1. Spirit Fanfics >
  2. The Voided Kingdom : Kyomu no okoku >
  3. Apostando na sorte

História The Voided Kingdom : Kyomu no okoku - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Sobreviver ao impossível. Se salvar de situações de vida ou morte. Tomar decisões precipitadas. Teria Kubomi apostado tudo isso até agora apenas na sua sorte?

Capítulo 6 - Apostando na sorte


Tudo o que havia acontecido, fora resultados de seus esforços ou...

...pura sorte?

APOSTANDO NA SORTE

E os dois caminham pelo musgo...

...literalmente!

KYOMU NO ŌKOKU

Depois de um tempo andando pelo pântano musgoso, eu e Fubuki decidimos dar uma parada.

Fubuki - AAAH! Já estamos andando faz quase uma hora, eu não aguento mais.

Kubomi - Desculpa. Se eu estiver sendo um incômodo você pode ir na frente.

Por causa da queda no lago congelado que eu havia sofrido, a parte lateral do meu torso estava latejando de dor. Provavelmente eu havia quebrado uma costela. O local da dor estava vermelho e sangrando um pouco.

Fubuki - N-Não! De jeito nenhum, eu não sei se consigo chegar até a minha vila sozinho. Além do mais, você me salvou.

Kubomi - Te salvei do que exatamente? Você só estava preso. Uma hora ou outra você ia conseguir se soltar.

Fubuki - Bom, eu já te disse. Esse pântano é perigoso, tem uns bichos devoradores aqui. Eles são tipo umas aranhas, eles te prendem nos musgos e te devoram.

Kubomi - Eh? Que sorte a gente não ter encontrado nenhum até agora.

Fubuki - Hehe. É verdade.

Fubuki - *A aura que esse cara emite... é diferente. Esse cara tem um coração muito gentil, mesmo que isso não fique destacado em sua personalidade.*

Fubuki - Kubomi...

Kubomi - Diga?

Fubuki - E... então... onde exatamente você morava lá em cima?

Kubomi - Eu morava com uma pessoa que me acolheu. Quando cheguei nesse reino eu não sabia de nada. Ele me ensinou tudo que tinha de conhecimento e me forjou essa espada. Eu queria descer aqui no reino de qualquer jeito.

Fubuki - Que legal. Eu por outro lado, só queria sair.

Kubomi - E por que você queria sair de Kyomu? Te garanto que lá em cima não tem nada de mais, só um cara estranho que vive sozinho na sua cabana. Hahahaha

Fubuki - Bom... não foi decisão minha de sair. Quando menor eu tinha o sonho de ser um defensor, então fui treinado desde pequeno para poder lutar, mas nunca consegui aprender direito.

Kubomi - Mas... o que é necessário para ser um defensor?

Fubuki - Você precisa ajudar a vanguarda a combater as criaturas do vazio. Mas eu não tinha coragem o suficiente para isso. Existem diversos guerreiros por aí que lutam contra essas coisas, mas apenas os mais fortes se destacam. Não é a toa que existem só sete defensores.

Kubomi - Sete defensores? Caramba...

Fubuki - Todos que combatem as criaturas do vazio com a vanguarda recebem um título. Mas eu fui medroso e não consegui descer.

Kubomi - Se você não conseguiu descer, por que tentou subir então? Você poderia ter ficado na sua vila.

Fubuki - Não... eu não podia. Eu fui expulso de lá.

Kubomi - Eh? Por q-

De repente enquanto descansávamos no musgo, três criaturas musguentas resolveram aparecer.

Kubomi - ISSO AI SÃO?

Fubuki - DROGA! SÃO OS DEVORADORES MUSGOSOS!

Eu e Fubuki sacamos nossas espadas imediatamente. A espada de Fubuki era reluzente com um tom azulado em certa parte da lâmina. A empunhadora mantinha detalhes azuis feitos de pano, era realmente uma espada bonita.

Kubomi - I-Incrível...

Os devoradores então começaram a se atrelar pelos musgos vindo em nossa direção, alguns deles iam pelo chão ou se esgueirando pelas árvores.

Nós dois ficamos em posição de ataque, e nesse instante, o meu corpo começou a reagir.

Kubomi - Argh!

O meu torso começou a doer mais ainda e eu não fui capaz de ficar de pé. Eu não tinha como fazer nenhum curativo naquele pântano e não tinha nada o que eu podia fazer, a minha costela estava quebrada.

