1. Spirit Fanfics >
  2. The Wolf Diaries >
  3. Está tudo bem

História The Wolf Diaries - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Está tudo bem


Fanfic / Fanfiction The Wolf Diaries - Capítulo 3 - Está tudo bem

Sinto o baque do meu corpo contra as folhas molhadas, está frio e meus olhos lutam para se manter aberto o céu cinza se forks  é o foco e não parece ser tão longo, tudo começa a girar então tudo fica escuro. 

Acordo sentindo algo entranho no peito um pressentimento ruim junto de um frio repentino. Coloco um casaco e desço as escadas, vozes chegam ao meus ouvidos e vejo a sala cheio de homens desnudos. 

— Chamaram Stripes e não me acordaram? - Digo e papai me olha sério. Levanto a mão em forma de rendição e me encosto no corrimão da escada. 

— Ele sumiu ontem de manhã e o pai dele nos informou agora na hora da ronda. Um de nós não teria se perdido na mata. 

— Não conseguem rastrear o cheiro dele ? - Pergunta Edward. 

— Achamos que ele está doente Carlisle. - Jake se pronuncia. — Paul é um pouco explosivo e está com o pavio muito curto e ontem Sam tocou nele e falou que sua temperatura estava baixa. 

— Ele pareceu calmo quando estava dormindo. 

— Sairemos para procurar. - Tio Jasper sobe as escadas com sua velocidade vampiresca. Busco os olhos de mamãe e ela parece tranquila com a situação.

— Paul não deve ter ido muito longe, ele não está conseguindo se transformar. 

— Ou deve está dormindo sem se dar conta que sumiu por um dia inteiro. - Todos os homens da sala me olha. 

— E você quem é? - Pergunta o mais alto deles. Seu semblante é um pouco mais velho diferente de todos eles. 

— Emmalie Hale Cullen. - Digo estendendo minha mão. Papai pisca para mim. 

— Sam Uley. - Ele me lança um meio sorriso. Mamãe aquela a sobrancelha. 

Todos trocam de roupa para enfim ir para floresta. Renesmee e eu nos entreolhamos pois sabemos que eles vão nos mandar ficar. 

— Vão se vestir vocês vão vir conosco. - Edward fala e eu não fico para escutar as retrucações. 

Quanto término de me vestir adequadamente todos já esperam lá foram, então eu vejo cada homem daquele tomar sua forma lupina. Eles são enormes lobos de cores diferentes. Mamãe me fita preocupada e papai acaricia seus braços. Um lobo de cor cinza escuro se posiciona ao meu lado, ele não é tão quanto o preto ele tem pelo curto, mas grosso, marrom. 

Ele se abaixa como se pedisse para que eu... 

— Quer que eu suba em cima de você ? - Ela rosna chegando a me assustar. Subo no grande longo e seguro em seus pelos. Não demora muito até ele sair correndo comigo floresta a dentro. 


                                           ~


O vento leva os meus cabelos como chicotes e eu gosto disso. O lobo parece se divertir com minha animação mas logo me lembro que estamos atrás de uma pessoa. Foco em procurar algo que seja útil como pegadas. Mas quem eu quero enganar ? Não sou como eles, não sou veloz não tem audição nem faro aguçado. O lobo cheira todo estenção do local mas parece não achar nada pois volta a correr. Me concentro no vento que bate em meus cabelos as árvores começam a balançar e eu consigo sentir uma vibração vindo da terra. 

Sou tirada dos meus devaneios com gritaria. Homens gritando coisas aleatoriamente como: " se transforme " 

" Faça aquilo que você nasceu para fazer " 

" Não seja um covarde. " 

O rapaz forte de pele avermelhada e cabelos negros parece atordoado, há bolsa de olheiras em seus olhos e ele parece suar muito. Sua fúria exala e ele parece prestes a explodir. É um circo de horror ver todos eles gritando com o pobre rapaz indefeso que deve apenas está passando por um momento difícil. Quando me dou por mim estou há frente de todos eles. 

Seus olhos castanhos escuros me fitam, ele parece ganhar um chá de calmante pois seus joelhos falham e seus olhos brilham.  Um sorriso nasce em sua boca e eu também só consigo sorrir.  

Então o homem em minha frente queima e se transforma em um lindo lobo 5 vezes maior que ele em forma humana. Seus pelos é um prata vivo. Sinto o corpo grande do meu pai em cima de mim. 

— Espera. - Falo em desespero. 

Ele não vai me machucar. 

O lobo parece ter algo errado quando passa a pata freneticamente na cabeça. Me desvancilho do meu pai e corro ao encontro do lobo cinza. Ficamos frente à frente e ele chora. 

— Está doendo ? - Pergunto. Tentando tocá-lo. 

— Se você conseguir respirar bem vai se acalmar. Toda essa raiva vai passar. - Toco seus pelos e ele parece tirar um peso de si então ele uiva. 

Todos eles. 

— Paul teve um imprinting. - Tio Edward fala. — Seus pensamentos estão confusos mas... ela acalma ele. 

Suas patas somem dando lugar a novamente suas mãos e continuo segurando seu rosto gelado.  O homem me olha e luta para que seus olhos continue abertos. 

Então ele cai desacordado em meus braços. 

                                  

                                       ~

                                      

Paul David Lahote foi levado as pressas para nossa casa, me sinto preocupada, angustiada e ansiosa por notícias. Ele apagou em meus braços e eu me sentia estranha com tamanha intimidade. Seus olhos castanhos atormentava minha mente e sua pele fez minhas mãos formigarem.  Esme ofereceu comida para os lobos que resolveram ficar e os menores foram levados por Jake e Renesmee. Me sentei na varanda fora da casa ao lado da garota quileute. Ela parecia está mal humorada e eu parecia ter um dom com pessoas mal humoradas. 

— Você não fede que nem eles. - Diz olhando para o horizonte. 

— Não sou uma vampira. - Suspiro. 

— O que faz morando com os sanguessugas então? - Ela pergunta sem maior medo. 

— Sou algo diferente que qualquer um deles. Sou algo da natureza sei que isso faz parte de mim. Apenas não sei o que sou ainda. 

— É você tem cara mesmo que meche com bruxaria. - Ela riri nasalar. 

— Vou levar isso como elogio. - Gargalho. —Sou Emmalie. 

— Leah Clewarter. - Diz seria.  

Escuto a porta da sala que vovô entrou com Paul a poucas horas e me levanto rapidamente. 

— Há temperatura se estabilizou e ele vai ficar um pouco dolorido pela transformação mas ficará bem. 

— Já podemos levá-lo ? - Sam pergunta. 

Queria ter a chance de vê-lo acordado e de pergunta como ele se sentia ou se precisava de alguma coisa. Queria ter a chance de conhecê-lo verdadeiramente. 

Decido subir para o meu quarto e ir descansar um pouco, meus pensamentos me confudem e eu começo  a pensar novamente naqueles minutos de conexão produzam. Das janelas eu vejo eles caminharem para a floresta e Paul entra no carro de Edward com ajuda. 

Fecho as janelas e suspiro pesado. 





Notas Finais


Amanhã tem muito mais.

Quem quiser falar comigo ou saber mais sobre a história me segue lá @falalek


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...