1. Spirit Fanfics >
  2. They don't know about us >
  3. Quer..?

História They don't know about us - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 22 - Quer..?


Fanfic / Fanfiction They don't know about us - Capítulo 22 - Quer..?

Estavam dentro do carro já tinha um tempo. Seungmin se encontrava agitado no banco do carona, querendo que chegassem logo ao destino. Onde estavam indo? Bem, para o lugar em que deram o primeiro beijo, a beira de um rio conhecido da cidade em que moravam. Woojin dirigia com cuidado, mas apressado. Hannah estava no banco de trás filmando sem que o Kim mais novo percebesse de tão nervoso que estava.

 

O mais velho estacionou um pouco longe do local exato, pois o mesmo não tinha outro acesso se não a pé. Sem pensar mais em nada, Seungmin desceu correndo do carro, tendo a mais nova em seu encalço. Em passos apressados, seguiu uma trilha estreita que levava um pequeno parquinho infantil, o qual lembrava perfeitamente que esteve com Chan no dia.

 

Estavam um pouco altos, as saídas com os amigos sempre envolvia algumas bebidas, mesmo que não tivessem idade legalmente para aquilo. Os dois estavam querendo escapar dos gritos de Felix e Jisung, que os namorados não estavam ajudando a conte-los, e das crises de choro de Hyunjin, já que havia descoberto a pouco a paixonite pelo mais novo do grupo, o qual não estava presente, e acabaram por lembrar daquele pequeno playground. Saíram sem chamar a atenção dos cinco, lado a lado pelo caminho estreito vez ou outra esbarrando um no outro devido a dificuldade de andar por conta da bebida. As vozes ficaram inaudíveis assim que começaram a avistar o tal parquinho, um sorriso iluminou a face de Seungmin que saiu correndo como pode até o primeiro brinquedo.

 

Tentaram ir em alguns brinquedos, mas estavam muito ruins para qualquer coisa, então só preferiram ir para os balaços. Os dois eram bem próximos um do outro, o que fazia ambos se esbarrarem de vez em quando.

 

- Sabe.. – Chan começou falando meio embolado. – Eu gosto de você. – O coração de Seungmin parou por um momento. – Diferente dos meninos lá, a gente consegue se dar bem sem brigar, mesmo tendo nos conhecido a pouco tempo.

Sem pensar muito, o Kim virou o balanço, forçando as correntes para poder ficar de frente para Chris. Seungmin se sentia diferente perto do mais velho e queria tirar isso a prova, já que a coragem veio.

 

- Hyung.. – Chamou esperando o australiano se virar para si.

 

Assim que o mais velho se virou, fazendo o mesmo que havia feito com o balanço, o coreano aproximou-se dele e lhe deu um simples, mas demorado, selar nos lábios. Fora algo inocente, porém desencadeou muitas sensações. Separou-se rapidamente com medo da reação do outro, o qual não foi sua surpresa quando sentiu ser puxado de volta pela nuca e ter os lábios de Chan novamente nos seus.

 

Já podia avistar as luzes do local, o cheiro das flores do local lhe davam um sentimento de nostalgia. Antes de chegar no playground ouviu vozes familiares, eram Minho e Jisung.. discutindo? Chegou mais perto e viu que o casal segurava um balão em formato de coração, quer dizer, Han segurava, já que o Lee não queria nem chegar perto do objeto. Eles pararam de falar quando perceberam que Seungmin já havia chegado e encarava eles confuso, e com razão. Sem falar nada, o mais novo fez o namorado segurar o balão, se virou para o Kim com um sorriso no rosto e um pequeno alfinete estendido para ele.

 

Pegou o objeto pontudo ainda sem entender, vendo Minho estender o balão em sua direção de olhos apertados, parecendo com medo. Um estalo em sua mente se fez ao ligar os dois objetos, e sem nem avisar acertou-o fazendo explodir, deixando cair milhares de papeizinhos e fazer o mais velho ali dar um pulo de susto. Seungmin viu um papel maior no meio dos confeitos coloridos e abaixou para pegar. Desdobrou com cuidado e havia algo escrito na letra de Chan.