Fubuki - Kubomi! Você tá bem?

Kubomi - Não posso dizer que estou bem mais... - Tentei me levantar me apoiando na espada, mas caí logo em seguida.

Kubomi - *Que droga... não consigo nem ficar de pé... eu ainda sou muito fraco.*

Fubuki - Droga. *Eu estou sozinho nessa. Eu tenho que proteger o Kubomi com todas as minhas forças!*

Kubomi - *Eu não posso reclamar, eu dei muita sorte de estar vivo...*

Apesar de ter chegado até aqui... naquele momento comecei a refletir sobre tudo o que passei até agora, eu realmente dei muita sorte. Encontrar aquele pingente para poder descer do penhasco, encontrar o Hittori que logo depois me salvou diversas vezes e me ensinou... e depois dar a sorte de ter fincado minha espada no gelo e ter aberto um buraco para que eu caísse na água. Eu realmente apostei minha vida diversas vezes na sorte, eu não poderia reclamar naquela hora.

As criaturas foram mudando de forma, conforme elas iam se entrelaçando no musgo, elas iam criando braços e pernas.

Fubuki - Q-Que droga é essa?

Duas criaturas se lançaram na direção de Fubuki que só conseguia se defender com a espada. E eu, ao seu lado no chão, só podia observá-lo.

Fubuki - C-Como assim? Eles são muito fortes.

As criaturas tentavam de qualquer jeito abocanhar a cabeça de Fubuki que ia se defendendo com a espada enquanto ia sendo empurrado para trás.

Fubuki - CUIDADO KUBOMI!

A última das criaturas que haviam aparecido pulou na minha direção.

Kubomi - Argh! - Eu me contorcia enquanto segurava a cabeça da criatura com as mãos. Ela era muito forte e estava a centímetros de abocanhar a minha cabeça.

Fubuki - Maldita! Larga o Kubomi!

Fubuki empurrou as duas criaturas que estavam atacando e tentou cortar a criatura que estava sobre a minha cabeça. Ela desviou imediatamente.

Fubuki - Esses gosmentos... eles são muito rápidos. Eles se entrelaçam no musgo e não da pra saber quando ou onde eu devo acertá-los.

Kubomi - Te devo essa Fubuki. - Disse enquanto me levantava com dificuldade.

Fubuki - E-Espera Kubomi. Você está em condições de lutar?

Kubomi - Isso não é nada. Eu não posso reclamar de estar machucado já que cheguei até aqui. Comparado aos socos do Hittori, essa dor não é nada!

Ficamos um de costas para o outro nos defendendo e contra atacando enquanto as criaturas musgosas nos atacavam.

Fubuki - Hehehe. Você é bom com a espada Kubomi!

Kubomi - Você também não fica pra trás!

Por fim, acertamos todas as três criaturas e cortamos suas cabeças.

Kubomi - Ufa... isso foi cansativo.

Antes que eu pudéssemos respirar. A cabeça das criaturas iam se entrelaçando com o musgo que havia no chão.

Fubuki - Não pode ser...

Além das três criaturas que cortamos as cabeças estarem se regenerando enquanto se entrelaçavam no musgo, outros musgos iam formando novas criaturas.

Kubomi - Então quer dizer que essas criaturas...

Fubuki - ...são todo o musgo!?

Finalmente tomamos conta do que estávamos confrontando. Não era apenas bichos do musgo... era o pântano inteiro! O pântano possuía vida!

Fubuki - Se essas criaturas não podem morrer... a gente ficaria aqui dias acabando com elas!

Kubomi - Não. Não é isso. O inimigo é o pântano musgoso como um todo. Essas criaturas são apenas parte do seu corpo.

Kubomi - Em outras palavras, a gente está pisando no corpo do monstro nesse momento. A gente precisa achar seu núcleo.

Fubuki - Mas o pântano é gigante, a gente não pode ficar procurando assim. A gente tem que ir embora!

Kubomi - Se a gente não derrotar essa criatura não vamos ter como descer para a sua vila!

Ficamos caminhando pelo pântano por mais alguns minutos. A essa altura eu não conseguia mais ficar de pé sozinho e estava apoiado no ombro de Fubuki enquanto a gente repelia os ataques das criaturas do musgo que iam surgindo.

