História The War - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Exo, Kai, Kris, Lay, Luhan, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 518
Palavras 4.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola pessoinhas

Aqui estou uhuuu e com um capítulo cheio de coisa.

Boa leitura e bjinhoos

Capítulo 32 - 32


Fanfic / Fanfiction The War - Capítulo 32 - 32

Quando a nave pousou em Exoplanet a maioria dos guerreiros estavam dormindo. Eu, por incrível que pareça, estava ansiosa olhando pela janela. Desde que voltei da cozinha me sentia um pouco estranha e ansiava loucamente por um ambiente mais familiar.

 

Chanyeol não me deixou voltar para o quarto, me obrigou a ficar com todos os outros na sala central. Neste exato momento eu sinto meu ombro um pouco molhado devido a sua baba. Lay que está bem na minha frente está coçando os olhos. Estava dormindo tão calmamente. É incrível que até mesmo vê-lo dormir seja um tipo de cura. Ele consegue transmitir tanta calma.

 

Sehun, Kai e D.O. estão praticamente empilhados num tipo de sofá. Provavelmente Sehun irá acordar com o braço dormente. Chen, Xiumin e Suho estão na sala de comando e Baekhyun, bom, eu não sei exatamente o que ele está fazendo. Desde nosso encontro no corredor eu não o encontrei.

 

Algum som agudo soou e todos os meninos começaram a se remexer. Sehun começou a resmungar e eu ouvi alguém levar um tapa. Lay finalmente abriu seus olhos e quando me viu sorriu e acenou com os dedos. Chanyeol diferente dos outros murmurou algo e me rodeou com seus braços me apertando como se eu fosse um tipo de ursinho.

 

S/N – Chanyeol – eu disse com dificuldade enquanto tentava livrar meu braço de seu aperto – Está.. apertando..

 

Chanyeol – Para de congelar meu pé, Xiumin – estava quase ficando sem ar. Olhei para Lay e ele segurava o riso. “Me ajude” mexi os lábios mas ele não fez nada. Tirou seu cinto e permaneceu sentado.

 

Sehun – Se você continuar a amassar a S/N eu provavelmente vou pular em você – ele apareceu de repente do nosso lado. Parecia sonolento e seu rosto estava amassado.

 

D.O. – Acordar ele não vai ser fácil.

 

Kai – Você pode se teletransportar – comentou limpando a garganta. – Acho que eu engoli algo enquanto dormia.

 

Sehun – Provavelmente foi meu braço – ele massageou seu braço enquanto fazia uma careta. – Ele está dormente.

 

S/N – Chanyeol, você precisa acordar – mexi com dificuldade em seu cabelo.

 

Chanyeol – Mas está tão gostoso assim – eu quase congelei quando ele afundou seu rosto no meu pescoço. Arregalei meus olhos enquanto encarava os meninos e todos pareciam estar ficando desconfortáveis.

 

De repente ouvimos o som de uma porta se abrir. Eu não consegui ver quem era mas estava torcendo para ser Suho ou Chen. Um dos dois me ajudaria a sair daqui. Mas quando vi Lay dividir seu olhar entre mim e a pessoa que estava entrando, eu sabia que era Baekhyun.

 

Os passos eram lentos mas aos poucos eu vi seu corpo aparecer no meu campo de visão. Ele estava sério, nem um único sinal de possível sorriso. Seus olhos viajaram por mim e Chanyeol. Os guerreiros estavam tensos e eu fechei meus olhos sentindo uma pequena frustração.

 

Lay – Quer nos ajudar? – ele perguntou e por um momento eu quis gritar “NÃO”.

Baekhyun – No que? – perguntou com pouco caso

 

Kai – Chanyeol está em sono profundo e não desgruda da S/N, você costuma acordá-lo não é? – sorriu nervoso.

 

Baekhyun novamente me olhou, eu decidi manter meus olhos apenas em meus pés e torci internamente para os outros membros mais velhos aparecerem. Repentinamente eu vi seus pés aparecerem por perto. Ele abaixou-se um pouco e eu prendi minha respiração. Baekhyun começou a passar seus dedos por trás das orelhas de Chanyeol.