 

Você lembra da primeira vez que falamos “eu te amo”?

 

Ele lembrava? Claro que sim, e como lembrava. Um sorriso iluminou seu rosto e voltou correndo para o carro, sem falar com os mais velhos direito. Hannah não perdeu tempo indo atrás dele novamente, deixando o casal sozinhos com Minho aninhado em Jisung por causa do susto.

 

Chegou no carro de volta e Woojin já estava pronto para mais uma parada, esperou os dois mais novos estrarem para dar a partida, seguindo as direções que Seungmin dava, mesmo que não fosse preciso afinal, já sabia de todo o plano do australiano.

 

Em menos de quinze minutos estavam parando novamente, agora perto da praça central da cidade onde no inverno sempre havia uma pista de patinação. Lembrava do dia como se tivesse acontecido ontem.

 

Chan o havia chamado para patinar, mesmo que tenha dito que nunca o fez na vida. Depois de muita insistência do mais novo de fazerem algo mais “seguro” para o maior, já que o mesmo poderia se machucar se caísse, ele acabou cedendo aos olhos pedintes do loiro. Já estavam dentro da pista de patinação, com os devidos equipamentos e Seungmin se segurava para não rir do mais velho que não movia um músculo, tremendo de medo de cair.

 

- Você vai ficar aí no canto mesmo? – O mais novo perguntava depois de dar uma volta completa e ver que Chan continuava ali no mesmo local.

 

- Você poderia me dar uma ajudinha, já que aparentemente sabe fazer isso melhor que eu. – Um bico se fez presente e fez o coreano revirar os olhos sorrindo.

 

Se aproximou do mais velho, estendeu as mãos na sua direção esperando que ele segurasse. Com as mãos juntas e um sorriso no rosto, foi puxando o Bang ainda de costas fazendo parecer ainda mais fácil do que era. Ditando como o maior deveria se movimentar, logo pegaram o ritmo e já sorriam um para o outro. Agora lado a lado, eles deslizavam no gelo com facilidade e o mais novo arriscou a soltar a mão de Chan para deixa-lo ir sozinho. Em uma distração do momento, Seungmin acabou por dar um passo em falso que causou uma queda ao gelo.

 

No desespero ao ver que o amado havia caído e possivelmente se machucado, Chan mais que rapidamente o pegou no colo como pode e saiu da pista em direção a área que retirada de equipamentos. Sentou o moreno no banco e se abaixou na frente do mesmo, seu rosto estava repleto de nervosismo.

 

- Você se machucou? Está doendo em algum lugar? Quer que eu te leve para o hospital? – Perguntava rapidamente sem tomar fôlego.

 

-Hei.. – Pegou as mãos do mais velho chamando sua atenção. – Não foi nada demais, tá tudo bem. – Dizia com a voz baixa tentando acalma-lo.

 

- Mas.. – Tentou falar mas foi impedido pelo indicador do mais novo em seus lábios.

 

- Isso acontece, não precisa ficar tão preocupado. – O sorriso doce não deixava seu rosto.

 

- É claro que vou me preocupar! – Se sentiu ofendido quando o mais novo disse aquilo. – Eu te amo, e sempre vou me preocupar, ainda mais se você se machucar por minha causa. – Tão depressa jogou as palavras sobre Seungmin que nem percebeu que havia se declarado.

 

O Kim ficou estático por um momento e seu sorriso se alargou mais ainda. Sem se preocupar de quem estivesse vendo, puxou o mais velho pela nuca e lhe deu um selinho suave, recostando as testas logo após finalizá-lo.

 

- Eu também te amo. – Confessou baixo de olhos fechados.

 

Já estava correndo na praça indo em direção à pista de patinação. Hannah já estava quase ficando para trás, não tinha fôlego suficiente para acompanha-lo. Novamente, ao longe, Seungmin pode observar duas figuras conhecidas, Changbin e Felix. Os dois estavam quase deixando o balão em formato de coração escapar, porque não se largavam por um minuto. Com cara de nojo ao ver os dois quase que se engolindo, ele parou próximo a eles e cruzou os braços, limpando a garganta ruidosamente para chamar a atenção deles. Ao se separarem deu para notar o quanto estavam aproveitando o momento de espera, já que ambas as roupas e cabelos estavam num completo caos.

