História The Vampire! - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, Black Pink, G-Dragon, Taeyang, The GazettE, Versailles (Banda)
Personagens Aoi, Cl, G-Dragon, Hizaki, Jennie, Jisoo, Kai, Kamijo, Lisa, Masashi, Minji, Park Bom, Personagens Originais, Reita, Rosé, Ruki, Sandara Park, Taeyang, Teru, Uruha, Yuki
Tags Aoi, Chaelisa, Chaera, Chaerin, Dara, Jennie, Jisoo, Kai, Lisa, Lisoo, Reita, Rose, Ruki, Taeyang, Uruha, Vampiros
Visualizações 130
Palavras 3.227
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello cainitas... Mais Chaelisa pra vocês...

Capítulo 21 - Minha Namorada!


Fanfic / Fanfiction The Vampire! - Capítulo 21 - Minha Namorada!

Cl - Rosé?  Podemos falar? 

Rosé - Claro... 

Elas vão até o escritório do castelo e lá encontram Aoi e Uruha. 

Rosé - O que tá acontecendo? 

Cl - Mostra pra ela Aoi.

Aoi pega uma caixa e tira três cadeados, quando ele a abre um odor insuportável toma conta da sala, de dentro dela ele tira a cabeça de Ruki. Na boca havia um papel protegido por plástico e na testa estava escrito " para Park Roseanne " em japonês. Aoi traduz e Rosé pega o papel, ele guarda novamente a cabeça e a tranca. 

Rosé - É a letra de Jisoo. - Diz olhando para Cl. 

Cl - Leia... 

" Olá Park Roseanne, você e seus amigos estão convidados para o meu casamento com Príncipe Teruaki Yamashita. Mando a cabeça de seu traidor como prova de paz, espero todos no dia 31/10 para a noite mais feliz da minha vida. 

Ps: Traga a inútil da minha irmã. "

Rosé - Jisoo vai casar com Teru? Como assim?

Cl - Aquela garota?  Como ela conseguiu isso? 

Uruha - Ela já havia conquistado ele naquela noite Cl, após ser desafiada por Takanori, provou que merecia um lugar ao lado de Teru. Ela venceu Ruki com apenas um arranhão no braço e nós conhecíamos bem a fama de Matsumoto. 

Aoi - Claro que só isso não seria motivo para tal evento, mas usam essa desculpa para camuflar seja lá o que esteja acontecendo. 

Uruha - Não importa a nós os motivos de Teru, o que eles decidem com suas vidas não é de nossa conta.

Cl - Só lamento por você amigo. 

Uruha - Ora porque? 

Aoi - Ruki havia me desafiado, você se meteu na briga, acontece que Teru disse que queria um combate limpo entre vocês dois e agora que Matsumoto está morto, a briga automaticamente é com a tal Garota. 

Cl - Você vai morrer se não lutar acusado de desonra e se lutar e vencer será desafiado por Teru, morrerá antes que possa piscar.

Aoi - Eu disse pra ficar longe daquele combate Kouyou. 

Uruha - Já pensaram na possibilidade de que posso vencer Teru?

Cl olhou para Rosé e as duas começaram a rir, Aoi apenas colocou a mão no rosto desapontado com a inocência do amigo. Após toda a cena Rosé se recompôs e sentou em uma cadeira. 

Rosé - O mais importante é que Estamos todos convidados para o tal casamento, na verdade Intimados.

Cl - Uruha e Aio, vocês podem nos dar licença? - Cl sentou na cadeira atrás da mesa.

- Hai. - Responderam em uníssono 

Os japoneses se retiraram deixando as dua a sós. 

Cl - Você partirá esta noite com Bommie, como ficará Lisa?

Rosé - Ela já deveria ter acordado, não entendo o motivo desta demora. Mas vou leva-la comigo. 

Cl - Tem certeza? 

Rosé - Sim! Ela ficaria uma fera se acordasse e não me visse ao seu lado.  - Ela sorri - Ei loirinha, promete que vai ficar bem e não tentar fazer alguma besteira? 

Cl - é. Vou tentar. 

Rosé - Faça isso por Sandara. Ela precisa de você, precisa que se mantenha forte.

