História There goes my hero - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Midoriya Izuku (Deku), Mina Ashido, Momo Yaoyorozu, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tsuyu Asui, Uraraka Ochako (Uravity), Yagi Toshinori (All Might)
Tags Bakuraka, Inkoyagi, Kacchako, Kirimina, Midotsu, Review, Romance, Todomomo
Visualizações 183
Palavras 2.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoje vamos ter um capitulo um dacim mais hot.
Coloco o Link da musica dps, pq não tenho acesso ao yt aqui, maaaas sugiro que vocês procurem a musica :3
And contém spoilers.
Enjoy ma babies

Capítulo 23 - Pernas bambas - Não estou interessado em você!


Fanfic / Fanfiction There goes my hero - Capítulo 23 - Pernas bambas - Não estou interessado em você!


OchaKo pov’s On

Fazia poucas semanas que tínhamos descoberto a academia embaixo dos nossos dormitórios. Geralmente ninguém ia lá além de kirishima, Katsuki, Tsu,  Deku-kun e eu, a maioria das garotas preferem treinar na cozinha da U.A. e os garotos não são muito fãs de ficar em um lugar confinado treinando corpo a corpo. Me revirei pela décima primeira vez na cama, eu estava com uma crise de insônia. Olhei o relógio. Quinze pras dez. Merda. Me levantei, arrumei o cabelo e botei uma roupa leve. Talvez um pouco de exercício me ajude a dormir. Desci as escadas e fui pro subsolo. Quando abri a porta da academia eu ouvi uma música suave. 

Here we go again

I kinda want to be more than friends...

(Aqui vamos nós de novo

Quero ser mais do que amigos)

Me aproximei devagar e só a luz da sala a "prova de som" estava ligada.

So take it easy on me

I'm afraid you're never satisfied

(Então, vamos devagar

Receio que você nunca esteja satisfeito)
 

Me aproximei e vi Katsuki se alongando, ele flexionava as pernas e braços. Era estranho ver ele ali até tão tarde. ele devia estar puto pela brincadeira que as meninas fizeram com ele hoje a tarde.

Here we go again...

We are sick like animals, we play pretend

(Aqui vamos nós de novo

Nós estamos cansados como animais, nós brincamos fingindo)
 

Ele enfaixou os pulsos e os nós dos dedos metodicamente. Ajeitando as faixas, ainda lembro de quando ele me ensinou a fazer isso. Levei algumas beliscadas nas bochechas até conseguir fazer direito, mas desde aquela vez eu não tinha me machucado mais.

 You're just a cannibal and I'm afraid I won't get out alive

No I won't sleep tonight....

(Você é apenas uma canibal e eu estou com medo de não sair vivo

Não, eu não vou dormir essa noite… )

Ele olhou pro boneco de pancadas, estalando o pescoço.

Oh Oh, I want some more 

(Oh, Oh, Eu quero mais)

Ele deu o primeiro soco, e eu vi o suor pingando dele. Quanto tempo ele já está aqui em baixo?

Oh Oh, what are you waiting for?

Take a bite of my heart tonight 

Oh Oh, I want some more 

Oh Oh, what are you waiting for? 

What are you waiting for? 

Say goodbye to my heart tonight

(Oh, oh O que você está esperando?

Tire um pedaço do meu coração essa noite

Oh Oh, Eu quero mais

Oh Oh O que você está esperando?

O que você está esperando? 

Diga adeus para o meu coração essa noite)

Ele fez uma sequências de socos e ataques. Seu rosto estava vermelho e o suor pingava do seu rosto. Seu cabelo grudava nas têmporas e na nuca.  Eu apertei a minha toalha. Meu coração acelerou. Ele deveria estar ali a pelo menos algumas horas. 

Here we go again 

I feel the chemicals kicking in 

It's getting heavy and I- 

Wanna run and Hide! 

(Aqui vamos nós de novo

Eu sinto a química pulsando

Está ficando pesado e eu 

Quero correr e me esconder)

Sua sequência aumentou, com ele passando pra trás do boneco e dando chutes altos na sua cabeça, ele fazia isso à perfeição, xingando quando errava um movimento e corrigindo com o dobro da sequência.

I wanna run and hide. 

I do it every time 

Oooh your killing me now! 

(Eu quero correr e me esconder

Eu faço isso o tempo todo

Oooh Você está me matando agora!)

Meu coração parecia alto demais pra mim, minha boca ficou seca e eu senti minhas pernas fraquejarem. Eu sentia algo por Katsuki, eu não sei bem o que é, mas.... Eu gosto.

And I won't be denied by you, the Animal inside of you

(E não negue a mim, o Animal dentro de você)

Sua sequência continuou, ele respirava pesado. Suor pingava cada vez mais, e eu me toquei que ele não tinha ligado o ar-condicionado. 