 

Felix segurou o balão junto do namorado, quando Seungmin foi usar o alfinete dado por Jisung, que havia deixado preso na própria roupa para não perder, os dois afastaram o balão e começaram a rir. Dois idiotas, não é à toa que estavam juntos. O mais novo estreitou os olhos para o casal, eles engoliram em seco e voltaram o objeto para a posição, deixando-o finalmente estourá-lo. Novamente caiu muitos papeis coloridos e uma maior, o qual o Kim pegou rapidamente do chão e o desdobrou para ler o conteúdo.

 

Você lembra da nossa primeira crise de ciúmes?

 

Forçou um pouco a memória, recordava-se vagamente do que foi, mas não de onde. Olhou novamente para o casal que haviam voltado com os beijos e.. era isso!! Segurou a mão da mais nova e saiu correndo novamente para o carro, sabia exatamente aonde ir e precisaria da cunhada para isso.

 

Dentro do carro Woojin dirigia para um lugar bem conhecido por todos ali, a casa de Chan. O australiano morava sozinho, já que seus pais haviam voltado para o seu país natal e o deixariam ali para terminar os estudos. Agora provavelmente a mais nova estaria morando com ele, mas antes era somente ele. A casa não era muito longe de onde Seungmin morava, mas como tinham ido ao centro, demoraram um pouco para chegar. Quando desceu teve que esperar a mais nova dessa vez, já que a mesma era a única que poderia ter a cópia da chave.

 

Os meninos estavam todos reunidos na casa simples, os pais do mais velho haviam ido embora naquele tarde e, com a casa finalmente só para ele, resolveu chamar os amigos para se divertirem. Só não imaginava que iria começar a se arrepender da ideia quando viu Seungmin grudado com o maknae do grupo.

 

Seungmin estava sentado de pernas cruzadas no tapete da sala com Jeongin a sua frente, com as costas apoiadas no seu peito. Passou os braços inconscientemente na cintura do mais novo o puxando para mais perto e colocando o queixo apoiado no ombro dele, eram amigos há tempos, tinham certa intimidade, mas Chan não via assim.

 

Mesmo que os outros estivessem rindo e conversando enquanto bebiam, Chan não conseguia tirar os olhos da cena. E tudo piorou quando o mais novo chamou a atenção de Seungmin para cochichar algo em seu ouvido, algo esse que fez o moreno sorrir abertamente. Levantou irritado e deixou a garrafa que tinha em mãos cair, quebrando assim que teve contato com o chão. Os mais novos assustaram-se com o barulho e o olharam com receio. O Bang olhou uma última vez para Seungmin e subiu as escadas em direção ao próprio quarto, batendo a porta assim que entrou.

 

Sem pensar duas vezes, Seungmin se levantou para ir atrás dele avisando que ia tentar ver o que aconteceu. Subiu as escadas com calma, escutando a conversa na sala continuar.

 

- Chris? – Chamou adentrando o cômodo que estava iluminado somente pela lua que brilhava lá fora.

 

- Agora lembrou que eu existo? – A voz grossa soou magoada. Seungmin acendeu a luz e viu o mais velho sentado na cama.

 

- O que quer dizer com isso? – Foi chegando perto do mais velho que nem olhava para si.

 

- Por favor, né. – Revirou os olhos irritado. – Quer saber, vai com o Jeongin vai, eu prefiro ficar sozinho.

 

- Espera.. – O mais novo não poderia acreditar no que tinha ouvido. – Você tá mesmo com ciúmes do Innie? – Riu um pouco, o que acabou enfurecendo mais ainda o loiro.

 

- Ha ha ha, muito engraçado mesmo. – A ironia escorria a cada palavra proferida por ele.

 

- O Innie é como um irmão mais novo para mim, você sabe disso. – Revirou os olhos, não queria ter que lidar com uma crise de ciúmes logo agora.

