História THEY ARE NOT MONSTERS-Jungkook - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bts, Jungkook, Jungkook Abo
Visualizações 15
Palavras 2.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Já aviso,essa primeira parte da história é Domingo,uns dias atrás quando depois que Carolinne falou para a S/N na cafeteria q iria viajar,esse capítulo é pra contar sobre a viagem dela!

(E alguns outros acontecimentos...)

~~~❤

Capítulo 21 - Chapter 19- Carolinne:A viagem..


Fanfic / Fanfiction THEY ARE NOT MONSTERS-Jungkook - Capítulo 21 - Chapter 19- Carolinne:A viagem..

[Dias atrás ,Domingo dia da viagem de Carolinne para Inglaterra]



*POV NARRADORA*



Carolinne acorda Às 4 da manhã indo fazer  uma refeição rápida, termina de pegar algumas coisas pra viagem e inclusive aquela cartinha que sua mãe havia lhe entregado antes de abandoná-la...Logo, procura sua agendinha onde anota todos os seus afazeres do mês, procurando e procurando..não acha em lugar algum ,um tanto estranho pois nunca tirava da mesinha do lado de sua cama..  


Percebendo que já perdeu tempo demais procurando-a , resolve deixar para resolver isso após voltar da inglaterra,a agenda não era mera coisa,era importante,bem,tudo estava nela.  Sem demora,toma um banho e se arruma pra finalmente ir para o esperado aeroporto .Saindo de seu apartamento ,como cedo, não havia absolutamente ninguém no estacionamento, um pouco hesitante,  caminha deva devagar até seu carro.Caroline estava confiante e feliz um pouco,finalmente pensou que iria encontrar o motivo de tanta busca..



*Carolinne POV*


Um barulho alto soa de repente e em seguida, um barulho menor de alguma coisa caindo no chão,hum?Pensei que não tivesse ninguém aqui... Aish,isso me dei calafrios!

Indo atrás do som para ver o que era, não encontro ninguém,era de se esperar...apenas... a minha agenda que havia perdido mais cedo?Ok…………………



Pego do chão rápido e volto correndo até meu carro de pressa,que porra é essa?!Estão brincando comigo?Ao entrar no carro tento acelerar para sair do estacionamento o mais rápido possível,esse tipo de coisa realmente me assusta!Tentativa falha, o carro literalmente ficou mais lento do que nunca ….o que?

Saio do carro pra ver o que havia acontecido ,provavelmente um mal funcionamento ,assim percebo que os pneus estão todos furados.Puta dia ein!O medo que estava apenas piorou ,eu preciso sair logo daqui,o horário podia ser perigoso...eu não sei.OK….o que faço?Ok Carolinne ..pensa..pensa ...não tem como ligar para alguém,tá muito cedo…..Aish,assim vou me atrasar para o vôo…Deve ter sido alguma criança birrenta daqui do condomínio fazendo brincadeiras!

OK...uber vou.


Pego meu celular logo pedindo um uber após sair do condomínio,sem muita demora,um moço gentil disposto me leva até o aeroporto,aquilo iria me custar um pouco caro...já que é mais do que longe de minha casa.Espero tudo dar certo apartir de agora.

No caminho do aeroporto ainda pensava um  pouco sobre em como aquilo podia ter acontecido...que estranho  , realmente não estava cheirando bem….O clima da madrugada era boa ,era silencioso e a janela estava apertada,um ventinho confortável passava e me trazia boas sensações sobre a viagem...Os fones postos me trazia uma música parecida com as música que ouvia na infância na casa dos meus pais..


(....)


Finalmente chego ao aeroporto para a Inglaterra ,estou me sentindo voltar no tempo,mas finalmente estou indo e espero tudo dar certo...Com pressa faço o check in e tudo o necessário para o vôo,assim espero a fila e logo  passo pela alfândega, o sensor da bagagem de mão apita, em seguida uns guardas se movem rapidamente em minha direção e minha mochila é retirada da esteira, eles abrem e tiram tudo que tem dentro e acabam por achar um objeto de metal afiado,parecido com uma tesoura.


Carol:O que??Isto não é meu!-grito assustada.


???:Parada!-grita alto segurando meu pulso-Preciso que vá comigo.


