História The unknown boy 。【Vmin】 - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Vmin, Yoonkook
Visualizações 96
Palavras 4.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá xuxus. q

Como estão gente? Eu estou com um sono da porra. E desculpem por estar postando o capítulo agora, mas é que eu só consegui terminar ele agora.

Trouxe mais um capítulo gostosinho para vocês, eu demorei mas consegui escrever. /Palmas para si mesmo.
Não sei se essa coisa ficou boa, mas foi o que deu para fazer com o pouco de criatividade que me apareceu. Kkkkk

Vamos parar de enrolar e ir ler essa belezinha que acabou de chegar. ;^;

Por favor leiam as notas finais. ;

Athos; 🌵

Capítulo 8 - • Eighth chapter •


Fanfic / Fanfiction The unknown boy 。【Vmin】 - Capítulo 8 - • Eighth chapter •

• Jimin on •

- Será que eu posso dormir na sua casa hoje? - Ele me perguntou e eu continuei o fitando, para só depois conseguir raciocinar.-

- Dormir na minha casa? Mas e os seus pais? Eles não irão ficar preocupados com você? - apenas despejei as perguntas em cima do outro e ele riu da minha reação.-

- Eu posso ligar para o meu pai e avisar que não irei para casa hoje, ele não vai se importar. Eu não costumo parar muito em casa. - me respondeu e sorriu de um modo gentil.-

- Tem certeza de quê ele não vai se incomodar se você ficar, Taehyung-ssi? - Ainda estava com receio, afinal para os pais dele eu era apenas um estranho. Nem haviam me visto ou ao menos conheciam a minha família.-

- Não vai, Jimin. Ah, já sei. - pegou seu celular e discou um número desconhecido por mim, logo colocando a chamada no viva-voz.-

- Agora vai poder ouvir, hn. -sorriu e continuou, - assim como eu-, a esperar que a pessoa do outro lado atendesse a chamada do mais velho.-

- Alô? Filho? - a voz grave e com um leve tom de cansaço se fez presente.-

- Oi, appa. - ouvi o mais velho falar e um sorriso despontar em seus lábios.-

- Taehyung, onde você estava que não me ligou por dois dias? - a voz do outro soava preocupada, e um tanto braba.-

Já não lhe disse- foi interrompido pelo filho.-

- " Para nunca deixar de te ligar, sempre avisar se irei ou não voltar para casa, para você saber que estou bem e tudo mais. " - disse imitando a voz do mais velho; este que riu do outro lado da linha. -

- O que você aprontou dessa vez, garoto? - perguntou ao garoto ao meu lado, enquanto pegava alguma coisa.-

- Eu quero saber, se o senhor me deixa dormir na casa do Jimin hoje? -perguntou e pode se ouvir o barulho de algum vidro quebrando no outro lado da linha. -

- Jimin? O Jimin? - disse e eu estranhei, será que o Taehyung conhecia algum outro Jimin e seu pai havia confundido este comigo?-

- O Park Jimin, appa. O senhor não o conhece.- respondeu o mais velho, com um tom de nervosismo em sua voz.-

- Ah, achei que fosse o outro. Eu e essa minha memória de idoso. -disse o mais velho e riu, nos fazendo rir também.-

- E então?- questionou o Kim mais novo.-

- Pode, mas amanhã trate de voltar para casa depois da escola, temos que conversar, hn. E você tem que me ajudar no restaurante. Não vá achando que vai escapar assim. - Eu ri com o tom brincalhão do Kim mais velho. Acho que sei de quem o Taehyung herdou esse lado.-

- Tudo bem, appa. - disse e se despediram, logo encerrando a ligação.-

- Viu, eu disse que ele ia deixar. - sorriu abertamente para mim e pegou em minha mãe, seguindo rumo a minha casa.-

Após alguns minutos caminhando e conversando com o Kim, percebi que todos os momentos que tivemos até agora foram alegres, ou se tornaram alegres de alguma maneira. Mesmo que eu não goste de contato físico, ou melhor, tenha medo de contato físico. Isso não parece importar quando é ele quem segura a minha mão ou me abraça.

