1. Spirit Fanfics >
  2. The Voided Kingdom : Kyomu no okoku >
  3. O Ex-Defensor

História The Voided Kingdom : Kyomu no okoku - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Depois de sentir uma forte presença vindo da gruta, Kubomi é atacado. No entanto, esse fator faz Kubomi tomar a sua primeira e mais importante decisão até agora.

Capítulo 3 - O Ex-Defensor


Fanfic / Fanfiction The Voided Kingdom : Kyomu no okoku - Capítulo 3 - O Ex-Defensor

A presença que Kubomi sentia, por algum motivo, lembrava sua própria presença...

...porém com uma frequência muito mais forte.

O EX-DEFENSOR

No auge deste reino, havia aqueles que o protegiam.

Eram os sete defensores de Kyomu.

Mesmo após a decadência e o fim da paz, as suas devoções permanecem intactas.

KYOMU NO ŌKOKU

Ao me trazer de volta para casa, Hittori acendeu uma fogueira para me aquecer. Eu estava tremendo de frio, e o calor me fez pegar no sono.

Hittori - E pensar que você seria atraído para lá.

Em pouco tempo, Hittori havia percebido que conforme eu passava os dias com ele até a minha comunicação ia melhorando.

Hittori - Kubomi aprende rápido, porém meu único medo é ele ter o desejo de adentrar aquele lugar.

Hittori se virou para o seu cajado, e começou a fitá-lo.

Cerca de um mês se passou do incidente com a fonte termal. Hittori havia me ensinado diversas coisas, eu já estava mais habilidoso para algumas tarefas e havia até crescido um pouco.

Depois de mais um dia de trabalho, Hittori tinha ido dormir, apesar de eu ter trabalhado duro também, eu não estava com sono. Senti uma vontade de dar uma olhada para fora da cabana, respirar um pouco de ar e tomar um vento.

Kubomi - Esse lugar... é muito grande.

Foi então que todos os postes de vaga-lumes começaram a piscar, alguns até falharam. Uma presença muito forte e tenebrosa foi se aproximando atrás de mim.

Olhei para trás e lá estava, uma figura muito estranha vindo em minha direção lentamente. A julgar pelo lado que a criatura estava vindo, era...

Daquele lugar que Hittori me proibiu de chegar perto?

Quando a criatura chegou mais perto, pude ver seu rosto. Parecia um humano mas ao mesmo tempo não era um... não um humano normal. Havia marcas e cicatrizes por todo o seu corpo, e ele parecia mais forte do que o comum.

Kubomi - Q-Quem tá ai!?

-Ei ei, o que você tá fazendo nesse lugar sozinho garoto?

Kubomi - Huh... esse cara...

-Que coincidência não!?

A figura então pulou para cima de mim me jogando contra o chão. No momento que minhas costas e nuca bateram na rocha dura, eu percebi o quão forte era aquela pessoa.

Kubomi - Grr... Ah!

Eu estava preso embaixo dele, sem poder me mexer. Ele estava prendendo meus dois braços contra o chão e minhas pernas haviam ficado imóveis.

-Morraaaaa!!!

Ao dizer isso ele levantou um dos seus braços, e com unhas enormes ele estava preparado para cortar a minha garganta.

Kubomi - Alguém... me ajuda!

*TAMP*

-O que é que tá acontecendo aqui?

De relance olhei para o lado antes das unhas me rasgarem.

Hittori - O que é que você está fazendo em cima do meu companheiro?

A mão da figura parou antes de me acertar. A presença de Hittori no entanto era mais intimidadora do que a dele e pela primeira vez eu havia visto o Hittori com um olhar sério, determinante.

Kubomi - Hittori...

Ao dizer isso, Hittori saltou em direção a nós. Foi muito rápido, eu mal conseguia acompanhar o movimento dele. Antes mesmo que eu pudesse perceber que ele havia saltado, ele já estava praticamente em cima de nós.

Ele então girou seu cajado e acertou com força o torso da figura que com o impacto recuou para trás.

-Desgraçado. Eu conheço você! Você é...

Um Ex-Defensor de Kyomu!

Kubomi - O que?

Hittori - Você é bem informado, criatura do vazio. Mas... mesmo sendo um ex-defensor... Eu não estou tão enferrujado para lidar com criaturas como você!

-D-Droga.

Em um piscar de olhos eu vi ele dando outro salto em direção a criatura que tentou me atacar, e em poucos segundos, ele acabaria com ela.

Hittori - Eu ainda lembro das minhas habilidades, porém eu não fui capaz de proteger o Kubomi.

