1. Spirit Fanfics >
  2. The unlikely happens - Dofia >
  3. Six

História The unlikely happens - Dofia - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Six


P.o.v Dove

Seria estranho eu dizer que nesses últimos meses eu tenho me aproximado ainda mais de Sofia, esqueci completamente das sensações estranhas que Anna tinha causado em mim quando chegou aqui na empresa. Consegui fazer uma amizade colorida perfeita com Sofia, finalmente estava descobrindo os lados obscuros dela ao longo desse tempo. Eu passei a chegar mais cedo na empresa, pois sabia que ela também chegava. Passamos a tomar café juntas e conversávamos sobre várias coisas do dia a dia ou sobre ela mesmo. Me contou que era filha única e está morando sozinha em um setor um pouco mais afastado do centro, por essa razão sempre chegava mais cedo pra não ter que pegar um trânsito. Eu sempre escutava as histórias que ela me contava atentamente só pelo fato de adorar escutar o som da voz dela.

E você não tem namorado ? - tive coragem de perguntar um dia que estávamos sentados na lanchonete.

Não. Os caras só querem sexo sem compromisso e eu estou comprometida com você - ela disse e eu que estava bebendo meu café engasguei na hora, derramando o líquido na minha blusa.

Puta que pariu - exclamei ao sentir o líquido quente no meu corpo - como eu sou sonsa.

Se queimou? - ela perguntava preocupada - tira a blusa, deixa que eu passe água nela pra não manchar.

Não precisa - eu disse passando o guardanapo - tenho mais roupas na minha sala, mas porque disse que está comprometida comigo? - droga aquela mancha não ia sair fácil.

Ah.. então por isso você derramou o café - ela disse gargalhando, que risada mais gostosa ela tinha, até parei o que estava fazendo para observa-la - eu estou comprometida com você porque você é minha chefe e eu estou comprometida com meu trabalho - confesso que me deu uma dorzinha de decepção ao escutar isso, eu já estava acreditando mesmo que ela tinha um compromisso comigo.

•••

O que aconteceu com sua roupa ? - Anna me perguntou assim que nos viu na empresa, num misto de curiosidade e espanto.

Eu desastrada derramei café na minha roupa - disse dando um sorriso amarelo.

Entendo - ela disse seria

Anna você pode imprimir os contratos que mandei no seu e-mail e por na minha mesa por favor? - Sofia disse e virou na minha direção - E Dove vem comigo, por favor - ela foi caminhando na minha frente e eu igual uma criança que havia feito algo de errado atrás só esperando a bronca. Assim que passeia porta do escritório, ela já foi tirando a blusa dela, eu fiquei estática vendo ela desabotoar o terninho muito bem passado que ela vestia.

Tira essa cara de encabulada do rosto e retira sua blusa logo, temos uma reunião daqui a dez minutos e você não vai aparecer com essa roupa suja - ela disse autoritária, resolvi fazer o que ela pedia. 

Terminei de tirar minha blusa e pude acompanhar ela tirar camisa branca que estava por baixo do blazer. Seu sutiã preto com rendas, perfeitamente encaixado nos seus seios medianos, despertaram em mim pensamentos libertinos que não condiziam com aquele momento. Se um artista pintasse aquela cena com certeza eu ficaria admirando pela eternidade. Sofia era realmente uma mulher extremamente linda.

Vista- se rápido - ela disse me entregando sua blusa branca e vestindo apenas o blazer - vou mandar sua blusa para a lavanderia, assim que estiver pronta lhe trago.

Não precisava fazer isso, eu tenho roupas aqui no escritório - disse indo até meu armário e abrindo - ué, onde estão?

Eu não sei como você conseguiu viver tantos anos sem mim - ela disse prepotente - você mandou o Henrique levar todas para a lavanderia semana passada e quando eu perguntei se era pra traze-las pra cá você disse que podia mandar para sua casa.

Droga - bati a mão na testa - eu tinha esquecido disso, o que seria da minha vida mortal sem você - falei debochada. Eu fico pensando em como eu consigo ser tão sonsa. 

•••

A manhã e a tarde passaram dentro de uma sala fechada com uns caras falando sobre vendas exteriores, encomendas novas e como ganhar dinheiro abrindo várias filiais pelo mundo. Eu já estava ficando entediada, olhei pra Sof e ela acompanhava tudo atentamente. As vezes eu tinha que tossir pra interromper o avanço desenfreado de comentários maliciosos e cantadas em direção a ela, esses caras não perdem a oportunidade de dar em cima. Quando acontecia, ela me olhava discretamente e dava aqueles sorrisos de canto. Terminamos a reunião com a promessa de nós vermos em breve para discutirmos novos projetos.

Hoje o dia foi bem cansativo - disse me jogando na cadeira da minha sala - misericórdia, preciso medistrair.

Hoje vamos no pub aqui perto, se você quiser ir - ela falou enquanto organizava uns papéis em cima da mesa - acho que a novata vai também.

Não sei porque tá me falando isso - disse segurando as mãos dela interrompendo seu trabalho, senti um choque e soltei - você não para nunca ? - disse disfarçando a situação.

Eu sou paga pra trabalhar e não ficar batendo papo, se me entende - ela disse ja saindo da sala - a espero lá em baixo e não demore - como ela pode ter tanta certeza que eu iria ? Resolvi me juntar a eles. 

•••

Desci e todos estavam me esperando na porta, vi Sofia dar um sorriso de canto, ela era segura demais em suas convicções. Anna estava encostada na porta conversando com o Renato e pareciam animados, não gostei da aproximação deles.

Nós vamos ou não vamos ? - perguntei demonstrando certa impaciência.

Vamos gente - ouvi o Renato chamando.

•••


Notas Finais


❤🌈☻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...