História The War - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), K.A.R.D, Monsta X
Personagens B.M, Jeon Jungkook (Jungkook), Jiwoo, Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Somin, Won Ho
Tags Drama, Survive, The Walking Dead, Universo The Walking Dead, Vmin, Yaoi, Yoonkook
Visualizações 25
Palavras 2.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Survival, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Obediência


Nunca se sabe quando as coisas começarão a dar errado, mas Jungkook já possuía a certeza de que sua estadia no Vaticano seria mais desconfortável que o imaginado. Não, não era o Vaticano de fato, mas sim a comunidade de Min Yoongi, o que fazia o mais novo se questionar esse era tão louco como demonstrara, afinal, ninguém se colocaria um título de tanto peso como o clero. Já havia estudado sobre a influência do clero na idade média, com atitudes violentas e autoritárias, já que a desinformação da população lhe colocava no topo da pirâmide hierárquica. Toda essa explicação fez o garoto arrepiar com a tamanha insanidade na comparação.


- Descanse o quanto puder e não saia durante a noite... - O pálido falava baixo, enquanto se concentrava em tirar suas maiores peças de roupa, ficando apenas com sua box preta. Falava o que Jungkook já faria, mesmo que não lhe fosse dadas tais explicações.- Irei saber se tentar.

O garoto desviou o olhar para pele leitosa do homem a sua frente, sem nenhuma tatuagem, apenas marcado por grandes cicatrizes que acabavam por destacarem-se em seu torço magro e bonito. Porém não pôde continuar a analisá-lo, sendo pego pelos olhos puxados de Yoongi que permanecia parado de frente para si, o fazendo desviar o olhar do seu peitoral para algum ponto fixo atrás do pálido, constrangido com o que acabara de fazer. Como pôde mudar de foco tão rápido?

Jeon agora ficaria no mesmo quarto que o líder do lugar, mesmo que parecesse algo seguro e bom, o garoto não conseguia encarar tal coisa como boa; tudo não passava de um castigo por ser uma criança brincando de ter coragem. Tal coisa apenas despertou o seu ódio ao passo que o fazia sentir calafrios pelo medo de ficar trancado ao lado do sádico.

Ao contrário que Jungkook esperava, Yoongi apenas deitou em sua cama sem mais palavras ou olhares para o mesmo, apenas jogando seu arco estranho em um canto qualquer do pequeno quarto. Jeon viu os olhos do baixo descansarem enquanto a postura rígida e ameaçadora se tornava suave e cansada, não tardando em adormecer.

Poderia finalmente descansar e ficar calmo, já que todo seu nervosismo poderia cessar após o pálido ter adormecido, mas não pôde escapar dos pensamentos que lhe agonizavam, trazendo medos nem tão banais.

Já passara tantas horas que não dizia nenhuma palavra e agora começava a sentir falta do próprio timbre calmo, como se houvesse ficado mudo de repente e sem explicação, sentindo uma ponta de nervosismo. Movido pela impulso não tardou em começar a cantar baixinho, tentando se acalmar e fazer o sono lhe acolher suavemente.

Timbre calmo e suave que rapidamente foi ficando cansado, vendo o dono de tal voz adormecer em pouco tempo.




°• • • • • × • • • • •°





Agora já poderia ver o sol surgir por entre uma pequena abertura num dos grandes portões de reluzentes do lugar, por conta de um homem mais velho que fora olhar a situação os andarilhos presos nas estacas. Eles usavam os mortos como proteção, já que se livrar de todos gasta tempo e energia, bens mais bem prezados desse novo mundo.

Jungkook observava a pequena caixinha de suco a sua frente juntamente com um prato contendo algum tipo de comida estranha. Não teve tempo de se render a ilusão de que aqui iria sentir o sabor das tortas de sua mãe, ou o doce dos morangos da horta de seu pai. O garoto apenas afastou tais pensamentos, logo colocando uma colherada do alimento em sua boca, sentindo o gosto ameno em seu paladar, mesmo que não conseguisse identificar do que se tratava.



- Você é a cobaia não é? - Um rapaz de pele bronzeada se colocou à sua frente na pequena mesa redonda, fazendo suas sobrancelhas se juntarem em confusão ao não entender do que fora chamado. - Sabe, se Yoongi te arrastou da sua comunidade, então você é uma cobaia!