Rosé vai até Cl e pela primeira vez lhe dá um abraço. O momento foi interrompido por um portal negro atrás de Cl.

Rosé - Ela chegou. - Disse virando a loira. Bommie saiu com um sorriso cínico e logo encarou a loira. 

BOM - Olá Cl. Quanto tempo...

Cl - Rosé não demore a ir, não quero meu castelo poluído.

BOM - que hospitalareira...

Rosé - Park, por favor sem provocações. 

BOM - Só se me chamar de Omma. 

Cl - É muito Abusada mesmo. 

BOM - Não mais que você. 

Rosé - Omma... 

Cl - Não Rosé, deixe, Bommie Park sempre foi uma puta ridícula. 

BOM - Ainda tem raiva daquilo loira.. Hahahahahah após tantos anos achei que tinha superado.

Cl - Motivos fúteis não me movem. 

BOM - Não era tão fútil assim enquanto você estava embaixo de mim. - Rosé ficou boquiaberta 

Cl perdeu o controle e atacou Bom com toda sua força, porém a mesma ficou imóvel e sem expressão alguma de dor, seu rosto estava intacto, como se o soco que levou não tivesse tido efeito algum. Porém Cl sentiu muito dor em sua mão, a morena apenas sorrio e abaixou o braço da outra a olhando fixo nos olhos com um sorriso cínico. 

Bom - Chaeyoung, vá buscar suas coisas meu amor, prolongar ainda mais minha estadia aqui pode não ser muito agradável. - Falava sem tirar os olhos de Cl 

Rosé - Por favor Omma, não machuque Cl.

Bom - Eu não faria tal coisa minha filha, ela está em sua casa e eu sou uma intrusa, até porque não quero ir para Sheol (inferno) mais uma vez. 

Rosé saiu as pressas deixando as duas inimigas na sala. 

BOM - ainda beija tão bem quanto antes?  - Ela cola seu corpo ao da outra.

Bom Park era forte, muito forte, Cl não conseguia sair dali e o pior de tudo é que Cainitas são loucos por sangue de Daemoniuns, apesar de mata-los. A loira tentava resistir ao cheiro exalante, também pudera, dois corações bombeando sangue deixava o corpo da morena quente, uns 49 graus aproximadamente. 

BOM - Você gosta disso não é? Meu corpo quente, minhas veias com o dobro de sangue e principalmente, por ser eu te abraçando. - Ela passa a língua no pescoço da loira. 

Cl - Me solta Bommie... - Disse fraco 

Bom - Me ataca Cl, você já impalou tantos de meus irmãos, por que não faz o mesmo comigo? 

Cl - P-por favor Jenny, eu... Me solta. - Já sussurrava perdendo a sanidade.

Bom adorava esse tipo de jogo, mesmo quando eram humanas, Bom e Cl já tinham esse tipo de contato, como sempre a Park começava as provocações e Cl era fraca, então sempre cedia, mesmo após tantas décadas nada entre elas havia mudado.

BOM - Só me responde uma coisa - Ela lambe o lóbulo da orelha de Cl - Como sua mente é bloqueada meu amor, só me resta acreditar em suas palavras... - Bom levanta Cl que fica enganchada em seu colo. - Quando está com Sandara, ainda pensa em mim?

Cl estava nervosa, surpresa, confusa e hipnótizada pelos lábios vermelhos a sua frente, ela queria mentir, mas era impossível com as mãos da ex amante levantando sua blusa enquanto seu pescoço recebia beijos quentes e molhados. 

Cl - Promet que vai me soltar? - Disse quase inaudível e Bommie acentio. - Eu... Eu sempre penso em você.

Bommie abriu um largo sorriso e abaixou a blusa da loira, ela desceu a outra de seu colo e lhe deu um selinho demorado antes de dar dois passos para trás. 

BOM - Era tudo o que eu precisava ouvir. - Sorrio meiga - Lembre-se Chaerin, um humano que morre amando alguém torna-se um cainita escravo de seu próprio sentimento.

Cl - E-eu... Eu te odeio. - Ela sai da sala praguejando a morena. 

Rosé vem com uma mochila nas costas, uma mala na mão esquerda e Lisa no ombro direito. 

Rosé - O que fez com ela, nunca vi Cl desse jeito?