 

Chanyeol  - O que está fazendo, Baekhyun? – ele tentou lhe acertar um tapa.  – Baekhyun..

 

Baekhyun – Acorde logo – disse baixinho e depois molhou um de seus dedos e enfiou dentro da orelha dele.

 

Chanyeol – AHH – ele praticamente me empurrou contra a cadeira e virou-se para Baekhyun – O que está fazendo, seu idiota?

 

O dominador da luz sorriu de lado e por milésimos de segundos me olhou. As portas voltaram a se abrir e Chen, Xiumin e Suho apareceram. Automaticamente eu encontrei os olhos de Suho. Ele movimentou sua cabeça em forma de cumprimento e eu sorri. Xiumin e Chen respiraram fundo e comentaram algo sobre pedras espaciais.

Xiumin –Estamos finalmente em casa. – Chen acionou um dos botões e o portão principal começou a se abrir. A luz de Exoplanet entrou por todo o lugar e eu fechei um pouco meus olhos.

 

Estamos finalmente em casa. Bom, na verdade, finalmente estou na casa deles.

 

(...)

 

S/N – E você já viu? – perguntei esperançosa. Eu, Lay e Chanyeol e Xiumin estamos no jardim. Lay está procurando flores medicinais enquanto Xiumin pratica suas habilidades com a água do rio. É até um pouco estranho ver esse ambiente tranquilo depois dos dias que se passaram.

 

Chanyeol está me contando que quando Xiumin sai do banho ele congela todo o quarto. Não sabe o porquê mas me explicou que é como se ele gostasse da sensação de poder “absoluto”.

 

Chanyeol – Me escondi debaixo de sua cama – sussurrou com certo receio de que seu irmão mais velho nos ouvisse – Mas antes que começasse a nevar ele me encontrou.

 

S/N – Nevar? – perguntei radiante.

 

Chanyeol – Sim, eu não cheguei a ver mas tenho certeza de que esse era o próximo passo – coçou o queixo – É uma pena que se eu tentar fazer o mesmo, provavelmente vou queimar todas as minhas coisas.

 

S/N – Poxa, isso é algo que eu gostaria de ver – disse baixinho imaginando um quarto todo isolado de congelado. Como Xiumin lida com o gelo? Ele o absorve depois? Isso é tão legal.

 

Chanyeol – Quer ver meu quarto pegar fogo? – ele se afastou um pouco fingindo estar abismado.

 

S/N – Claro que não – ri e levei meus olhos para Lay que retirava rapidamente sua mão de uma das flores devido a um espinho – Imagine o trabalho que daria para limpar tudo depois?

 

Chanyeol – Não é como se você fosse fazer isso – suspirou e desceu do banco sentando-se na grama. – Temos o Sehun para fazer a limpeza.

 

S/N – Isso é errado, sabia? – apoiei meu rosto em minhas mãos e o fitei – Só porque ele é o mais novo.

 

Chanyeol – Exatamente, você acha que é fácil lidar com ele? Ah, S/N, você não faz ideia de como o vento pode ser irritante.

 

S/N – Imagine misturar fogo e vento – brinquei mas ele não sorriu como resposta. Mostrou-me a língua e deitou-se com os dois braços embaixo de sua cabeça. Observei Xiumin criar, levantar, quebrar e jogar pedras – esferas de gelo por todo canto. Lay até mesmo teve que desviar de algumas. Por que ele está treinando? Que eu saiba ele sempre fora um dos melhores para lidar com a dominação.

 

Apesar de que tudo está parecendo calo demais desde que chegamos. No corredor, um pouco mais longe de onde estávamos eu vi Suho, D.O. e Baekhyun conversarem. Pareciam sérios. Gostaria de ter o poder de melhor audição.

 

Xiumin – Ei – acordei dos meus pensamentos quando ele apareceu na minha frente estralando os dedos – Pegue – ele jogou um pedaço de gelo nas minhas pernas. Eu gritei pelo susto e frio mas o peguei em mãos.

 

S/N – Para que isso? – ele já estava derretendo e algumas gotas caíram sobre meu pé.

