História The Walking Dead: A Origem - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Andrea, Beth Greene, Bob Stookey, Carl Grimes, Carol Peletier, Dale Horvath, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Hershel Greene, Jessie Anderson, Lizzie Samuels, Lori Grimes, Maggie Greene, Merle Dixon, Michonne, Mika Samuels, Morgan Jones, Negan, O Governador, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Pete Anderson, Rick Grimes, Ron Anderson, Rosita Espinosa, Sam Anderson, Sasha, Shane Walsh, Sophia Peletier, Tara Chambler, Tyreese
Visualizações 119
Palavras 2.785
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ontem eu não consegui postar por isso vou compensar hoje e amanhã eu vou tentar postar dois cap.

Capítulo 14 - Meu Escudo


Fanfic / Fanfiction The Walking Dead: A Origem - Capítulo 14 - Meu Escudo

Theri estava caminhando com Carl, ela estava curiosa pra saber o que ele queria com ela, eles já tinham dado a volta em Alexandria e estavam em um lugar que ela não conhecia, ela só sabia que era atrás da casa de Maggie e ele simplesmente olhava pro chão sem falar nada.

- Não vai me dizer o que quer?

Perguntou ela já impaciente.

- Queria saber se posso falar pro meu pai sobre aquilo que você me mostrou.

Ela olhou pra baixo.

- Ele não precisa saber daquilo, não é importante.

Carl a olhou.

- Mais pode fazer a diferença pra nós.

Ela parou na frente dele.

- Carl nós não sabemos se aquilo é verdade, pode ser uma cilada, vocês estão seguros, estão bem, vocês não precisam se arriscar por pouca coisa.

- Eu fiquei acordado até tarde pensando nisso, e se for verdade?

Theri jogou as mãos pro alto.

- Carl e se não for? Você pode arriscar a vida de todos em Alexandria sem nenhum motivo. Vocês não precisam disso.

Carl deu um passo à frente.

- Mas Theri, nós podemos ter uma chance!

- De morrer?

- Theri nós temos a Judith, se aquilo que estava escrito lá é verdade ela pode viver sem precisar sofrer.

Ela revirou os olhos, ela já tinha conhecido esse lado teimoso dele, Theri olhou pra trás do Carl  de relance e viu que Tom e Helena estavam se aproximando.

- Carl fica quieto.

Pediu ela sussurrando, mas Carl não notou aonde ela olhava e voltou a falar.

- Theri a gente precisa fazer alguma coisa, se você não quer que eu conte pro meu pai tudo bem, mas nós precisamos investigar aquilo.

Ela cerrou os punhos, se Tom descobrisse o que eles viram ele ia pessoalmente querer investigar e ele podia se dar mal, ela não queria que ele descobrisse, se ela perdesse Tom ela ia enlouquecer.

- Carl esquece aquilo.

Os dois estavam se aproximando, se chegassem mais perto iam ouvir a conversa dos dois.

- Mais Theri estava escrito...

Ela arregalou os olhos e o calou selando seus lábios no dele.

Tomás não podia saber daquilo!

Foi só um passo pra frente e ela conseguiu fazer aquele Grimes se calar.

Carl estava surpreso, ele não sabia bem o que fazer, aquilo foi inesperado.

Movido por instinto ele colocou as mãos na cintura dela e ela aprofundou o beijo.

Concerteza não dava pra compararar o beijo de Theri e o beijo de Enid, com Enid havia sido só um toque nos lábios, um selinho, ele estava tão afoito naquele dia que sequer teve o prazer de apreciar o beijo dela, mais com Theri foi diferente, ele estava sentindo ela de um jeito que ele não sentiu Enid.

Aquilo foi a coisa mais louca que Theri fez na vida, mais concerteza foi a melhor também, a boca dos dois se encaixavam perfeitamente, como se fossem nascidas pra uma completar a outra.

Os lábios dela eram macios e ela tinha um gosto indecifrável na boca, uma mistura de avelã com algo doce, cereja talvez? Carl não tinha certeza, mais aproveitou ao máximo aquele beijo.

O ar finalmente faltou e os dois se separaram pra encher os pulmões.

Do mesmo jeito que ele fez com Enid, Carl grudou as testas dele com a dela.

Ele a olhou sério e voltou a beijá-la.

Ele tinha que saber qual era o sabor doce que ela tinha.