Oh oh, I want some more

 Oh oh, what are you waiting for? 

Take a bite of my heart tonight. 
 

Notei que ele cantava junto com a música, fazendo seus golpes irem no ritmo. Ele se movimentava de forma diferente, meio abaixado.

Oh oh, I want some more 

Oh oh. What are you waiting for? 

What are you waiting for! 

Ele parou por um  tempo, junto com a música. Minhas pernas fraquejaram e eu fui pro chão. Pensei que agora ele iria virar e me ver estatelada no chão. 

Hush, hush. 

The world is quiet. 

Hush, hush. 

We both can't fight it.

(Silêncio, silêncio

O mundo está quieto

Silêncio, silêncio

Nós não podemos lutar)
 

Ele secou um pouco o suor, eu sabia o que ele ia fazer. 

 It's us that made this mess, why can't you understand? 

Oh, I won't sleep tonight.

(Fomos nós que fizemos essa bagunça, por que você não entende?

Oh, eu não vou dormir essa noite.)

Ele voltou a olhar para o boneco, sorriu e atacou. Sua sequência estava mais rápida e mais violenta do que antes.

 Oh, I want some more! 

Oh, What are you fighting for? 

Take a bite of my heart tonight 

Seus ataques agora tinham pequenas explosões que o movimentavam e acertavam o boneco

Oh, I want some more! 

Oh, What are you fighting for! 

What are you fighting for?

Ele explodiu o boneco, deixando apenas pedaços de plástico e borracha.  Ele sorria. Pegou a toalha e foi pros chuveiros que ficavam na direção oposta a mim. 

Me levantei devagar, minhas mãos tremiam, eu sentia meu baixo ventre se contorcer e minhas pernas tremiam demais. Subi as escadas e fui pro meu quarto, no meio do corredor que separa a ala dos meninos e das meninas Katsuki passou por mim.... Ele tinha cheiro de sabonete de menta e hormônio.

-Tarde fora da cama, rosto redondo? - ele deu um sorriso de lado.

-Não conseguia dormir, bomberman.- respondi sentindo meu rosto corar. 

-Leite morno com mel ajuda em insônias... - ele murmurou saindo pro quarto dele. 

-Katsuki… - eu chamei inconscientemente.

-Sim? - Ele virou pra trás me encarando, me perdi por alguns segundos naqueles orbes vermelhas escuras. 

-Ah… Nada. - Meu coração voltou a bater alto. - Boa noite!

Me virei em direção ao meu quarto e senti sua mão segurar a minha.

-Se algo está te incomodando me fale. - Ele me segurou no lugar pelo que pareceu uma eternidade.

-Uh! - Eu definitivamente não confiava na minha voz. Seus olhos espertos esquadrinhavam cada centímetro do meu rosto, que devia estar vermelho como um tomate.

- Boa noite, Ochako. - ele me soltou e virou em direção ao seu quarto. 

Depois daquilo eu fiquei acordada até às três e meia da manhã. No outro dia tivemos mais e mais aulas, Kirishima pediu pra que Bakugou batesse nele… eu achei que isso não ia acabar bem. E pra variar eu estava certa. 
 

Ochako Pov’s Off
 

Katsuki Pov’s On
 

Isso aconteceu um pouco depois deles terem resgatado a Eri.

- Vamos comemorar! - Mina Gritou entusiasmada, Kirishima a abraçou. Por causa dele ela acabou virando parte do meu círculo pessoal.  Não posso dizer que é de todo ruim, afinal ela é um ótimo exemplo de heroína, talvez a rosto redondo possa aprender algumas coisas com ela.

- Poderíamos ir nas fontes termais, Gero. - Tsuyu sugeriu.

- Faria bem um banho quente pra relaxar os músculos tensos...- Ochako comentou alongando os braços.

- Como é que tem tanta gente no meu terraço???? - Eu perguntei.

- Simples, Bomberman, agora você tem amigos. - Ochako sorriu pra mim e eu engasguei com o arroz. Engoli e apontei pro Deku.

- O que ele faz aqui?

- Ele é meu amigo. Problema? - ela estava me peitando?

- Desde quando a Ochako é tão corajosa? - Mina cochichou pro Kirishima.

-Acho que… desde que ela foi na Missão para salvar Eri-chan… ela voltou… bem… assim. - Kirishima deu ombros. 

- Oe!? - eu falei pros dois. Ochako me olhava desafiando a que eu contradissesse ela. Dei ombros. Ultimamente ela estava me irritando demais, estava me deixando exausto isso já. - Que seja.

