1. Spirit Fanfics >
  2. The Warriors - Imagine Madara Uchiha >
  3. Capítulo 9 - Imagine Madara Uchiha

História The Warriors - Imagine Madara Uchiha - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei, eu sei... eu ando sumida mas eu juro que a tia aqui vai dar tudo de si para concluir essa história aaaaaaa por favor, tenha paciência comigo 😔❤

Bom... boa leitura meu amores❤🥰

Capítulo 9 - Capítulo 9 - Imagine Madara Uchiha



꧁9꧂



(S/n) remexeu na cama sentindo um toque suave em seu rosto tirando seu cabelo de seu rosto. Ela se espreguicou e então virou-se para o lado dando de cara com Madara.

—Bom dia. - ele abriu um sorriso gentil e alisou os fios de cabelo dela a fazendo ficar vermelha.

—B-bom dia... - disse tentando aparecer firme.

—Espero que tenha dormido bem. - ele disse a vendo se afastar minimamente.

—Eu... - procurou bem as palavras. Mas apenas sentia a sensação do corpo dele ao dela. Ela mexeu as pernas suavemente e sentiu dor nas juntas das coxas, mas nada que ela pudesse disfarçar. Ela sentou-se a cama e olhou em volta a procura das roupas mas apenas desistiu e levantou-se seguindo ao banheiro de costas a ele.

—Aonde vai? - ele perguntou se apoiando nos cotovelos.

—Tomar banho. Pode pegar suas coisas e ir. - ela disse simplória antes de adentrar o banheiro e cair no chuveiro quente.

Novamente. Ela sentiu em seu coração. Aquela mesma sensação de um banho após uma batalha, mas não havia ido a batalha alguma. Talvez, para ela, se entregar a alguém novamente daquela forma fosse uma batalha.

Madara sentou-se a cama antes que pudesse dizer algo a ela e adentrasse o banheiro. Quando se deu conta ela já havia entrado no banho. Ele suspirou e pegou as roupas, as vestiu e como ela havia pedido o fez, saiu. Mesmo que quisesse falar sobre o que havia acontecido, sabia que as questões pendentes no coração dela não a permitiram falar abertamente.

Ela desligou o registro do chuveiro e saiu do box, antes que saia ela parou em frente ao espelho e passou a mão no vidro embaçado onde observou o próprio reflexo.

"Você não cansa disso?" - Shi falou atrás dela.

—Disso o que?! - falou desviando o olhar para os olhos fantasmagóricos dele.

"Disso..." - Seikatsu falou apontando para ela. Ela suspirou e virou-se para eles.

—Não posso me dar ao luxo de criar laços... - sussurrou antes de fechar a cara e sair do quarto.

Ela procurou dentro do guarda-roupa aquela roupa.

"Se dar ao luxo? Do que exatamente está falando?" - Seikatsu disse pensativa.

—Relacionamento. - ela falou simplista fuçando o fundo do guarda-roupa.

"Acho que você só não quer." - Shi observou.

—Também. - falou tocando numa caixa, a qual puxou.

"Você precisa se entender." - Seikatsu sugeriu.

—Eu tenho assuntos mais urgentes. - ela soltou enquanto vestia a calça de couro, o espartilho do conjunto e prendia o cabelo num rabo de cavalo alto. Pensou em colocar um tênis, mas preferiu não descer do salto.

Quando estava saindo do quarto, tentou deixar os pensamentos saírem de sua mente, queria focar na missão do dia, sabia que estava a um tempo sumida e precisava dar sinal de vida antes de voltar a atenção às atividades com Hiroshi e os demais. Ela desceu as escadas e seguiu a cozinha onde encontrou todos sentados comendo em silêncio, possuíam um ar de desconfiança. Ela parou, olhou para si procurando algo de errado, mas não achando nada virou para eles e perguntou ríspida.

—O que é?!!

