontos aleatórios e diversos, na tentativa de me deixar ainda mais envergonhado.

-Você vai ficar com saudade, Jimin-ssi?

Eu comecei a me defender de suas mãos que insistiam em me cutucar, mas Jungkook era mais rápido, fazendo cócegas.

-Não, isso é covardia! -tentei me defender, mas foi inválido.

Senti meu corpo perder a força e equilíbrio, e assim despenquei na cama de casal. Minha esperança era que o moreno cessasse com as provocações, deixando meus pontos sensíveis em paz.

No entanto, ele prosseguiu com as cócegas, também subindo na cama para não me perder de alcance.

Eu estava desesperado, querendo muito pedir socorro, mas era impossível. Toda vez que eu abria a boca para falar algo, uma sessão de risadas agonizadas tomava conta.

Deixei de apertar meus olhos pela dor aflita provocada pelas cócegas, para então olhar onde meu inimigo estava.

E bem, estava em cima de mim.

Prendia meus dois braços com uma mão só, e me surpreendi com a pouca força que ele teve que investir para conseguir segurar os dois de uma vez. A outra mão, passeava pelo meu corpo, cutucando por todo lugar.

Eu não tinha nem como me defender.

-Jung... -risada -Kook -risada -Se você não me... -risada -largar, eu vou... -risada -acabar com a sua raça.

-Primeiro que: Você nem teria coragem -ele respondeu, ainda brincando com meu corpo indefeso.

Finalmente aquelas cócegas infernais chegaram ao fim, e o que eu queria fazer primeiro era respirar. Enchi meus pulmões de ar, com meus olhos marejados pela força de minhas risadas.

Enquanto eu estava ocupado demais me recompondo depois daquele ataque, Jungkook me fitava, se divertindo com meu estado deplorável pós-afronta.

Contudo, o moreno não largou meus braços.

Com a mão que estava sobrando, já que não estava mais a usando para me atacar, ele posicionou-a no edredom atrás de mim, tentando manter equilíbrio.

Já recuperado, minha respiração voltou ao normal, e esperava verdadeiramente que meus batimentos cardíacos também voltassem. Entretanto, quando meu olhar pousou no do mais alto em cima de mim, meu pobre coraçãozinho ficou ainda mais agitado.

Eu não sabia se ficava atento aos seus próximos movimentos, com medo de ser atacado mais uma vez, ou se continuava a olhar aqueles olhos grandinhos e brilhantes.

E foi aí que aconteceu: Seu rosto se aproximou do meu, bem pouco no começo. Mas como eu não recuei, ele continuou. Até chegar bem pertinho, bem pertinho mesmo...

E então se afastou de vez, largando meus braços e saindo da cama.

Não sabia onde esconder minha cara depois daquilo, já que percebi o que eu estava esperando dele.

Aquilo sim era uma provocação das fortes.

Era um momento em que meu lado racional estava de alguma forma adormecido, já que me deixei guiar pelos toques de Jungkook -mesmo que fossem insuportáveis por me causarem cócegas-e depois, por seu olhar.

Eu precisava urgentemente aprender a me controlar.

Assim como ele conseguiu se controlar naquele momento.

-Eu... -finalmente o moreno interrompeu o silêncio -Vou pegar o adaptador... E depois, vou no quarto do Hobi hyung...

Sem esperar que eu o respondesse, Jeon partiu do quarto. Me deixando ali, na cama, desnorteado, no meio de uma crise existencial causada pelo quase-beijo que eu poderia ter ganhado.

Eu queria ter ganhado. E isso era preocupante.

Tentando desesperadamente afastar aqueles pensamentos, me sentei na cadeira e puxei meu caderno para perto. Abri meu e-mail no computador, selecionando as aulas e iniciando os vídeos.

Não consegui prestar atenção neles.

O quarto estava silencioso, apenas com o som da voz do professor explicando sobre sei lá o que. Eu nem sequer sabia que aula era aquela, de tão fora de si que estava.

Mas um barulho ecoou pelo quarto, me assustando. Batidas na porta.

Não era Jungkook, ele não batia. Não era Hoseok, pois era para lá que Jeon tinha ido. Não eram Nayeon e Seokjin, pois eles batiam e logo entravam.

Pausei a aula, andei lentamente até chegar na porta. E quando a abri, jurei que meu coração fosse sair da boca.

Morena, com o cabelo preso em um rabo alto de cavalo, usando roupas completamente pretas e brincos de argola, lá estava ela.

Miso.

-Jimin-oppa, boa tarde -cumprimentou -Temos que conversar sobre algumas coisas, não temos?

☆ continua ☆


Notas Finais


Oi babys

Não postei a att antes porque bem na hora que eu tava revisando a internet parou e só voltou agora kkkkk

Muita vontade de socar a cara da Miso por aí?

Por aqui, MUITA. E olha que é uma personagem que EU criei.

Eu sei que esse maldito primeiro beijo tá demorando, mas do jeitinho que eu planejei, eu já tô imaginando gente tendo uma PARADA CARDÍACA

O NEGÓCIO VAI SER INTENSO. E talvez demore mais alguns caps hihi, aguentem firmem e não desistam kkkk

puts agora vocês já criaram expectativas então terei que chegar aos pés delas kkkk

Eu acabei de descobrir que tem gente REALMENTE usando a tag #PanquecaEBiscoito no tt, gente do céu eu fiquei tão feliz, jurei que ninguém ia usar

USA A TAG PRA COMENTAR SOBRE O CAP NO TT POR FAVOR AAAAAAAAAAAA

surtei. perdão.

Até o próximo cap anjinhos!!

xoxoxoxoxoxo

cam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...