1. Spirit Fanfics >
  2. The Villain Of Love >
  3. Capítulo 35

História The Villain Of Love - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


Olha quem voltou a postar de madrugada?
Cadê meu bonde da madrugada? Ksksksks

Espero que gostem
Até lá embaixo
Ah, prepara o coração, isso é importante pras cardíacas

Boa Leitura 🌼

Capítulo 36 - Capítulo 35


Pov's Violetta.

Um mês já se passou e os agentes voltaram diferentes.

O clima está mais harmonioso, todos brincam, riem e eu estou gostando disso.

- Viu? Eu disse que ia resolver as coisas - León disse sorrindo e eu o abracei.

- Eu te amo - Ele beijou minha testa.

- Eu te amo.

- Bom Dia Senhor Vargas, Senhorita Castillo - Carter passou por nós.

- Bom Dia Carter - Dissemos juntos e rimos.

- Meu amor, eu tenho que resolver algumas coisas, volto no almoço - Assenti e ele saiu.

                                  {...}

Sai da minha sala e entrei na sala do León vendo que ele não tinha chegado, olhei pra mesa e vi dois portas retratos, um era eu e ele e o outro ele e a Antonella, Sorri e fechei a porta.

Desci e trombei com alguns agentes que Sorriram pra mim e eu retribui.

Me virei pra Carter que me olhava e sorri.

- Tudo bem? - Pergunto.

- Queria te pedir desculpas, te julguei sem te conhecer direito, eu nunca mais vi o senhor Vargas assim, depois da morte da senhorita Antonella, ele ficou frio, eu tinha medo de chegar perto dele - Arregalei os olhos - Quando a invasão aconteceu e nós voltamos duas semanas depois, eu estava passando pelo escritório e escutei ele mandando te chamar, me escondi e vi você entrando, eu nunca tinha te visto, aliás você foi pra New York no mesmo dia em que foi contratada, não deu tempo - Riu - Enfim, quando vi você entrando e ele te beijando eu fiquei sem entender o que estava acontecendo, depois eu vi ele te dando a sala da Antonella, eu pensei sim que você era uma aproveitadora, mas depois do que o Senhor Vargas nos disse, eu não tenho dúvidas que você merece estar na posição que está e bem, você é a mais nova daqui, 22 anos né? - Assenti - Todos temos de 26 pra cima, talvez isso tenha ajudado ao fato de nós termos te tratado mal, não queríamos que uma garota de 22 anos, tivesse autoridade sobre nós.

- Mas eu não sou a chefe de vocês, eu só namoro ele, não tenho autoridade - Ele riu.

- Você sabe que tem - Se aproximou - Ele só não nos demitiu porque você pediu, ou acha mesmo que ele só ia nos suspender e descontar do nosso salário? - Piscou e saiu.

- Tudo bem por aqui? - Fede parou na minha frente e olhou na direção por onde o Carter foi.

- Eu tenho autoridade aqui? - Pergunto confusa e ele riu.

- Lógico que tem, você namora o Chefe Vilu, isso afeta em algumas coisas.

Ele notou meu olhar e sorriu.

- A Antonella não tinha uma sala atoa Violetta - Piscou e saiu.

A Antonella?

Eu não sou a Antonella!

- Violetta? - Fran, Cami e Maxi apareceram em minha frente - Tá tudo bem?

- O que foi? Parece que viu um fantasma - Cami comentou e eu respirei fundo.

- Eu preciso ficar sozinha - Sai correndo.

- Vilu! - Eles gritaram, mas eu fingi não escutar.

Fui até o parque que tinha perto da agência e me sentei em um dos bancos respirando fundo.

Talvez eu esteja exagerando um pouco.

Mas quando eu decidi entrar na agência, eu não imaginava que seria assim, minha vida virou de cabeça pra baixo

Tá, eu sabia que não ia ter uma vida muito normal, mas não pensei que seria tanto assim.

Eu namoro o meu chefe.

O cara que eu mandei ir para aquele lugar nesse parque, exatamente aqui.

Quem diria, que ele seria meu chefe e que eu me apaixonaria por ele.

Me levantei e comecei a andar de cabeça baixa.

Será que eu não tô indo muito rápido? Não tem nem um ano que eu entrei, e está longe de completar, as pessoas devem achar isso estranho, só não comentam pra não gerar um clima.

Senti um impacto de um corpo contra o meu e me preparei pra queda, mas isso não aconteceu.

Abri meus olhos e dei de cara com  ele.

Lembranças On.

Abri os olhos confusa e me deparei com um par de olhos verdes, quando ia dizer Obrigada por ele ter me segurado, ele me largou me fazendo cair no chão, o olhei incrédula.

- Olha por onde anda, garota - Ele disse seco e eu me levantei.

- Olha como você me trata imbecil, acha que é quem? - Digo com raiva e ele respira fundo.

- Se eu te disser, você não vai acreditar - Debochou.

- Prefiro que não diga nada, nem sei porque estou aqui perdendo meu tempo com você.

- Nem eu - Disse dando de ombros me fazendo ficar irada.

- Quer saber? - Ele me olhou atentamente - Vai se foder - Ele arregalou os olhos e eu sai em direção a companhia.

