História The walkers - clexa - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Fear The Walking Dead, The 100, The Walking Dead
Personagens Aaron, Aden, Anya, Bellamy Blake, Carl Grimes, Clarke Griffin, Costia, Daryl Dixon, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Echo, Emori, Glenn Rhee, Jasper Jordan, John Murphy, Lexa, Lincoln, Madison Clark, Maggie Greene, Marcus Kane, Maya Vie, Nick Clark, Octavia Blake, Paul "Jesus" Monroe, Raven Reyes, Rick Grimes, Roan
Tags Clexa
Visualizações 85
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Dae galeraxx, depois de um século e meio eu voltei ksk, estou com um puta bloqueio de criatividade.
Espero que gostem do Cap S2
Ficou pequeno, mas melhor que nada né ksk
Me perdoem pelos erros e boa leitura :)

Capítulo 12 - You like that, right?


Pov Lexa... 

Estava sentindo uma dor absurdamente grande, mas de repente tudo sumiu, tudo ficou uma paz, as vozes das pessoas, os barulhos todos foram sumindo. Eu lembro de ter levado um tiro, me lembro de Clarke falando comigo e tenho alguns flashs de memória de quando chegamos ao acampamento. Mas agora estou aqui, andando sem rumo em uma floresta que por sinal, é muito linda. Caminho mais um pouco por uma estradinha com flores em volta, estou me sentindo em um filme da Disney. 

-  Com licença moça, está perdida?  - Uma mulher de cabelos castanhos e de olhos azuis apareceu do nada. 

- AÍ CARAL... Que susto você me deu moça - Rimos juntas – De onde você apareceu? 

-  Eu moro ali - Ela falou apontando para um chalé - Aí te enxerguei pela janela, mas você não respondeu minha pergunta. Está perdida?  

- É, praticamente sim – Olhei para os lados – Totalmente sim – Sorri – Qual seu nome?  

- Meu nome é Ana, e o seu?  

- O meu é Lexa – Falo sorrindo 

-Então Lexa, quer entrar tomar um banho? 

- Se não for um incomodo. 

- Logico que não - Ela fala com um sorriso acolhedor – Vamos lá então- Ela me puxou pelo braço e caminhamos até o chalé - Entre – Ela fala abrindo a porta, eu entro e nossa, é tudo muito organizado, não parece nem um pouco minha antiga casa, mas me sinto bem aqui. 

- Vem, o banheiro é por aqui – Sigo ela até um pequeno banheiro – Tem um armário com toalhas, sabonetes, shampoo e eu vou deixar roupas limpas para você em cima da cama, que é aqui na frente – Ela fala apontando para um quarto – Mas qualquer coisa é só me chamar. 

- Ta bom, obrigada – Falo e ela sai fechando a porta, abro o armário e pego shampoo e um sabonete, ligo o chuveiro, sinto a água se chocar contra a minha pele, fico por uns cinco minutos depois saio, pego uma toalha, me enrolo e vou até o quarto onde ela disse que deixou as roupas, vejo que ela deixou uma calcinha. 

- Hey, Ana – A chamo e ela não demora muito para aparecer. 

- Sim?  

- É que você deixou uma calcinha aqui e... é... Meio que eu sou diferente, entende? - Falo apontando para baixo 

- Oh! Claro, me desculpe, espera um minutinho – Ela sai do meu campo de visão, mas logo volta com uma cueca branca nas mãos - Aqui – Ela me entrega e sai. Visto a cueca e um top da mesma cor, coloco uma calça jeans preta e uma camisa branca, terminei de me vestir, amarrei meu cabelo e fui para a cozinha ver se ela estava lá. 

- Oi, estou preparando algo para você comer – Ela fala com um sorriso sincero no rosto. 

- Não precisava, mas confesso que estou morrendo de fome – Ela ri com o meu comentário - Vou lá fora lavar meu coturno - Dei um sorriso e sai para fora, achei uma torneira e umas coisas para lavar, me abaixei peguei a esponja passei sabão, comecei a limpar, não consigo parar de pensar em que aconteceu comigo, eu estava sangrando, quase morrendo e do nada apareço aqui nessa floresta “encantada”. Será que morri e estou no paraíso? Se for isso preciso procurar meus familiares que diziam que iriam para o céu e eu iria para o inferno haha. Terminei de lavar, pendurei o coturno na janela e entrei para dentro do chalé. 