Suas palavras e suas ações sempre me arrancam os mais sinceros sorrisos e ele me transmite segurança de alguma forma.

Sua aura é pura como a de uma criança. Aos meus olhos, Kim Taehyung é uma criança que cresceu demais.

Havíamos chegado em minha casa, e Junghyun me esperava sentado no segundo degrau da pequena escada de cimento na frente da porta.

O moreno, sentado na frente da porta de minha casa levantou-se e sorriu abertamente ao notar a minha presença e a de Taehyung; este último, que não parecia muito feliz com a presença do mais velho ali.

- Oi, Hyung! -sorri para o mais velho e soltei a mão de Taehyung, indo abraçar o mais velho. Este que me abraçou apertado e me ergueu do chão, assim como fazia quando éramos mais novos.

- Oi, ChimChim. - selou a minha bochecha e me colocou de volta no chão.-

Junghyun sempre fora muito afetuoso com as pessoas à sua volta. Principalmente comigo e com Jungkook, já que este era o seu irmãozinho mais novo. Ele fazia questão de mimar e proteger o seu dongsaeng.

Eu realmente me sentia uma criança com ele, era o irmão mais velho que eu não tinha. Sempre me protegendo e cuidando de mim, assim como fazia com Jungkook.

Me dava presentes legais nos meus aniversários. Fazia as minhas vontades e as de Jungkook, me ajudava nos deveres de casa, - coisa que ainda faz até hoje -, e me consolava quando estava triste. Mesmo que eu nunca tenha lhe contado o real motivo de minha tristeza, medo, aflição e depressão.

Jeon Junghyun é o exemplo de bom filho, ou como alguns dizem, o filho perfeito. Jamais deu problema para o Sr. e a Sra. Jeon. Nem na escola ou fora dela.

Sempre ajudou nas tarefas de casa e a cuidar do irmão mais novo quando os pais não podiam devido ao emprego.

Se formou na fundamental e no médio com notas exemplares. O que já era de se esperar, sempre fora um menino muito inteligente.

Atualmente tem 22 anos, e aos 19 entrou na faculdade de medicina. Desde que éramos mais novos ele dizia que iria seguir a mesma carreira que o pai, já que admirava o trabalho do Jeon mais velho.

É o orgulho de seus pais, e o irmão mais novo segue os seus passos, mesmo que os seus sonhos para quando acabar o ensino médio sejam outros.

- Como você está? - me perguntou e eu lhe respondi com o costumeiro " Eu estou bem, hyung. E você?"-

Enquanto eu e Junghyun tínhamos a nossa breve conversa, Taehyung apenas nos observava com o mesmo semblante que possui na cafeteria, quando o nome do irmão de Jungkook fora mencionado.

- Vai ficar aí nos encarando, Tae ? - o outro riu, enquanto fitava Taehyung.-

O garoto mencionado se aproximou de nós dois e segurou em minha mão novamente, fazendo com que Junghyun o olhasse um pouco confuso.

- Você e o Jungkook brigaram de novo? E você veio procurar consolo nos braços do Jimin? - me surpreendi em ouvir o mais velho dizer algo assim, ainda mais naquele tom de voz. Aquilo não era típico dele. O que estava acontecendo? -

- Eu nunca tive nada sério com o Jungkook, você sabe disso, sempre deixei isso bem claro. Ele quem quis continuar com tudo aquilo. - retrucou Taehyung, visivelmente irritado com o que o outro tinha dito.-

- Até ontem você estava transando com o meu irmão, e hoje vem aqui tentar seduzir o Jimin também?- disse o mais velho e eu apenas alternava o olhar entre os dois.- - Tantas pessoas para você iludir por aí, ficar, transar e fazer o que quiser e você vem procurar logo o melhor amigo dele? - perguntou ao mais novo.-

- Eu só fiz aquilo porque o seu irmão pediu, por causa de uma promessa. Eu disse que não faria mais, para ele ficar livre de mim e poder seguir em frente.