 

Xiumin – Tente mantê-lo gelado – se afastou um pouco – Você consegue, vamos lá.

 

Lay – Eu não acho que seu poder irá aparecer desse jeito –sua expressão não era das melhores. Era como se Xiumin fosse um adolescente sonhador e Lay seu pai severo.

 

Xiumin – Não ligue para ele, S/N.

 

Chanyeol – Querem minha ajuda? – não moveu nem um músculo. Preguiçoso.

 

Lay – Como você poderia ajudar? – colocou as mãos na cintura. – Sabia que fogo e gelo não combinam?

 

Decidi parar de prestar atenção no que falavam e me concentrar no gelo que tinha em minhas mãos. Como Xiumin carregou isso? É um tanto pesado. Minhas pernas ainda não secaram e com a brisa fria que veio de repente eu quero apenas jogar essa porção de gelo no chão e sair correndo procurar uma tolha.

 

Sehun – O que está fazendo? – isso explica o vento que chegou.

 

Xiumin – Estou tentando fazer S/N liberar mais um poder.

 

Sehun – E como estão indo? – pelo seu tom, nem ele acreditou que eu conseguiria. Poxa, nem o Sehun.

 

Chanyeol – Como pode ver, S/N está fazendo um ótimo trabalho – sarcástico. Sério mesmo?

 

S/N – Por que não vem esfriar o gelo então, bonitão? – arqueei minhas sobrancelhas e ele sorriu de lado.

 

Xiumin – Okay, isso não vai nos levar a lugar algum, vamos fazer assim – ele se aproximou e jogou o gelo que estava em minhas mãos no chão – Segure minhas mãos.

 

S/N – Para que? – cerrei meus olhos e ele bufou impaciente.

 

Xiumin – Tente sentir alguma conexão – suas mãos estavam tão frias.

 

Kai – Isso não vai dar certo – observou.

 

Lay – Eu disse isso desde o início.

 

Xiumin – Será que podem ficar quietos? – rodou seus olhos e depois os concentrou em mim. – Não pense em nada especifico okay? Apenas tente deixar sua mente te guiar.

 

Sehun – Isso foi profundo.

 

Chanyeol – Xiumin deveria ser um mestre.

 

Xiumin – Os ignore – sorriu reconfortante. – Agora respire e relaxe. – fiz como ele pediu. Os guerreiros a nossa volta ficaram em total silêncio. Encarar profundamente os olhos de Xiumin não era a coisa mais confortável que existia mas eu me sentia aliviada de certa forma. Senti algo passar por minhas veias e por um momento me remexi. Eu estou começando a sentir frio interno?

 

Xiumin apertou um pouco mais minhas mãos e quando por um momento eu pensei que pudéssemos alcançar algo minha atenção voltou-se para outro guerreiro que entrava no jardim. Baekhyun estava com as mãos no bolso e expressão suave, séria porém mais calma do que antes.

 

Minhas mãos começaram a amolecer e algumas lembranças da noite do castelo voltaram a preencher minha mente.

 

Xiumin – Está se perdendo.. – por algum motivo eu mal o ouvi.

 

S/N – Desculpe – abaixei minha cabeça e me soltei – Não acho que consigo fazer isso agora – limpei minha garganta e olhei rapidamente para Sehun que estava um pouco mais próximo – Você acha que podemos nos distrair um pouco?

 

Seu lindo sorriso preencheu seu rosto e assentindo ele segurou meus ombros e começou a me empurrar para longe dos outros.

 

Sehun – Se me dão licença rapazes, eu vou brincar um pouco – eu não sei qual gesto ele fez para os irmãos mas todos eles resmungaram. Tentei olhar para trás mas ele não deixou. – Você está bem? – perguntou quando já estávamos no corredor.

 

S/N – Sim, claro, por que pergunta? – enrolei uma mecha do meu cabelo em meu dedo. O cheiro do creme que usei é tão gostoso. Nem acreditei quando Chen disse que o fez para mim.

 

Sehun – Hum, você não parece estar bem – antes que eu respondesse ele apontou – Pelo menos não na frente de Baekhyun.

 

S/N – Talvez eu me sinta um pouco..

 

Sehun – Pressionada?