—Aa-Aah...?! Nada!! Só estávamos olhando o tão bonita está hoje. - Hashirama disse sentindo um leve chute de Mia por baixo da mesa. A amiga pigarreou e então deu um sorriso de canto.

—Onde vai toda gatona? - ela vestia uma roupa parecida mas vermelha.

—Vou ao bar do Shiro. - disse pegando um copo, onde o encheu de café preto. Deu um gole e observou o silêncio e a cara de curiosos deles.

—Hmmm... o que vai fazer no Shiro? - Mia perguntou meio confusa.

—Sabe Mia... Você ainda é uma assassina se quer saber. - ela começou batendo na mesa suavemente com os dedos como quem a chama para a vida.

—E-Eu sei mas... - ela deu um olhar sem graça para Hashirama que a olhou surpreso.

—Mas nada! Você precisa prestar conta com ele, não é como se ele fosse nosso chefe... mas você ainda trabalha para eles, então se eu fosse você, daria algum sinal de vida. - ela disse pegando um maçã antes de sair pela porta da frente.

—Oh céus... - ela sussurrou após ver a amiga sair. —Pensei que se ela transasse teríamos uma (S/n) menos estressada. - Mia comentou tentando parecer engraçada mas apenas riu de nervosa.

—Bom dia. - Madara soltou adentrando a cozinha após pigarrear. Ele sentou-se a mesa em silêncio.

—Mas e aí Madara... - Shisui começou após tomar coragem. —Tudo certo com a (S/n)??

—O que quer saber, seu moleque? - ele colocou o café no copo.

—Ah... ela não parecia bem ontem quando chegou, e hoje está tão.... - Shisui começou.

—Arisca... - Hiroshi disse do canto da cozinha onde fritava Bacons.

—Bom... eu não sei o que a levou a cena de ontem... - disse pensativo. —Talvez você tenha alguma noção, Hiroshi.

—Hmmm.... - soltou pensativo. —Creio que nada em especial.

—É mesmo? - Sasuke soltou. —Parece que acontece muita coisa entre vocês que nós não estamos cientes.

—Não é como se ela fosse uma pessoa tão acessível. - Hiroshi começou. —Talvez tenha sido mais aberta com Mia.

—Comigo? - disse incrédula. —Não mesmo. Somos amigas mas a (S/n) sempre foi muito reservada.

—E desde quando vocês duas trabalham juntas? - Sasuke quis saber.

—Nós?!... hmmmmm, uns 2 anos. Talvez menos. Não sei ao certo. - respondeu calmamente mas ainda sim sem graça.

—Porque você trabalha com isso? - Hashirama finalmente perguntou após receber bacons de Hiroshi. Ele começou calmamente mas ainda sim, tentava esconder a decepção estampada em seu rosto.

—Ah.... eu conheço a (S/n) a um tempinho, quando nos conhecemos ela disse que tinha entrado num emprego bom, pagavam bem e coisas do tipo... - ela começou pensativa antes de levar à xícara de café a boca. —Bom, eu tinha meus motivos, minhas questões, então eu pedi para ela me recomendar no trabalho dela, mesmo sem saber o que era... Eu tinha um irmãozinho, ele estava doente e precisava de tratamento, mas mesmo depois de conseguir o emprego e todos os tratamentos do mundo, ele morreu. Era a minha única família.

—Oh... - Itachi soltou ouvindo a história de canto, ele comia um pedaço de bolacha.

—E...? - Hashirama continuou.

—E...SEU IDIOTA!!! A (S/n) pode não ser a pessoa mais aberta do mundo, mas ela me ajudou até os últimos suspiros do meu irmão e até agora ela ajuda. Pode ser meio antipática e as vezes até mesmo ranzinza mas eu sei que ela tem os motivos dela... - disse pensativa.

—Hmmm... - Madara soltou pensativo, enquanto comia.

—Mas estranhamente... ela gostava muito do meu irmãozinho, as vezes parecia até que ela pensava ser mãe dele.