- E o que eu tenho com o Jimin ou deixo de ter não te diz respeito. Que eu saiba ele é apenas seu amigo, não é seu namorado nem nada disso. -disse e sorriu de canto, como se desafiasse o mais velho.-

Junghyun passou os dedos finos e esguios por seus fios escorridos e escuros assim como os do irmão e respirou fundo. Com certeza se controlando para não esmurrar o garoto à sua frente.

- Você é tão irritante quando quer...-murmurou e suspirou pesado, fechando um dos punhos.-

- Ah! O que acham de entrarmos e tomarmos um café, comer alguma coisa, hn? - perguntei em um tom preocupado e desesperado, interrompendo a discussão dos dois.-

Taehyung me olhou e sorriu, logo balançando a cabeça negativamente.

- Você é tão inocente e fofo, Jimin. - me abraçou de um jeito desajeitado e foi caminhando comigo para dentro da casa, sendo seguido por Junghyun.-

- Eu não sou fofo, Taehyung-ssi..- ri baixo e deferi um soco fraco em seu braço, fazendo o outro rir da minha ação e me apertar ainda mais em seu abraço. -

- Olá, garotos. - ouvimos uma outra voz ressoar no ambiente. Era a voz de meu padrasto.-

Por impulso, apertei Taehyung com força e me encolhi junto ao seu corpo, fazendo o mesmo me olhar confuso.

O dono da voz se encontrava encostado no batente da porta da cozinha, nos fitando.

- Olá, Sr. Seung Joon. - disse Junghyun e reverenciou o outro em sinal de respeito. E logo Taehyung fez o mesmo. -

- Veio dar aula de reforço para o Jimin? - questionou enquanto fitava Junghyun.-

- Sim, vim o ajudar já que tenho um tempo livre hoje. -sorriu gentilmente e o outro assentiu. Logo voltando o seu olhar para Taehyung. -

- E você é?...-questionou.-

- Ah, verdade, eu nem me apresentei ainda. - Taehyung disse e riu por ter se esquecido disso.- Eu sou Kim Taehyung, sou amigo do Jimin. -continuou e o outro continuava a lhe fitar. -

- Pensei que os únicos amigos do Jimin eram o Junghyun e o Jungkook. - sorriu e olhou para mim.-

- E-Eu o conheci na cafeteria e v-viramos amigos. - me repreendi mentalmente por ter gaguejado.-

Taehyung e Junghyun me olharam preocupados.

- Está tudo bem com você ChimChim? - O mais velho dos dois me perguntou e eu apenas assenti com a cabeça. -

- Tem certeza de que está tudo bem, Jimin? - Taehyung me perguntou ao ver que eu tremia um pouco.-

- S-Sim, eu só estou um pouco cansado. - o respondi e fiz menção de sair dali, quando Taehyung me pegou no colo no estilo noiva e me carregou para cima.-

- Você não deve se esforçar tanto Jimin, vai acabar tendo um exaustão.- o maior me repreendia enquanto continuava a caminhar comigo.-

- Qual é a porta do seu quarto? -perguntou-

- A segunda à direita. -disse e passei meu braços envolta de seu pescoço, me segurando melhor.-

O outro abriu a porta com um pouco de dificuldade e entrou no quarto comigo em seu colo. Me colocou sentado em minha cama e parou em minha frente, logo iniciando uma carícia suave em meu rosto.-

- Quando se sentir bem para falar sobre os seus problemas, eu estarei aqui para te escutar. E ninguém mais irá fazer mal para você, hn. - sua voz continuava grossa, mas soava dócil como a de uma mãe que tenta consolar a sua pequena criança, lhe passando um pouco de confiança e segurança. E foi isso que Taehyung fez, me acalmou, me deixou seguro e me fez confiar nele.-