Carol:O que?O'Que vai fazer?-me desespero-Me solta!-tento me puxar mas,mais um guarda aparece me levando para uma sala -E minhas coisas?!?


Na sala tinha um homem sentado fumando,logo perguntando qual era o motivo de eu estar lá,eu estava assustada e com medo ao mesmo tempo.


???:Encontramos isso na mochila dessa moça.


?:Pode nos explicar o porque estava com isto?-diz sério me encarando.


Carol:Eu realmente não sei como isso foi parar ai ,eu não botei nada do gênero-digo rápido e em desespero-eu...eu não botei isso-o que fumava me encarou mortalmente,não parecia acreditar em nenhuma palavra minha-Por favor...eu preciso pegar esse vôo.


?:Chamem uma moça para revistarem ela -ordena e logo os dois guardas saem-Preciso da sua identidade -me pede e logo a tiro da carteira e o entrego-Parece tudo Ok.


Após entrar uma mulher,me revista logo procurando por algo e se deparando com nada .Assim,o que fumava me pediu para assinar uns papéis,eu estava liberada mas….argh….teria que pagar uma puta de uma multa,pagar uma multa de 1.500 euros.


(.....)


Já não surpresa,isso me atrasou em muito !Assinei 500 papéis e faltava apenas 2 minutos para o meu vôo,sai correndo até o portão.


Carol:Pelo amor de deus!Por favor me deixem embarcar ! -peço para a moça que atendia e deixava passagem ,que praticamente,tinha fechado-Este é meu vôo!-mostro o papel .


??:Arh…..tá-Revira os olhos-Passa -diz abrindo e sorrio em resposta.



Respiro fundo depois de tanta correria,ah,que dia difícil!Solto um grito com raiva mas logo me controlo,algumas pessoas provavelmente me encararam feio,assim,pude entrar no avião e logo,seguir viagem….e novamente,fones postos e..horas e horas de viagem .Finalmente chego ao aeroporto para a Inglaterra ,estou me sentindo voltar no tempo,mas finalmente estou indo e espero tudo dar certo... e então..aí vou eu Pai.



(...)

Depois de horas de viagem,sinto a brisa e o ar diferente,um ar que não respiro há muito tempo ,Inglaterra...um lugar novo agora,um lugar desconfortavelmente confortador .

Assim ,pude pensar antes de sair do avião,e ter um novo jeito de ver.


O horário havia me deixado muito cansada,porque aliás,mal dormi..e..tudo que eu preciso é isso .Pegando minhas malas e tudo ,saio do aeroporto sem muita demora,não tinha muita coisa para se fazer lá ,novamente,peço um uber e praticamente dormindo no banco de trás,peço para ir para o hotel que já havia planejando para ficar.


Carol:Aqui é tão bonitooooo-digo girando e olhando o hotel.


Era um hotel chique e bonito ,fazia tempo que não vejo tal riqueza ,era tão legaaaal.

Eu preciso falar para S/N!.....

S/N..eu ando tendo uma onda de mentiras sobre ela,sobre minha vida e tudo ,mas eu ainda penso nela como uma ótima amiga,eu sei que devo confiar nele...mas logo irei falar a verdade….talvez.

Sem pensar muito,mando logo uma mensagem,e assim,iniciamos uma conversa!


(....)



Carol:Arh..finalmente uma cama -digo me jogando na cama e fechando os olhos ficando com a mesma roupa que cheguei ,apenas jogando as malas em tudo quer lugar e sem nenhuma demora,dormindo…..


O resto do dia ,aproveitei ir o dia comendo em um restaurante e indo em ponto turísticos,confesso ter mudado o meu objetivo aqui mas...eu precisava me divertir um pouco.


Pai...Pai...Pai!!!!!!


Pai:me desculpe filha...eu…


Não!!!!!


(...)


Mais um...mais um pesadelo daquele dia…


[Segunda ,8h ]

Hotel da Inglaterra.


Limpo o meu rosto com água e escovo os meus dentes me espreguiçando .


Carol:Preciso comer…-digo e surpreendentemente ,escuto o barulho de alguém batendo na porta-Pois não?-digo abrindo a porta e me deparando com uma moça juntamente a um carrinho.