Bom - Efeito Bom Park, Quem é esta? 

Rosé - Minha Namorada. 

BOM - Uma Daemonuim namorando uma humana,?

Rosé - Cainita, transformei ela há dois dias atrás. Mas até agora ela não acordou.

Bom - Nem vai, você não é cainita para transformar alguém em cainita. Você é uma Daemonuim e sua namoradinha é um defunto ou se você tiver sorte, como eu tô vendo que tem, ela será uma Daemonuim. 

Rosé - Como assim? - Ficou preocupada 

BOM - Se fosse um cadáver ela estaria podre já entrando em estado de decomposição. Porém o corpo dela está intacto, o que quer dizer que vai virar uma de nós. A demora pelo dispertar dela se deve ao seu sangue não ser tão forte, então o segundo coração dela está demorando para se formar. - Bom projeta um portal - Entre e eu te explico melhor na prática. 

Rosé entrou no portal e logo se viu no castelo, diferente de dois dias atrás ele estava movimentado, havia pessoas de todas as idades e algumas mulheres ornamentando as colunas com rosas, um homem de aproximadamente uns 30 anos se aproximou de Rosé e lhe estendeu os braços, a morena olhou para sua mãe que acentio em positivo. Rosé deu Lisa para ele e Bom lhe deu uma ordem em japonês. "Coloque ela na piscina de sangue, não se preocupe ela não respira" o homem acentio e levou Lisa. 

Rosé - Para onde ele irá leva-la? 

BOM - Piscina de sangue, ela vai precisar estar lá quando eu começar o processo. 

Rosé - Que processo? 

Bom - Eu vou acorda-la. Mas venha, vou lhe mostrar seu quarto. - Ela começou a subir e Rosé a seguiu.

Rosé - Eu posso ver? 

Bom - Claro meu amor, afinal ela é sua namorada. - Elas andavam e encontravam mais pessoas. 

Rosé - De onde saiu toda essa gente? 

Bom - Uma vila que crio, Reita odiava eles e os prendia, é bem desconfortável falar de forma tão vulgar mas eles eram um tipo de zôo meu. Eu dei uma fazenda pra eles há 100 anos atrás e eles procriaram e de uma vila de 32 pessoas se formou isso tudo. Hoje eles são mais de 200 pessoas e agora que Reita morreu e eu virei dona de tudo decidi traze-los pro castelo. 

Rosé - Então eles seus bixinhos de estimação.? 

BOM - É uma colocação um tanto agressiva, mas se está confortável com esse tipo de linguaja posso apenas lhe dizer que Sim!

Rosé - Ainda acho que não sou sua filha. - Ironizou 

Bom - Você tem uma marca de nascimento, na costela, não sei ao certo se é igual a minha ou a de Sandara. No entanto devo lhe informar que a minha fica abaixo do seio e a de Sandara na lateral, mas posso lhe afirmar que é no lado esquerdo do seu corpo. 

Rosé - Droga! 

BOM - ainda tem dúvidas que é minha filha? 

Rosé - Bem. Eu posso ser filha de Sandara. 

Bom - Nós temos um pouco mais de 600 anos, você 169, Sandara já era uma cainita quando você nasceu. Sabe que é impossível ser filha de alguém que já é um cainita. Mas se ainda assim quiser pensar desta forma, devo te alertar que em vida Sandara era estéril, mais uma vez, impossível ser filha dela. 

Rosé - Ok... Você venceu. - Disse em um tom birrento o que deixou BOM surpresa. 

Bom - Nossa falou igual a seu pai. - Ela fica confusa olhando para a filha. - Vem, o quarto é aquele. - Ela aponta um pouco mais a frente. 

Rosé - Você ainda lembra dele? - Ela tinha um brilho nos olhos 

BOM - Você é filha de um amor verdadeiro Chaeyoung, ah e a propósito, seu pai te deu esse nome, era o nome de sua avó. - Ela para frente a porta e faz um gesto para Rosé. 

A garota toma a dianteira e abre o quarto, havia duas senhoras e uma garota dando os toques finais, ele estava muito bem decorado, tinha um tema Japão medieval, flores de cerejeiras espalhadas pelo quarto, alguns bonsais, uma bela vista para o jardim, velas japonesas iluminavam o ambiente, algumas pinturas e três Katanas próximo a um pequeno altar.