Fubuki - Que droga! ISSO NÃO ACABA!

Kubomi - A medida que a gente tá andando mais desses bichos tão aparecendo, então a gente não deve estar muito longe! O núcleo desse monstro deve estar por perto!

Fubuki - *Ele é muito inteligente. Eu não sei se eu conseguiria ter um raciocínio rápido desses sobre a situação.*

Fubuki - *Não... mas mesmo assim ainda tem chances dele estar errado e esses bichos serem apenas criaturas infinitas que se regeneram, porém temos que acreditar em alguma coisa.*

Andamos mais um pouco e quando cortamos uma mata a nossa frente, nos deparamos com um emaranhado redondo de musgos, pulsando.

Kubomi - Ah...

Fubuki - Que droga é essa? Que nojo!

Eu não posso dizer exatamente como, mas naquele momento a minha dor sumiu. Por instinto eu e o Fubuki sacamos nossas espadas e ficamos em posições de luta mais sérias, nos preparando para o que estava por vir. Aquela bola de musgo não era apenas um monstro do pântano, mas sim, uma criatura do vazio!

A gente conseguia ouvir o som do vazio, assim como Hittori me ensinou a ouvir o som dessas criaturas. Fubuki foi treinado com intuito de ser um defensor, então ele provavelmente ouviu também. A criatura que dominava o pântano musgoso e prendia as suas presas era nada mais nada menos que uma criatura do vazio, totalmente diferente daquela que eu havia visto em Oom. Ela era maior e emitia um som de perigo gigante.

Estávamos prontos para atacar aquela criatura.

Kubomi - Terceiro estágio...

Fubuki - Primeiro estágio...

Quando íamos lançar os nossos ataques contra aquela criatura, uma figura passou diante de nós e a cortou no meio gentilmente. O clima ao redor de nós ficou calmo naquele instante.

Kubomi - O que acon-

A criatura do vazio foi cortada ao meio por uma garota, que parecia estar com uma máscara de metal sobre o rosto.

Assim que a criatura foi cortada, a garota desapareceu em meio ao pântano.

Fubuki - Eh? O que? Por que o bicho foi cortado ao meio?

Kubomi - C-Como assim? Você não viu?

Fubuki - Viu o que? PERAÍ! VOCÊ DERROTOU O BICHO? CARAMBA KUBOMI! ISSO AÍ ERA UMA CRIATURA DO VAZIO! VOCÊ OUVIU O SOM QUE ELE EMITIU NÉ? NÉ?

Kubomi - Errr...

Fubuki - VOCÊ É MUITO LEGAL! MESMO MACHUCADO COM OS OSSOS QUEBRADOS VOCÊ FEZ ISSO! ME ENSINA! ME ENSINA!

Não sei por qual o motivo, mas aparentemente aquela garota cortou a criatura muito rápido. Tão rápido que eu mal pude enxergar, mas eu a vi de relance. Já o Fubuki, nem sequer viu. Tudo aconteceu em um piscar de olhos.

Kubomi - *Eu dei sorte de novo... eu dei muita sorte de novo...*

Eu não sabia no momento se era capaz de derrotar aquela criatura, nem com Fubuki ao meu lado. Eu ainda não havia visto seu total potencial. Aquela criatura estava além de tudo que eu já tinha enfrentado, que era pouca coisa. Eu havia dado sorte de novo, sorte de aquela garota ter aparecido e derrotado a criatura com tanta facilidade.

Kubomi - *O Fubuki queria trabalhar na vanguarda, derrotando criaturas assim...*

*Será que é isso que eu gostaria de fazer também?*

Kubomi - Ei Fubuki, falta muito para a gente chegar na sua vila? Oh...

Fubuki tinha ido um pouco para a frente de mim.

Fubuki - EI KUBOMI! ADVINHA O QUE EU ACHEI!

Caminhei até ele, Fubuki havia achado a passagem para o segundo andar do reino.

Kubomi - É lá que a sua vila fica?

Fubuki - Sim... Err... você não quer ajuda?

Fubuki me apoiou no seu ombro.

Fubuki - Espero que tenha como a gente tratar do seu ferimento lá em baixo.

Kubomi - Eh... tomara. Obrigado Fubuki.

Acho que ali, diante de todo aquele musgo, eu havia encontrado o meu primeiro amigo.

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...