História The Vampire! - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, Black Pink, G-Dragon, Taeyang, The GazettE, Versailles (Banda)
Personagens Aoi, Cl, G-Dragon, Hizaki, Jennie, Jisoo, Kai, Kamijo, Lisa, Masashi, Minji, Park Bom, Personagens Originais, Reita, Rosé, Ruki, Sandara Park, Taeyang, Teru, Uruha, Yuki
Tags Aoi, Chaelisa, Chaera, Chaerin, Dara, Jennie, Jisoo, Kai, Lisa, Lisoo, Reita, Rose, Ruki, Taeyang, Uruha, Vampiros
Visualizações 111
Palavras 2.215
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Continuando...

Lee - pai da Cl
T - TAEYANG
U - Uruha (Kouyou Takashima)
R - REITA

Capítulo 24 - I Love You II


Fanfic / Fanfiction The Vampire! - Capítulo 24 - I Love You II

S - Sim!  Aconteceu esta  noite. 

Cl - Não sabia que podiam fazer isso. 

S - Não podemos, isso é algo raro que só aconteceu com um cainita, eu sou a segunda. 

Cl - E qual é a explicação para isso? 

S - Eu me apaixonei.

Sandara senta na cama e acaricia o rosto da outra. 

S - Você fez isso comigo. 

Cl - Eu? Eu não fiz nada. 

Sandara suspira e volta a deitar na cama, ela vira de costas para Cl e fecha os olhos. 

Cl - Vai me ignorar? 

S - Estou com sono. Eu não sou uma pessoa que tem hábitos normais, você sabe disso. 

Cl - Também não dormi nada esta noite, tenho sono, mas precisamos conversar. 

Dara vira frente a ela e pega sua mão, ela puxa a outra para deitar consigo mas Cl puxa a mão e se afasta.

S - Deita aqui comigo. - Ela insiste 

Cl - Tenho uma cama em casa. 

S - Na sua cama não tem uma mulher apaixonada por você. 

Cl - Não preciso de uma mulher apaixonada por mim. 

S - Então por que está aqui? (ba-dum tzi) 

Cl abriu e fechou a boca  várias vezes procurando uma resposta a altura mas não obteve. Ela abaixou a cabeça e praguejou a outra mentalmente.

S - Você cresceu apenas no corpo Lee, mas sua mente continua de uma menina. Já eu pelo contrário não cresci - Ela gargalhou - minha mente amadureceu. 

Cl - Só me fala o que meus pais pensam em fazer comigo que eu vou embora. 

S - Deita aqui comigo que eu te falo. 

Cl - Sem truques Sandara ... Fala logo.

A menor levanta o lençol e sorri cínica, Cl se dá por vencida e deita com a outra e é logo abraçada. Ela podia sentir a respiração quente vindo da outra em sua nuca, aquilo lhe causava arrepios.

S - Relaxa. Eu não vou te morder. - Ela sussurra. 

Cl - Fala logo.

Sandara acariciava os cabelos escuros da mulher em seus braços, ela queria beija-la, mas não podia, havia feito uma promessa e a cumpriria.

S - Seu pai pensa em te matar, na verdade esse casamento foi idéia da sua mãe que fez isso pra te proteger. Mas ela Cansou e agora vai apoiar o marido em suas decisões. 

Cl - Você está mentindo. - Disse fraco 

S - Não. Eles descobriram que você está assim por que ama a minha irmã. 

Cl engoliu seco e virou para encarar a  menor, Dara tinha um sorriso meigo no rosto, como se o que tinha acabado de dizer fosse a coisa mais natural do mundo. 

Cl - Como sabe disso? 

S - Vasculhei bastante a mente de seu pai. - Sorrio inocente. 

Cl - Eu não quero casar, amo Bommie Park e serei apenas dela. 

S - Bom Park já não é a mesma, tive que me tornar cainita para poder aguentar suas crises de raiva e mesmo assim não foi o bastante. 

Cl - Você estava com ela? 

S - Sim! Mas foi por pouco tempo, ela teve que ir embora para aprender a controlar a raiva. 

Cl - Ela falava de mim? - A garota tinha um sorriso empolgado no rosto 

S - Só nos dois primeiros meses, depois que conheceu Akira Suzuki isso mudou. 

Cl - Quem é esta? 

S - Este, Akira é nome de homem no Japão. - Ela sorri - ele é o marido de Bom, casaram ano passado. (porra) 

Ela Fica triste e começa a lagrimar, Dara abraça ela de uma forma protetora, Cl se encolheu no colo da outra e o choro começou. 

