História The Walking Dead - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Daryl Dixon, Personagens Originais
Visualizações 102
Palavras 2.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Cookies, eu sei que demorei para postar esse capítulo, andei meio Ble ultimamente, não queria escreveu um capítulo ruim, bom, mas agora eu estou aqui com um ótimo capítulo para vcs.
Leiam com moderação 😘
NÃO REVISADO.

Capítulo 15 - Adeus Dale!


Fanfic / Fanfiction The Walking Dead - Capítulo 15 - Adeus Dale!


Três dias se passaram desde o ocorrido com o celeiro, desde então as coisas andam tensas, Hershel se mandou para a cidade para encher a cara, Rick e Glenn  tiveram que ir atrás dele. Beth entrou em estado de choque com a morte da mãe e logo depois tentou se matar, tudo porque a nossa queridissima Andrea não conseguiu fechar a matraca, isso acabou com Maggie expulsando ela da casa. Rick, Glenn e Hershel trouxeram um cara para a fazenda assim que voltaram da cidade. Carl se engalfinhou com um zumbi na floresta logo depois de roubar a arma de Daryl, por sorte não saiu ferido. Falando em Daryl, eu e ele meio que não estamos nos falando, eu estou magoada e ele é o Daryl, já sabemos que vai demorar um pouco para termos uma " relação" de novo. Também ando um pouco afastada de todos, as únicas pessoas com quem eu falo são, Maggie, Hershel, Beth e Glenn, e também com Rick quando saio para fumar a noite, ele costuma desabafar comigo, com o resto do grupo só falo o nescessário, e depois de nossa briga eu e Andrea trocamos apenas olhares de ódio.

" Eu estava sentada do lado de fora da casa de Hershel fumando, quando Andrea para em minha frente com cara de dona do mundo - Isso não vai prestar.

- Vai ficar aí sentada só olhando a gente trabalhar? - olho em volta para ver o enorme trabalho que todos estão fazendo e vejo apenas Carol e Lori lavando roupa.

- E qual seria esse trabalho Andrea? - ela apenas ergue a blusa que estava em sua mão.- Minha roupa está limpa, seca e dobrada se é essa a sua preocupação. - vejo seu rosto ser tomado por fúria.

- E por um acaso é só sua roupa que está suja? 

- Não, mas são apenas as minhas roupas que eu uso. - digo dando um trago em meu cigarro.

- Como você pode ser tão egoísta? É uma vadia mesmo, a única coisa que sabe fazer é sair dando por aí que nem uma cadela no cio. Ou você acha que eu não vi você se atirando para o Rick.- Ela diz em alto e bom som atraindo olhares de todos, eu me levanto e jogo o cigarro fora pisando em cima do mesmo e pulo a cerca da varanda e a empurro fazendo com que a mesma caia de bunda no chão, me sento em sua barriga e agarro seus cabelos aproximando seu rosto do meu.

- Me diz Andrea, quantas vezes você arriscou a sua vida para ir até a cidade buscar suprimentos? Quantas vezes você salvou minha vida ou a de qualquer um nesse grupo? Quantas vezes você se colocou na linha de frente para nós salvar? - pergunto em um tom calmo mas ao mesmo tempo assustador - Nunca não é? Então me faz um favor, quando você quiser me provocar falando algo de mim, diga algo verdadeiro, porque mentira comigo não rola. - solto seus cabelos e saio de cima de sua barriga, dou alguns passos em direção a casa mas paro e me viro a encarando de novo. - E se eu sou uma vadia por escutar um homem que está atrás de um amigo para conversar, então sim, eu sou uma vadia, ou uma cadela no cio como você prefere chamar, mas pelo menos eu não fico falando ladainhas para chamar atenção e criar intrigas. - me viro e entro na casa. "

Depois disso Lori veio falar comigo sobre Rick o bebê e consequentemente, sobre Shane também. 

Neste exato momento estou escutando Daryl falar sobre o antigo grupo de nosso ilustre visitante.

-... Se vierem para cá, os homens do nosso grupo vão morrer, e as mulheres... - ele me olha rapidamente -... Ainda pior - sinto os pelos da nuca se arrepiarem.

- O que você fez? - pergunta Carol.

- Bati um papinho - Rio pelo nariz e olho para Rick que não está com uma cara muito boa.

- Ninguém chega perto desse cara - diz ele 

- Rick, o que você vai fazer? - escuto Lori perguntar baixinho. 

