História There goes my hero - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mina Ashido, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui
Tags Bakuraka, Inkoyagi, Kacchako, Kirimina, Midotsu, Review, Romance, Todomomo
Visualizações 478
Palavras 2.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltaremos para a historia propriamente dita
alerta de Spoilers again
enjoy ma babes

Capítulo 25 - Isso é uma guerra! Eu atrapalhei?


Fanfic / Fanfiction There goes my hero - Capítulo 25 - Isso é uma guerra! Eu atrapalhei?

Katsuki Pov’s On

 

Mais um dia começou, nem parece que aquela loucura aconteceu ontem. Um os caras do departamento geral.

-Parece que a classe de heróis vai fazer um show dançante… - um dos caras comentou

-Eles se acham demais. - uma garota retrucou. Esse pessoal do departamento geral estava começando a me dar nos nervos.

-Sendo que eles são a causa de todos os problemas. - o mesmo cara de antes completou. Tá isso me deixou puto.

Passei o resto da aula toda emburrado. Nos juntamos nos dormitórios pra ver o que cada um iria fazer, com a ajuda da Ochako os instrumentos da Jirou foram trazidos com facilidade pra baixo. Depois de uma leve discussão sobre o estilo musical tínhamos que escolher quem ia tocar o que, Jirou estava procurando um baterista.

-Você não foi forçado a fazer aulas de músicas a algum tempo? - Kaminari virou pra mim. Merda.

- Que? - Eu definitivamente não deveria ter contado a eles isso.

-É que inesperado! - Ochako gritou.

-Bakugou, por que você não tenta tocar bateria? - Sero balançou as baquetas na minha cara.

- Outra pessoa não pode fazer? - Eu estava tirando o meu corpo fora.

- Seria muito difícil mesmo… - ele me provocou e eu arranquei as baquetas da mão dele sentando na bateria. Me lembrei das aulas de música e toquei do jeito que deu.

- Perfeito! - Jirou gritou.

- Temos um talento escondido! - Mina gritou.

- Está decidido Bakugou fica na bateria. - Kaminari tentou bater um pouco os pratos, mas não conseguiu direito.

-Eh?! Eu não vou fazer nada disso. - Falei virando de costas.

- Bakugou por favor! - Jirou veio atrás de mim. - ou melhor, se fizer isso por mim, você será uma pessoa boa.

- Nada de bom vai vir disso. - eu falei e virei pra encarar a garota baixinha de franja torta. Levantei meu olhar e englobei a turma toda. - Vocês estão divulgando isso como se fosse para diminuir o estresse dos outros departamentos, não é? Fazer esse tipo de coisa pra “aliviar o estresse” Não vai além de extravagância. Pessoas que me enojam não precisam dessa cortesia!

Todos ficaram amuados.

-Hey! Pare de falar assim! - A menina invisível falou.

- Eu estou falando que vocês estão ajudando o inimigo!

- Será que a gente pensou bem nisso? - Iida falou com a Momo.

- Não venha falar mal. Afinal você nem participou das discussões. - Todoroki tomou partido.

- Isso não te enoja? - perguntei diretamente pra Jirou. - Não estamos apanhando dos vilões por que gostamos disso. Por que temos que nos preocupar com os sentimentos dos outros? Se toda a intenção é deixar os outros felizes… Desista! Não é sobre compaixão. É uma guerra! Se você está dentro se prepare. Todos na U.A. vão morrer com o nosso som!

-Bakugou! - Mina gritou. e os outros se animaram.

- Essa motivação não é muito bom, mas pelo menos vamos tocar! - A garota invisível abraçou Jirou.

- Vamos fazer o nosso melhor.

Depois de muita discussão decidiu-se que iriamos levar nossos instrumentos para os quartos e treinar com eles. Ochako me ajudou com a bateria.

-Oe, você é está bem pra fazer isso? - Perguntei montando a bateria no meio do meu quarto.

- Eu estou sempre bem. - ela se curvou minimamente pra frente, ao visto ainda estava com aquele inferno de ontem. - Não sabia que você tinha feito aulas de música.

- Uh… minha mãe me obrigou, disse que era um bom lugar pra colocar a minha raiva. - Ajustei o pedal dos pratos e virei pra ela - Aprendi a tocar quase tudo, bateria, violão, baixo, guitarra… não ajudou de verdade, mas consegui fãs pra pegar o Dainibotan.

Sorri e ela fez uma cara de enfezada sentando no chão.

-Senhor popular. - Ela resmungou.

- Eu não era. - Dei ombros e olhei pra ela. - Na verdade não sou. Tirando a Mina, que namora o Kirishima, você é a única garota que chega perto de mim. - Me abaixei e fiquei da altura dos olhos dela. - Não sou tão popular assim e não me importo, ao contrário do seu amiguinho.

