História The Wolf And The Fox - Capítulo 29


Escrita por: e Gio_Hufflepuff

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Visualizações 3
Palavras 3.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Nogitisune History


Fanfic / Fanfiction The Wolf And The Fox - Capítulo 29 - Nogitisune History


“Ninguém consegue fugir do seu coração. Por isso, é melhor escutar o que ele fala, para que jamais venha um golpe que você não espera.”


(...)


Os Nogitisune' sempre foram a espécie excluída, a raposa amaldiçoada, aquela que trás má sorte. Mas isso não aconteceu repentinamente, os kitsune's sempre foram uma espécie pacifica, não costumavam acasalar fora de suas classes, então um ShiroiKitsune sempre teria como parceiro outro ShiroiKitsune, dando assim continuidade em sua classe. Até que isso mudou, classes começaram a se relacionar entre si, tendo filhotes diferentes, com mais de uma cor sendo subjugado como meios sangue; os Mikkusokkuso. Esses eram aqueles que tinhas características de ambos seu pais, misturando suas personalidades e cores. Mas um dia, ao invés de nascer um Mikkusokkuso como deveria, nasceu uma raposa cinza e sem graça, e mais tarde descobriram que essa não possuía magia. Em uma sociedade onde todos tem suas peculiaridades e suas habilidades, não ter isso te torna diferente, estranho, uma "aberração". A garotinha só queria ser igual aos demais, para não sofrer com palavras maldosas de todos que estavam a sua volta, a lenda diz que quando ela tinha por volta os dezessete anos ela partiu em uma jornada decidida a saber o porque nasceu sem magia e sem cor alguma. Foram dias vagando sozinha por estradas e florestas, se escondendo de predadores e outras raposas que queriam seu mal, até que um espírito apareceu para si; o espírito se parecia com uma raposa, mas estava magra, com os pelos embaraços e sujos e parte de seu pelo estava em chamas, mas o tal espírito parecia não se preocupar com isso. O espírito disse à ela que estava a procura de um corpo para chamar de seu, que era muito solitário não poder se comunicar com ninguém e permanecer sozinho. A garota também compartilhou seu problema dizendo que estava em busca de uma magia a qual não foi lhe dada no nascimento, uma ideia pairou sobre o espírito travesso e disse a garota que se deixasse abitar em seu corpo lhe daria em troca sua magia, e sem pestanejar ou pensar duas vezes a garota aceitou a oferta. Ao ter seu corpo possuído foi alertada pelo espírito que agora era sua alma, que ela não deveria se envolver com magias proibidas ou desconhecidas, caso contrário um grande mal viria contra si. Ela passou meses até conseguir voltar para seu vilarejo e mostrar para todos que era boa no que fazia, porém o poder subiu sua cabeça e mesmo com os avisos dados, ela começou a se envolver com magia negra, e isso foi tomando a luz que tinha dentro de si, tirando o brilho dos seus olhos, sua pureza e por fim sua humanidade, e quando voltou ao seu vilarejo não era mais uma garota triste e bondosa, e sim uma mulher cheia de fúria querendo vingança por tudo que haviam a feito passar, cada palavra ruim direcionada a si, cada agressão; psicológica e as vezes física que sofria, ela queria fazê-los pagar por tudo. Então ela dizimou toda a aldeia, ao menos boa parte dela, aquelas que conseguiram escapar de suas garras de ódio a chamaram de Selvagem. Mais tarde outras raposas cinzas, começaram a surgir, uma pior que a outra, uma mais vingativa que a outra, uma mais poderosa que a outra, e dessa vez nenhuma delas nascia sem magia, o que era péssimo para quem estava em sua volta. Uma nova classe surgiu, chamaram então de Nogitisune's raposas amaldiçoadas.


Através dos séculos os Nogitisune's não gostavam mais de sua fama de vilãs, e começaram a usar magia apenas quando fosse extremamente necessário, ou até a deixaram de vez, e mais tarde descobriram que só apenas magia negra despertava esse lado assassino, mas não foi o suficiente para mudar reputação que as perseguiam. Yoongi era assim, ele sabia das coisas ruins que muitos dos seus antepassados haviam feito, mas acreditava que o único que poderia escolher seu futuro seria ele mesmo, e por isso cortou todo o contato que um dia tiverá com magia negra, que não foi pouco já que sua família era bem tradicional, mas conseguiu salvar o resto da humanidade que lhe restava. Mas quando viu Taeyuna, sua amiga, sua única família jogada ao chão tremendo e se contorcendo enquanto sangue saía de sua marca, ele sabia que ela havia sido vítima de uma maldição, e sabia também que se a salvasse provavelmente perderia a humanidade que lhe restou, mas isso para ele não era questão de escolha, ele salvaria aquela lhe ensinou como viver e como amar alguém. A última coisa que viu antes de apagar por completo, foi o rosto da garota, vermelho e suado enquanto derramava lágrimas.