—Mãe? - Hiroshi franziu o cenho.

—Isso... mas enfim... - ela concluiu.

—Noite animada, não é Madara?! - Hashirama soltou após bater um silêncio analítico.

Dessa vez um silêncio constrangedor tomou conta do recinto.


(S/n) estacionou o carro em frente ao bar, o qual não fez cerimônia e adentrou o lugar. Apesar de ser cedo no dia, o local se encontrava mais cheio que de costume. Alguns jovens riam de um lado, outros jovens riam do outro, ela apenas se aproximou do balcão e suspirou.

Não demorou até que a sua frente fosse colocado três envelopes e um enorme copo de whisky sobre eles. Ela estava distraída com um casal ao canto quando olhou o copo de canto e soltou uma suave risada.

—Shiro...

—Beba. - ele disse sem rodeios. Ela suspirou e desceu o copo de uma vez.

—Andou sumida baixinha. - ele comentou.

—Ah... trabalhos extras, sabe como é, não é? - ela soltou apoiando o queixo na mão que estava apoiada ao balcão.

—Trabalhos? Ah... pensei que tivesse finalmente achado um namorado. - ele disse dando uma risada escandalosa depois, ela riu bufado.

—Porque todos insistem com essa ideia?? - ela disse fazendo sinal para que ele descesse outro copo. Assim ele o fez.

—Bom... desde que começou a trabalhar aqui eu nunca a vi comentando alguma coisa sobre sua vida pessoal... Eu sou um bartender, (S/n). E ainda sim, nunca ouvi você se queixar de sua vida como a Mia, por exemplo.

—Hmmm... acho que eu já tive tempo o suficiente para me queixar das perdas da minha vida. - disse pegando o copo a boca.

—O quanto você perdeu para acabar assim? - ele perguntou a fazendo rir calmamente. Ela suspirou no final.

—Tudo. - ela pegou os envelopes e deixou o copo a mesa. Estava para sair quando ele soltou.

—Você ficou bem ontem?

—Como é...?

—Se você ficou bem ontem. Você sempre sumia naquele mesmo dia nos últimos anos. - ele observou a fazendo ficar pensativa, ela deu um sorriso.

—Fiquei bem sim. Obrigada por se perguntar Shiro, me mantenha informada se chegar algo para mim ou Mia. - ela disse seguindo a porta.

—Está bem, está bem!! Se cuida!!

Ele acenou a ela que acenou de volta indo em passos firmes até seu carro, o qual ela adentrou e se jogou dentro. Ela segurou os envelopes e abriu um por um analisando seus conteúdos.

Estava prestes a ir embora quando, ainda pensativa, percebeu que apesar de direções diferentes, seus alvos eram completamente similares. Havia algo de errado naqueles pedidos. Ela seguiu para casa mais tranquila após perceber que teria mais uns dois dias livres até seu próximo trabalho, teria tempo suficiente para fazer uma pesquisa mais ampla de suas vítimas.

Ela deu partida no carro o qual seguiu calmamente pela cidade, havia um bom tempo que não ia ali, era bom estar de volta. Apesar de que não era muito apegada ao clima urbana, mas aquele período da tarde onde o céu ficava meio laranja e meio rosa, era sem comparação.

"Bonito, não é?" - Seikatsu comentou no banco de trás a assustando.

—Merda!!! Não me assuste assim. - disse quase ordenando.

"Sinto muito se a assustei. Estava apenas apreciando a paisagem." - disse fazendo um silêncio constrangedor se instalar entre elas.

"Bom... pelo menos um momento de paz." - Shi soltou brincalhão, mas apenas obteve silêncio. Ela estava entrando na estrada mais florestal quando soltou calmamente.

—Sabe Katsu.... - ela começou sem graça. —Você acha mesmo que eu estou com a guarda muito alta?

"Hm? Porque essa pergunta do nada?" - ela perguntou confusa.