Obrigado, Taehyung-ssi....- lhe agradeci em um tom baixo, enquanto fitava suas lindas orbes castanhas. -

Muito obrigado, mesmo....- o abracei apertado, escondendo o meu rosto na curvatura de seu pescoço. Logo sendo retribuído pelo maior; este que acariciava calmamente os meus cabelos.-

- Não precisa me agradecer, Jimin. Eu sou seu amigo, me preocupar com você e te ajudar está incluso no pacote. - riu baixo e selou carinhosamente os meus cabelos, me fazendo corar levemente.- E pode me chamar de Tae, ou algum apelido que preferir. Quando me chamam de Taehyung parece que estão brabos comigo. - riu novamente e me apertou uma última vez antes de se afastar de mim.-

- Está melhor agora? - perguntou enquanto segurava uma de minhas mãos e fitava os meus olhos.-

- Estou, TaeTae, obrigado. -sorrio para o mais velho, enquanto fito as suas lindas e intensas orbes castanhas.-

- TaeTae?- sorriu bobo e eu assenti.- Até os apelidos que você dá são fofos. -riu e apertou levemente as minhas bochechas.-

Escutamos o barulho da porta abrindo, logo revelando a figura de Junghyun.

- Está tudo bem, ChimChim? - Perguntou e se sentou ao meu lado na cama, me puxando para um abraço apertado.-

- Sim, hyung. Não foi nada demais, é só o cansaço,hn. - o respondi enquanto acariciava as suas costas.-

- Você quer que eu ligue para o Jin hyung e peça para ele te dar alguns dias de folga? Você não pode se esforçar demais, garoto. - disse em um tom preocupado e ao mesmo tempo repreendedor.-

- Não precisa, hyung. Eu estou bem, é sério. - ri bobo com o desespero do mais velho; este que me olhou sério e bagunçou os meus cabelos.-

- Não me preocupe assim, pequeno. Tem que se cuidar melhor, hn. -disse.-

- Tudo bem, eu vou me cuidar melhor, hyung. -sorri, tentando tranquilizar o outro. O que parece ter funcionado.-

- Ok. Eu vou ir pra casa agora, acho melhor deixar a nossa aula de reforço para outro dia. Você precisa descansar. - sorriu e deixou um selar em minha bochecha, logo se retirando de meu quarto.-

- Ele gosta de você. Não como um amigo, mas sim como algo a mais. - Taehyung se pronunciou depois de ter ficado tantos minutos em silêncio.-

- Do quê está falando TaeTae? -rio- Eu e o Junghyun somos como irmãos e não sentimos coisas assim um pelo outro.- digo e bagunço o cabelo do maior.-

- Parece que isso não se aplica à ele. Ele realmente gosta de você, qualquer um que preste bastante atenção consegue perceber que ele não te vê como um irmãozinho mais novo.- disse e se levantou, arrumando as calças levemente amarrotadas.-

- Você está vendo coisas onde não tem, TaeTae. -digo e me levanto de minha cama.- Vamos comer algo, hn? Eu estou faminto. -me espreguiço brevemente e sigo em direção a porta.-

- E se eu estiver certo? O que você vai dizer para ele? -perguntou e se aproximou de mim.-

- Que eu não sinto a mesma coisa. Eu o vejo como meu irmão mais velho, não como meu namorado. - o respondi e ele assentiu. -

- Você já se apaixonou alguma vez, Mochi? -me perguntou e eu ri com o apelido. Era diferente, mas era fofo ao mesmo tempo.-

- Não, TaeTae. E você? - o fitei e ele negou com a cabeça. -

Sai do cômodo sendo acompanhado pelo mais alto.

