1. Spirit Fanfics >
  2. The Vampire King Alucárd >
  3. The Academy

História The Vampire King Alucárd - Capítulo 1


Escrita por: e Soleyne12


Notas do Autor


Hey gente, esse aqui é o início de uma história que eu escrevia com o meu Ex quando ficávamos bêbados juntos, é um poquinho cliché, mas ces vão entender. espero que gostem.

Capítulo 1 - The Academy


Fanfic / Fanfiction The Vampire King Alucárd - Capítulo 1 - The Academy

       Interior Londres, Academia de Formação Sobrenatural;

Meia-noite:

Eu sou Vlad Tepes III, mais conhecido como Alucard, filho de Vlad Tepes II mais conhecido como Conde Drácula (Rei de Nova Orleãs). Meu pai e eu não temos uma relação muito boa, por isso vim para essa Academia, para fugir de meu pai.

Tenho literalmente 999 anos, mas gosto agir como se tivesse 17, a juventude eterna facilita essa escolha. Minha mãe é Katherine II com descendência mista de lobisomens e bruxas. Eu e ela somos bastante próximos eu digo BASTANTE PRÓXIMOS é um total exagero e por acaso é isso que faz que a família nos odeie.

Eu estive no Castelo durante quase toda a minha vida vivendo este clima bizarro e por este motivo fugi para está academia.

Pov: Alucard

Era uma noite calma e ventajosa de lua cheia, morcegos e corujas voavam sem destinatário designado, as nuvens escondiam a lua, o que deixava uma sombra sobre a terra e os alunos de tal academia;

Eu calmo como um ser morto (não que eu esteja vivo mesmo lol) me dirijo a Academia;

Era um instituto grande mais pareciam duas mansões juntas várias salas secretas e desconhecidas, áreas restritas onde nenhum aluno alguma vez foi, eu sou um bruxo híbrido caloiro, então assim que chego na academia vou directo para a minha sala.

No corredor encontro diversos alunos e diversos grupos sociais entre eles: Os vampiros (achados), os lobisomens (mau humorados), as bruxas (misteriosas), os Demónios e outras.

Eu, é claro que não me encaixo em nenhum deles e ao mesmo tempo em todos, ainda perto da minha sala encontro-me com uma fada: cabelos longos e pretos, olhos pretos, maquiagem gótica, lábios pretos, vestido curto preto, e um olhar de Águia cativante;

Calmamente, passo ao seu lado ignorando a sua existência, o que a fez se interessar em mim, devido a atenção que ela esperava obter ao estar cara a cara comigo;

Entrei na minha sala e ai fiquei, sentei-me na 3ª mesa do lado da janela com visão ao pátio, e de repente o sino soa, os alunos entram na sala e ficam na conversa e eu ai olhando o céu obscuro, oiço eles falando sobre a 1ª fada gótica que alguma vez já viram, e que ela estava na sala do 3º andar, eu tinha uma visão do pátio até o 7º andar, a academia têm 10 andares e eu estava no 8º;

Depois eles também começam a falar sobre mim, mal me conhecem e já ficam-me julgando, me dizendo que sou muito calmo para estudar naquela academia, as garotas sentiam medo de mim porque eu tenho um olhar de corvo e um sorriso maléfico, não às censuro era tudo verdade, mas na realidade eu era a pessoa mais adequada para estudar nessa academia.

De repente uma professora entra, ela era incrivelmente atraente ao ponto de vista dos outros mas ao meu ponto de vista ela era muito alegre, obviamente ela ainda não conhecia o que é dor, muito menos o que é perder alguém, ela apresentou-se:

Nome: Ana Robertson, 221 anos de idade, Vampira, ensinando Biologia. Todo mundo ficou babando, eu continuei com os meus olhos na janela, e de uma hora para outra o sino toca e eu recebo uma mensagem mental da fada a me dizer para eu à encontrar no terraço.

Fui até lá sem hesitação e ela olhou para mim e me disse: Eu sou a Scarllet, tenho 18 anos de idade, como vês sou uma fada e quero que sejas MEU! Eu fiquei constrangido depois ela terminou a frase: Amigo!

Eu disse: eu não tenho tempo nem paciência para amigos.

Scarllet: Então venha até a minha festa logo às 23:00 depois de uma conversa veremos a sua resposta.

Eu acenei concordando.

Depois das aulas fui ao dormitório feminino havia quase toda a gente da academia ela era muito popular, assim que cheguei, ela me beijou e eu senti o sabor de álcool no beijo ela me levou ao quarto dela (um quarto muito legal vários pósteres de vampiras seminuas) ela tirou a roupa, e tinha um corpo bem definido, parecia uma modelo, excepto que os seios eram bem maiores pareciam dois planetas chocando, e logo a seguir veio para cima de mim e eu disse: Tens a certeza que é isso que você quer. ela me olha e me diz com uma cara r, necessidade e poder, perda, força primitiva, raiva e desejo tornaram-se um só sentimento., prazer e requintada tensão eram construídas dentro dela – tão irremediavelmente entrelaçados, que ela nunca seria capaz de separá-los.irt e depois ela a atirou ao chão e disse, quero você dentro de mim e eu deixei rolar, de repente ela começa a lamber o meu pescoço e a morder ele, eu reclamei com ela e ela me ignorou completamente.

Scarllet agarrou-se a mim envolvendo as pernas ao redor dos meus quadris e segurou-me tão firmemente quanto podia, ela deu-me um beijo frenético e cheio de paixão por alguns minutos.

Enquanto ela acariciava meu pénis, eu deslizei a mão para entre suas coxas e a penetrei com dois dedos. Sua passagem, molhada e dolorida, vibrou um pouco em torno dos meus dedos e ela gemeu com embaraço quando meus dedos se foram.

Então alinhei meu pénis e penetrei ela com um impulso, passei meus braços por volta da cintura dela puxando ela para mim, segurando-a em um abraço enquanto encontrava sua boca mais uma vez. O beijo foi profundo e desleixado enquanto bombeava os meus quadris contra os dela.

Scarllet apertou-me

Ela estava perto do orgasmo e a cada toque do meu corpo, a cada balanço da cama e dela, Scarllet chegava mais e mais perto. Seu calor, sua necessidade e sua tensão a afligiram, obscurecendo sua visão e latejando em suas veias. Ela nunca se sentiu assim em toda sua vida.

Ela arqueou a coluna quando o seu prazer ultrapassou a euforia. Em vez de fechá-los no processo, seus olhos se abriram depois de tomar uma respiração. E, nesse momento mais desmedido

Tudo isso, ali, em meus olhos.

E ela soube que ela precisava disso muito mais do que eu. Ela sabia que esta era a sua única saída, sua única salvação contra a turbulência desesperada de sua dor. Ela não estava apenas procurando prazer ou fuga em seu corpo. Estava procurando algo perdido em si mesma.

Scarllet gozou com o conhecimento, gritando impotente em seu prazer, em sua necessidade.

E logo caiu em um sono profundo.

Depois disso cobri ela com uma manta que lá tinha e escapei pela janela.

E quando cheguei no dormitório masculino a porta do meu quarto estava aberta e quando entrei me deparei com a directora da academia sentada no, ela viu tudo nos meus olcorpo começou a sentir uma pressão muito forte, ela viu tudo nos meus olhos. Calor, necessidade e podeti um buraco enorme se abrindo na minha barriga, como se meu corpo estivesse-me dizendo para fugir,séria:precisamos ter uma conversa.


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...