??:Você gostaria do nosso café da manhã especial?-diz em um sorriso extravagante enquanto permaneci um pouco confusa com a moça do hotel.


Carol:Hum?-com os olhos fechados ,quase caindo de sono...


Após a moça colocar toda a comida no meu quarto,agradeço e a pago ,confesso que teria um café da manhã em tanto!Tão belo….ovos ,suco,torradas,geleias, panquecas….isso e entre outras coisas que tinha no prato!


Arrumo meu cabelo fazendo um coque ,e antes de começar a comer,tiro uma foto e envio para S/N~


A manhã estava sendo legal,mas eu não podia deixar passar o meu objetivo aqui,então comi rápido,mas também aproveitei o tempo bom,sei que teria bastante notícias ruins por tempo.

O sol transmitindo pela a janela aberta do local me trazia bons momentos,e assim pensei antes de sair do quarto decidida,a primeira etapa:Ir a delegacia.

Sem pistas,sem ajuda e sem nada,iria começar do zero .


Saindo do hotel ,pego um táxi até o local,não era longe,a delegacia praticamente era em duas ruas,mas eu não estava muito afim de andar,me senti cansada de um dia para o outro.


(...)



Minutos e minutos….nada ,argh,quanto tempo irá demorar?

O tempo passava e eu me sentia na fila do SUS.Estava sentada esperando ser atendida mas era um esforço sem muito resultado .


Policial :Ah..com licença...você está esperando para ser atendida?


Não,to admirando o lugar


Carol:É..eu estou procurando por uma pessoa.


Policial:Uma pessoa?O que quer dizer -o policial pega um caderninho e começa anotar.


Carol:Como dizer…-ri-Estou a procura da minha família..


Policial:Estão desaparecidos? -tira sua atenção para mim.


Carol:Eu...quero saber se estão vivos...minha mãe quando criança me enviou para outro país e..desde então não sei mas nada.


Policial:Bem..venha comigo -diz fechando o caderninho e me guiando para uma sala com os computadores ,o lugar era enorme e me dava calafrios,tinha tanta gente estranha de um lado pro outro ,alguns chorando..alguns rindo,era estranho .-Sente -se aqui -pede em frente a sua mesa e senta em frente ao computador anotando algumas coisas.-Nome?


Carol:Carolinne..Carolinne Hans -falo direta entregando minha carteira de identidade-Eu procuro meu pai ...Wilson Hans ..-assim,após o policial achar meu pai no sistema...confirmou que eu era filha dele,assim pode confiar em suas informações .


Policial:Moça….aqui está escrito que seu Pai morreu há anos…


Carol:....Mor-Morto ?....-Mesmo que eu não gostasse do meu pai,aquilo conseguia me destruir de alguma forma.


Meu pai sempre fez de tudo para tratar sua família bem,seu que por mais que tenha errado no passado,foi pelo o nosso bem,eu não sei o que podia ter acontecido e porque nos destruiu tão fácil,mas eu sempre acreditei que nos veríamos de novo,e...eu escutaria um .”desculpe”.


Me corpo fraquejou e eu senti toda as minhas forças tem sido em vão,e me culpei de certo modo,por um dia,ter o odiado,talvez eu não pensasse o quanto o amava,e o ódio me cegou.Policial percebe o meu comportamento e logo pergunta se eu precisava de um momento..era inacreditável ainda para mim ,porque,sem perceber,comecei a chorar .


Carol:E-E … A minha mãe?-pergunto e logo o policial diz.


Policial:Ela...estava presa desde 2007,como cúmplice de seu pai ,mas,entrou em liberdade condicional 1 ano depois.Senhorita….já que está aqui..não conseguimos encerrar o caso de sua família,poderia me contar o que houve naquele dia?Precisamos levá -la para um interrogatório…-diz me encarando com um certo olhar de pena.


Carol:Tu..Tudo bem…-diz olhando para o chão,o que sobrou da minha família,foi a mulher que me abandonou..


Depois daquilo,eu fui levada para uma sala,onde,3 oficiais estavam e me perguntaram pacientemente sobre o que havia acontecido comigo e meu irmão naquele dia..por mais que não queria,contei tudo o que minha mãe fez nos passar.