- Nunca sentiu nada pelo Kook? - negou novamente. -

- Mas sobre o que o Junghyun- fui interrompido pelo outro.-

- Me deixe esclarecer as coisas. - disse calmamente.-

- Eu e o Jungkook nos conhecemos desde os meus treze anos, sempre fomos muito próximos. Melhores amigos. Mas ao contrário de mim, o Jungkook desenvolveu um sentimento mais forte do que apenas uma amizade. Eu comecei a notar que ele estava diferente, sentia ciúmes de mim com os outros, não que isso nunca tivesse existido, mas acabou se elevando. Adorava estar grudado em mim, queria que eu estivesse sempre por perto e agia estranho perto de mim, de um jeito que ele não agia antes.

- Então um dia ele se confessou. Mas para mim ele era apenas o meu melhor amigo.

Não sinto o meu coração palpitar quando estamos juntos, ou as borboletas no estômago. Pelo menos me disseram que quando se ama, você se sente assim. -riu e eu o acompanhei.-

- Mas mesmo eu tendo dito à ele que não o correspondia, ele roubou o meu primeiro beijo. Nós dois tivemos o nosso primeiro beijo juntos e a nossa primeira vez também. Mas em momento algum eu disse que o amava, muito pelo contrário, eu sempre deixei bem claro que eu não sentia o mesmo que ele.- suspirou baixo.- Por isso eu não admito que o Junghyun diga aquilo, sendo que ele não sabe de toda a verdade.- continuou.-

- Mas ontem você e ele fizeram...? - perguntei extremamente corado.-

- Sim, mas foi a última vez. -disse sério e desceu as escadas junto comigo.

- Me desculpe por ficar invadindo a sua privacidade...-digo meio sem graça por estar invadindo a privacidade dele daquele jeito.-

- Está tudo bem, Mochi, não se preocupe com isso. -sorriu e bagunçou os meus fios.-

Chegamos no andar de baixo e Seung Joon estava assistindo televisão, mas assim que ouviu nossas vozes, direcionou a sua atenção para nós dois.

- Oi, garotos. - disse calmamente e logo fitou o Taehyung.-

- Oi..- dissemos ao mesmo tempo e logo ficamos em silêncio.-

- Quantos anos você tem? - Seung Joon perguntou ao Taehyung.-

- Eu tenho dezenove anos, senhor. - o maior o respondeu calmamente. -

- Você é bastante evoluído para a sua idade, não acha? -disse o homem à nossa frente.-

- Ah, eu não acho isso...- Taehyung disse meio constrangido e o mais velho sorriu ladino.-

- Ah, TaeTae! Vamos sair para tomar um sorvete? - disse com um pouco de desespero em minha voz e o maior me olhou um pouco confuso mas assentiu.-

Sai porta à fora, puxando Taehyung pelo pulso. O mesmo só me acompanhava em silêncio.

Eu sei exatamente o que Seung Joon quer com o Tae, e não vou deixar ele fazer isso com ele. Não vou deixar ele arruinar a vida do Tae, como fez com a minha.

- Mochi, está tudo bem com você? Sabe que não tem mais nenhuma sorveteria aberta agora, né? -disse e eu parei com ele em uma praça ali perto. -

- Eu sei, eu só....precisava tomar ar fresco. -disse e sorri para o mesmo.-

- Mochi, o que aquele homem fez para você? - me perguntou e eu desviei o olhar.-

- Acha que eu não notei como você fica cada vez que ele se aproxima?

O Junghyun pode não ter notado, mas eu notei. -continuou. -

- Eu não quero falar sobre isso agora, TaeTae...-disse baixo, sentindo que poderia chorar ali na frente dele, mas estava me segurando para não fazer isso.-

Ele suspirou baixo e apenas me puxou para um abraço.

- Tudo bem, Mochi...não vou te forçar a falar. Me diga quando sentir que deve falar isso. -acariciou os meus fios e deixou um selar carinhoso nos mesmos.-

Percebi que algumas pessoas que passavam por ali nos encaravam com nojo, e alguns até mesmo cobriam os olhos de seus filhos.