O garoto apenas assentiu calmamente, voltando os olhos para o suco de laranja, como se fosse uma obra de arte, afim de sair do contato dos olhos castanhos. Não gostara do apelido que lhe fora dado, mas não tinha autoridade alguma para dizer o que lhe incomodava.



- Você irá passar um tempo considerável com o Min, espero que aguente- Ele lança um sorriso reconfortante - que não reconfortou nada - , logo voltando suas íris para o Jeon, vendo a confusão estampada  no mar negro de seus olhos- Ahn.....deixemos isso para depois. Afinal, eu ainda não sei sei nome.


O Jungkook se permitiu admirar o rosto bonito que lhe oferece um sorriso quadrado, pensando em como alguém poderia ter uma aparência tão divertida em meio ao fim do mundo.



- Jeon Jungkook !-  O homem agora estava com sua boca em um perfeito "O", surpreso com o timbre bonito que o garoto possuía e em como se encaixava perfeitamente com a sua aparência jovial. - E...e o seu?


Encabulado pela reação do -provavelmente- mais velho, o garoto levou mais uma parte do alimento aos seus lábios.


- Kim Taehyung! - O Kim não conseguiu segurar, atrapalhando toda sua fala com a pressa e euforia de ter atenção de Jungkook. Logo dando um sorriso sem graça.- Você está confuso com tudo, não né?



Jungkook pensou em negar, em dizer que não precisaria saber de nenhuma informação sobre tal lugar, pois iria sair de lá em breve, mas ele mesmo já recebera a consciência de que não será como o esperado, o fazendo apenas murmurar " um pouco " de modo envergonhado.



- O Vaticano tem  alianças com outras comunidades, então acho que Yoongi te levará a elas e você poderá entender melhor as coisas por aqui !- O garoto suspirou, já não conseguia controlar o próprio corpo diante da frustração que tudo estava sendo. O Kim obsevara suas reações, tentando entender todos aqueles sinais. - Falando no diabo....


Jungkook tremeu ao ver uma figura pálida, trajada inteiramente de preto, surgir por entre as pessoas presentes. Trazendo todos os olhares -seja os de medo, reprovação ou admiração- para mesa redonda onde estava.


Sem modos ou preocupações, Yoongi apenas puxou Jungkook pelo pulso, fazendo o garoto arregalar os olhos em surpresa e pavor. Ainda não conseguira se manter calmo ao saber que o Min estava por perto.



- Você vem comigo! - O pálido acabara de dizer algo, mas não parou seus passos rápidos e firmes, arrastando Jungkook pelo galpão do local, já não se importando se este torpeçava em seus próprios pés.



Taehyung acabara ficando sozinho no local, mas já esperava alguma atitude repentina de seu Hyung, já que querendo ou não os dois já se conheciam bem antes do mundo ser o que é. Mas não pôde deixar de suspirar, pensando em como o Min apenas piorava a cada dia.

Jeon pensou em perguntar, em pedir uma explicação e entender melhor o que iria acontecer, mas o pavor de sentir o toque frio das mãos do homem sobre os seus dedos suados pelo nervosismo, apenas o fazia sentir mais receio em suas ações.



- Você vai treinar fora dos muros, vai aprender a sobreviver e a lutar !- Yoongi simplesmente abriu os portões e passou apressadamente com o mais novo ao seu enlaço. Ato que fez algumas pessoas correrem para fechá-los novamente, já que o pálido não se dera ao trabalho de ter cuidado com os presentes no local.



- Por quê? - Jungkook parou em meio a mata, respirando fundo e com as mãos nos joelhos enquanto tentava se recuperar da corrida recente.


O mais novo se surpreendeu ao ouvir um grunhido pavoroso ao seu lado, só então notando a presença de um andarilho amarrado a uma árvore; era uma mulher, loira, com uma camisa rosa e coberta do que aparentava ser sangue.



- Porque você não sobreviverá lá se continuar assim!


De início não soube bem associar tais palavras, mas Jungkook logo entendeu que tudo aquilo era para que pudesse começar a proteger o local e a si mesmo, já que agora teria de ser sua comunidade. Seus pensamentos os fizeram estremecer no lugar.


- Primeiro vem a obediência. Sei que não tem costume de usar esse recurso, mas agora será obrigado a isso. - O Min respirou fundo ao entregar uma faca pequena para Jungkook. - Quero que enfie isso na cabeça dela !