Levantei os olhos do meu almoço e todos estavam me olhando com uma cara de “Ele foi domado”.Suspirei e terminei meu almoço entregando a Marmita pra Ochako.

- Espera! Uraraka-san, você está fazendo o almoço do Bakugou? - Kaminari falou.

- É como eu consigo pagar pelos treinos e aulas de luta que ele me dá depois da aula. E uma forma de garantir que ele não vai desmaiar no meio do treino nem ficar doente. Não sei como vocês meninos conseguem sobreviver comendo só lanches e essas porcarias. - Ela bateu as duas marmitas brava. Eu já tinha tomado esporro sobre isso antes e não estava a fim de tomar mais um.

- Tá, cale a boca cara de lua. - Apertei uma das suas bochechas e ela me olhou feio.

-Tá. - ela falou seca. 

Tpm? Só pra garantir me afastei um pouco dela.

- Mas… deixando o casal estalinho de lado, vamos nas fontes termais? - Kirishima falou despreocupadamente.

- Podemos, logo chega o final de ano – Deku falou. - Pode ser bom variarmos um pouco.

- Será que os professores irão deixar? - Ochako falou preocupada.

- Provavelmente, eles não podem nos trancar aqui o Fuyu Yasumi todo, kero. - Tsuyu falou terminando o almoço.

- Faz sentido. - Deku começou a murmurar e eu olhei pra Ochako. Ela revirou os olhos e jogou um copo plástico vazio em Deku.

- Pare de murmurar ou eu te expulso do terraço. - é com toda a certeza ela estava de tpm. Ela fica violenta nessa época.

- Merda.  - murmurei.

- Disse algo “Kacchan”? - ela me olhou.

- Nada bolacha trakinas. - sustentei seu olhar. Ela me olhava como se fosse me matar, depois como se fosse chorar e então definitivamente como se fosse me matar.

- Ochako-chan está de tpm? - Tsuyu perguntou, essa sapa não teme a morte?

-Talvez… por que? - Ochako desviou os olhos de mim e voltou para a sapa. Quase soltei um suspiro de alívio.

- Pra sabermos se devemos nos proteger.

As duas começaram a rir e eu olhei para Kirishima sem entender nada. 

- Mulheres. - ele suspirou.

Eu revirei os olhos e levantei tirando a poeira. As aulas do conteúdo de heróis iriam começar em 35 minutos e eu queria escovar meus dentes. Sai descendo as escadas e ouvi passos leves e apressados atrás de mim. 

- O que foi Ochako? - perguntei ainda descendo a escada sem olhar pra trás.

-Como sabia que era eu? - ela perguntou.

- Você é a única, além do Kirishima que me segue.

- Ah…

Andamos em silêncio por algum tempo, nos separamos no banheiro e enquanto eu esperava que ela voltasse, uma menina do Departamento Geral veio até mim, pelo menos eu acho que ela era de lá, tinha cabelos roxos curtos, olhos vermelhos e a pele levemente acinzentada, ela sorriu e uma fileira de presas pontiagudas apareceu. 

- Bakugou-san… eu… er… - ela torceu as mãos e me estendeu uma carta.

- Katsuki, vamos? - Ochako saiu do banheiro e ficou me encarando. - Ah… vou na frente.

- Nem precisa, trakinas.- olhei pra a menina. - Escuta, não me enche o saco. E fala pras tuas colegas que não tenho interesse. Vamos Ochako.

- Não é a menina que ele deu uma surra no festival? - ouvi alguém comentar.

- Ele tem esses gostos? - ouvi outro comentário.

- Ouvi dizer que a turmas de heróis está morando aqui na escola.

- Cara isso é tão nojento.

Ochako se encolhia a cada comentário. Coloquei a mão na sua cabeça e me abaixei até a altura do seu rosto.

- Ignore-os. Você é melhor que eles. - soltei e ela sorriu, mas parecia que ia chorar. Suspirei e baguncei o seu cabelo.

- Obrigada.- ela soluçou e começou a limpar o rosto. Peguei meu lenço e estendi pra ela.

- Tudo bem.

Entramos na sala e todos ficaram nos encarando. 

- Não fui eu, porra.- falei indo pra  minha mesa.

As garotas rodearam Ochako e ela contou o que o pessoal do Departamento geral estava falando sobre nós. Suspirei de novo. Aquele ia ser um longo dia. Ayzawa chegou.

-Vamos ter um festival cultural.

-Parece uma escola normal  - a turma toda gritou.

-É uma boa relaxarmos nesse momento? - kirishima perguntou e foi fuzilado.

-Kirishima você mudou! - Kaminari chorou.

-Não, mas falando sério, é uma boa fazermos isso agora? quero dizer, estamos numa época de proliferação de vilões! - Ele defendeu.