S - Eu te entendo, já amei alguém que pertencia a outra pessoa... Ele é muito bem casado e não podia me corresponder. Eu sentia que não tinha mais lugar no mundo e tentei me matar, a pessoa na qual ele é apaixonado me transformou, ela cuidou de mim, me guiou, me ensinou tudo o que sei e hoje em dia eu respeito os dois como se fossem meus pais. 

Cl - Com Bommie é diferente. - Disse entre choro

S - Eu imagino que seja. Akira te mataria de imediato. (porra 2)

Cl - Você não tá colaborando. 

S - Pelo contrário, Estou te dizendo que o marido dela é um monstro. O mais indicado a se fazer é esquecer minha irmã e focar em quem realmente quer te corresponder.

Cl - Você é inacreditável. - Ela empurra Dara 

S - Entenda Chaerin, ele está cruzando o mar por você...

Cl - Tá falando de quem? - Ela limpa suas lágrimas 

S - Do Japonês que está vindo para casar com você. Achou que eu estava falando de quem?

Cl - De Você, não disse que havia se apaixado por mim? 

S - Isso não te torna minha, seu coração pertence a minha irmã e você está prometida para outra pessoa. - Ela levanta da cama e vai até uma mesinha - Até por que eu não lutaria por alguém que me quer morta.

Cl - É bom que pense desta forma  

Dara pega uma jarra e serve vinho para sí, ela vira frente a outra e bebe o líquido olhando fixo para cada curva do corpo de Cl.

S - Eu poderia te fazer tão feliz - Sorrio fraco - levaria você para conhecer a Europa toda, a África e a Índia. Te encheria de mimos, atenção, carinho e amor, nunca te abandonaria, faria de tudo para te ver sempre sorrindo. 

Cl - Não seria possível. 

S - Você tem razão. - Ela vira a jarra toda na boca e toma tudo de uma só vez (cerca de 3 litros de vinho.) 

Cl - Uaaau, Como você bebe. - Ela tinha os olhos arregalados. 

Dara sentiu a cabeça rodar e foi cambaleando até a cama, ela lança um sorriso lindo para Cl e se acomoda na cama. A mais nova riu da situação e foi cobrir Dara quando recebeu um novo sorriso. 

S - Agora eu durmo feliz hahaha

Cl - Você é inacreditável Park. 

S - Eu sou incrível. - Ela se aconchega na cama com um sorriso inocente. - Deita aqui um pouco. 

Cl deita ao lado dela e encara a garota, Sandara tinha um rosto jovem e inocente o que atraia várias de suas vítimas. A mais nova segurou na mão de Dara e a observou adormecer. Foi assim por várias vezes, Cl as vezes ia até o casarão de Park e a fazia dormir, Dara também ia até a casa de Cl mas escondida é claro, fazia Cl dormir após uma conversa gostosa e antes do amanhecer ia embora. 6 meses se passaram e o dia em que Kouyou Takashima conheceria sua noiva chegou. O japonês chegou ao pôr do sol, Dara que assistia a tudo de longe logo reconheceu o homem. 

S - N-não não, não, isso não pode estar acontecendo. 

T - Algum problema senhora?

S - Sim Taeyang, um cainita acabou de chegar na vila. Movimente os homens e fique alerta, ninguém se alimentará no meu território e ficará impune. 

O japonês se aproximou de Cl e a reverênciou, um homem mais alto sussurrou algo em seu ouvido e ele olhou em direção a Sandara que estava a meio km de distância deles.

U - Vá até ela e leve um presente de desculpas por estar em seu território. 

Aoi - Hai.

O moreno alto chama mais dois homens, eles pegam um baú pequeno e andam rumo a Sandara. 

U - É uma honra está diante de tanta beleza, sua filha é sem dúvida a mulher mais linda que já tive a oportunidade de conhecer. 

Lee - Ela está muito feliz por enfim conhecer seu marido, tenho certeza que ela lhe dará muitos filhos. 

U - Não fale por ela senhor Lee, quero ter o deleite de ouvir isso de sua própria boca. - ele olha fixo nos olhos dela.

A mãe de Cl lhe dá um beliscão e ela respira fundo e responde tudo em japonês de propósito. 

Cl - É uma honra enfim conhecê-lo futuro marido. 

U - fala meu idioma! Isso é maravilhoso. 

Cl - Park Sandara me ensinou e como presente de casamento me trouxe seda para o vestido. 

U - Park?  Irmã de Bom Park? - Ele parecia nervoso. 

Cl - Conhece Bommie? - Ela fica desconfiada

U - Ela é minha cunhada, casou recentemente com meu irmão mais velho. Fico feliz em saber que terei a compreensão de minha esposa ao torna-la uma imortal. - Sorrio cínico 

Cl - É um cainita?  - Ele acentio - prefiro a morte a me tornar um monstro. - Sorrio simpática para seus pais não perceberem que o clima havia pesado 

U - Tarde de mais garota, assim que meu general retornar da casa de Sandara com minha autorização nada e nem ninguém poderá me impedir. 