Foram 57 minutos de pura tensão sobre mim por não estar me sentindo nem um pouco confortável .

Descobrindo o que aconteceu..a única coisa que quis antes de voltar era ver minha antiga casa ,talvez aquilo me reconfortasse mais ...pois eu não queria fazer mais nada lá.


Algumas coisas mudaram desde que saí daqui mas,eu ainda conseguiu lembrar exatamente do endereço da minha casa.


As coisas não iriam mudar.


…….


Carol:Cá estamos -respiro fundo antes de bater na porta do local que me trazia mais do que dor.


Incrivelmente,a casa não havia sido vendida nem  nada,mas havia luzes lá dentro,significamente que ,alguém morava lá.

Bato na porta e ninguém aparece,assim continuei por 3 minutos,esperando e esperando...mas,adivinha?Ninguém.


Carol:Talvez já seja a hora de ir.-digo voltando pro táxi que me esperava,já que tinha dito que não iria demorar.


??:Boa tarde?-escuto uma voz atrás de mim ,era um homem ,não muito alto e nem muito jovem que tinha aberto a porta para me atender.


Carol:Ah...boa tarde -sorrio sem graça indo até a porta novamente..-Você mora aqui…?-antes que me respondesse,vejo uma mulher alta descer as escadas.


??:Senhorita Amélia?


Mãe:Sim?Quem é ?-diz antes...de aparecer na porta.. -CA-Carol?


Carol:Mãe …-imediatamente,começo a chorar paralisada,ela ainda..morava lá.-Mãe... - digo novamente com voz trêmula.


*POV NARRADORA*


Amélia olhava para a jovem com mais atenção e finalmente percebe o que se passava


Amélia: Caroline!!-abraça a garota em desespero, a mesma não demonstra nenhuma reação.

Carol:Você ainda está aqui  - Caroline badra com frieza enquanto a mãe desaba em lágrimas.

Amélia:Onde está seu irmão? - A moça pergunta em meio a seus prantos .

Carol:Ele... está em um lugar melhor... -  vira seus olhos para cima como uma tentativa em vão de segurar suas lágrimas, que acabaram escorrendo pelo seu pálido rosto mesmo contra sua vontade, aquela frase fez com que Amélia se desespera se demasiadamente a ponto de não conseguir dizer mais nada de forma compreensível -Por que está chorando se nós abandonou?..-sussurrou.


Mordomo:As duas..não querem entrar ?-diz interrompendo a situação,assim,Carolinne sem dizer uma palavra,entra de qualquer forma .


Amélia:O que aconteceu..?-diz se sentando no sofá enorme em sua sala .


Carolinne ignorou olhando para todo os cantos da sala,impressionada como tudo se parecia igual quando criança,até o brilho dos móveis parecia o mesmo ,tudo estava no mesmo lugar.



Amélia:Como aconteceu??-diz em leve desespero. Carolinne responde apenas algumas de suas perguntas ,sem muitos detalhes por ainda guardar aquela raiva de quando a mãe tinha a abandonado e por causa disso ,poderia ter evitado tanta coisa..



Carol:Por que nos abandonou?-olhava baixo e fria.



Amélia:Filha...eu tinha medo de que a tirassem de mim…-a olha de forma com pena.


Carol:Isso não justifica!-grita limpando seu rosto-Acha que jogar seus filhos em outro país como se fossem lixo os dizendo “se virem” é certo?ACHA QUE ISSO SERIA O MELHOR PARA NÓS?JOGAR DUAS CRIANÇAS COM NOÇÃO NENHUMA DO QUE SEUS PAIS ERAM NA VERDADE?!


Amélia por alguns segundos se calou apenas olhando para a filha com lágrimas em seu rosto derramando e tirando todas as palavras e xingamentos que esperou toda a sua vida para dizer e jogar no rosto daquela que conseguiu arruinar de uma forma a sua vida.


Era um pouco mais confortante dizer todas aquelas palavras porque,pelo menos pode dizer tudo o que queria por tanto e tantos anos ,por mais que,no fundo,pensasse que sua mãe estava arrependida de verdade .


