História The Village Of Terror. (2°Temporada) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 9
Palavras 974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - 2°Temporada// Um dia confuso para Matt.


Emma--Não pode ser...

Valéria--P-por favor... M-me ajude...--Disse rastejando no chão, suja de sangue.

Emma--Ora, é apenas uma miragem!--Disse desacreditada.

Valéria--E-emma... E-e você?

Emma--Valéria, não pode ser real! Mas por via das dúvidas... SOCORRRRRROOOO!--Gritei.

Chiara, Guilherme e Knox aparecerem.

Valéria--Me aju...--Desmaio de tanta dor.

Chiara--Ai meu Deus!--Com a ajuda dos meninos eu pego Valéria e levamos para o acampamento.

Júlia--O que aconteceu?--Quando vejo os garotos e Chiara trazendo uma pessoa, fico mais nervosa.--Quem é? 

Chiara--Se eu dissesse não acreditaria...

Júlia--Me aproximo da pessoa e vejo quem é...--Mas... Como?--Me emocionei a ver a minha pitelzinha.

Emma--Quando ela acordar, saberemos o que aconteceu.--Proferi ajudando levar a mesma pra barraca.

Enquanto isso... Perrys Emmild's.

Renágy--Maldição!

Kath--Oque houve Renágy?

Renágy--Uma de nossos reféns escapou!

Kath--O que? Como?

Renágy--Eu não sei! Mas se eu descobrir quem foi, essa pessoa irá morrer!--Sai pisando duro.

Kath--Olhei em volta e me deu muita agonia em ver pessoas agonizando e sofrendo. Clamavam por ajuda, mas um lugar em especial me chamou atenção, um lugar estava vazio, com as correntes arrebentadas...--Valéria...--Pensei.--Espero que esteja bem.

(Mata Negra- Próxima de Nova Terssia)

Minutos depois...

Guilherme--Eaí? Iremos contar pro Matt?--Perguntei pro pessoal em volta da fogueira.

Emma--Acho melhor contar. Afinal, o que passou, passou.

Júlia--O que a Valéria fez foi errado, mas ela é um ser humano.

Emma--Você não pode falar nada.

Júlia--O que foi? Vai querer me culpar por uma coisa que você fez?

Emma--Eu só acho que...

Knox--Ok, vamos parar de remoer o passado? 

Emma--Cala a boca Lendário! 

Knox--Emma, já tolerei muita coisa sua hoje, mas agora já chega! 

Júlia--Knox, deixa essa criança aí. 

Chiara--Gente, a Valeria esta muito mal, o que faremos?--Disse saindo da barraca.

Júlia--Val...--Meus olhos lacrimejaram.

Knox--Eu posso ajudar.

Emma--O que? Nada disso! Você vai matá-la, isso sim!

Knox--Tá, então faz alguma coisa. Só o que tem feito é reclamar e culpar os outros. Se isso ajudasse, a Valeria já estava de pé aqui falando com a gente.--Perdi a paciência. Que mina insuportável, tentei ser legal, mas não da.

Guilherme--Pode ajudar Knox, você tem sido uma pessoa muito legal nas últimas horas. Ao contrário de certas pessoas.--Joguei uma indireta bem direta.

Knox--Posso?--Perguntei a Chiara, a mesma assentiu com a cabeça. Então me levantei e entrei na barraca, ao me aproximar de Valéria, pus as minhas duas mãos em sua cabeça e fui repetindo as seguintes palavras: "gyógyító a lélek gyógyító a szív." (Cura para a alma, cura para o coração). E uma luz foi aparecendo ao nosso redor, nos cobrindo, quanto mais eu ia repetindo a luz ficava mais forte. De repente ela se foi, e vi que a garota estava acordando.--Valéria?

Valéria--Hmm...--Quando acordei me vi num lugar diferente.--Onde estou?--Me levantei assustada. 

Knox--Você não se lembra como veio parar aqui?

Valéria--Na verdade... A minha ultima lembrança foi quando eu estava correndo pela mata.

Emma--Eaí? Progresso??--Fui entrando sem pedir licença, não confiava naquele... Lendário. Acho que ele a matou!--Espero que não tenha...--Interrompo a mim mesma quando vejo Valéria acordada.--Val?--Corri para abraçá-la.

Valéria--Emma? O que faz aqui? 