 

S/N – Apreensiva – conclui – Eu sei que o perdoei e não me arrependo disso mas o jeito que ele me olhou naquele dia – me encolhi um pouco – Ele sente algo, entende? Baekhyun não me vê como você ou Lay. Ele guarda algo ruim em relação a mim.

 

Sehun – Como chegou a essa conclusão?

 

S/N – Ele disse que me odiava – suspirei – O que eu fiz, Sehun? – ele me encarou com um pouco de pena. – Você sabe que eu nunca faria algo que os machucasse, por Deus, eu gosto tanto de vocês.

 

Sehun – Own, eu também não sei o que ele vê de errado em você – ele me abraçou e começou a bagunçar meu cabelo – Não faça mais essa carinha, me ouviu?

 

S/N – Você vai estragar meu cabelo – não que ele estivesse lá essas coisas mas..

 

Sehun – Eu acho que você é uma das melhores coisas que aconteceu nesse lugar – ele me apertou mais forte e eu aproveitei para lhe abraçar também.

 

S/N – De verdade?

 

Sehun – Uhum – acariciou minhas costas – Por que acha que somos tão protetores? Nenhum de nós consegue imaginar uma vida sem S/N.

 

S/N – Acho que eu te amo – disse da boca para fora e sorri enquanto o apertava um pouco mais. Apenas segundos depois quando percebi seu silêncio me senti um pouco constrangida. Droga, S/N!

 

Sehun – Não conte para ninguém, tudo bem? – ele se afastou um pouco e me olhou nos olhos – Talvez eu também te ame – piscou e eu acabei rindo de seu jeito misterioso. Mesmo que ( talvez ) estivéssemos brincando eu me perguntei por alguns segundos se o seu “te amo” tinha o mesmo significado que o meu. – Quer saber o que eu fazia antes de você aparecer?

 

Eu gostaria de dizer que já sabia. Para quem leu todos os capítulos é quase impossível não saber no que ele era viciado.

 

S/N – O que? – perguntei entusiasmada.

 

Sehun- Vamos para uma sala secreta – ele riu feito uma criança e começou a me puxar para não sei onde.

 

(...)

 

A porta era repleta de estrelas. E não quero dizer desenhos, eram realmente estrelas. Sehun não a tocou, disse algumas palavras e ela se abriu sozinha. Okay, talvez essa sua atividade não tenha aparecido na história em quadrinhos.  Não que eu lembre, estranho.

 

S/N – O que acontece aqui? – perguntei curiosa. Muito curiosa. Não existia nenhum tipo de assento. O chão e as paredes eram absurdamente escuros.

 

Sehun – Espere e verá – a sala começou a ser preenchida por ventos – Ela é ativada por poderes, se quiser pode me ajudar. – eu sorri e comecei a iluminar o local. Aos poucos o chão começou a.. se mexer? A mesma coisa ocorreu com as paredes. Me desequilibrei com tantas imagens passando e Sehun riu alto me segurando pelo pulso.

 

Sehun – Se acalme, nada está se movendo, é ilusão – quando ele disse isso eu franzi meu cenho e firmei meus pés no chão. Então nada disso é real? – Eu chamo de Exodus.

 

S/N – Exodus?

 

Sehun – Uma sala feita apenas para dominadores – respirou fundo, como se o ar desta sala fosse precioso – Os outros guerreiros deixaram de usá-la quando papai morreu mas eu.. bom.. eu venho sempre que posso.

 

S/N – É lindo – meus olhos brilhavam.

 

Sehun – Tem mais – ele se aproximou – Ele te leva para alguns lugares.

 

S/N – Que tipo de lugar?

 

Sehun – Esse – depois de fechar os olhos por um milésimo de segundo eu me vi rodeada por águas claríssimas. Diamantes, roupas luxuosas e uma vista maravilhosa.

 

S/N – Onde estamos? – comecei a andar em volta. É tudo tão real.

 

Sehun – Planeta Shinee – soou orgulhoso – Quarto de Minho para ser mais especifico.

 

S/N – Como pode existir um rio no seu quarto? – me assustei quando tentei pegar um vaso e consegui. – Espere, Sehun como eu..