- Não temos escolha, ele é uma ameaça. Temos que eliminar a ameaça.

- Vai simplesmente mata-lo ? - pergunta Dale.

- Olha Dale, eu sempre fui o tipo de pessoa que segue o velha frase " Inocente até que se prove o contrário", mas neste momento não temos muita escolha, não temos provas que mostrem que aquele cara é inocente, e simplesmente ir na boa fé não é a melhor das alternativas, não temos escolha. -  digo enquanto Dale faz uma careta, apenas revirou os olhos e olho para Rick. - Você já sabe qual é a minha decisão - dou as costas para o grupo, e me afasto, mas consigo ouvir Rick dizendo que vamos mata-lo, caminho para perto do celeiro e me sento em uma carroça velha que tem ali, acendo um cigarro e fico olhando para o nada, apenas pensando na vida. Escuto passos atrás de mim, mas não me viro pra saber quem é, a pessoa se senta do meu lado e então sinto seu cheiro, um cheiro amadeirado misturado com suor e os cheiros diferentes da floresta, é mesmo sem olhar eu sei que é Daryl sentado ao meu lado, estendo o cigarro para ele que o pega sem hesitar.

- Me desculpe. - é a primeira que diz, continuo olhando para frente - O que eu disse naquele dia, era mentira, eu me importo com você, mais do que jamais me importei com outra pessoa. - me estende o cigarro, e sei que nada mais sairá de sua boca, simplesmente sorrio e o olho.

- Pisa de novo na bola comigo, que eu arranco as SUAS bolas. Entendeu? - ele arregala os olhos e concorda, sorrio. - Ótimo - me aproximo de seu rosto e lhe dou um beijo em sua bochecha, ele segura meu rosto e me dá um selinho demorado. - Uau, quem é você e o que fez com Daryl Dixon? - ele revira os olhos enquanto eu solto um risada, ele se levanta e fica de frente para mim.

- Vou ir caçar. - franzo o cenho.

- Toma cuidado, ok? - ele apenas confirma com a cabeça e me dá um beijo na testa.

- Você também, volto ao por do sol.- vira as costas e sai.

O resto do dia passa rápido, e fico intercalando entre ler e conversar com Maggie. 

O por do sol chega e todos nos reunimos na sala de Hershel, me sento em uma das poltronas de Hershel com a pernas cruzadas, como índio. Estão todos em silêncio, olhando uns para os outros, permaneço de cabeça baixa olhando para minhas mãos em meu colo e deixando que meus cabelos tapem meu rosto.

- E ai, como a gente vai fazer? É só votar? - pergunta Glenn 

- Tem que ser unânime?- Pergunta Andrea.

- Que tal a maioria vence - diz Lori.

- Bom, a gente pode ouvir a opinião de todo mundo e aí discutir as opções. - diz Rick, levanto a cabeça e a encosto na parte de trás da poltrona, Rick está atrás dela, e desde modo consigo enchergar a parte de baixo do seu rosto.

- Bom, na minha opinião, só tem uma solução. - diz Shane.

- Mata-lo, não é? Por que precisa de votação? Está claro como as coisas ficaram.- fala Dale

- Se alguém acredita que podemos poupa-lo, eu quero saber

- Posso dizer que é um grupo pequeno, talvez, só eu e o Glenn.- Glenn o olha e fala que não está do lado dele.

- Não se preocupe Dale, eu estou com você. - digo o olhando, todos na sala me encaram surpresos, principalmente ele.

- Mas, e aquilo que você disse mais cedo, sobre inocente até que se prove o contrário? 

- Aquilo era tudo verdade, de fato não temos escolha, se a maioria votar a favor da pena de morte, ok não posso mudar a opinião deles, mas eu nunca falei que era a favor de mata-lo. Eu sei das consequências de mantê-lo vivo, mas também sei que hoje em dia, a mais mortos do que vivos caminhando por ai. Prefiro deixar a parte da matança com os mortos. E Rick de fato já sabia minha opinião, já que debatemos sobre isso ontem. Então meu caro Dale, eu estou do seu lado. - ele sorri agradecido, lhe devolvo o sorriso e volto para a posição anterior.

- Enquanto a você, concorda com isso? - Dale pergunta a Maggie.

- Ele não pode continuar preso? - pergunta ela.

