História The Waffles - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Personagens Jeff, Personagens Originais
Tags Ticci-toby
Visualizações 18
Palavras 1.639
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui de novo, o episódio quase não saia hoje de tão feliz que estava, minha felicidade atingiu o auge de eu querer ficar parada sem fazer absolutamente nada só pensando no que me fez feliz kk >.>

Mas me senti meio triste por vocês caso o cap não saísse no dia combinado, então aqui estou eu. Prontos para um novo capítulo?

Se estiverem prontos, me acompanhem nessa jornada ^^

-----------------------------------

Capítulo 5 - Se conhecendo? Talvez.


Peguei a faca de Jeff que estava caída ao chão, caminhando lentamente até a porta do seu quarto para poder a devolver, essa era a primeira vez que não ouvia nenhuma briga rondando os comodos da mansão ou algo do tipo, raramente conseguia-se ouvir alguns gritos infantis, parecia ser Sally com raiva e então depois de não muito tempo, chego ao quarto de Jeffrey Woods, bato em sua porta várias vezes até ouvir ele gritando um "entra logo caralho!" parecia estar com raiva de algo, provavelmente da Jane.

-A, é você - falou indiferente e desanimado ao me ver.

-Vim devolver sua faca - retorno sua forma de falar na mesma moeda - Pelo menos uma delas - disse e joguei a faca em sua direção - Eu sei quem pegou as suas queridas facas, foi a. - sou interrompido pelo garoto a minha frente.

-A Jane - continuou indiferente - Eu sei - me encarou neste instante e logo ficou tipo "falei algo errado?"

-Errou feio - disse sério - Foi a Nina - por detestar quando alguém me interrompe, acabei por falar mais sério do que eu normalmente falaria.

-A Nina? - ele fez cara de tacho - Sério? - perguntou-me sem entender o motivo daquilo - Por que ela roubaria as minhas facas? - indagou - E por que ela culparia a Jane? - assim que continuou sua pergunta foi respondido por um par de olhos amarelados num canto escuro do quarto.

-Ciúmes - o garoto, antes escondido nas sombras agora fala se aproximando dos outros dois presentes - A Nina tem ciúmes da Jane - completou com uma cara que só ele sabia fazer, uma cara mais de enterro que a dele, impossível.

Jeff apenas se jogou em sua cama, ignorando por completo qualquer coisa que poderiamos acabar por falar, eue stava me sentindo meio louco naquela hora, então tanto eu, quanto Puppeteer saimos do quarto do Killer que costumava usar um moletom na cor de neve, eu e o outro garotos pareciamos melhores amigos naquele momento, mas também pareciamos dementes apenas pelo modo que andavamos pelo corredor. Chegando ao nosso destino, vulgo a sala, avisto The X largadasso no sofá, o Toymaker tentava acalmar os ânimos de Sally com alguns brinquedos, Clock também estava por ali, ela conversava com a Nurse Ann.

-Que horas são? - pergunto ao me aproximar de Clock e Nurse.

-Meia noite e meia - Clock me responde enquanto tirava o cabelo da frete de seu relógio.

-Puppet - sabia que era o Blood Paiter, apenas pela forma que ele chama o Puppeteer - Quero te mostrar um negócio que eu fiz - ele continuou.

Puppeteer vai até ele e os dois seguem a escada acima enquanto conversavam, logo a porta é aberta revelando Masky e Hoodie, os dois estavam acompanhados por Lazari, provavelmente a única forma de acalmar a Sally era trazendo outra criança para cá e foi exatamente o que aconteceu, assim que Sally viu a outra garota na porta, já saiu correndo para brincarem, não tive muito tempo de apreciar a boa calmaria da mansão, pois Hoodie logo veio até mim, ele literalmente me arrastou pela sala, escada e corredores até meu quarto, e nem deixou eu falar nada sobre, apenas me jogou para dentro.

-Acorde bem cedo amanhã - ordenou - Vamos atrás da garota logo pela manhã - falou sério, logo fechou a porta com força e me trancou ali dentro.

Não sabia se ficava com raiva do Hoodie ter me arrastado ou se ficava de boa por ele ter me deixado no quarto sem me supervisonar, mas mesmo assim resolvi "obedecer" só antes iria ter uma palavrinha com a garota.

 P.O.V Annie

Deitada, completamente afogada em seus pensamentos, era como eu me encontrava no momento, esperava meu irmão acabar a pipoca e minhas amigas escolherem o filme que iríamos os três assistir.

-Você está bem Annie? - ouvi Naomi perguntar enquanti invadia meus pensamentos sobre o dia anterior - Tu não para de encarar o nada - falou e começou a passar a mão em frente ao meu rosto, apenas para ver se eu acordave de meus devaneios.

-Ou, de onde surgiu esse moletom? - Nani indagou enquanto se referia ao moletom de mangas listradas e capuz azul que eu vestia.

-É de um garoto - falei - O mesmo que quase me matou - continuei sem pensar e sem ligar para que tipo de reação aquelas palavras poderiam fazer.

-O que?! - ouvi a voz de meu irmão - O que ele quer contigo? - perguntou-me curioso.