Pela surpresa ela arfou nos lábios dele e dessa vez ele sentiu alguma coisa inflar seu peito, algo quente, gostoso e acolhedor, como se fosse uma cosquinha de leve no coração, que agora batia descompensado.

Theri agora havia colocado as mãos no peito dele e por um instante ele temeu que ela pudesse sentir os batimentos frenéticos do coração dele.

Por outro lado enquanto Katherine havia colocado a mão sobre o peito dele, agora ele estava com as mãos fincadas nas madeixas castanhas dela, massageando e aproveitando pra aprofundar ainda mais o beijo.

Assim que ele constatou que o sabor do beijo da Katherine era realmente avelã e cereja ele se separou dela, dessa vez a olhando curioso.

Como diabos alguém consegue ter o sabor de cereja e avelã na boca em um maldito fim do mundo???

Katherine ficou mexida com o beijo, ele beijava bem demais e não era pro beijo ser bom!

De súbito ela olhou pra trás e viu que os seus amigos não estavam mais lá, ao menos ela conseguiu que Carl não abrisse o bico.

Carl queria testar mais uma coisa e antes que Theri pudesse falar alguma coisa ele uniu os labios dele no dela denovo em um beijo casto.

Como ele havia desconfiado até a beijando da mesma forma que ele Enid era possível sentir aquele sabor.

Agora os dois se olhavam sem saber o que falar pro outro.

Theri estava com medo de ser xingada, então ela logo começou a se desculpar.

- Me desculpa, eu só queria....

- Como você consegue ter gosto de avelã na boca?

Interrompeu ele intrigado com esse assunto.

Ela olhou pra ele não entendendo o que ele quis dizer.

- O quê?

Ele sorriu.

- Você tem gosto de avelã e cereja na boca.

Ela estreitou os olhos.

- Você enlouqueceu Carl?

Em reposta Carl foi pra frente e deu um selinho nela.

- Não, eu estou lúcido, seu beijo tem gosto de avelã e cereja.

Sem agüentar ela riu, Carl era um idiota mesmo!

- Qual é a graça?

Perguntou ele confuso.

- Carl ninguém tem gosto de avelã com cereja na boca.

Ele foi pra frente, segurou a cintura dela e a beijou denovo.

Ele não estava louco, ela tinha aquele gosto na boca!

E ele se deliciou em provar a boca dela denovo.

Aquele gosto...

Aquele gosto era enlouquecedor!

Era alucinante.

Era inebriante!

Já Katherine perdeu o pouco do juízo que tinha na cabeça e o puxou pra colar os corpos, querendo uni-los. Carl era o segundo homem que ela beijava, mais sinceramente não fazia diferença se ela já tinha ficado uma vez com o William, nesse momento só existia Carl no seu mundo.

Mas o momento dos dois durou pouco, novamente o ar faltou e eles cessaram o beijo denovo, porém eles não se desgrudaram, um sentia a respiração ofegante do outro.

- Carl eu tenho que ir.

Disse Katherine ainda colada em Carl.

- Ir pra onde?

Ela riu.

- Preciso me despedir dos meus amigos...

Ele se separou dela pra poder encará-la.

- Incluindo aquele mala do William?

Ela sorriu pra ele.

- Acho que sim.

Ele deu um passo pra trás dando espaço pra ela.

- Nos vemos mais tarde?

Em resposta ela sorriu, se virou e saiu andando.

Ela colocou as mãos atrás da costas e segurou uma na outra, antes de virar a esquina ela se virou denovo e sorriu de orelha a orelha ao ver Carl imóvel no mesmo lugar que ela deixou.

- Tchau Grimes!

ΠΠΠ

Helena e William estavam na casa de Maggie conversando sobre a briga que tiveram.

- Sinto muito pelo que disse, eu estava nervoso pelo sumiço da Theri e eu acabei descontando em você.

Disse William.

- Esquece aquilo, tá tudo bem.

Helena olhava pra baixo ao falar, ela estava em pé, escorada na parede e o William sentado na cama da Theri.

Will olhou pra baixo, ele sempre se sentia mal depois que brigava com Helena.

- E aonde você dormiu?

Perguntou se lembrando que a irmã não voltou depois que brigou com ele.

- No rancho, junto com os bichos.

- No rancho? Porque?

Ela suspirou alto, não queria falar que dormiu depois de ficar conversando com Daryl.

- Acho que eu peguei a mania da Katherine.

Ele sorriu ao falar da Katherine.

- O Kripton sente falta dela.

Falou se referindo ao cachorro dele.

Helena riu baixo.