- Uh?

- Deku está saindo com a Sapa. - Falei e ela deu um pulo arregalando os olhos, passou alguns segundos ela começou a rolar no chão de rir.

- Eu sou o melhor cupido de todos! - Ela estava sem ar de tanto rir. - Depois do festival esportivo eu disse que ela ia ficar com o Deku, ela disse que não.

- Ah… Eu sempre achei que tu tivesse uma queda por ele. - levantei e testei a bateria.

- Não… Eu admiro o Deku, mas não amo ele. - ela engatinhou até a minha geladeira e pegou o sorvete. - Da mesma forma que você não ama o All Mitghy.

Eu engasguei e taquei a baqueta na testa dela.

-Idiota. - ela me xingou.

-Sou. - falei pegando a baqueta do chão, tinha caído ao lado do quadril da Ochako. - Hey… Você… está diferente hoje?

Realmente, eu não sei se foi o fato de eu ter ficado no corpo dela por algumas horas, ou o fato de ela estar cheirando extremamente bem, ou o fato…

-Katsuki? - ela perguntou e eu parei, notei que estava centímetros do seu rosto.

-Tinha uma sujeira aqui. - Limpei seu queixo e ela corou. Merda.

- Ochako, eu… - Eu ia falar algo quando a porta foi praticamente arrancada das dobradiças.

- BRO! ME AJUDA COM A… URARAKA?-Kirishima estava parado na porta, encarou a gente por dois minutos e eu juro que ouvi um click.

- Não, não posso te ajudar com ela. - passei o braço pelos ombros da Ochako. - Mals bro.

- DESCULPA EU DEVIA TER BATIDO! - ele gritou e bateu a porta com força. Nos encaramos e começamos a rir, o clima foi por água abaixo.

-Merda.

- Merda, mesmo. - Ela repetiu. Nos encaramos e ambos coramos. - Você ia me dizer…?

-Uh… você… não quer passar o natal lá em casa? - Desviei o olhar e fingi arrumar o bumbo.

- Eeeeeh?- Ela praticamente gritou.

- Não seja barulhenta. É só… deu vontade de te convidar…. - dei ombros. Olhei pra trás e ela estava em tela azul. - Ochako?

- QUERO! - Ela voltou a vida e gritou. Olhei pro seu rosto vermelho e sorri de lado.

- Não sei se você está indo por mim ou pela comida de graça. - ela me olhou irritada.

- É por você ter me convidado idiota! - ela me bateu e eu dei risada.

 

Katsuki Pov’s Off

Todoroki Pov’ On

 

Remexendo em uma das minhas malas eu encontrei a minha flauta, a peguei nas mãos. Eu gostava dela, até aprendi bem, não era algo que o meu velho gostasse, quisesse muito ou mesmo até deixasse que eu praticasse, mas minha mãe achava lindo quando eu tocava, embora eu tocasse muito mal. Me posicionei e tentei posicionar os dedos.

-Faz tanto tempo... - murmurei baixo, toquei algumas notas, na realidade eu tentei, não saiu a coisa mais linda do mundo, mas eu pude relembrar como era, talvez com um pouco mais de insistência.

Fiquei média de uns 10 minutos tentando tocar algo até que me deu sede. Ia apenas tomar uma água mas resolvi descer e fazer um chá, como já era tarde coloquei apenas uma regata que usava para treinos físicos que estava sobre a minha cama. Aquele lugar ficava estranhamente quieto quando a turma não estava lá, parecia até... vazio, a área comum estava toda apagada, só havia a luz da cozinha ligada, onde eu estava. Ensaiei mais um pouco enquanto a água esquentava, flauta é consideravelmente fácil de tocar e tem um som agradável, ajuda a me acalmar. Ia subir com ele, mas tomei ali mesmo, a maior movimentação foi Tokoyami que pareceu ter passado para... Dark Shadow passear talvez? Mas no máximo acenou com a cabeça para mim, já estava voltando para o meu quarto quando um som chamou minha atenção, na direção do som tinha uma luz acesa, a porta semi-aberta de um quarto, eu apenas me movi para lá por instinto, seguindo o som suave da música. Através da porta Yaomomo-san estava tocando em um pequeno teclado e logo começou a cantar.
 

Ao invés de qualquer lágrima, me dê uma canção gentil

Ao invés da tristeza, me dê esse calor
 

"Ela sempre teve uma voz tão bonita?" eu pensei comigo

 

Eu não acho que o mundo vai mudar tão facilmente

Mas a escuridão se dissolve em silêncio

E caminho, tento caminhar

Por milhas e milhas caminharei a pé

 

Mesmo que aos poucos, será que posso me aproximar

Dos pedaços de sonhos e da pessoa que amo

A forma do amor que eu imaginei

Para sempre, sempre, continuo a procura
 

Ela parecia tão... envolvida com o que cantava, era hipnotizante, instintivamente eu comecei a tocar com a minha flauta, não tocava a tempo, mas eu gostava dessa música, foi uma das primeiras que aprendi a tocar.
 