Cl - Então acho que voltará pro Japão ainda hoje. 

U - A Incineradora não pode contra meus homens seja boazinha e poupe a vida de inocêntes e de sua amiga. 

Lee - Já se conheceram, vamos todos beber.

O pai de Cl Levou Uruha para dentro da casa onde havia uma enorme mesa cheia de comida, ele mostrou o lugar de honra para Uruha e Cl se pôs ao seu lado, ele sentou e logo depois foi Cl, os pais da garota e por último os convidados. 

...

S - sir.Aoi, o que o trás aqui?  - Ironizou 

Aoi - Vim em nome de.... 

S - é, eu sei. Aceito o ouro mas não terá minha permissão para chacinar meu povo. 

Aio - Eu respeito sua decisão senhorita Park, mas tenho certeza que meu irmão não. 

U - Então diga a ele que comece, por que meus homens já estão prontos. 

Aoi acentio e após deixar o ouro frente a Dara se retirou com os outros homens. 

A festa já invadia a madrugada quando Cl se retirou para dormir. Ao chegar em seu encontrou alguém em sua cama. 

Cl - P-Park.? - Ela engoliu seco 

B - Olá Chaerin. - Sorrio cínica 

Cl correu até a mulher e lhe beijou de imediato, o beijo foi esquentando literalmente, Bommie era muito quente e Cl já sentia seus lábios doerem quando Bom a afastou. 

B - Não podemos Chaerin, sou uma mulher casada. 

Cl - Eu não me importo, me leva com você Bommie, vamos fugir...

Bom projeta um portal e puxa Cl, ela se ver numa montanha onde nevava bastante. A Daemonuim empurra A outra no chão e fica por cima dela, ela tira a roupa da mais nova a fazendo entrar em contato com a neve. Cl tremia de frio mas foi por pouco tempo, Bom deita nua em cima dela começando um beijo selvagem,  o corpo da Daemonuim era extremamente quente e ele se movia lentamente. Cl estava nervosa e excitada, as mãos de Bommie passeavam por seu corpo assim como a boca por ser pescoço. O primeiro gemido foi solto fazendo Bom sorrir, ela desceu a boca até um dos seios de Cl, a mão direita já tateava a entrada de seu sexo e em seu segundo gemido ela sente Bom invadi-la com apenas um dedo já que ela era virgem e não queria machuca-la. As respirações das duas estava pesada, os três (já que Bom tem dois) corações acelerarados, a mais nova gemia baixinho e isso enlouquecia Bommie, a Daemonuim começou os movimentos entra e sai em Cl, acelerando enquanto subia os beijos até a boca da mais nova, seu corpo foi abraçado com força e gemidos um pouco mais altos surgiram ao seu ouvido. 

B - Nossa isso é bom. - Ela comenta ganhando um tapa no braço. 

Bom volta a beijar Cl e acelerou os movimentos fazendo a outra arquear o corpo, Apoiada em seu outro braço ela volta a movimentar seu corpo em cima da outra. Cl tentava imitar os movimentos um pouco desajeitada mas mesmo assim causando efeito em Sua amante que a queimava com seus beijos. O segundo dedo a invadio lhe arrancando um grito o que fez Bom exitar por alguns segundos. 

Cl - Con-Continua. - Ela suspira e aperta os olhos com o começo Dos movimentos. 

Após relaxar e se acostumar com a dor ela pede para a outra acelerar. Aquilo era divino, era quente e frio ao mesmo tempo, era proibido mas com a pessoa certa. O sorriso lindo Era a recompensa da mulher que estava sobre ela, mais alguns beijos depositados em seu pescoço  e Bom desceu até um de seus seios o sugando com força, Cl já sentia seu ápice chegar e mordeu a boca sorrindo, ela crava as unhas nas costas da outra e se derrama nos dedos dela. Bommie tira seus dedos de dentro dela e passa em seus lábios depois beija a outra. 

Cl - Nojenta - empurra a outra ainda tentando acalmar a respiração. 

Bom - Se deitou com Daemonuim, o que esperava.? 

Bom deita na neve que começa a fumaçar e coloca Cl encima de sí, foi quando ela percebeu a aurora boreal acima delas.

B - Então era por isso que você sorria tanto? - Cl acentio - eu também sorriria. - Ela gargalhou. 

Cl - Eu quero você só pra mim Bommie. - Disse acariciando o rosto dela.

Bom fica calada apenas acariciando o corpo de Cl que em pouco tempo adormeceu. 


Notas Finais


Volto depois com a terceira parte.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...