- Que bom que entrou, já ia te chamar. Está pronto – Ela falou apontando para a mesa que parecia ter um verdadeiro banquete. 

- Uau! Quanta comida – sorri quase babando. 

- É toda sua, pode comer – Ela falou sentando na cadeira de frente para mim. Comecei a comer, tinha de tudo, isso é muito bom, estou sentindo toda a preocupação sumir. Terminei de comer e fui lavar as coisas que sujei.  

- O que acha de darmos um passeio pela floresta 

- Acho uma boa ideia – Falo secando minha mão. 

-  Então vamos – Ela fala saindo da casa, saio logo atrás dela, visto meu coturno e caminhamos até a estrada. Já estávamos caminhando u um tempo e o silnecio de instalou entre nós, mas não era um silencio constrangedor, todavia resolvi quebra-lo. 

- Então, faz quanto tempo que mora aqui  

- Muito tempo – Ela me responde. 

- Onde exatamente estamos? - Perguntei a ela, que repentinamente parou de andar. 

- Isso não importa, o que realmente importa é que estamos juntas aqui – Ela fala e passa a mão pelo meu peito, eu apenas desviei. 

- É... - Sorri sem graça, não quis contraria-la, vai que ela é uma psicopata que tem uma faca na cintura, já sangrei o bastante, prefiro não arriscar. 

- Quantos anos você tem? - Ela me pergunta voltando a andar. 

- Tenho 18 e você? - Pergunto olhando para ela. 

- Tenho 20 – Ela sorri para mim. Caminhamos mais um pouco até que chegamos na frente de uma arvore – Vamos nos sentar aqui em baixo? - Ela pergunta me olhando 

- Claro, porque não - Eu sento no chão e ela senta ao meu lado, ficamos conversando coisas aleatórias até que ela começa a pegar em mim, primeiro ela encostou no meu braço depois na parte interna da coxa, fui tentar levantar, mas ela me segurou. 

– O que você ta fazendo? - Eu falo e ela senta no meu colo. 

- Não vem dar uma de cínica pois eu sei que você quer tanto quanto eu – Ela fala e rodea meu pescoço com seus braços. 

- Eu não quero, sinto que tenho alguém, mas não consigo lembrar – Falo e ela apenas sorri. 

- Como eu disse, agora só nós duas importamos meu bem – Ela fala e me beija, o beijo dela não é aquele beijo bom, mas é tipo viciante, como se ela jogasse um feitiço do amor sobre mim. aprofundei o beijo e ela desceu a mão para o meu membro, eu gemi com o toque. 

- Você gosta disso, né? - Ela falou ofegante. Ela tirou minha camisa e eu a deitei na grama, mas do nada começou a chover.  

- Só pode estar de brincadeira – Falei olhando para cima e sorrindo. 

- Vamos – Ela pegou na minha mão e saiu me puxando – Corre – Ela falou e eu ergui ela no colo, ela deu um gritinho de susto e um tapa. 

- Me bate que eu te solto – Eu falo e ela me olha com os olhos semicerrados. 

- Você não faria iss... - ela nem terminou de falar eu a soltei e sai correndo. 

- Você me paga – Ela falou e saiu correndo atrás de mim, entrei dentro da casa e ela entrou logo em seguida, pulou no meu colo e começou um beijo selvagem, carreguei ela até o quarto mais próximo, deitei ela na cama e fiquei em cima dela, ela rapidamente trocou as posições - Fica comigo Lexa – Olhei para ela, aqueles olhos azuis me fitando me lembram algo, me lembram alguém, mas eu não consigo lembrar. Continuei o beijo e do nada vem alguém na minha mente. Oh meu deus empurrei ela do meu colo e gritei.  

-  CLARKE!!! - Depois tudo ficou branco. 


Notas Finais


Então, gostaram? Espero que sim :)
Vou tentar não demorar, mas ja descumpri todas as promessas que fiz de não demorar, sorry
Deixem comentários babys S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...