BOM - Por favor aceite de coração, elas se esforçaram bastante para lhe agradar e me partiria o coração vê-las triste. 

Rosé - Ele é lindo... Nossa, muito lindo. Eu...eu amei tudo, amei mesmo.

BOM traduziu tudo o que a filha disse paras as mulheres presentes, elas sorriram meigas e reverênciaram Rosé. Elas falaram algo para Bom e depois saíram do quarto. 

BOM - Elas vão preparar um banquete pra você. - Sorrio 

Rosé - Mas eu bebo sangue. 

Bom - Não é o suficiente Roseanne, você respira, seu organismo funciona, ele precisa de comida e água. Bem... Eu vou deixar você se instalar, enquanto isso vou meditar um pouco, venho te buscar depois para ir-mos até sua namorada. - Bom já ia sair quando Rosé a chamou.

Rosé - Por que me escolheu?

BOM - Sua irmã tem um grande ódio de mim, lhe explico isto com calma uma outra hora. Tudo o que posso dizer por hora é que Kaori tem um grande ódio de você também e isso pode resultar em um conflito mortal. Escolhi você para treina-la, vamos acordar seu segundo coração e treinar suas habilidades de Daemonium, assim não ficará em desvantagem. Era só isso?  - Rosé acentio - Ok....venho depois para te buscar, aproveite e descanse a mente, vai precisar para o despertar dela.

Bom caminhou até seu quarto, uma senhora estava ornamentando sua cama e percebeu que a Daemonuim não estava bem.

Fang - O que aconteceu imperatriz? 

BOM - Só há nós duas aqui Fang, seja menos formal. - A mulher acentio - Encontrei uma pessoa do meu passado, ela significou muito pra mim - Ela senta na cama de cabeça baixa. - Eu acho que ainda sinto algo por ela. 

Fang - Está com a mente e os corações focados nesta pessoa?

Bom - Sim! - Seu tom era triste - Achei que tinha superado, mas eu estava completamente errada. 

Fang - Com todo respeito senhora, mas se esta pessoa é tão importante ao ponto de lhe deixar assim não acha que deve acabar com esta situação de uma vez por todas,? 

BOM - Não posso mata-la... 

Fang - Não falo de mata-la e sim de afronta-lá. Pense senhora, se ela lhe corresponder nada a impedirá de toma-la para sí. 

Bom - Ela é minha cunhada. É isso que me impede. 

Fang - pode escolher ficar aqui eternamente se lamentando ou lutar pelo que quer. Minha imperatriz já foi a guerra por muito pouco e por motivos que nem eram dela. 

BOM - Não sou uma conquistadora Fang, meu ex marido era. Respeito o que é de Sandara e não tentarei rouba-la. Obrigada pelo carinho e por tentar me dá a solução, mas entenda que enquanto minha irmã puder se mover eu não poderei fazer nada.

Fang - Por hora não, mas pode ir visita-la, pelo menos para não ficar aflita. - A mulher vai até Bom e levanta seu rosto - Você tem uma filha linda, não pode ficar assim perto dela. 

A mulher se retirou deixando Bom sozinha, após um tempo ela decide ir até o castelo Lee. A morena pensou em Cl, projetou um portal e entrou, ela estava frente uma banheira e a loira a encarava. 

Cl - Será que não posso ter privacidade? 

Bom - Eu não sabia, desculpa. - Disse rindo. 

Cl - E agora, o que quer? 

Bom se aproxima da banheira e senta no chão, de costas para Cl.

BOM - Conversar apenas. - Respondeu de cabeça baixa 

Cl sentia o cheiro do sangue fervendo nas veias da Daemonuim, aquilo era tão bom, quase que incontrolável. Bom tinha a cabeça perto da mão de Cl, várias idéias vieram a sua mente porém ela optou pela mais inteligente, ficar quieta.

Cl - Conversar Park? Por que Não tira a roupa e entra aqui também? - Ironizou com desdém. 

Bom - Respeito minha irmã. - Ela tinha a voz triste. - Entendida Chaerin, perdi meu marido, você sabe como é vida de casada, precisamos daquela pessoa mesmo que seja por poucos minutos. 