Ao invés de falar sobre desistir

É melhor contar as coisas que pode fazer

Mesmo que eu tropece ou sinta como se fosse cair

Mesmo assim, mesmo assim, eu já me decidi

 

Entre as coisas que posso fazer por você

Não tem nenhuma realmente grande

Mas mesmo assim, eu quero te tocar!

Ao invés da tristeza, me dê esse calor
 

Mesmo que aos poucos, será que posso me aproximar

Dos pedaços de sonhos e da pessoa que amo

A forma do amor que eu imaginei

Para sempre, sempre, continuo a procurar

 

Gira e gira, a Terra gira

Sem parar e sem parar o tempo muda

Ao fim do mundo, dê amor

Antes da felicidade

Dê sonhos

 

Mesmo que aos poucos, será que posso me aproximar

Dos pedaços de sonhos e da pessoa que amo

A forma do amor que eu imaginei

Para sempre, sempre, continuo a procurar

Lalalalalala, lalalalalala

Lalalalalala, lalalalalala

Ao invés de qualquer lágrima, me dê uma canção gentil

Ao invés da tristeza, me dê esse calor
 

Nesses últimos versos ela foi diminuindo a intensidade com que tocava o teclado fazendo com que o som da minha flauta durasse dois segundos a mais fazendo com que ele denunciasse a minha presença.

-Uh?!? - Ela pareceu notar agora que eu estava ali e lentamente virou para mim, seu rosto mudou para de surpresa quando me olhou.

-Hmm, acho que errei o tempo dos últimos versos, peço desculpas, quer tentar mais uma vez?

-T-Todoroki-san? - Ela mudou de cor. Será que eu devia ter batido na porta?

-Me desculpe, não bati na porta para não interromper a música. - eu falei ainda escorado no batente da porta.

-Momo-chan, pode me ajudar com a matéria de hoje? - Asui e Uraraka apareceram na porta, fazendo com que a cor de Yaomomo fosse mais próxima do vermelho.

-Oh... Boa noite - eu cumprimentei as minhas colegas. - Yaomomo-san, você está com febre? Está um pouco vermelha.

Ela não pareceu conseguir falar, Uraraka a olhou, olhou para mim, elas acenaram com a cabeça.

-Boa noite Todoroki-kun - ela me empurrou delicadamente para fora do quarto e fechou a porta, o que não foi difícil já que eu estava bem na porta. - É... eu devia ter batido na porta

 

Todoroki Pv’s Off

Ochako Pov’s On

 

Mina deitou confortavelmente na minha bunda.

-Você ganhou quadril. - ela falou me apalpando.

- Tire as mãos daí. - balancei bumbum tentando tirar aquela maluca dali, mas tudo o que consegui foi cosquinhas com seus chifres.

-Kero, continue Ochako-chan.

- Então, eu acho que devíamos fazer uma roupinhas para combinar com a música e a dança. - falei continuando o desenho da roupa que eu acho que ficaria bom.

- Não desvie do assunto. - Mina falou me apalpando de novo.

- Que assunto? - eu falei arrepiando.

-Katsuki Bakugou. - Ela falou e toda a atenção voltou pra mim.

- Então…. - tentei enrolar.

- Fala ou eu te aperto. - Mina se virou e colocou o rosto nas minhas costas ameaçando pegar meus peitos.

-Ta, tire as mãos, sua tarada. - eu dei risada. - Katsuki me convidou pra passar natal com ele…

Eu fiquei vermelha e senti subindo no sétimo círculo de fogo.

-Então é sério? Estão juntos? - Mina pulou nas minhas costas me dando um abraço.

- Não… não é bem assim… tipo.. eu gosto dele, mas não sei se ele gosta de mim…

- Não falou ainda, Kero? - Tsu perguntou aproximando de mim.

- Não… eu não sei muito bem como falar. Tenho medo de acabar estragando a nossa amizade.

- Verdade, vocês são bem próximos, kero. - Tsu sentou na cabeceira onde eu estava com os cadernos apoiados, afastou gentilmente os materiais e colocou minha cabeça nas coxas dela. - Kero, mas você vai ter que falar pra ele que gosta dele. Se não ele nunca vai saber.

Tsu mexeu nos meus cabelos e eu me senti melhor.

- Depois do festival eu falo pra ele. Vamos nos concentrar em, como Katsuki diz, “cabar com a U.A.”

Ochako's  Pov Off


Notas Finais


https://youtu.be/L3YPPE3fjm4
Link da música da YaoMomo "Chikyuugi" Tema de Cdz da saga de Hades


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...