- O que? Por quê ?


Não poderia estar mais apavorado ao ouvir aquelas palavras, sentindo o nervosismo voltar com força. Ele nunca houvera matado nada, seja um andarilho, uma pessoa ou até algum animal, Jungkook sempre fora bondoso- e medroso- demais para tal coisa.



- Obediência, é isso eu quero ensinar !- O mais baixo bufou em frustração, percebendo desde o início aquela fraqueza incessante do garoto.- Ela está morta. É só acabar com essa coisa que tomou o controle do corpo !



- Eu não posso fazer isso....- Jungkook deixou a faca ir de encontro ao chão, enquanto lágrimas de aflição ameaçavam escorrer pela face bonita. Estava com medo, medo de que matar algo lhe fizesse perder sua humanidade e senso. Um medo irracional que apenas o enfraquecida demasiadamente.

 


- Claro que você pode, e deve. Ela está amarrada e não vai te machucar !- O garoto apenas negava fortemente com a cabeça, enquanto o outro apenas olhava a cena com desdém.- Você é apenas uma criança assustada..



- Cale a boca. Você não sabe nada sobre mim!- O Jeon esbravejava como se não sentisse medo, como se Yoongi não fosse capaz de acabar com sua vida bem ali, diante de uma macieira podre com um andarilho amarrado em seu tronco.- Me deixe voltar para os meus pais !



Yoongi se surpreendera com as palavras de ódio, mesmo que já soubesse que isso aconteceria em algum momento, não acreditava que poderia ser tão rápido. Não pôde continuar seus pensamentos, sentindo as mãos firmes do moreno lhe empurrarem com força.


Não deveria ter feito isso, garoto!


E tudo acabara sendo muito rápido; Jungkook mal notou quando a mão do mais velho se fechou em punho, logo acertando seu nariz. Viu o sangue escorrer pela pequena cavidade, mas não fora permitido a continuar tentando conter o pequeno sangramento.



- Faça isso de novo e eu não hesitarei em te jogar para ela! - O mais novo fora empurrado para a macieira, caindo aos pés do andarilho que encarava com o olhar opaco soltando seus grunhidos altos e desesperados pela sua carne.- Agora pare de ser idiota e acabe com isso agora! Se tem coragem para me enfrentar, também terá contra essa coisa.



 O moreno agarrou-se a faca, ainda encolhido por entre as folhas secas daquele outono mórbido. Sentindo cada pelo de seu corpo eriçar ao perceber os olhos negros lhe encararem como o cano de uma arma.



- Por que...você não me deixa ir ?!- Jungkook sussurrou para si mesmo, logo após se aproximar do andarilho e cravar a faca na lateral de sua cabeça, o vendo perder o instinto e tombar sem nenhuma força.


Permitiu que seus olhos se fechassem com força, tentando ao máximo não se sentir tão mal por ter feito tal coisa sem nenhum motivo aparente. Tentou não lembrar de Jiwoo ao abrir os olhos e reparar no quão aquele cabelo lhe parecia familiar, sentindo arrepiar-se com a possibilidade de sua morte. Pensamentos que fizeram o garoto derramar duas finas lágrimas.



Na visão de Yoongi, o garoto era apenas uma mente ingênua e confusa que morreria em poucos dias, isso se não mudasse seus conceitos. Não sabia da história do mais novo e, sinceramente, não dava a mínima.



- Primeira lição concluída !- O baixo sorria, ironicamente, largo, enquanto conseguia sentir o medo emanando de Jungkook. - Agradeça por eu ter sido misericordioso com você. Se fosse qualquer outro, eu já o teria matado!

O garoto se pergunto por quê   com ele era diferente, enquanto suas mãos tentavam a todo custo limpar o sangue de seu rosto. Se o homem era tão perverso como lhe falaram e como demonstrava aos outros, então não teria motivo de ser assim consigo.


E então Jungkook pensou em como tudo parecia verdade, em como era um protegido pela família e completamente inútil numa batalha. O garoto queria gritar aos sete ventos, sentindo- se idiota por ter suplicado o colo da sua mãe em momentos onde deveria ter tomado a frente da situação. Por que se sentia tão mal de uma hora para a outra? Por que todos lhe diziam que era um garoto forte por aguentar o mundo, quando na verdade não passara de mais um peso ?