Cl - Eu preciso apenas de um banho..... Sozinha. - Riu irônica 

Bom respirou fundo e Cl pôde ouvir os corações da morena desacelerando. A Daemonuim levantou e projetou um portal a sua frente. 

Cl - Hey... Não vai. - Segurou na perna da morena - Senta aí e vamos conversar. 

BOM - Desisti da idéia, - Disse sem olhar - Acho que realmente você mudou.

Bom já ia entrando no portal quando sentio um corpo molhado lhe abraçando por trás. 

Cl - Fica - pediu em um sussurro. 

Ela desfez o portal e respirou fundo, uma lágrima caiu e ela se controlou para não virar frente a loira. 

BOM - Coloque uma toalha. - Engoliu seco. 

Cl solta Bom e pega um roupão que estava na porta, ela coloca a peça e ver a roupa da Daemonuim fumaçando.

Cl - Uaaau, sua roupa já secou.

Bom - Sou muito quente. - Sorrio fraco. 

Cl abriu a porta e puxou BOM pelo pulso, elas andaram até a cama onde Cl fez sinal para ela sentar. A loira foi até o banheiro e de lá trouxe um hidratante e entregou a BOM, depois sentou de costas para ela abaixando um pouco o roupão. 

BOM - E-eu não vou fazer isso. - Ela estava Muito nervosa. 

Cl - Deixa de ser frouxa Park, são só minhas costas. - Riu internamente. 

A loira começou a ouvir os corações da morena acelerando, o cheiro do sangue fervendo, a respiração ofegante e o toque macio e quente das mãos de Bommie Park na sua pele. Cl deu graças aos deuses por não se arrepiar com essas coisas. 

Cl - sobre o quê quer conversar? 

Bom - Qualquer coisa é mais pela companhia. 

Cl abaixou o roupão até Bom poder ver o começo de seu bumbum, aquilo era nitidamente uma provocação, mas a Daemonuim era disciplinada e se controlou. 

Cl - Sente falta do tempo em que... Você sabe. (sutil) - Provocou 

Bom - Então,  tem notícias de Sandara? - Tentou mudar de assunto. 

Cl - exílio até a próxima ordem.... Sério que não vai me responder.?

BOM - Essa devia ser uma pergunta retórica, mas se quer tanto saber... - Ela suspira - Sinto. - Levanta o roupão da outra e lhe entrega o hidratante. 

Cl - Um...um.. Ainda não, falta as pernas. - vira de frente para a morena e lhe estende a perna direita. 

Bom - Eu não vou fazer isso... Não mesmo. - Ela senta mais longe. 

Cl - Tá com medinho de que? - Provocou 

Bom - Já Disse que respeito minha irmã. Me provocar com essas coisas não está colaborando muito. 

Cl - 5 séculos sendo tocada apenas por Sandara, agora ela não está aqui e eu preciso de alguém pra conversar - Cl engatinha até a morena. - Você sabe como é vida de casada, precisamos daquela pessoa mesmo que seja por poucos minutos. - Ela fica por cima da morena. 

BOM - Como sempre jogando o que falo contra mim. - Ela empurra Cl pro lado e senta. 

Cl - Não queria saber se ainda penso em você? - Cl senta atrás dela. - Eu pensei por 5 séculos e agora te tenho aqui e você me nega. 

BOM - Você não sente prazer é uma cainita. 

Cl - Lição número 3, o corpo de um cainita só corresponde ao seu verdadeiro amor. - Sussurrou tudo no ouvido da Daemonuim. - Eu estou molhada Jenny, após 568 anos eu estou excitada, você não pode me negar isto. 

BOM - E-eu não posso desonrar minha irmã... Eu. - Bom projeta um portal - me desculpe Chaerin. - Ela levanta e entra no portal. 

Cl abre um enorme sorriso mordendo o canto do lábio, ela olha para o teto não conseguindo esconder a felicidade. 

Cl - Você vai voltar Bommie Park, e eu estarei te esperando. 

A loira não sabia mas havia dois japoneses escutando a tudo.

Uruha - Avise Gong Minji. 

Aoi - Hai. - Saltou pela janela


Notas Finais


Uuuuhh

Negócio tá ficando legal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...