—N-Nada, eu só... pareço tão solitária assim? - disse sem graça.

"Não estamos dizendo que parece solitária meu bem, so estamos dizendo que você merece ter pessoas que de importam com você a sua volta, entendeu?" - Shi ouvia quieto no banco da frente.

—Mas...

"Sei que é difícil, mas deveria começar sendo sincera com você." - ela soltou a fazendo ficar pensativa. Estavam próximo de casa quando ela suspirou e mordeu os lábios.

—Eu tenho... E-Eu tenho medo. - disse apertando o volante com as mãos.

"Medo?" - Shi perguntou confuso.

—Tenho medo de me permitir ter algo com Madara e ceder demais... e ficar fraca... de perder tudo de novo. - ela disse esperando que ela a desse uma resposta mas apenas obteve silêncio deles. Quando finalmente estacionou na garagem da casa, Seikatsu a aconselhou.

"Apenas, deixe ser e estar." - ambos sumiram juntas antes dela descer do carro.

Ela pegou suas coisas e caminhou no chão de pedrinhas até a escada de madeira, onde seguiu para a porta da cozinha e entrou por ela calmamente. A casa estava silenciosa, não havia ninguém. Foi o que pensou nos primeiros 5 minutos, até ouvir sons de luta vindo da parte de baixo da casa, mais precisamente da sala onde havia lutado com Madara, da última vez.

Sabia que andava muito estressada mas precisava relaxar, e o "passeio" realmente havia a ajudado, pois naquele momento só pensava em fazer algo para comer e talvez até tocar um piano, deixaria suas pesquisas pessoais para o final do dia.

Ela tomou um banho quente e vestiu um vestido preto de seda antes de descer a cozinha e encontrar tanto Madara quanto Itachi conversando ao balcão da mesa. Ela sentiu um incômodo no peito e se aproximou calmamente.

—Espero que esteja melhor. - Madara soltou a ela.

—Esperamos. - Itachi o corrigiu.

—Estou muito melhor, obrigada. - ela disse pegando um copo com água gelada.

—Quer conversar? - Itachi sugeriu. —Nos deu um baita susto.

—Não quero não... - ela percebeu que estava ficando ríspida então respirou e tornou a responder. —Talvez uma outra hora. Muito obrigada pela preocupada e sinto muito pelo trabalho.

—Tudo bem... Eu só... queria a conhecer melhor. - Itachi comentou calmamente a fazendo travar por um momento, era de fato preocupante e até mesmo chato saber que naquele momento ninguém, de fato, sabia quem ela era, o que fazia, e deixava de fazer. Quer dizer, que tipo de pessoa era e que história tinha.

—Pode ser amanhã a noite? No momento eu só quero ficar sozinha. - ela disse pegando um pacote de biscoitos.

–Amanhã a noite? - Madara disse a olhando de canto, vendo que a cada minuto que se passava ela queria seguir seu caminho.

—Uhum.

—Claro, porque não? Sei que está ocupada com suas coisas, não vamos a atrapalhar. - Itachi disse após dar um suave sorriso.

—Eu vou indo... - ela falou seguindo a sala onde fechou apenas uma das portas de correr.

—Não vai atrapalhar? Fale por si.

Madara soltou para Itachi seguindo para a sala onde adentrou e fechou a porta atrás de si. Ele se aproximou a vendo sentada ao piano e perguntou num tom mais passivo.

—Podemos conversar?





Notas Finais


Agora a (S/n) não escapa dele, ein?!!🧐 ksksksks ele tá tão confusa tadinha, parece até eu, Aiaiai
O que será que esse macho quer com ela? Aiaiai🥺🥺
E minha nossa senhora da BICICLETINHA SEM FREIO!!!! Esses envelopes que ela recebe, aaaa🧐🧐

Espero que tenham gostado amores!!❤❤

Comentem o que acharam e logo logo estarei postando mais capítulos por aqui❤❤🥰🥰

Beijinhos❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...