Sábado, 29 de Agosto 


Consciente, ele estava consciente e confuso, afinal não era isso era 'pra acontecer. Olhou em volta e viu que estava em seu quarto no casarão dos Kim, sentou-se em sua cama e só então percebeu a ruiva ajoelhada ao seu lado o a cabeça e os braços sobre a cama enquanto dormia, ele sorriu e em questão de segundos ficou sério novamente, o que ela havia feito para recuperar sua humanidade?


Algumas horas antes.


As presas levaram Yoongi e Taeyuna de volta até o casarão, os dois estavam desmaiados, e os que os acompanhavam desesperados. Assim que chegaram na casa Seokjin começou a distribuir tarefas feito um comandante de quartel, ele queria resolver esses problemas o mais rápido possível.


- Jennie e Yin; leve Taeyuna para o quarto e deem um banho nela para tirar o sangue. Taehyung e Hoseok levem Yoongi para o quarto dele e cuidem dele, não deixem a temperatura do corpo dele subir muito.- virou para aqueles que estavam atrás de si.- Jimin e Jisoo levem Jungkook para o quarto ao lado do de Taeyuna e tentem o manter calmo, Yuna precisará dela quando acordar. Rosé e Lisa vocês podem por favor fazer algo para todos comermos? Algo que seja quente e saudável, talvez alguma sopa. Eles precisaram disso mais tarde.- falou se referindo a Jungkook, Yoongi e Taeyuna.- E vocês.- falou para Namjoon e Yang.- Vamos para a biblioteca do papai e vamos tentar descobrir algo para fazer Yoongi voltar ao normal.


Todos foram fazer o Seokjin havia instituído; Rosé e Lisa estavam na cozinha fazendo algo para todos comerem, Jimin e Jisoo estavam em um quarto com Jungkook tentando o manter calmo, o que era muito difícil já que seu lobo estava louco para verificar sua ômega, Jennie e Yin estavam dando um banho em Taeyuna que ainda permanecia desacordada, Taehyung e Hoseok estavam cuidando de Yoongi e tentavam manter sua temperatura o mais baixa possível, e os outros reviravam a biblioteca em busca de algum feitiço que livraria Yoongi de seu destino terrível. Uma, duas, três, quatro horas meia se passaram. Taeyuna já estava consciente e acordada com o alfa ao seu lado, Rosé e Lisa passaram pelos cômodos onde cada um se encontrava, para servir a comida e verificar se todos estavam bem, Taehyung e Hoseok ainda estavam junto a Yoongi que permanecia desacordado e isso os preocupava. Seokjin, Namjoon e Yang reviravam a biblioteca em busca de alguma ajuda, a essa altura já teriam folheado mais da metade dos livros que ali haviam, estavam começando a perder suas esperanças e começando a aceitar que talvez tivessem perdido Yoongi para sempre.


Mais meia hora se passou e foi definitivo, não encontraram nada que poderia ajudar Yoongi, o que podiam fazer neste momento era rezar para que o mesmo acordasse e permanecesse no controle. Mais horas se passaram e já era 22:53 quando o som da campainha foi ouvido, todos estranharam já que não estavam à espera de ninguém e todos os conhecidos estavam dentro da casa. Yin se levantou para abrir a porta, e quando viu de quem se tratava ficou estática, SooYeo estava parado do lado de fora segurando um livro em suas mãos. Sem que fosse convidado adentrou o recinto fazendo aqueles que o conheciam ficar de guarda prontos para revidar qualquer ataque. Gritos eram ouvidos do andar de cima, e isso despertou Taeyuna de sue sono, pediu ajuda de Jungkook para descer as escadas, por que ainda estava fraca, e devagar foi se aproximando da sala onde os gritos ficavam mais altos. Reconheceu uma voz, aquela que vem invadindo seus sonhos e lhe dando avisos, já no local, a atenção de todos se voltaram ao casal que acabará de chegar.