Carol:V-Você sabe que tudo o que aconteceu com SEU filho não teria acontecido se não fosse por você?Realmente está feliz em ter escolhido aquilo?


Amélia:ERA O MELHOR QUE EU PODIA FAZER-grita irritada.


Carol:O MELHOR?-ria alto sarcasticamente-Sinceramente .


Amélia:VOCÊ ME RESPEITE!AINDA SOU SUA MÃE!-Amélia se aproxima furiosa de Carolinne ,que estava próxima ao sofá.


Carol:Mãe só na casa do caralho -diz se retirando antes de,receber um tapa forte de Amélia no rosto.


Carolinne quase cai ,logo se apoiando no sofá e colocando após,a mão no rosto.Paralisada ,sem dizer uma palavra,era o melhor de se fazer no momento ,ela apenas,ficou quieta .

Olhando para o rosto de Amélia,respirou fundo e assim,andou em direção a porta,dando indícios da sua ida.


Amélia:Você deve ficar -súplica. -Você não terá nada sem mim ,eu vivo numa mansão -ri -Eu sou rica!Você não deve ter nada não é?


Carol:Você realmente não me conhece,não sabe o meu potencial,e outra,eu nunca aceitaria viver com quem usa dinheiro sujo e com a pessoa mais podre que conheci.-diz finalmente,abrindo a porta e se retirando do local.


Amélia: UM DIA VOCÊ VAI SE ARREPENDER DE NÃO DAR OUVIDOS A SUA MÃE-gritava através da porta quando Carolinne já havia saído da mansão,ainda,com o táxi a esperando.






Não foi uma decisão difícil ,não era difícil pensar em nunca mais voltar ,no momento,qualquer um apenas escolheria apenas esquecer ,e assim foi feito a cabeça de Carolinne.


Entrando no táxi se sentia sozinha assim como se sentiu por anos,mas,sabia que não podia culpar tudo e a todos,porém sabia que se esforçou até o final para que tudo a desse certo,era poderia se considerar uma guerreira.


Esquecer...esquecer era a palavra que dizia em sua cabeça,afinal,pra que lembrar e se recordar de algo que te machucou/machuca?





*POV CAROLINNE*

Hotel da Inglaterra

[Segunda,21h]


Voltando novamente para aquele hotel que agora estava repleto por tristeza e cheio de sentimentos ruins invadindo o quarto por completo .

Se jogando naquela cama que não parecia nova,a última coisa que fiz nesse dia foi escrever algumas frases pensativa em meu celular .

Aliás,oque mais poderia fazer além disso?


..

De qualquer forma .


Boa noite.


[Terça -Feira ,13h]


*BIP BIP* *BIP *BIP BIP* *BIP BIP*


Carol:Hum?-acordo esfregando meus dedos em meus olhos que permaneciam fechados e levemente inchado  -Que horas são?


13h40….


Meu vôo para a volta era 18h


Você me pergunta,como assim você já irá voltar?É o'que eu não contei

Ontem a noite,em meio meu desespero e ansiedade decidi voltar,nada mais nem ninguém me importava neste lugar,nada.




Era simples ,arrumar as coisas e voltar ,sem nenhuma vez ouvir a voz do meu pai de novo,e a última coisa que escutei dele foi seus próprios gritos…



( . …)



-Mensagem-


Carol:S/N...você está ai? Talvez eu precise desabafar um pouco .

(Visualizado ,17h55)


S/N:Estou !O q foi?Como anda a viagem?!^-^


Carol:.......



-Quarta -Feira -

Dia do Incêndio.


*POV NARRADORA*



Era a primeira aula depois da viagem e finalmente Caroline já iria voltar para a rotina normal.


Um belo dia começando e logo se encontrando em chamas no local que ficou .



Assustada procurou por ajuda ats finalmente encontrar S/N .


Depois disso só conseguiu sair daquele prédio se desfazendo ,mas assim conhecendo um novo alguém.


Notas Finais


Perdoe qualquer ou vários erros que possa ou tem ,capítulo não revisado /verificado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...