Lembranças Off.

- Olha por onde anda, garota - Ele disse brincalhão, mas eu não ri e continuei parecendo uma estátua.

Ele me olhou confuso e eu me soltei dele.

- O que foi? - Perguntou.

- Não acha que estamos indo rápidos demais? - Pergunto.

- O que você quer dizer com isso?

- León eu tô confusa, tem nem 4 meses que entrei na agência, eu já tenho uma sala e eu nem sei lutar direito, eu treino agentes novos, mas era pra mim estar sendo treinada também! Eu não sou boa ainda León, eu não sou ela e você quer que eu seja ela, mas eu não sou.

- Violetta, do que você tá falando?

- León, Você sente falta dela e quer que eu supra essa falta que ela te faz, mas eu não sou a Antonella, eu não me maquio, eu não sou fã de Star Wars, eu não sou boa o suficiente pra ter uma sala no último andar, eu não sou ela.

- Em momento algum eu te pedi pra ser ela - Ele disse óbvio.

- Não disse, mas as atitudes mostram - Sequei uma lágrima solitária - Você me deu a sala da Antonella no dia seguinte que começamos a namorar, tudo o que eu faço vem algo como "A Antonella também fazia isso", parece que eu estou a substituindo, mas eu não quero ser uma substituta León.

- Você não é uma substituta!

- León, o que a Antonella fazia na agência?

- Ela treinava os agentes novos, as vezes ia na minha sala e a gente ficava no sofá e - Parou ao ver meu olhar.

- Viu? Ainda acha que eu não sou uma substituta? - Abaixei a cabeça.

- Violetta, calma - Se aproximou e colocou aos mãos em meus ombros - Me desculpa, eu não percebi.

- Eu preciso de um tempo - Ele me ajudou olhou chocado.

- Um tempo? - Perguntou como se quisesse confirmar o que escutou.

- É, eu preciso pensar, muita coisa mudou desde que nos trombamos aqui nesse parque e eu tô sentindo o peso disso agora.

- Tudo bem - Disse baixo e eu o abracei.

- Obrigada - Beijei sua bochecha e sai correndo.

Comecei a chorar assim que virei a esquina e me apoiei na parede respirando fundo.

- Tudo bem moça? - Olhei pra frente e sorri fracamente

- Tudo.

- Não minta pra si mesma, tá na sua cara que você precisa desabafar, quer desabafar com um humilde desconhecido? - Ri do seu jeito descontraído, lembrava o Fede e por um momento eu pensei que era ele.

- Não precisa, Obrigada pela preocupação.

- A moça, eu não gosto de ver garotas chorando e eu amo ajudá-las - Sorriu - A propósito, meu nome é Ruggero - O olhei surpresa.

- Ruggero? - Ele riu como se já esperasse essa reação.

- É, prazer - Esticou a mão e eu o cumprimentei - Eu estou sempre por aí observando o movimento e vi você discutindo com aquele garoto, quer dizer, homem né? Ele cresceu - Disse sorrindo colocando as mãos nos bolsos.

Fiquei o encarando sem saber o que falar, ele riu.

- Você é uma garota muito linda e inteligente, muito ágil também, acho que se está nessa posição, não é atoa, eu costumo dizer que cada um tem seu tempo, entende? Umas pessoas são mais ágeis outras são mais lentas pra aprender, você está nas ágeis, e por isso em 4 meses chegou aonde chegou, e não é por nada não, aquele cara é um bom partido e ele não quis que você fosse uma substituta, sabe disso - Eu o encarava surpresa, sem saber o que dizer - O que? Eu disse que tinha visto você discutindo e não se preocupa, seu segredo está guardado comigo - Sussurrou a última parte, um vento bateu e ele abriu os braços - Ah, tá sentido esse cheiro de poluição? Divino - Ri enquanto ele sorria

- Você gosta daqui? - Pergunto olhando seu sorriso, ele era nostálgico, como se lembrasse de algo que passou aqui.

- É meu lugar preferido, quer dizer - Me puxou até a esquina - Lá é o meu lugar preferido - Apontou pra agência

- A Agência? - Ele Assentiu - Por que?

- Se eu contar, vai estragar o meu segredo - Piscou - Antes de ir, não se esqueça que o fim é apenas o começo e que sempre terá gente querendo estragar a sua felicidade, elas fingem que mudam pra ganhar sua confiança, eu sei bem do que tô falando, e você pode quebra-la na porrada ou ter uma conversa civilizada, eu prefiro a primeira opção - Ri e ele sorriu ternamente pra mim, o que me fez sentir bem - Foi um prazer te conhecer, Violetta - Saiu andando descontraído.

- O prazer foi todo meu - Parei de falar raciocinando um pouco - Espera, Eu não disse o meu nome!

Olhei pra frente novamente não o encontrando.

- O que acabou de acontecer aqui? - Pergunto pasma  


Notas Finais


Olha quem resolveu dar uma de participação especial em? Nosso querido Ruggero Pasquarelli

Não sei se isso teve muita coerência, só sei que eu me emocionei escrevendo a parte dele sksksjs

Espero que tenham gostado
Um beijo
Adíoss ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...