 

Sehun – É..- ele coçou a nuca – Ás vezes a sala tem alguns defeitos – Vem aqui – me apressei em ficar do seu lado – Pense num lugar legal.

 

S/N – Sério? – ele assentiu e eu fechei meus olhos. Eu não sabia se daria certo mas gostaria de tentar. “Uau” ouvi ele dizer. Quando os abri fiquei boquiaberta. Era meu quarto. Sehun está vendo o MEU quarto. – Sehun.. como é possivel? Eu pensei que..

 

Sehun – Eu também não sei – parecia hipnotizado – O que é isso? – ele apontou para meu perfume em cima da estante. Diferente de antes, ele não consegui tocá-lo. Mas o simples fato de ele conseguir ver o meu mundo, muda muita coisa.

 

S/N – É um perfume, deixa as pessoas cheirosas – ele balançou a cabeça compreendendo. Eu estava a ponto de lhe mostrar e provar sobre a existência de The War quando percebi a ausência dos meus bonecos e pôsteres. – Algo está errado – toquei a parede.

 

Sehun – Realmente, precisamos chamar Chen ou Suho – me olhou exasperado – Você consegue se teletransportar? Eu não sei se a sala consegue se manter por muito tempo.

 

S/N – Eu ainda não sou boa nisso.. – me encolhi um pouco.

 

Sehun – Tente, você consegue – sorriu confiante – Acredite, isso aqui vai nos ajudar muito na descoberta de como você veio parar aqui.

 

S/N – Tudo bem, vou tentar – respirei fundo e fechei meus olhos.

 

Não sei certamente o tempo que demorei mas quando eu abri meus olhos, estava num laboratório. Mas que lugar é esse? Olhei a minha volta e vendo a quantidade flores, reconheci que o lugar era de Lay. Mas como eu vim parar aqui?

 

Quando ouvi a porta ser destrancada, me apressei em tentar me teletransportar novamente. Ao abrir meus olhos eu estava num corredor. Eu passei por aqui enquanto ia para a sala com Sehun. Cocei meu nariz com o cheiro estranho que senti. Olhei para o fim do corredor e encontrei fumaça, muita fumaça. O que Sehun poderia ter feito?

 

Comecei a correr e aos poucos enxergar era difícil, estava ainda mais escuro que antes. Quase gritei quando senti alguém tocar meus ombros e me empurrar para trás.

 

Ao ver ser Sehun eu me acalmei, mas logo me desesperei novamente ao perceber seu estado. Estava cheio de machucados. Eu desapareci por nem mesmo 2 minutos.

 

S/N – O que aconteceu? – perguntei passando a mão por todos seus machucados.

 

Sehun –E-eu não sei a sala simplesmente... – seus machucados começaram a desaparecer – Explodiu.

 

S/N – Como assim explodiu?

 

Sehun – Assim que você saiu a sala literalmente explodiu, era como se a imagem tivesse se esgotado.

 

S/N – Isso é muito estranho, Sehun. Temos que avisar os meninos..

 

Sehun – Não – ele agarrou minha mão – Ainda não, okay? Se a sala não tivesse nesse estado eu juro que não teria problemas mas..

 

S/N – Eles vão descobrir.. não é bom esconder as coisas de seus irmãos, ainda mais nessas situações.

 

Sehun – Por favor, por enquanto não – estava com seus olhinhos suplicantes – Era um dos lugares favoritos do meu pai. Exodus era para onde ele ia quando queria descansar a mente e ver lugares inusitados.

 

S/N – Sinto muito..

 

Sehun – Eu vou descobrir o que aconteceu – disse determinado. – Não conte a ninguém, nem para Lay. Você promete?

 

S/N – Prometo – entrelacei nossos dedinhos e ele não entendeu – É como se fosse um gesto de confiança, sabe? Coisas de humanos.

 

Sehun – Ah.. – franziu um pouco o cenho e encarou sua mão. O silêncio então apareceu e nós dois caímos num mar de perguntas mentais. O que aconteceu com a sala? Por que ela explodiu? Como conseguimos ver meu quarto? Por que estava sem os pôsteres?

 

Tantas perguntas...