-SooYeo?- perguntou baixo vendo o homem abrir seus braços, ela andou o mais rápido que pode em direção a ele e o abraçou.


- Minha menina...- ele retribuiu o abraço e todos olhavam aquela cena confusos.


- Ele precisa de ajuda, você tem que ajudar Yoongi.- disse se afastando do homem.


- Taeyuna você sabe quem é ele?- Seokjin perguntou.


- Não exatamente. Ele vem aparecendo para mim em meus sonhos.- respondeu para seu irmão mais velho.


- Ele é o culpado por tudo isso Taeyuna, se não fosse por ele mamãe e papai ainda estariam vivos, e nós nunca teríamos nos separado.- Namjoon falou entre os dentes.


- Eu sei...- ela falou baixo e todos gritaram "Oque?"- Enquanto eu estava inconsciente eu sonhei, não, tive uma visão do que aconteceu, do que realmente aconteceu.- ela respirou fundo.- Mamãe e papai confiavam nele, e não foi por culpa dele que tudo isso aconteceu. Na verdade se não fosse por ele eu e Tae provavelmente estariamos mortos.


- Então porque ele te levou para longe? Por que separou você de mim? De nós?- Taehyung perguntou raivoso.


- Por que eles nos queriam Tae nós também somos ômegas, e se ficássemos separados, talvez fosse mais difícil de nos encontrar.- ela falou cabisbaixa.


- Minha mãe disse que tinha alguém em nossa família que estava contra nós.- informou Seokjin.


- E ela não mentiu para você.- SooYeo falou para o neto.- Mas não era eu, era SuHae.


- Não tente culpar minha avó, você a matou.- gritou Namjoon.


- Pense Namjoon, vocês estavam se escondendo. Quem deu à ideia de fazer uma festa para comemorar o aniversário dos gêmeos? Quem ofereceu a casa a qual não tinha nenhum alarme ou segurança caso alguma coisa acontecesse?- SooYeo dizia já nervoso, olhando a cara incrédula do neto.- Isso mesmo, SuHae. E se eu não tivesse chegado a tempo teriam levado Taeyuna e Taehyung. Kahi e Kiggen morreram sim naquela noite, mas não por minhas mãos, e sim por que estavam me acobertando enquanto eu levava Yuna.


- Faz sentido.- falou Seokjin.- Ela nos proibiu de usar nossas habilidades e as vezes ficava agressiva quando lembrava do que aconteceu, mas não por ficar triste.- ele olhou para o homem.- Mas eu ainda não confio em você.- falou sério.


- Mas eu sim.- Taeyuna falou atraindo atenção.- Descobriu alguma coisa?- voltou sua atenção ao avô.


- Ele precisa se ligar a alguém, e essa pessoa sera a chave de sua humanidade, e ele nunca mais terá limite com magia.- explicou abrindo o livro.


- Eu faço.- a ruiva disse já de prontidão sem pensar em mais nada.


- Tem que ser alguém que não tem influência sobre magia, e além do mais você já e marcada.- falou olhando em direção ao lúpus e a garota sorriu.


- Eu faço.- Jennie disse fazendo que à olhassem perplexos.- Não tenho influência sobre magia e também nunca fui afetada por ela.


- Você tem certeza disso Jennie?- Taeyuna perguntou, mesmo se fosse seu melhor amigo a precisar de ajuda não podia prender Jennie a ele por toda a eternidade.


- Não tive um Aeternumque com ele, maia meu lobo se nega a deixá-lo assim, e se ele precisa marcar alguém para ficar bem, que me marque então.- falou certa de sua decisão.


- Então vamos até ele.- SooYeo disse.


Jungkook voltou a ajudar Taeyuna com as escadas, Jennie e SooYeo os acompanhavam ate o quarto onde Hoseok estava cuidando de Yoongi. Ele se assustou ao ver seu irmão e sua cunhada entrar acompanhados, Taeyuna se sentou na cama junto com Jennie, uma de cada lado de Yoongi. Por ver seu irmão confuso, Jungkook explicou para Hoseok o que iria acontecer, SooYeo instruiu a neta a colocar Yoongi sentado e a abrir a boca do mesmo, o homem se aproximou e jogou na boca do rapaz um liquido amarelo e disse que ajudaria a fazer com que suas presas nascessem, e assim aconteceu. Jennie tirou parte de sua blusa deixando o lado direito de seu pescoço a mostra e o aproximou da boca do Nogitisune que automaticamente mordeu, a garota não gritou ou expressou qualquer dor, e quando finalmente seu pescoço foi solto a marca dos dentes estavam visíveis e vermelhas, Taeyuna viu as iniciais de seus amigos se formarem e sorriu. Jungkook trouxe a caixa de primeiros socorros e entregou para a ruiva que fez um curativo na amiga. Aos poucos todos foram sado restando apenas Taeyuna e Jennie no quarto.