Os movimentos que Hittori fazia com o cajado eram muito habilidosos, ele mantinha certa facilidade para segurá-lo, que provavelmente era muito pesado.

Hittori - Décima terceira técnica : Kōsoku-kō katto (Corte rápido de luz) - Atacou então a criatura com seu cajado brilhando muito forte. A luz atravessou o peito dela cortando-a na diagonal.

O cajado literalmente cortou a criatura no meio, que virou um líquido preto que derramou no chão.

Hittori - Huh... Huh...

Kubomi - I-Incrível.

Hittori - Eu devo minhas desculpas a você Kubomi. Não fui capaz de te proteger. Se eu demorasse mais um pouco, talvez ele...

Kubomi - Você é muito forte Hittori! Por que não havia me contado antes?

O vento soprou forte em nossas direções, eu permaneci ajoelhado observando Hittori. Ele era tão legal.

Hittori - Eu preferi que você não soubesse. Mas um dia eu também já fui um dos defensores desse reino.

Kubomi - Você deveria se orgulhar disso. Mas por que você não é mais um dos defensores?

Hittori - É essa a parte que eu não queria chegar com você. Huh...

Hittori - Essa criatura que acabamos de enfrentar, é chamada de "criatura do vazio". Essa criatura costumava ser um humano como você, porém foi corrompida pelo vazio, e se tornou essa figura feroz e descontrolada, em busca apenas de sangue.

Kubomi - E de onde essa criatura veio?

Ele apontou com o dedo em direção ao lugar que havia me proibido de chegar perto.

Hittori - Esse reino não permanece só na superfície como você imagina. Aquela gruta a qual eu te digo que é perigosa, é na verdade a entrada para o restante do reino.

Hittori - O lugar que estamos agora é a entrada do reino, mas ele se estende até as profundezas do subterrâneo. É tão profundo que você não consegue imaginar. Diversas civilizações costumavam viver por lá.

Kubomi - Então... o reino não é só aqui? Eu pensei que todo o vilarejo fosse o reino.

Hittori - De fato o palácio costumava a ficar aqui em cima na "superfície" cercado por estes penhascos e perto deste vilarejo. Porém hoje em dia o subterrâneo está corrompido pelo vazio, e o palácio foi totalmente destruído.

Kubomi - Huh...

Hittori - Esse foi um dos motivos de eu te proibir de chegar perto daquele lugar. Há diversos andares abaixo de nós que levam a lugares que você não pode nem sequer relaxar. Eu não poderia te permitir adentrar um lugar contaminado como aquele...

Hittori fechou os punhos.

Hittori - Mas se o seu desejo... for realmente adentrar mais ainda esse reino, eu não posso te prender.

Kubomi - Como assim?

Hittori - Eu vou te deixar mais forte, Kubomi!

E assim começou o meu treinamento infernal. Hittori forjou uma espada para mim, com um tamanho que seria flexível para me adaptar. A espada possuía uma bainha preta e comprida, do tamanho da lâmina. O suporte da espada era redondo e bem simples, sem muitos detalhes, porém ela aparentava ser bem afiada.

Todos os dias desde que recebi a espada eu treinei diariamente com Hittori. Apesar de não ter muita habilidade com a espada, eu me baseava vendo os movimentos dele.

Ao invés de usar o seu cajado, Hittori usava um bastão de pedra e sempre que lutávamos um contra o outro, eu era derrotado miseravelmente.

Hittori - Kubomi! Você não chegou a esse reino por coincidência, você veio aqui seguindo o seus instintos não foi? Agora se você quiser continuar sua trajetória, você vai ter que me superar. Eu, um ex-defensor de Kyomu!

Kubomi - E-Entendido!

Apesar de ele estar segurando um bastão de pedra, sempre que minha espada colidia com o bastão dele, ela não o cortava. Eu não era bom o suficiente para cortar nem sequer um pedaço de pedra ainda.

Além de treinamentos de combate, Hittori me fazia cortar lenha e rochas com a espada, que quebrou diversas vezes.

Hittori - EI KUBOMI! PARA DE QUEBRAR A ESPADA! É RARO ACHAR METAIS PARA FORJAR UMA LÂMINA NESSE LUGAR!

Kubomi - DESCULPA! - Disse isso enquanto ele me batia na cabeça.

Hittori me batia várias vezes na cabeça quando eu errava algo ou quebrava a espada. Perdi as contas de quantas vezes ele teve que reforjar a minha lâmina. Apesar de ele se exceder e me bater demais as vezes, eu sabia que ele fazia aquilo por que queria que eu evoluísse, e eu confiava nele.