 

- Eu sei? – Finalmente se virou para o mais novo. – A única coisa que eu sei é que vocês ficaram a noite toda cheios de segredinhos e risadinhas enquanto estavam agarrados. – Despejou tudo em cima de Seungmin.

 

- A gente tá junto há mais de seis meses.. – Começou magoado. – E você ainda desconfia de mim? É sério isso?

 

- Não foi isso que eu quis dizer. – Tentou contornar. – Eu não confio nos outros. Vai me dizer que você não ficaria assim se fosse ao contrário, se eu que estivesse assim com algum deles?

 

- Óbvio que não, e sabe porquê? – Chegou mais perto dele. – Por que eu te amo e confio que você nunca deixaria alguém tentar algo desse gênero com a gente estando juntos. – Sua voz saia embargada com o choro que segurava.

 

- Minnie..

 

- Não. – Cortou o mais velho. – Eu vou voltar lá com os meninos que é melhor. – E saiu sem nem dar a chance do maior falar nada.

 

Algum tempo depois, quando os meninos haviam ido embora, Chan saiu do seu quarto e foi em direção a cozinha que estava com a luz acessa. Ele sabia que Seungmin ainda estava ali, pois como os pais estavam viajando com o irmão mais velho dele, ele iria ficar aquela noite ali. Adentrou o cômodo e viu o coreano parado perto da bancada com o olhar triste e chegou perto sem fazer barulho. Abraçou ele por trás, vendo-o virar o rosto para que não olhar para si.

 

- Me desculpa. – Pediu realmente arrependido. – Eu me deixei levar pelo ciúmes, ver você e ele tão próximos.. eu sinto muito ter estragado a noite..

 

Seungmin continuava sem falar nada, deixando Chan sem esperanças de uma reconciliação agora. Ouviu o mais novo suspirar.

 

- Se a gente for brigar assim por cada coisinha dessas.. – Começou baixo. – Olha, eu te amo, mais do que você possa imaginar, assim como eu sei que essas coisas vão voltar a acontecer hora ou outra. – Segurou a mão do mais velho que estava sobre sua barriga. – Mas a gente tem que aprender a superar isso, por que não é algo tão pequeno que vai abalar o que sentimos, sabe. - Seungmin se virou dentro do abraço e olhou nos olhos do australiano.

 

- Eu te amo. – Declarou o loiro antes de capturar os lábios rosados do coreano.

 

Seungmin chegou no quarto do amado, abriu a porta e se deparou com Jeongin deitado com a cabeça no colo de Hyunjin, que lhe fazia carinho na cabeça. Ao ver o Kim adentrar o quarto, Hwang chamou baixinho pelo mais novo, acordando-o para que pudessem terminar o que haviam ido fazer ali. Ainda meio sonolento, Jeongin segurou o balão estendido para seu hyung e esperou até que o mesmo o estourasse. Alguns pedaços de papel voaram para cima dos Hyunin, causando risadas no mais velho, ele ria por tudo mesmo. Seungmin pegou o papel dobrado mais que rapidamente para ler o seu conteúdo.

 

Você lembra da nossa primeira briga séria?

 

Briga séria? Ele não poderia estar falando daquilo.. poderia? Seungmin saiu correndo do quarto do amado, quase escorregando nas escadas no processo. O trio o seguiu sem perder tempo e entraram todos no carro. Era agora ou nunca. Sem demorar muito, Woojin seguiu o caminho de casa, com o irmão mais novo ansioso no banco ao lado e mais três pessoas atrás que estavam esperando para ver o desfecho de tudo. Chegaram em casa e Seungmin estranhou dois carros parados na frente, mas logo reconheceu ser de Changbin e Minho. Então eles também já estavam ali. Nem esperou o irmão estacionar direito e já desceu, queria logo ver Chan.

 

Ao abrir a porta se deparou com os Changlix e Minsung na sala, pétalas vermelhas faziam um caminho que seguia escada acima. Alguns balões estavam presos ao teto com fotos dos dois, Chan e Seungmin, juntos, todas elas representando momentos importantes para eles. Olhou uma por uma, dando tempo dos Hyunin junto de sua irmão mais velho e sua cunhada adentrarem também a residência. Seguiu as pétalas até estar de frente ao seu quarto, agora sozinho. Sentiu seu coração bater muito mais rápido, parecendo que ia sair pela boca a qualquer momento. Ouvia uma melodia baixa tocar de dentro dele, era agora..