- Tae, eu acho melhor nós- fui interrompido pelo maior. -

- Eu não ligo para o quê as pessoas pensam, Mochi. -disse e me pegou no colo. -

- Quem me cria, paga as minhas roupas, alimentação, custos com a escola, e que arca com as outras despesas é o meu pai. E ele não vê problema nisso, então. -riu e eu o acompanhei. -

- Você é muito legal, TaeTae. -deixei escapar sem querer e o vi corar levemente.-

- Você também é, Mochi. É muito fofo também. -disse e mordeu a minha bochecha. -

- Vamos até a loja de conveniência? Eu quero comprar algumas coisas para comermos enquanto olhamos filme.- sorri e o mesmo me colocou no chão novamente.-

- Tudo bem. O que está pensando em comprar? - me olhou-

- Muitas besteiras!!!! - gritei e o outro riu.-

Depois disso apostamos uma corrida até a loja de conveniência, compramos muitas besteiras e voltamos para a minha casa.

Ao chegarmos, Seung Joon estava saindo, com a desculpa que tinha um compromisso e que não voltaria para casa hoje.

Comemorei por dentro, afinal, não teria ninguém para me incomodar essa noite e eu e o Tae poderíamos nos divertir sem aquele homem por perto.

- Estou mais aliviado agora que ele saiu, assim não fica o clima tenso que estava antes. - disse Tae e eu concordei.-

- Agora vamos decidir qual vai ser a nossa janta. - disse o mais alto logo se pronunciou. -

- Pizza! Eu até sei um bom lugar para pedir, só que eu vou ter que ir lá buscar, porque eles não entregam. - disse e eu ri com a sua empolgação. -

- Tudo bem, podemos ir lá buscar e depois eu chego e tomo banho. -disse e ele negou com a cabeça. -

- Você vai tomar o seu banho e eu vou buscar a pizza.-disse ele decidido.-

Tentei protestar, mas ele acabou vencendo. Disse o sabor que eu queria e ele escolheu o dele, logo saindo para buscar a tão esperada pizza.

Entrei no banheiro e tirei minhas roupas, as deixando no cesto de roupas sujas. Adentrei o box e liguei o chuveiro, deixando a água apenas escorrer por meu corpo.

Fiquei tanto tempo ali pensando nas coisas que estão acontecendo e aproveitando para relaxar que até me esqueci que estava tempo demais no banho.

Desliguei o chuveiro, sai do box e peguei o roupão, ajeitando o mesmo para o colocar em meu corpo, até que.....

- Jimin?...- Taehyung chamou-me e logo ficou paralisado fitando o meu corpo, o que me fez corar extremamente e o outro fechar bruscamente a porta após sair do transe.-

Voltei à realidade e vesti o roupão, o amarrando em seguida. Sai do banheiro e Taehyung já não estava mais ali.

Segui para o meu quarto e coloquei uma roupa confortável, arrumando também os meus cabelos com os dedos. Logo descendo com a intenção de encontrar Taehyung.

Encontrei o mesmo sentado no sofá, estático e com as bochechas extremamente vermelhas.

- Ah...Taehyung-ssi...- o chamei e ele pareceu sair do transe, passando a me fitar com as bochechas ainda muito avermelhadas. -

- Então...-prossegui.- Me desculpe pelo que aconteceu lá em cima, como o Seung Joon não estava em casa, eu me esqueci de trancar a porta. Me desculpe mesmo....- disse e o corpo dele pareceu relaxar um pouco. -

- Não, Mochi, a culpa foi minha. Eu deveria ter batido na porta antes de entrar. Eu invadi a sua privacidade. - disse envergonhado.-

Eu ia insistir que aquilo não era culpa dele, afinal eu deveria ter trancado a porta, mas como ele não parecia confortável em falar sobre aquilo eu resolvi deixar para lá e falar sobre outra coisa.

- Bom, o que acha de escolhermos o filme então? - sorri e ele pareceu mais aliviado, sorrindo em seguida. -

Escolhemos um filme de terror. Coloquei o mesmo enquanto Taehyung foi buscar a pizza na cozinha, a deixando em cima da mesinha de centro junto aos copos e ao refrigerante assim que voltou da cozinha com os mesmos.