-Você tem um bom ponto, mas a U.A. não gira em torno do departamento de heróis. O festival esportivo é patrocinado pelo Departamento de heróis, o festival cultural é responsabilidade dos outros departamentos. Não da pra comparar com o nível de atenção que eles recebem, mas os outros departamentos então contando com isso. E também há vários estudantes do departamento de heróis que estão  lidando com o estresse do novo sistema de internato.  - Ayzawa respondeu

-Já que é assim eu não tenho mais nada a falar.

Uma discussão começou sobre o que deveríamos fazer.

-Um Maid cafe! - Kaminari falou.

Minata falou alguma merda e logo foi enrolado nas faixas de Sero e jogado num canto pela sapa.

-Loja de Mochi!* - Ochako sugeriu.

-Campeonato de queda de braços! - Kirishima sugeriu.

-Já fizemos isso! - Mina gritou. -VAmos de dança!

-Loja de crepe! - Satou falou.

-Um mini zoológico? - Koda murmurou.

Todos começaram a dar opiniões diferentes. Olhei ao  redor e vi uma cena engraçada Kaminari estava vidrado na Jirou me deus se gosta da garota vai lá e fala pra ela. No final não conseguimos decidir nada. Fui pras minhas aulas complementares e cheguei moído em casa, mais dois dias. Subi e fui dormir, lá pelas tantas ouvi alguém bater à minha porta.

-Katsuki...

-Que foi porra eu estou dormindo. - Abri a porta e uma Ochako muito vermelha me encarava. - Que foi caralho?

- Camisa… -Ela tapou o rosto com as mãos.

-É sério? você já me viu praticamente nu e agora ta ficando assim por que eu estou sem camisa? Saco isso viu. - Entrei e catei a camiseta no chão e vesti. - Melhor agora porra?

- Desculpa ter te acordado… eu só não conseguia dormir… - ela resmungou ainda vermelha. Suspirei e bati no colchão da minha cama.

- Foi mal, eu fico de mal humor quando sou acordado. Senta aqui.  O que foi? - Ela entrou e sentou do meu lado e lá veio a enxurrada Ochako. Ela chorava sem parar. Passei a mãos em suas costas e ela só soluçava - Deu, passou.

- Por que ninguém gosta da gente? - ela questionou.

- Ainda pensando na garota do departamento geral? - eu me surpreendi. Ela ainda estava com aquilo na cabeça. ela balançou a cabeça devagar. - Saco viu. 

Levantei e fui até a mini geladeira que mantemos nos quartos. 

-Sua sorte é que eu comprei isso hoje. - Mostrei um potinho de sorvete de flocos.

-Eu já falei hoje que te adoro? - ela sorriu por entre as lagrimas

-Interesseira. - levantei a sobrancelha e ela riu. Melhor assim. Não gosto de ver ela triste ou chateada.

-Não sou, mas você me conhece, eu não resisto a doces. - Ela cruzou as pernas em cima do meu colchão, seu rosto ainda estava inchado e vermelho. A velocidade que essa garota troca de emoções durante a tpm é incrível, - Ah outra coisa, vamos fazer um show com dança no festival cultural.

-Show de dança? - Perguntei roubando a colher dela e comendo uma colherada no sorvete.

-Sim foi ideia do Todoroki- kun. Ele disse que vocês fizeram algo parecido no treino de heróis. - Eu quase cuspi o sorvete.

-Eu mato ele.

Depois de mais uma meia hora de conversa Ochako finalmente pegou no sono. Na minha cama. Merda. Peguei ela no colo e a levei pro quarto dela, demorei alguns segundos ajeitando ela na cama e a cobrindo. Ela suspirou bem de leve, abaixei e olhei para o seu rosto, ela é linda de certa forma, na verdade eu já sabia disso. Quando ela cuidou de mim doente eu acabei ficando nessa mesma situação, ela simplesmente tinha apagado no meu sofá e estava agarrada a minha coberta favorita

-Katsuki… - ela suspirou e sorriu no sono.

Acariciei a sua bochecha e a ajeitei melhor. Na saída vi um Kirishima todo vermelho saindo do quarto da Ashido.

-Sério? - Perguntei.

-É o amor, bro. - ele sorriu idiota. Dei um peteleco na sua testa balancei a cabeça e fui pro meu quarto.
 


Notas Finais


https://youtu.be/AcPmTOBtrtY
Animal -Chase Holfelder

*Mochi é um bolinho feito de arroz moído em pasta e depois moldado. Embora seja consumido durante o ano todo, é comido tradicionalmente no Shogatsu (Ano Novo) e em ocasiões especiais como nos nascimentos e casamentos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...