- É mais uma boca pra alimentar- responde Daryl. Eles continuam a debater sobre isso, e Dale continua a defender o garoto, permaneço com minha boca fechada, já sei aonde isso vai dar, é perda de tempo debater até dizer chega, sempre terá algum argunto para mata-lo. Acordo de meus devaneios com um "grito" de Dale.

- Espera, espera, vocês estão falando sobre isso como se já tivessem decidido. 

- Vocês conversaram o dia todo, estão andando em círculos, quer continuar andando em círculos? - pergunta Daryl ficando impaciente.

- Mas se trata da vida de um jovem. E ele vale mais do que uma conversa de cinco minutos! Foi nisso em que chegamos? Vamos matar alguém porque não podemos decidir o que fazer com ele? Vocês o salvaram! E agora olha para gente. Ele foi torturado. Vai ser executado. Como somos melhores que essas pessoas que estamos com tanto medo? - olho ao redor, e vejo que esse discurso acertou em cheio a consciência deles, talvez insistir não seja perda de tempo.

- Todo mundo sabe o que tem que ser feito. - diz Shane.

- Não, Dale tá certo! - diz Rick, olho surpresa para ele. - Não podemos deixar pedra sobre pedra, nós temos a responsabilidade...

- Então qual é a outra solução? - pergunta Andrea interrompendo ele. A discussão começa até ser interrompida por Carol que pede para ser deixada de fora. Rick dá um ultimato para quem quiser falar alguma coisa. Me levanto atraindo olhares, vou para o lado de Dale.

- Como Daryl falou, estamos andando em círculos, mas a minha decisão ainda é a mesma, enforcar, quebrar o pescoço ou atirar, não importa, ainda é assassinato, e discutir isso como se não fosse nada, não nós torna diferentes dos monstros lá fora.- digo olhando para todos, faço cara de quem teve uma idéia - E se jogarmos ele para os zumbis? Ou o largarmos na estrada? - digo com uma animação falsa, todos me olham surpresos e espantados, volto a ficar seria. - Viu? É assim que eu e Dale nos sentimos vendo vocês discutirem isso como se não fosse nada de mais. No final, a consciência pesa, e as nossas mãos ficam cheias de sangue, no final alguém morre, mas não é nosso dever apontar o dedo e dizer que aquela pessoa deve morrer hoje. - respiro fundo e esfrego o cenho. - Minhas mãos estão limpas, e as de vocês? - pergunto séria, pego a carteira de cigarro e caminho até a porta colocando um cigarro na boca, paro de frente para a porta e me viro. - Decidam o que quiserem, se vão deixá-lo viver, otimo, mas se forem mata-lo, me deixem fora disso. - saio e ascenso o cigarro dando uma longa tragada.

Logo depois de eu sair, Dale sai com o rosto molhado.

- Obrigado por ficar do meu lado, você é uma ótima pessoa Sam, não se esqueça disso nunca, e não deixe esse mundo te envenenar. - me dá um beijo na testa e sai andando, me deixando ali parada sem palavras e com uma vontade imensa de chorar. 

                          ******

A noite chega, e Randall será morto, as palavras de Dale não saem da minha cabeça. Estava na porta do celeiro conversando com Daryl, quando de repente escutamos um grito, saio correndo sabendo que ele está atrás de mim. Daryl pula em cima do zumbi o matando enquanto eu me ajoelho ao lado de Dale.

- Dale, olha pra mim - ele me olha com os olhos encharcados, olho para sua barriga e só vejo sangue. - ALGUEM CHAMA O HERSHEL! - grito o mais alto que posso, sinto meu rosto ficar molhado e sei que é pelas lágrimas que estão caindo sobre ele. - Hei, vai ficar tudo bem. Você vai sair dessa. - ele me olha e balança a cabeça negando. Escuto Daryl gritar por ajuda.

- Aguenta firme amigão - diz ele para Dale, me afasto do mesmo e deposito um beijo em sua testa. Me levanto e me afasto, sei que com aquela ferida e nas condições que nos encontramos, nada poderá ser feito. Escuto Hershel dizer para Rick que nada poderá ser feito.

- Ele está sofrendo - diz Andrea chorando - Façam alguma coisa. Olho para Rick e vejo em seus olhos que ele não vai conseguir, levo a mão ao coldre da Colte, mas então Daryl aparece e pega o revólver de Rick, se ajoelha ao lado de Dale e aponta a arma para a sua cabeça, e antes de disparar diz apenas duas palavras.

- Desculpa irmão.




Notas Finais


Até o próximo capítulo Cookies ❤
Beijocas 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...