 

(..)

 

S/N – Não está um pouco tarde? – comentei enquanto Kai praticamente me jogava na sala Power. Depois que eu e Sehun nos separamos eu o encontrei na cozinha e desde então ele não me largou mais.

 

Kai – Nunca é tarde para aprender  - rodei meus olhos. Eu quero sim aprender a lidar com meus poderes mas tinha que ser justo hoje? A essa hora? – O que você e Sehun fizeram?

 

Senti um arrepio.

 

S/N – Ele me ensinou a usar as espadas Yehet – Ohorat – por que Sehun não me ensinou a usar essas espadas? As coisas teriam sido mais fáceis.

 

Kai – Você só pode estar mentindo – rio – Ninguém pode tocar naquilo.

 

S/N – Bom, ele deixou – tentei parecer neutra. Por dentro estou a mil e com medo de dar bola fora.

 

Kai – Essas espadas foram feitas pelos Exols exclusivamente para Sehun – me encarou por alguns instantes – Sehun só pode gostar muito de você para de deixar se quer vê-las.

 

S/N – Ah, claro – ri nervosa. Me lembrei de seu “Talvez eu também te ame”.

 

Kai – Vamos deixar esse assunto para outra hora – ele bateu as mãos. – Preparada?

 

S/N –Ainda não sei – resmunguei.

 

Kai – Se lembra das coisas que eu te disse enquanto estávamos vindo para cá? – por que ele está tão ansioso?

 

S/N – Sim, eu lembro.

 

Kai – Então respire fundo e vá e frente – estralou os dedos. Vou estar esperando.

 

Okay, não é tão difícil. Primeiramente pense em coisas boas. O que te deixou interessada hoje? Bom, Chanyeol lhe contou sobre o quarto de Xiumin. Será que é verdade? Seria interessante. Sehun lhe mostrou Exodus mas acabou num pequeno desastre. Suho estava sumido e ela fugiu de Baekhyun.

 

Respirei fundo mais uma vez e notei numa mudança de clima.

 

Xiumin – O QUE ESTÁ FAZENDO AQUI? – ele gritou enquanto se jogava para debaixo das cobertas. Eu tampei meus olhos e fiz uma careta. AH MEU DEUS.

 

S/N – Me desculpa, me desculpa – tentei achar a porta mas estava tudo ficando congelado. – Pare de esfriar as coisas. – meus pés estão começando a grudar.

 

Xiumin – SAIA DO MEU QUARTO.

 

S/N – Eu estou tentando – bufei e permaneci meu pensamento num único lugar assim como Kai ensinou. Quando abri meus olhos, estava de volta a sala Power. Agora eu consegui não é mesmo? Puff

 

Kai – Eai, como foi? – ele parecia esperançoso. Eu me encolhi um pouco.

 

S/N – Talvez eu tenha ido para um lugar inusitado – sorri culposa.

 

Kai – Mas eu pedi para que pensasse no lugar que mais quisesse ir. – cruzou os braços e cerrou os olhos.

 

S/N – Ops.

 

Kai – Isso vai dar mais trabalho do que eu pensei – mordeu sua boca e depois fez uma careta – O quão ruim é o que você fez?

 

S/N – Bom, numa escola de 0 a 10 talvez eu esteja entre 8,5. – eu sei que deveria estar totalmente mal mas parte de mim está um tiquinho feliz. E não estou falando pelo fato de ver Xiumin com roupas intimas, mas eu consegui ver um pouco de seu quarto. Não é que Chanyeol tinha razão? Estava realmente começando a nevar lá dentro.

 

Kai – Qual irmão?

 

S/N – Xiumin.

 

Kai – Ele vai aparecer daqui alguns minutos – suspirou – Fique aqui, tudo bem? Eu já volto.  – decidi não perguntar o que ele ia fazer. Deixei que ele desaparecesse da minha frente e me deixasse sozinha.

 

Na solidão da sala Power eu me sentei e cruzei minhas pernas. Olhei para uma pedrinha que estava bem diante mim e tentei congela-la. Impossível. Não é assim que funciona. Eles costumam aparecer nas horas essências. Talvez os encontros com a sombra possam me dar uma forcinha. Afinal, por que os meninos estão evitando conversa sobre isso? Eles foram amaldiçoados, quase mortos e parecem esquecer. Será que estou ficando paranoica?