Fui até o meu quarto e busquei rapidamente uma coberta para nos aquecermos naquela noite nem tão fria.

Nós nos sentamos e eu dei "play" no filme, nos cobrimos e começamos a comer a pizza.

Taehyung se assustava muito facilmente, e em algumas partes eu só me assustava porque ele me puxava ou batia em meu braço, o que acabava nos fazendo rir em seguida.

Na parte crucial do filme nós nem percebemos, mas estávamos abraçados um ao outro de um jeito desajeitado, olhando fixamente para a tela da televisão sem nem piscar os olhos.

Não faz isso, pelo amor de Deus....- Taehyung disse baixo e logo na cena seguinte nós dois gritamos que nem dois retardados.

Rimos muito depois ? Sim, nós rimos muito um da cara do outro.

Mas só depois fomos perceber o quão próximos nós estávamos. Os nossos rostos estavam próximos um do outro, sua respiração estava um tanto acelerada assim como a minha e eu juro que podia ouvir os seus batimentos cardíacos descompassados se misturarem com os meus.

Seus olhos que estavam fitando os meus, agora fitavam os meus lábios, assim como os meus olhos fitavam os lábios do garoto de tez acobreada à minha frente.

Ele aproximou os seus lábios um pouco mais dos meus, eu já sabia o que ia acontecer e de alguma maneira eu não queria sair dali, apenas ansiava por aquilo.

Quando senti os seus lábios roçarem nos meus, os meus pelos do braço se eriçarem com o toque dos dedos finos e esguios do mais alto nos mesmos, o frio na barriga se fazer presente, o telefone de Taehyung começa a tocar nos fazendo despertar e sair daquele momento.

O maior pediu licença e se retirou do local para atender.

Meu Deus, o que eu e o Taehyung iríamos acabar de fazer?!

E se ele se arrependesse depois?....

Balancei a cabeça negativamente tentando afastar aqueles e pensamentos e dei "pause" no filme esperando o outro voltar.

Depois de alguns minutos, Taehyung voltou com uma expressão não muito boa, parecia que algo que ouviu na ligação não havia o agradado.

- Aconteceu alguma coisa, TaeTae? - perguntei baixo e ele suspirou, logo passando calmamente a língua pelos róseos os umedecendo enquanto ainda encarava a televisão. -

- Uma garota me ligou, dizendo que precisava do seu Oppa hoje à noite. -disse ele como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo. -

Com que tipo de garota, Taehyung saia para receber aquele tipo de ligação?

Ele parecia já estar acostumado, já que não se importou muito com o que aconteceu e me pediu para dar "play" no filme outra vez e assim o fiz.

Fiquei em silêncio pelo resto do filme, este que eu já nem estava mais prestando atenção.

Estava pensando no que havia acabado de acontecer. Ele estava tão perto, seus lábios, eu pude sentí-los nos meus e o beijo teria acontecido se não fosse pela ligação.

Será que ele realmente recebia pedidos frequentes desse tipo? Ele os atendia?

Só fui me dar conta de que o filme havia acabado quando Taehyung cutucou o meu braço, me olhando fixamente e me perguntando se estava tudo bem.

Assenti e ele pareceu pensar em algo.

- Me desculpe por antes, eu devo ter me deixado levar pelo momento...- disse ele e eu senti uma pequena dor em meu peito.-

Eu já sabia que ele ia dizer algo assim, mas doeu ouvir isso dele.