 

Levou a mão trêmula à maçaneta, girando devagar, não estava pronto, mas queria mais que tudo ver ele. Empurrou a porta de leve, revelando mais pétalas ao chão, agora junto de algumas velas pequena, todas direcionando ao meio do quarto onde Chan se encontrava com um buquê nas mãos e um lindo sorriso no rosto.

 

- Oi.. – Disse meio tímido apertando as flores em suas mãos.

 

Ainda surpreso, Seungmin caminhou até ele em passos lentos, ficando a poucos centímetros dele. Chan estendeu o Buquê para si, que não demorou para pegar.

 

- Antes de mais nada, eu queria poder falar algumas coisas.. -Viu o mais novo somente assentir de leve. Passou a mãos nos cabelos vermelhos nervoso, havia ensaiado tudo que falaria, mas sua mente entrou num estado que só conseguia pensar no coreano a sua frente.

 

- Eu sei que errei muito com você, não só dessa última vez, mas como algumas antes dela. – Sua voz era baixa, porém alta o suficiente para o mais novo o entender. – Esses últimos meses eu tenho sido uma péssima pessoa para se ter ao lado. Eu escondi coisas, deixei de estar com você para fazer outras e até te machuquei.. – Sua voz falhou e viu que Seungmin estava prestes a chorar. – Eu queria fazer algo especial para você, por todos esses nossos momentos juntos, mas eu esqueci o principal, o que eu menos poderia esquecer.. como você se sentiria. – Seus olhos marejaram ao lembrar de tudo que acabou acontecendo pelo pequeno deslize que cometeu.

 

Seungmin colocou as flores cuidadosamente sobre a cama, voltou-se para ele e segurou suas mãos que tremiam.

 

- Eu sinto muito por tudo que te fiz passar, pela dor que lhe causei.. – Algumas lágrimas já escorriam no rosto do mais novo, Chan não perdeu tempo em seca-las, arrancando um sorriso fraco do Kim. – Sei que nada do que eu dizer agora e nem tudo isso que eu preparei vai ser o suficiente para ter seu perdão. Mas eu irei tentar, se você me der uma chance de me redimir. – Ajoelhou ainda segurando as mãos de Seungmin. – Antes que pense, eu não vou pedir você em namoro de novo, fica tranquilo. – Os dois riram juntos da graça. – Aqui agora, de joelhos para você eu peço mais uma chance. Uma chance para mostrar que eu te amo mais que tudo, e que todo o meu amor por você será eterno. – O mais novo voltava a chorar. – Eu vou esperar o tempo que precisar, sejam um, dois, cinco, dez anos e assim por diante, só para um dia poder te chamar de meu namorado e mostrar para todos quem é o dono do meu coração..

 

O mais novo se ajoelhou junto de Chan, fixando os olhos nos dele. A conexão que eles tinham.. era notável.

 

- Eu te amo Kim Seungmin. – Confessou. – Eu te amo muito mais do que amava ontem, e muito menos do que amarei amanhã. Eu te amarei eternamente. – Levou as mãos do mais novo até os lábios onde depositou um selar em cada. – Você me perdoa?

 

- Eu te perdoo meu amor.. – Sua voz saiu embargada devido ao choro. – Eu te amo muito, Christopher Bang Chan.

 

Sem esperar mais nada, jogou-se sobre o mais velho selando os lábios num beijo repleto de saudades e amor. Puderam ouvir alguns gritinhos dos casais e irmãos que assistiam a cena em silêncio desde o seu início. Separaram-se do beijo e ficaram abraçados, Seungmin com a cabeça encostada no peito do mais velho, ambos sentados no chão.

 

- Chris.. – Chamou depois de um tempo naquele abraço.

 

- Hm? – Murmurou ainda acariciando os fios avermelhados do menor.

 

- Quer namorar comigo?


Notas Finais


Até..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...