 

De repente a porta fez um eco. Ninguém entrou mas ela se abriu. A fiquei observando até ver uma figura aparecer. Novamente mãos no bolso e expressão vazia. Caminhava lentamente. O que se passava na cabeça dele numa hora dessas? Estaria como a minha?

 

Baekhyun – Não vai conseguir se concentrar se continuar desse jeito – disse alto o bastante para chamar minha atenção. Ele estava parado bem a minha frente.

 

S/N – O que quer dizer?

 

Baekhyun – Sua mente não está preparada – me sobressaltei um pouco quando ele se sentou na minha frente – Você vive entrando em conflito com si mesma e eu sei que sou um desses motivos.

 

S/N – Bom..

 

Baekhyun – Vou tentar te ajudar, tudo bem? Assim você pode ir embora de vez. – eu piquei repetidas vezes sem entender. Isso seria bipolaridade?

 

S/N – Baekhyun por que..

 

Baekhyun – Eu me lembro do que te disse naquela noite – eu petrifiquei no meu lugar – Te odeio. – olhos nos olhos – Foi o que eu disse não foi? Odeio seu jeito de querer sempre nos salvar e nos perdoar com tanta facilidade.

 

Baekhyun – Isso está te atormentando? Está não está?

 

S/N – Onde está querendo chegar? – eu fechei meus punhos com força. Por uma das primeiras vezes eu estava começando a me estressar.

 

Baekhyun – Estou procurando um consenso. Talvez eu te odeie porque tudo mudou quando você chegou. A sombra não nos atacava já tinha um tempo e foi só você aparecer que POW tudo virou de cabeça para baixo.

 

Baekhyun – Além dessa obsessão estranha que os meninos têm por você, você conseguiu fazer o D.O. rir, isso é estranho. Você é estranha, para falar a verdade.

 

S/N – Baekhyun.. – minha voz saiu seca. Meu sangue estava começando a ferver. Qual o problema dele? E onde diabos Kai se meteu? Eu desviei meus olhos para um poste de metal e estou me esforçando ao máximo para não pular no pescoço de Baekhyun.

 

Baekhyun – Ah, outra coisa. Você tinha que descobrir o poder da luz? Justamente o MEU poder? Eu sempre fui único, você não entende? Me irrita saber que uma cópia chegou e ganha mais atenção.

 

Minhas mãos tremiam de raiva. Responda ele, S/N. Grite. Por que você não consegue.? Minha respiração estava descontrolada e meus olhos estavam tão fixos no poste que por um momento eu me esqueci da existência de outras coisas. Mas claro, a voz de Baekhyun estava ali para me atormentar.

 

Ele disse mais alguma coisa mas meus nervos não aguentavam mais. Eu estava prestes a explodir quando vi o poste se mexer. Sim, o poste se mexeu.

 

S/N – O poste.. – disse um pouco incerta.

 

Baekhyun – Se mexeu – levantou-se rapidamente – Faça de novo.

 

S/N – Você não manda em mim – ele cerrou os olhos – E eu não sei se foi eu.

 

Baekhyun – Como você é covarde, APENAS tente.

 

Esse garoto....

 

Olhei novamente para o poste e aos poucos ele se mexeu. Na verdade começou a se contorcer. Era como se eu estivesse mostrando a minha raiva através dele.

 

Baekhyun – Isso.. é impossível. Você não pode ter esse poder. – intercalou seus olhos entre mim e o poste. – O único que tinha a telecinese era o Lu.. – parou de falar. – Isso é impossível.

 

S/N – Pelo visto não é – coloquei minhas mãos na cintura. Eu deveria estar feliz e até mesmo preocupada com o novo poder mas eu estava tão possessa que não consegui ter animação – Como pode ver eu mexi o poste, ou será que você quer me xingar novamente? Dizer o quanto sou insignificante ou o quanto quer que eu vá embora? Na verdade você me odeia e não tem nem porque discutir com você. Até minha voz deve te estressar não é? Eu não entendo porque está aqui. Se acha todas essas coisas de mim por que se importa se tenho ou não medo de você?