 


- E agora?- a ruiva perguntou para a amiga.


- Preciso arrumar outro lugar para morar.- disse e Taeyuna a olhou com uma expressão confusa.- Minha mãe e meu padrasto queriam me empurrar para o filho de um amigo, e agora eu sou marcada.


- Pode vir morar aqui se quiser, tenho certeza que ninguém se incomodará.- ofereceu.- E também vai te fazer bem ficar perto do Yoongi.


- Eu não quero incomodar ninguém...- foi interrompida.


- Você não vai, acredite.- sorriu para a morena.


- Então eu vou 'pra casa agora e começar a arrumar minhas coisas.- passou a mão no cabelo de Yoongi.- Me ligue quando ele acordar.


- Pode deixar. Uma dos meninos irá te buscar logo pela manhã.- falou e viu a morena sair do quarto.


Atualmente.


Yoongi acariciou os cabelos da ruiva à vendo levantar sua cabeça devagar e sorrir ao ver o mesmo acordado e bem, tomou impulso e o abraçou forte, estava aliviada pelo plano maluco de SooYeo ter dado certo.


- Até que enfim você acordou.- disse ainda abraçando o mesmo.


- O que vocês fizeram?- perguntou se afastando.


- Nós descobrimos que se você estivesse ligado à alguém que não tem influência sobre a magia sua humanidade não ficaria em risco.- explicou receosa


- Vocês me ligaram à alguém?- perguntou alto.


- Era o único jeito, e nós não forçamos ninguém.- falou cabisbaixa.


- Quem foi Taeyuna?- ele estava bravo, como puderam deixar uma pessoa jogar sua vida fora, nem mesmo sua humanidade valeria isso.


- Jennie se ofereceu.- assim que escutou o nome não soube ao certo se estava feliz por ter sido ela, ou se estava triste pela garota.


- E onde ela está?- perguntou mais calmo.


- Foi até a casa dos pais dela, ela acha que eles vão a expulsar de casa.- falou triste.- Eu disse que caso fizessem isso ela poderia morar aqui, um dos meninos irá buscá-la.


- Que horas são?- perguntou já se levantando.


- 09:05.- respondeu enquanto olhava o rapaz entrar o closet e sair com outra roupa.


- Onde ela mora?- abriu a porta do quarto e saiu sendo acompanhado pela ruiva.


- Eu te mando por mensagem.- um sorriso se abriu no rosto da garota, ficou feliz em ver seu amigo tão ativo.


Eles entraram na sala de jantar atraindo a atenção de todos, todos estavam felizes em saber que tudo havia dado certo, Yoongi fitou todos e não pode deixar de notar que ainda estavam preocupados consigo e não pode conter um sorriso satisfatório, a alguns anos atrás ninguém se arriscaria ou ficaria preocupado consigo, encontrei uma ótima família aqui, o rapaz pensou.


- Sem perguntas ou melosidade por favor.- disse com seu humor áspero de sempre.- Eu estou bem. Nam pode me emprestar seu carro?


- Vai buscar Jennie?- o alfa perguntou


- Vou sim, vai ser difícil trazer as coisas dela se eu for com a moto. Quase perdi metade das coisas de Yuna quando fomos pegar as coisas dela.- falou e pegou um pedaço de bolo da mesa.


- A chave está em cima da mesinha da sala.- sorriu.


- Obrigado.


Ele saiu da sala de jantar e pegou as chaves, entrou no carro e logo deu partida em direção à casa de sua ômega, era estranho dizer ou até pensar sobre isso, nunca pensou em marcar nenhuma kitsune quem dirá uma filha da lua, mas agora já estava feito e ficou feliz por ser Jennie, ela aparentava ser alguém legal, sincera e compreensiva então, por que não tentar? Parou em frente a uma casa simples e ao mesmo tempo elegante, verificou o endereço, estava no lugar certo. Respirou fundo desceu do carro escutou gritos e ficou apreensivo, mas aquele sentimento não era dele, ignorou e caminhou até a porta tocando a campainha. Jennie atendeu a porta com os olhos marejados, e Yoongi assim que percebeu a puxou para os seus braços.