- Não tinha um nome pior não?

- Kripton não é um nome feio e a sorte dele foi que eu ganhei ele há quatro anos atrás, antes dos andarilhos ou eu ia chamar ele de zumbi!

Helena dessa vez riu alto.

- Na próxima reencarnação eu vou te dar um livro de presente de aniversário de dezesseis anos!

Ao falar aquilo ela se lembrou de uma coisa, uma coisa bem importante.

Ela foi pra frente, pegou sua mochila que estava em cima da cama e pegou seu caderno que ela anotava os dias.

Um sorriso se formou nos lábios dela, ela jogou o caderninho na cama, se virou e pulou em cima do seu irmão, fazendo cosquinhas nele.

Em meio as gargalhadas ele conseguiu pedir pra ela parar.

- Helena... Para...

Disse rindo sem parar, ela parou e o abraçou forte.

- Falta um mês pro seu aniversário maninho!

Disse o sufocando no abraço.

- Então me abrace desse jeito daqui à um mês!

Disse rindo.

Helena saiu do colo dele e o estapeou de leve.

- Vou fazer uma surpresa pra você!

Derrepente ele ficou alarmado, desde o início do fim do mundo Helena sempre fazia uma surpresa pra ele no aniversário dele, como por exemplo, ir à cidade sozinha pra pegar o último volume do livro predileto dele, fugir no meio da noite pra pegar ingredientes para ela fazer um bolo de chocolate ou até mesmo invadir o quarto do Tom pra roubar uma foto da Theri e ser pega no flagra sem conseguir a bendita foto, como ela fez no ano passado, agora com ele longe Will temia o que ela podia fazer.

- Não quero surpresas esse ano Helena.

- Qual é William? Você vai fazer vinte anos! Não vou deixar passar em branco!

- Helena por favor, não.

- Eu posso roubar a foto da Theri pra você!

Will riu, Tom veio pra fazenda com uma caixinha na sua mochila, e dentro dessa caixa além de alguns apetrechos dele tinha fotos de todos os amigos dele, isso incluía Theri e a família dela, uma vez Will viu Tom mechendo naquilo e viu a foto da Theri mais jovem.

- Você já tentou e não funcionou, além disso, não quero uma foto dela, quero ela!

Isso fez Helena se silenciar por alguns segundos, se tinha uma coisa que ela não podia dar ao irmão essa coisa era Katherine, só ela podia dar á ele esse presente.

- Eu vi ela antes de vir pra cá, vocês conversaram?

Disse ao se lembrar dela.

William abaixou a cabeça.

- Sim, eu me declarei pra ela.

Helena arregalou os olhos.

- Você o quê?

Perguntou surpresa.

- Eu disse que estava apaixonado por ela, pedi perdão pela Anna e pedi pra ela voltar pra fazenda.

Helena sorriu de orelha à orelha.

- E o que ela falou?

William levantou a cabeça e a olhou.

- Disse que sentia minha falta e me mandou tomar no cú.

Sem aguentar Helena caiu na gargalhada.

- Isso é a cara dela!

Disse em meio aos risos e Will contaminado pela risada da irmã riu também.

Os dois ficaram rindo que nem uns idiotas até Klaus e Tomás entrar e interromper o momento cômico deles.

- Acho que adiamos demais a nossa partida daqui, temos que voltar pra fazenda.

Disse Tom ignorando os dois estarem se recuperando de um ataque de risos.

Will se recompôs e se levantou.

- Claro, vou falar com Theri e já vamos.

- Ela saiu com o filho do Rick.

Avisou Klaus e Will se intristeceu.

- Denovo? Foram pra fora da cidade outra vez?

- Eles só estão andando na cidade William...

Falou Tom querendo apaziguar ele.

- Vocês não acham melhor ela ir com a gente? Eles vão acabar usando ela e agora a Helena está aqui, não precisam dela.

- Como assim usando ela?

Perguntou Klaus.

- Eles sabem que Theri é o nosso calcanhar de Aquiles, vão usá-la pra conseguir tudo da gente.

Klaus começou a pensar, Theri havia pedido os remédios pra ele por conta de uma mulher grávida, estavam usando a perda recente dela, estavam se aproveitando da dor dela.

Ele se virou e passou a mão na barba dele, coisa que fazia quando estava bravo.

- Isso não vai acontecer William, Rick é bom.

Garantiu Tom.

- Isso tá acontecendo Tomás!

Falou Klaus ainda virado de costas.