 

Baekhyun – Ás vezes você é muito inocente, sabia? – como ele poderia sorrir numa hora dessas?

 

S/N – Mais uma coisa que te incomoda? – apoiei uma de minhas mãos na cintura vendo ele se aproximar – Não chegue perto de mim Baekhyun ou eu juro que vou jogar aquele metal na sua cabeça.

 

Mas ele é do contra. Ou simplesmente sabe que eu não jogaria um metal em sua cabeça. Quando chegou e me olhou profundamente eu ainda queria soca-lo.

 

Baekhyun – Me desculpe, era um teste – disse baixinho. Eu franzi o cenho e ele apontou para a cabine onde Suho, Chen e D.O.  observavam. Senti um aperto no peito.

 

S/N – Espera, você estava mentindo? – me distanciei – Jogou todas essas palavras fora mesmo sabendo que eu procuro de alguma maneira voltar a te olhar como antes?

 

Baekhyun – S/N...

 

S/N – Não acredito que fizeram isso comigo – olhei para cima onde os outros estavam. Até mesmo Suho fez isso? Como puderam mexer com meus sentimentos assim?

 

Baekhyun – Achamos que liberar a raiva era uma boa forma de liberar seu poder – desculpas apenas vão piorar a situação – E como eu e você...

 

S/N - Você é patético – ele abriu um pouco mais seus olhos – Não acredito nisso. – comecei a caminhar para a saída e percebi que ele também – Não ouse vir atrás de mim – eu estava com tanta raiva que o mesmo metal de antes se moveu do chão. Baekhyun parou no mesmo instante.

 

Eu sai daquela sala transtornada. Abri a porta da sala onde os outros 3 estavam e pelos olhares, sei que ouviram tudo.

 

Chen – S/N..

 

S/N – Não fale comigo – segui caminho e quando passei por Suho ele mexeu os lábios tentando dizer algo. Virei o rosto e continuei a andar.

 

Como puderam fazer isso comigo? Não estou exagerando estou? Não podiam deixar Baekhyun fazer isso comigo. Eu já estava abalada o suficiente. Suas palavras eram tão reais. Ele parecia tão sincero no que dizia. Não, dessa vez eu não vou conseguir ser tão boazinha.

 

D.O. – S/N espere – ele segurou meu braço e meu olhar devia estar tão possuído que ele se afastou um pouco – Suho não queria fazer isso. – “mas o fez” pensei e porque ele está me dizendo isso? – Não sabíamos que você ia reagir dessa forma, eu e Chen..

 

S/N – Eu não quero ouvir nada agora – disse calmamente – Sabe D.O., uma vez vocês me perguntaram o que é vergonha. E você me respondeu que não existia isso em Exoplanet. Na minha terra existe algo chamando Empatia, e eu não faço a menor ideia se você sabe o que é isso ou não mas o que vocês me fizeram passar naquele lugar me magoou. – mordi minha boca tentando controlar o choro – Me magoou muito.


Notas Finais


OMG esse foi o maior capítulo que eu já escrevi. Mds , mds

Menina S/N ficou magoada :( primeira briga entre eles, e agora? Ela está exagerando? Baek já não tinha a deixado triste o bastante?

Sehun eu te amo também <3

Baekhyun pq você fez isso :(, só piorou as coisas

Ela descobriu mais um poder mas.. não é de nenhum dos 9 guerreiros.

Suho nao queria fazer o teste, será que ele concordou ou os meninos fizeram sem ele saber?

Kai cuida do Xiu pq ele tá com vergonha agora haha



Caso vocês se perguntem como os outros guerreiros não ouviram a "explosão", a sala fica num lugar isolado.

Espero que tenha gostado )

Agradeço aqui as pessoinhas que migraram lá na minha história do watt, vocês são demais <3 Eu tive que excluir aqui "capítulo" de propaganda mas caso alguém queria ler me manda uma mensagem ou sei lá eu deixo o link no comentários de quem pedir :)

Bjinhoooos

Love u Mo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...