-Eu não falei nada - finjo demência assim que oercebo a merda que acabo por falar - Mas e aí - me sento no sofá - Cadê a pipoca? - pergunto enquanto tentava mudar de assunto.

Ele segue novamente a cozinha, não demora muito até meu irmão retornar a sala com a pipoca e quatro potinhos em mãos, Naomi da o play no filme assim que meu irmão se acomoda ao seu lado no chão, era um filme de terror e como eu não sabia disso, pelo menos não naquele momento, logo no primeiro susto, meu grito levemente agudo por conta do medo ecoou pela sala, com certeza eles quase ficaram surdos nesse momento. Pouco tempo de filme depois, começou a parte de tensão e suspense, estavamos os quatro focados no filme, estavamos focados o suficiente para conseguir pegar o nada em nossos potinhos de pipoca, do nada pode ser ouvido alguém batendo em nossa janela, nós claramente fomos maturos o suficiente para não manter a calma e gritar pelo susto, ficamos encarando a janela por um longo tempo até eu me pronunciar.

-Eu vou - falei tentando conter o medo, só que eles não estavam colaborando - Me desejem sorte - passei a caminhar lentamente em direção a janela.

-Não vá - Naomi pediu enquanto me olhava e antes de poder continuar meu irmão, Lucca a interrompe.

-Vai que é uma entidade maligna querendo nos matar? - perguntou rápido, a forma que ele perguntou claramente não teria vírgula alguma caso fosse escrita.

Ignorei-os por completo, respirei fundo assim que cheguei em frente a janela, exito por uns instantes, mas logo tomo coragem para a abrir e assim que a abro, vejo quem eu mais temia estar ali, o garoto que tentou me matar, chegou no momento certo amigo... Ri de nervoso com o meu pensamento e ele não percebeu, graças.

-Preciso falar com você - ele fala desviando o olhar - Mas, a sós - continuou, mas dessa vez apontou aos outros presentes na sala por um breve momento.

-Ta, mas você... - engoli em seco antes de continuar - Você não vai me matar, vai? - assim que o pergunto, ele apenas nega com a cabeça - Eu estou indo para o meu quarto! - gritei para os outros ouvirem, fechei a janela e corri até meu quarto.

Ao chegar lá, fui até minha tão querida janela, que uma vez falhou em me proteger e a abri, passei a esperar por uns momentos até ver o garoto pulando a mesma e entrando em meu quarto. Ele nem deixa eu me dar ao trabalho de fechar minha própria janela, já que o garoto mesmo o faz assim que entra, jogou sua mochila no chão e passou a procurar por alguma coisa ali dentro.

-O que veio fazer aqui? O que garante que tu não vá me matar? - comecei a jogar umas perguntas para cima dele e logo lanço a que eu mais queria receber respostas - Quem é você? - assim que eu termino de perguntar, ele me joga uma caixa de waffles.

-Eu vim aqui para pedir desculpa - falou com indiferença - E eu, estaria com o meu machado ou algo do tipo, para te matar mais rápido se eu fosse o fazer - respondeu também a minha segunda pergunta.

-Mentira que tu quer pedir desculpa - digo me sentando na beira da cama - Não, sério? Antes tu tava querendo muito me matar e ago. - sou interrompida pela sua mão, que agora estava a tapar minha boca.

-Eu realmente quero me pedir desculpas - disse me olhando nos olhos - Nós... - dessa vez foi minha vez de o interromper, assim que consigo me livrar de sua mão, que agora estava entre as minhas.

-Começamos com o pé esquerdo - falei sorrindo e ele deu um suspiro pesado, parecia com raiva - Me chamo Annie e tenho 18 anos, e você? - me apresentei como deveria ser e logo foi a sua vez.

-Me chame de Toby e minha idade não é tão importante assim - assim que ele termina a frase eu o olho com uma cara de criancinha pidona, apenas queria saber sua idade, vai que - Okay, tenho 19 anos... - e então eu sorri e soltei a sua mão, que nem percebi que estava segurando.

Ele pegou  uma caixa de waffles de trás de mim e me deu, passamos a conversar e a nos conhecer um pouco mais em quanto comiamos os waffles, me enganei em achar que ele era o cara mal, só as vezes me arrependia disso por ele mudar seu comportamento de uma forma por algumas vezes. Até que foi divertido falar com ele, tirando pelo fato de as vezes ele parecer irritado e do nada parecer feliz, mas eu acho que consegui me abrir melhor com ele do que com minhas amigas, mas infelizmente, algum tempo depois ele teve de ir embora, a única cousa boa disso, foi que ele me convidou para sair no dia seguinte depois de minhas aulas. E para melhorar minha noite por completo, consegui ter a noite de sono que eu mais prezava na vida, uma boa noite de sono, era isso que eu queria e consegui.


Notas Finais


Eu não vou deixar muito uma data para o 6, pois estou com poucas idéias, mas se tudo der certo, ele irá sair daqui a dois dias mesmo, no caso, dia 5.

O que acharam de minha nova forma de escrever, se não estiver muito agradável, posso retornar ao anterior.

Me digam se algo na fanfic em si, esta a incomoda-los, assim posso tomar os devidos cuidados ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...