- N-Não precisa se desculpar, está tudo bem. -sorri fraco e fiz menção de me levantar, mas ele segurou meu pulso sem muita força. -

- Olha, me desculpa, mas não foi por causa do momento. - disse ele seriamente e eu o encarei surpreso. -

- Eu queria fazer aquilo e realmente iria fazer se não tivesse sido interrompido. - continuou. -

- Eu também queria isso de alguma maneira.- o respondi em um tom baixo.- Mas acho que devemos esperar um pouco. Estou confuso sobre o que está acontecendo. -disse sincero e ele assentiu.-

- Tudo bem, eu também estou confuso sobre tudo o que está acontecendo. Não tenho certeza, mas acho que estou me apaixonando por você. - foi direto e eu corei extremamente.-

- Bom! - disse em um tom mais alto e o vi dar um pulo mínimo no lugar onde estava sentado. - Acho bom irmos dormir agora, amanhã nós temos que ir para a aula e não podemos nos atrasar, hn. -disse me soltando do outro e arrumando as coisas.-

Ele assentiu e subiu levando consigo o cobertor.

Após ter guardado o que havia sobrado da pizza e colocado o filme em seu devido lugar, subi e Escovei meus dentes logo indo para o meu quarto e encontrando um Taehyung jogado em minha cama.

- Você prefere dormir aqui, TaeTae? Eu posso dormir no quarto de hóspedes. -disse e ele negou.-

- Venha dormir aqui comigo, Mochi.- disse e bateu no lugar vazio ao seu lado.-

Me aproximei um pouco receoso e me sentei ao seu lado, logo sendo puxado para me deitar ao lado do mais velho. Ele nos cobriu e depositou um selar em minha bochecha.

- Boa noite, Mochi. - sussurrou em meu ouvido com sua voz grave e rouca, fazendo-me arrepiar por inteiro.-

- B-Boa noite, TaeTae. - disse baixo e logo senti o outro de aconchegar junto ao meu corpo e passar o braço por minha cintura, me puxando para perto de si. -

Não pude conter um sorriso bobo que despontou em meu lábios assim que ele fez isso e acariciei brevemente sua mão que se encontrava em meu abdomên coberto pelo tecido da fina blusa cinza que eu vestia.

- Obrigada pelo dia de hoje...-disse baixo e o outro nada respondeu, então apenas deixei por isso mesmo, ele já deveria ter dormido. -

- Não precisa agradecer, amor...- disse com a sua voz mais rouca que o normal. Com certeza ele já estava quase capotando.-


Amor....-sorri ao repetir as palavras proferidas pelo mais velho e me aconcheguei melhor em baixo das cobertas, adormecendo em seguida. -


Notas Finais


Bom, esse foi o oitavo capítulo de "The unknown boy". Espero que tenham gostado, meus xuxus, eu me esforcei para fazer algo bom.
Sei que ficou muito longo, mas é porque eu gosto de detalhar e de fazer passo a passo na maioria das vezes.

Eu não sei se vocês se lembram, mas eu havia avisado que no meio ou mais para o final desta fanfic eu iria começar a postar uma segunda fanfic que era baseada em fatos reais.

" Mas então quer dizer que você vai postar essa segunda fanfic?!"

Não, eu vou postar uma terceira fanfic que nem estava nos meus planos. q

A segunda fanfic tem apenas o primeiro capítulo que já faz um tempinho que eu o escrevi. E essa terceira surgiu do nada e eu comecei a o escrever.

Eu tenho muitas ideias para várias fanfics, mas me falta vontade e muitas vezes tempo.

Eu já comecei a postar esta terceira fanfic, se eu não me engano ela já está no segundo capítulo e o terceiro já está por vir.
Como ela é uma fanfic que eu planejei desde o início até o final, ela será postada mais rapidamente, por já ter um roteiro definido. Não é como essa aqui, que eu só pensei e joguei ela aqui sem nem saber o que fazer depois. Só faço o que dá na telha.

Vou deixar o link aqui para quem quiser dar uma olhadinha. ;^;

E vou deixar também o link da fic da Peperoni para quem quiser olhar também, é de Hunhan. ;

Instagram Hunhan. [ Fanfic da Peperoni. ]

https://spiritfanfics.com/historia/instagram-hunhan-9932325


Nothing disappears, only time passes.

https://spiritfanfics.com/historia/-nothing-disappears-only-time-passes-10280202

É isso aí bebês, fui!

Athos; 🌵


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...