- Obrigado...- As palavras haviam saído tão baixas dos lábios do mais novo que quase não se tornaram audíveis, mas foram perfeitamente entendidas pelo outro que não esperava aquelas palavras.


- Como é ?



- Apenas obrigado por não fazer nada pior, obrigado por me dar um lugar para dormir e por estar tentando me ensinar algo. - Jungkook já não se importava mais em atropelar o mais baixo com suas palavras, sem ligar para o quão louco este parecia. - Eu nunca precisei aprender nada, sempre fora protegido e posto apenas em vigias curtas e calmas. Eu não sobreviveria sozinho de qualquer forma...acho que agora entendo as suas palavras..

Yoongi nunca ouvira isso de nenhum dos que "treinou", nunca ouvira um obrigado de ninguém e agora ao ouvir tão simples palavras, tudo parecia tão diferente, mas não sem deixá-lo em alerta pela mudança repentina na personalidade do outro, como se não passasse de um truque ou efeito pelo nervosismo e medo.

O Min nunca havia tido pais amorosos. Na verdade, nunca teve pais, nem casas boas, irmão, cachorro. O pálido sempre esteve sozinho, mesmo quando as crianças do orfanato decidiam lhe fazer companhia.


- Você deve certamente me agradecer com algo. E já que não tens nada a me oferecer, quero que me conte como foi sua vida, criança! - Yoongi olhava o mais novo nos olhos com uma expressão indiferente,  o levando a duvidar de seu pedido.

 

-Eu tenho vinte anos, não sou um adolescente! - Jungkook já estava cansado das palavras milímetricamente calculadas do outro, como se precisasse de situações específicas para um pirralho.- Mas por quer saber de minhas banalidades ?


Yoongi acabou rindo fraco por tal pergunta, não acreditando que o garoto não se tocara que não havia tido uma vida como a sua.


- Você me conta algo no fim da tarde e não me enche mais!



Assim o pálido dera as costas como um chamado mudo para que Jungkook o seguisse por entre as árvores,  sem saber onde o caminho levaria. Via as árvores sem folhas e totalmente assustadoras preencherem o local, enquanto paravam diante de um grande lago.



- Beba antes de continuarmos !


Dito isso Jungkook não demorou em tomar o líquido cristalino por entre os lábios, se lembrando de quando tivera água suficiente para poder se esbaldar de tal forma. A cena arrancou um riso mudo do mais velho, mas que não se demorou observando, logo voltando a encarar o céu como se tentasse adivinhar as horas ou o tempo.



- Teremos uma patrulha hoje e você vai comigo! - Yoongi agora voltara seu olhar para o mais novo, ainda possuindo o tom sério.



Jeongguk se levantara rapidamente, tentando secar os lábios com as costas da mão e tentando não encostar no nariz machucado. Não via motivo para ter de seguir Yoongi pelas rodovias que provavelmente estariam infestadas de andarilhos, já que era realmente inútil para lidar com isso.



- Por quê ?



- Você não me questiona, você me obedece !- Mais uma vez aquele tom fora usado contra si, o fazendo sentir que não era justo estar se enfiando em algo sem nenhum conhecimento.

E assim seguiram de volta ao Vaticano, apenas para buscar mais armas, para logo saírem em um grupo pequeno, prontos para limpar o que quer que tivesse por entre a cidade.

As ruas eram quase desertas e mal cuidadas- resultado dos longos anos da epidemia-, apenas com a presença desagradável de uma pequena horda. O mais novo se assustou de imediato, sentindo seu coração começar a bater forte pelo medo de ver quinze corpos cambaleante virem em sua direção.

Todos os outros se colocaram em posição, mas não foram capazes de alcançar o primeiro andarilho, já que o Min houvera tomado a frente. Jungkook sentia-se assustado apenas com a habilidade do homem, que fincava a lâmina de sua faca na cabeça dos mortos sem nenhum empecilho ou medo.

Yoongi retirou a faca do último andarilho, parecendo calmo após ter acabado com cada um deles. Voltando o olhar para os homens atrás de si, esbanjando serenidade em seu olhar.


Jungkook se questionou como alguém era capaz de ser desse jeito. 




Notas Finais


Espero que gostem
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...