1 ANO DEPOIS...

Ao começar mais um combate contra o Hittori, eu senti que já estava lutando de igual para igual. Eu sabia manusear a espada com mais facilidade e havia aprendido algumas técnicas com ele.

Hittori - Você amadureceu Kubomi. Vejo que já segura sua espada com mais firmeza.

Eu já não quebrava minha lâmina a algumas semanas. No início eu quebrava ela sem parar, mas depois isso foi diminuindo, até agora eu acho que já consigo sentir a fluidez da minha espada.

Hittori me disse que você consegue sentir sua espada, ouvir o som dela. Toda espada emite um som, e se você consegue compreender o som da sua espada, você é capaz de cortar tudo.

Hittori - Não posso pegar leve com você então.

Em um piscar de olhos Hittori me desarmou e me acertou com o bastão de pedra, bem próximo a nuca.

Kubomi - Argh!

Hittori - Você se descuidou um pouco, se fosse com o cajado você certamente estaria morto agora. Mas você melhorou muito, estou orgulhoso de você.

Kubomi - Obrigado Hittori! Eu não teria conseguido se não fosse você!

Hittori - Vou preparar o jantar. Vá se cuidando pois amanhã é o dia da sua partida.

Kubomi - M-Mas já? Eu não teria que te superar?

Hittori - Eu sei, mas mesmo você tendo que me superar, você nunca iria conseguir. Hahaha! Você estando forte o suficiente como está agora, já é o bastante. Estou muito orgulhoso de você.

Hittori - Já faz mais de um ano em? Desde que você chegou aqui, acho que te preparei apropriadamente, não há mais nada que eu possa lhe ensinar. Tome cuidado Kubomi, não me faça me arrepender de ter destravado a sua liberdade.

No dia seguinte, acordei preparado para adentrar a gruta. Lembro que mais de um ano atrás, só de me aproximar daqui eu já sofria as consequências.

Hittori - Você está preparado Kubomi? - Dizia ele enquanto empunhava seu cajado.

Kubomi - Com certeza.

Entramos então na gruta, aquela era a entrada para o restante do reino, fazia muito tempo que Hittori não entrava lá.

Hittori - Escute, vou te acompanhar até o final desta encruzilhada, depois disso, é por sua conta. O seu primeiro desafio está próximo.

Andamos mais um pouco, Hittori estava segurando um lampião com vaga-lumes. Então logo a frente, pude avistar uma enorme parede de pedra, tampando o nosso caminho.

Kubomi - Q-Que parede é essa?

Não era uma simples parede rochosa comum, era uma parede pálida, diferente. E conforme nós avançávamos dentro da gruta pela encruzilhada, o lugar ia sempre ficando maior. Eu conseguia ter a sensação de que o restante do reino era bem mais profundo e bem maior, aquilo era só o começo.

Hittori - Como eu imaginava. Você está vendo essa parede não é?

Kubomi - Sim, por quê?

Hittori - Observe.

Hittori deu alguns passos e atravessou a parede. Tentei fazer o mesmo mas dei de cara com a rocha pálida.

Kubomi - C-Como você fez isso? Hittori! Consegue me ouvir?

Hittori - Consigo te ouvir claramente! - Disse atravessando novamente a parede.

Kubomi - O que foi isso?

Hittori - Essa parede é o seu primeiro obstáculo. Ela foi feita pelos defensores para impedir que mais impurezas desçam pelo reino. A única forma de adentrar no reino é quebrando-a.

Kubomi - Mas então por que você consegue atravessá-la?

Hittori - Não é como se eu estivesse atravessando-a. Ela simplesmente não existe para mim. Quem já a quebrou não precisa quebrar de novo, ela só aparece para aqueles que nunca entraram no reino ou nunca a quebraram.

Engoli seco.

Hittori - Então é isso, meu jovem gafanhoto. Nosso treinamento termina aqui.

Me despedi de Hittori. Senti uma melancolia no seu olhar e na sua maneira de falar, porém ao mesmo tempo ele aparentava estar feliz com a minha decisão. Desde que eu cheguei em Kyomu, eu sabia que meu destino não era apenas o vilarejo de Oom, havia algum lugar a mais que eu deveria ir. Acho que Hittori se sentiu mais aliviado por ter me preparado adequadamente, caso contrário, ele provavelmente me barraria de tentar vir aqui por conta própria.

Além de tudo, eu havia criado boas memórias durante o tempo que passei aqui.

Eu conseguia sentir a forte presença desse lugar só por estar na entrada, mas por algum motivo agora eu conseguia suportar isso, diferente de antes.

Kubomi - Então a única coisa que me resta agora é...

CORTAR ESSA DROGA!

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...