- Como assim?

Perguntou Helena, Klaus se virou e encarou Tom.

- Theri me pediu os remédios da Anna, tem uma mulher grávida aqui e depois do que aconteceu com a mãe dela eles querem garantir que isso não aconteça.

Will foi o primeiro a se manifestar.

- Viu? Ela tem que voltar pra fazenda! Ajudar Alexandria foi um erro!

Tom olhou pra Helena.

- Eles não pediram nada pra você Helena?

Helena abaixou a cabeça e se lembrou do Daryl a questionando na floresta, ela engoliu em seco se sentiu um lixo.

- Não.

- Tem certeza Helena? Você não desconfiou de nada?

Insistiu Tom.

- Não eu já disse!

Mentiu, eles não iam saber que ela bancou a boba à toa.

Tom respirou fundo.

- Vou tentar convencer a Theri a voltar, enquanto isso vocês ficam aqui.

- Sem chance, eu vou junto.

Falou William.

- Não Will, quem vai sou eu! Eles não enganaram só ela mais a mim também.

Avisou Helena firme.

- É melhor assim mesmo, Theri vai ouvir você.

Falou Tom já se virando pra sair e Helena o seguiu.

- Vamos dar a volta, eles devem ter andado até os muros.

Falou Helena assim que saiu do quarto com Tom, ele só assentiu e a seguiu, eles deram a volta na casa, indo pelos fundos e viram Theri conversando com Carl, ela os viu e ficou alarmada.

Quando os dois chegaram mais perto se petrificaram com a atitude da Katherine.

Ela estava beijando Carl!

Tom virou a cabeça e sussurrou pra Helena.

- Você sabe fazer o passo do moonwalk?

Helena o olhou com a cara de quem ouviu errado.

- Vamos dar meia volta e voltar.

Disse ele e os dois deram marcha ré.

Assim que eles saíram do campo de visão dos dois eles andaram rumo ao lado oposto da casa da Maggie.

- Aonde nós estamos indo?

Perguntou Helena.

- Eu não sei exatamente, nós vamos enrolar um pouco até eu pensar em alguma desculpa esfarrapada pra dar para aqueles dois.

- Ainda bem que eu vim no lugar do Wiil, imagina se ele tivesse visto Theri e Carl se beijando? Ele ia matar o mini-sherife!

Tom pôs as mãos na cabeça teatralmente, como se estivesse impedindo o crânio de se partir no meio.

- Will? E se o Klaus tivesse visto aquela cena? A gente ia tá perdido!

- Ok, vamos pensar pelo lado positivo, eles não sabem de nada, e agora?

Tom parou de andar e pôs a cabeça pra funcionar, só tinha uma solução que não ia acabar com uma briga no final.

- Vamos fazer assim, nós falamos pros dois que conversamos com a Theri, que ela quer ajudar a moça grávida e que vai ficar pra garantir que o bebê nasça, eu faço nós irmos embora sem que eles consigam se despedir da Theri e depois quando nós já tivermos longe, você vai contar pra ela o que eles estão fazendo com ela e vai convencê-la a ir embora e depois eu vou ser padrinho do filho da Theri e do Will, vamos fingir que Alexandria não existe, e vamos viver felizes para sempre.

- E se ela não quiser ir?

Perguntou Helena nervosa.

- Nem pense nisso, Theri tem que voltar, fazer as pazes com Will, eles tem que ter um filho que eu vou apadrinhar, você se casa com o Klaus e eu monto um casal gay com o Théo e adotamos o Elias, viu? Final feliz!

Helena o olhou torto.

- Você é gay?

Tom arqueou um sombrancelha.

- Não, são ossos do ofício, quando fico nervoso faço piadinhas idiotas e falo sem parar, não que Théo não seja atraente, se eu fosse gay eu iria ter um caso com ele depois que eu terminasse com Klaus e esperaria o Elias crescer pra ter um curto romance com ele, para...

- Tom, cala essa boca.

Pediu Helena calmamente revirando os olhos.

Ele a olhou e tentou manter a pose.

- Você tem que fazer ela ir Helena, eu estou pondo todas as minhas fixas em você, se ela não ir, o William e o Klaus vem e você sabe o que pode acontecer se eles chegarem e verem a mesma coisa que vimos.

Helena assentiu, se William e Klaus vissem Theri e Carl íntimos os dois não iam pensar duas vezes em matar Carl, e se eles matassem o filho do líder eles iam ser mortos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...