- Tudo bem hu? Vá pegar suas coisas, vamos para casa.- a garota apenas acenou com a cabeça e sumiu dentro da casa enquanto o garoto esperava.


Yoongi controlou seus impulsos enquanto escutava uma voz masculina xingando a garota de todos os nomes ofensivos possíveis, não queria deixar a situação mais desconfortável ainda para a garota queria que ela confiasse em si e que ela se sentisse avontade ao seu lado. A garota apareceu carregando uma mala grande e outra pequena, e em seu braço direito tinha uma caixa com algumas fotos e outros objetos pessoais, Yoongi pegou as malas e colocou no banco de trás, e abriu a porta do passageiro para a mesma.


- Leve-a mesmo, é uma vadia que não serve para absolutamente nada.- ao ouvir isso Yoongi não se conteu mais e partiu para cima do homem desferindo um soco em seu rosto. Sem dizer mais nada entrou em seu carro e deu partida.- Quem era aquele idiota?- perguntou ainda nervoso.


- Meu padrasto.- respondeu mais baixo do que queria e se repreendeu por isso. Maldito gene dócil.


- Tudo bem agora, estamos inda para casa.- limpou uma lágrima da bochecha da garota que nem a mesma notou que havia escapado.- Agradeço o que fez por mim, e eu prometo que vamos tentar fazer dar certo.- a garota apenas acenou e sorriu.


Já em casa notou que não havia movimentação alguma, talvez todos estariam em seus quartos, Yoongi subiu as escadas ajudando a morena com suas coisas e à guiou ate seu quarto a garota achou estranho pois pensou que iria ficar em um quarto de hóspede talvez, e isso gerou uma certa inquietação de sua parte. E Yoongi notou isso além de ser explícito, sentia pela marca que ela estava desconfortável.


- A casa tem sete quartos e todos eles estão ocupados, por isso ficará aqui comigo.- explicou para a garota.- Não se sinta desconfortável, nunca vai acontecer algo que não queira.


- Obrigada.- abraçou o rapaz o pegando de surpresa, e demorou alguns segundos para retribuir.


- Eu que agradeço por ter se entregado para me salvar.- falou e a abracou forte.


Do lado de dora da casa, no jardim, estavam todos os outros, eles conversavam enquanto aproveitavam o sol e a piscina, o dia estava quente e eles mereciam relaxar depois de passarem goras apreensivos e preocupados, tudo havia dado certo e isso era um motivo para comemorar. Jungkook e Jimin conversavam perto da piscina sobre coisas aleatórias até que o alfa parou e começou a farejar o mais baixo.


- Quando é o seu cio?- Jungkook pergunta.


- daqui à duas semanas porque?- perguntou confuso.


- Ou você fez as contas erradas ou seu cio virá mais cedo.- franziu o cenho.- Seu cheiro está muito forte Jimin-ah.- disse tocando o ombro do mesmo.- Pegue a chave do meu apartamento e passe o cio lá, eu e Hoseok vamos ficar aqui a pedido de Yuna e Tae.


- Certo obrigado Jungkook.- se levandou e pegou suas coisas indo em direção ao banheiro para trocar de roupa.


Se despediu de todos que estavam na área da piscina e caminhou até a sala pegando a chave do apartamento na mochila de Jungkook. Caminhou até a porta da frente e antes que a abrisse ouviu uma voz atras de si.


- Jimin? Já vai embora?- Yin perguntou se aproximando.


- Sim, eu preciso ir.- falou.- Tchau Yin, até uma próxima.


- Se quiser eu posso levar você.- pensou em recusar, mais Jungkook disse que seu cheiro eatava forte então ele poderia ser atacado por algum alfa na rua.


- Não vai te incomodar?- perguntou tímido.


- Não, tudo bem. Só vou pegar a chave do carro.- saiu


A garota não demorou muito, avisou aos outros que levaria Jimin embora, e logo foi ao encontro do mesmo. Logo estavam dentro do carro enquanto jimin guiava a a garota pelas ruam de Seul.
 

(...)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...