Emma--Te faço a mesma pergunta.

Valéria--Bem... Eu...--Fui interrompida por Matt, espera... Matt?? Meu coração saltou de alegria.

Matt--Me disseram pra entrar aqui pois tinha algo pra mim e...--Interrompi a mim mesmo quando a vi.

Valéria--Matt?

Matt--Valéria...

Emma--Vou deixá-los sozinhos. Vem bruxo!--O puxei.

Matt--Achei que você estava...

Valéria--Morta?--Completei.--Não, eu não morri como pode ver.

Matt--Por que não morreu de verdade?--Perguntei rude.

Valéria--O que? 

Matt--Você me ouviu.

Valéria--Eu não entendo...

Matt--Vou refrescar a sua memória. Você tran*** com um cara que eu pensei que fosse meu amigo, e o pior a gente NAMORAVA! Você ainda fez questão de filmar, pra quando morresse eu tivesse uma pequena lembrancinha deixada por você. 

Valéria--Matt eu...--Não sabia o que dizer. Sim eu agi como uma vadia, mas me arrependi.

Matt--Agora quando eu supero, consigo te esquecer, AÍ VOCÊ SIMPLESMENTE VOLTA PRA ME ENLOUQUECER!

Valéria--Matt me escuta.--Me aproximo.--Eu sei que agi mal, eu estava bebada, fiz besteira... Mas foi obrigado eu "morrer" pra aprender a ser gente.

Matt--Você voltou na hora errada.

Valéria--Matt...

Matt--Me faz um favor?

Valéria--Depende. 

Matt--Sai da minha vida pelo amor de Deus, para de confundir os meus sentimentos... Antes que eu perca de vez a cabeça e seja trouxa outra vez.

Valéria--Tem certeza?--Passei a mal em seu peitoral.

Matt--Sim. Eu não te amo mais, agora só o que me resta é a raiva por me lembrar daquele dia.

Valéria--Matt, eu sei que eu errei. Mas aprendi a lição, após...

Matt--Após...

Valéria--Quando eu "morri" fui levada num saco para uma mata, mas meses depois eu acordei e estava num quarto, eu achava que você tinha voltado pra mim. Mas aí vejo duas pessoas de capa preta entrando nesse quarto aí eles me levam pra uma casa antiga, dos McFeeld... Aí lá eu sou torturada, e massacrada e presa a uma corrente, só que por descuido uma pessoa acabar quebrando-as. Aí vejo uma oportunidade de escapar, e quando saio da casa e passo duas horas perambulando, vejo um caminhão e resolvo entrar no mesmo sem saber do rumo que ia tomar. E acabei parando aqui, mas a sequelas me deixaram paranoica, via aquela gente má em todos os lugares e tive a sensação de estar sendo perseguida. Então corri e corri pela mata, e só lembro de ter desmaiado e acordar curada aqui.

Matt--Valéria...--Agora sim me encontrava confuso.

Valéria--Matt, duvida que eu te amo?

Matt--Eu não sei Valéria, eu não sei!--Passei a mão nos cabelos.

Valéria--Eu sei que errei, mas quero começar do zero com você.--Colo nossos corpos. Realmente estava arrependida.

Matt--Como vou saber que não vai abri as pernas pra um dos meninos depois?

Valéria--Confia em mim...--Selei os nossos lábios, porém uma pessoa nos interrompeu.

Baby--Está tudo bem aqui?--Entrei e vi o Matt e a Valéria se beijando.

Matt--Sim. Eu já estava de saída.--Estava mais confuso que nunca. Saí para pensar um pouco. 

Baby--O que está fazendo?

Valéria--Recuperando o que é meu?

Baby--Val... Não deixe o Matt confuso.

Valéria--Eu não o deixei confuso. Só estou colocando naquela cabecinha que o único amor da vida dele, sou eu.

Baby--Ok. Mas deixe ele pensar, foi tudo muito rápido. 

Valéria--Baby, o Matt ficou com alguém durante esse tempo?

Baby--Que eu saiba não.

Valéria--Bom saber.

(Enquanto isso... Perrys Emmild's)

Magnus--Renágy, não interrompa minha meditação. 

Renágy--Sinto muito irmão, mas é urgente!

Magnus--Espero que seja, para poder me interromper!

Renágy--A prisioneira fugiu!

Magnus--O que?--Perguntei irado.











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...