História The War - BTS and EXO - Capítulo 10


Escrita por: e Anzu003

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Suho
Tags Bangtan Boys(bts), Bts, Chanyeol, Drama, Exo, Guerra, J-hope, Jimin, Jin, Namjin, Rap Monster, Romance, Suga, Yoonmin
Visualizações 34
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Survival
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Na cidade


 [ Yoongi ]
Min Sung, político importante da cidade fechada mais importante, fez com que a economia pós guerra melhorasse e blá blá blá. E por incrível que pareça, Min Sung era meu pai.

- Impossível!- digo. Já não estávamos na sala de testes. Meu suposto pai e o médico que me examinou estavam sentados no sofá na minha frente.- Eu sou N-Ô-M-A-D-E!- digo pausadamente “nômade” pra dar destaque.

- Os exames que fizemos mostram que você tem 99,8% de compatibilidade genética.

- Eu já nasci como nômade! Não tem como eu ser filho desse idi... cara da cidade! Essa história não está certa - falo me encostando no encosto da poltrona e coloco uma mão sobre a testa.

- Na verdade, eh... filho, tem como sim! - o homem de cabelos grisalhos finalmente se pronuncia.

Ele começa a me contar que conheceu minha mãe quando ainda eram jovens, mas ele estava com um casamento planejado. Mesmo assim, não pararam de se encontrar. Quando minha mãe descobriu estar grávida, ela foi exilada por adultério, já meu pai, o real culpado do crime, foi absolvido já que tinha muito poder.

- Então, o que me diz?- ele pergunta me olhando receoso.

- Me recuso a ser seu filho! Você me contando isso, só se mostrou ser uma pessoa asquerosa. Na verdade, agora estou com nojo de ser um de seus filhos.- digo com desgosto.

- Na verdade, você é meu único filho! - ele fala - Quero que você more aqui dentro para honrar o nome Min.

- Eu prefiro ter que lutar contra mil soldados à honrar seu sobrenome! Além do mais, não é culpa minha se você não sabe nem foder direito.- digo e ele me olha surpreso.

- PREFERE SER UM NÔMADE SUJO DO QUE UM MILITAR OU POLÍTICO DE RESPEITO? - ele se levanta e grita comigo.

Me levanto também e ando em sua direção. Ele não era muito alto, então ao seu lado, fiquei como um gigante.

- Eu prefiro! Porque é melhor ser um nômade sujo JUSTO do que um político ou um militar de MERDA que só estraga a vida de quem tá quieto - digo jogando as palavras na sua cara.

Ficamos nos encarando até ele mudar de expressão.

- Park Jimin!- ele grita e o menino que me defendeu no carro entra na sala - Você vai mostrar seu quarto para seu novo colega, Min Yoongi - ele diz e o tal Jimin concorda.

- Novo colega? O quê? Eu não fico mais nenhum minuto nesse lugar - digo me revoltando.

- pois vai ficar! De agora em diante, você treinará para o exército. Sinta-se honrado! - ele diz e me dá as costas.

- Tô me sentindo é enojado! - digo e percebo Jimin rindo.

- Se eu fosse você, começava a controlar sua boca, filho. Aqui as coisas são diferentes! - ele fala dando um sorriso irônico.

- Pra no final eu ser expulso e ter  título de exilado também? Melhor do que um título escroto e uma medalha insignificante - falo e seu sorriso some.

- levem-no para o seu quarto, nos vemos amanhã!- ele fala e faz um gesto de cabeça para Jimin.

- Vem Yoongi.- Jimin fala me puxando para fora da sala. Quando a porta se fecha, sua postura muda.- Cara, você foi foda! Caralho, sério, falar com o Sr. Min daquele jeito não é pra muitos.

- Jimin - digo e ele me olha - O que eu faço pra ser exilado? - pergunto e ele me olha surpreso.

- Muitas coisas... - ele fala coçando a cabeça.

- Pode indo falando! - digo e dou um sorriso.

 

Em uma semana, eu já tinha cometido todos os tipos de crimes possíveis, dentro da minha ética, que tinham como pena o exílio. Mas parece que ser filho de político me trás muitos benefícios, mesmo sendo injustos. Estava no meu quarto, deitado na cama e Jimin estava deitado na sua cama, lendo um livro qualquer. Nessa semana, ele me ajudou a planejar todos os meus “crimes”, mas nunca dava certo.

- Que inferno!- digo exaltado.- E se eu matar o filho do presidente?- digo me sentando na cama.

- Você vai ser morto, não exilado.- Jimin fala sem tirar os olhos do livro - Cara, desiste! - ele fala jogando uma almofada em mim.

- Desistir não é comigo, Park Jimin! - digo jogando a almofada de volta.

- Olha, faz uns três dias que tive essa ideia e nem estava pensando em te falar mas fazer o que né?! - ele fala se sentando na sua cama - “Aceita” ser um militar, você já tá treinando mesmo. Vira o melhor daqui! Quando você se destacar, eles vão te chamar pra uma missão fora da cidade. Lá fora você finge sua morte e depois procura sua namorada e seus amigos - ele fala.

- Jimin! - o chamo boquiaberto - Você é um gênio! - digo sorrindo.

- Só faço meu melhor para meu amigo!- ele fala e volta a se deitar para ler seu livro.

Pois é, nessa semana, eu e Jimin ficamos muito amigos. Nunca confiei tão rápido em alguém igual confiei em Jimin. Na verdade, Anna foi a única! Falando nela, sinto tanta sua falta, queria vê-la, mas era impossível. Mas fiquei sabendo que aqui nessas cidades tem pessoas que desenham retratos falados, então fui até um e pedi um desenho de Anna. Meu deus, às vezes acho que nem sou eu quando falo algumas coisas assim! Ele fez na mesma hora e ficou lindo. Só não foi muito barato, mas meu pai, ou como o chamo, Diabo em pessoa, vai depositar uma generosa quantia todo mês para mim, então não me importei de pagar. O cara que fez o desenho era foda, ficou muito bom. Ele fez idêntico baseado apenas no que eu falava. Durante o processo ele perguntou quem era.

- A pessoa mais importante pra mim! - digo e ele me olha - Minha namorada.

Quando finalmente chego no meu quarto, Jimin já estava lá. Todo dia de tarde ele corre, então no horário que eu cheguei, ele estava se desfazendo em suor.

- Você demorou! Como foi? - ele perguntou.

- Ficou foda! O cara é do caralho! - falo e ele me olha.

- Mostra! Quero ver a Anna - ele pede e então eu tiro o retrato de dentro da sacola. Ele já estava emoldurado, pronto para ser colocado na parede - WOW! O desenho tá foda mesmo e nossa! Cara, ela é linda! - ele fala chegando mais perto.

- Hey. Tira os olhos! - falo e começamos a rir.

- Yoongi... - ele me chama meio sério e eu o olho.- Seu pai tá querendo jantar com você hoje.

- Eu não vou!

- Lembra do plano!- ele fala começando a tirar a blusa suada.

- Merda! Você deveria estar me ajudando e não fudendo ainda mais minha situação, Park Jimin!

- E você não muda nada no seu vocabulário né?! - ele pergunta rindo.

- Me aceita como eu sou, seu merdinha fardado!

Definitivamente, Jimin era o único que me desestressava nessa merda desse lugar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...