1. Spirit Fanfics >
  2. They Dont Know About Us >
  3. Capítulo 44

História They Dont Know About Us - Capítulo 44


Escrita por:


Notas do Autor


Atendendo à orações, voltei rapidinho!
Não deu nem tempo de sentir falta kkk Sem enrolação, vamos para o capítulo!

Enjoy!

Capítulo 44 - Capítulo 44


Fanfic / Fanfiction They Dont Know About Us - Capítulo 44 - Capítulo 44

~MARCELINE POV~

 A noite foi divertida, nós jogamos, rimos e não demoramos muito, ou seria impossível voltar para o colégio. A princesa ficou de cara fechada por um tempo, mas logo estava bem novamente (Embora eu tendo ganhado em todas as partidas de video game, mas eu não posso evitar ser maravilhosa nisso, é só uma parte do que eu sou, ótima!).

 Fionna estava um pouco mais solta, mesmo ainda tímida e Flame continuava firme à aposta, o que fazia a loira rir, pois ficava claro que era tudo um grande exagero.

 -Vou carregar minha coelhinha para o carro com a força e o calor dos meus fortes músculos! -A ruiva se posicionava para levantar a outra, que rapidamente a cortou.

 -Não. não vai não. -E saiu andando.

 -Marceline! -Keyla chamou. -Chama suas amigas barulhentas pra patinar, nós achamos uma pista desativada, vamos essa semana.

 -Ah, eu não gosto muito de patinação, não é uma coisa que eu...

 -Eu gosto de patinação. -A princesa me interrompia, e logo as outras duas que nos acompanhavam também disseram o mesmo. Todos decidiram ir e eu fiquei com cara de idiota. Minha opinião não está valendo muita coisa aqui.

-----

 Me despedi dos meus amigos e depois desse tempo tomando só água, já estava limpa para dirigir.

 O rádio tocava uma música lenta baixinho, estávamos tão cansadas que por fim, só eu fiquei acordada dirigindo e as outras meninas dormindo.

 Parei no farol, uma Londres albina, refletindo apenas o vermelho dos faróis, ruas totalmente vazias e geladas passavam uma sensação de solidão que logo se esvaiu quando olhei para o lado e a rosada dormia tranquila, porém um tanto encolhida de frio.

 Puxei o ar e soltei devagar.

 Esse sinal não vai abrir nunca? -Reclamei em pensamento.

 Olhei novamente para a garota que dormia ao meu lado e desviei o olhar. Respirei fundo novamente e tirei meu casaco, à cobrindo e vendo as luzes ficarem verdes.

------

 Chegando na portaria do colégio, avisto o porteiro de longe, não conseguia ver seu rosto, com tantas roupas por cima. Segurei o ar, cruzando os dedos para que fosse o porteiro que eu conhecia, se não, todo mundo nesse carro ia se fod--

 -Marceline, uma hora dessas, menina?. -O homem se debruçou sobre vidro do carro.

 -Meu velho, você não sabe o quanto eu estou feliz em te ver. -Sorri aliviada.

 -Fico lisonjeado, mas você não vai entrar, já passou muito o seu horário, mocinha. Me daria problemas com a diretora. -Meu sorriso se tornou um grande gelo na espinha. 

 Fiquei parada, vendo o homem voltar para a cabine, enquanto minha mente só dizia "Não tem gasolina suficiente para ir pra minha casa, não tem posto 24 horas por aqui e fodeu. Fodeu, fodeu, fodeu."­

 -Quebra essa, só hoje, por favorzinho, eu te pago um pint lá no pub! Pago dois! -O homem voltou.

 -Fala mais baixo! Tudo bem, mas só porquê fico preocupado de vocês ficarem na rua essas horas. Eu nem bebo cerveja, Marceline. -Apertou o botão que abria o portão.

 -Cara, eu te amo muito. -Voltei a sorrir.

 -Não ama não. -O velho revirou os olhos.

 -Mas existe um carinho. -Emendei.

 -Entra logo antes que eu desista.

 -Você que manda, chefe! -Sorri, acelerando o carro.

-------

 Estacionei na vaga mais próxima e acordei todo mundo.

 -Cobriu sua namoradinha com sua blusa foi?  -Flame riu, me olhando.

 -Claro que não, Foguinho! Eu só fiquei com calor e joguei no banco do lado, nem lembrei que tinha alguém ali. -Dei de ombros. -Pode vestir, Princesa, eu tô com calor. -A Rosada estava sonolenta demais para responder. Respirei fundo e apenas estendi o casaco para que ela colocasse os braços. -Vem, vamos logo. -Chamei. -Vamos levar a Fionna pro dormitório primeiro, e depois a gente vai pros nossos, o dela é longe e desde o que aconteceu com o cara na biblioteca, você sabe. -Essa última parte apenas sussurrei no ouvido da ruiva, que assentiu com a cabeça.

 Andamos em silêncio, usando a lanterna do celular para não nos perdermos nos corredores escuros que eram quase todos idênticos, até chegar na porta certa.

------

 -Chegamos. -Falei, ficando eu e a princesa alguns metros a frente.

 As duas ficaram apenas se olhando por alguns segundos, na porta do quarto.

 -Obrigada... Foi uma noite muito divertida, acho... Que me fez muito bem sair um pouquinho. -Sorriu tímida e com o rosto vermelho.

 Dava pra ouvir toda a conversa.

 -Eu não posso te dar um beijo de despedida, sob á luz da lua, com uma musica cafona dos anos 90 tocando, mas posso te dar um abraço pra finalizar minha aposta. -Riu.

 -Ta vendo, Bonnie, é por isso que ela não pega ninguém. -Sussurrei para a princesa que ainda estava sonolenta, mas se segurando para não rir após meu comentário.

 As duas se abraçaram por alguns segundos e a loira voltou a agradecer ainda sorrindo.

 -Obrigada, mesmo você fazendo um péssimo teatrinho.

 -------

 Phoebe voltou com um pequeno sorriso, mas antes que eu abrisse a boca para falar, ela foi mais rápida.

 -Você nem começa, Marceline, nem começa!

 Bufei emburrada, e assenti com a cabeça.

 Continuamos. Nós 3 éramos do mesmo corredor. Flame foi para o seu dormitório, ficando apenas eu e a rosada nesse corredor, paradas na frente da porta do quarto da mais nova.

 -Agora é a parte que você me agradece pela noite e diz que fez muito bem pra você também. -Falei em tom de brincadeira, mas convencida e recebi uma resposta que eu não esperava.

 -Obrigada pela noite maravilhosa. -Respondeu de forma sincera e abriu um sorriso tão lindo. -Você tem me feito muito bem e não foi só hoje. -Me abraçou e pela primeira vez, eu não sabia o que fazer, então abracei de volta.

 Não sei quanto tempo ficamos ali, mas quando soltamos o abraço, continuamos perto, tão perto que conseguia ver as pupilas de seus olhos azuis dilatarem ao me olhar, minhas mãos ainda estavam em sua cintura cheia de blusas de frio. Me aproximei um pouco mais, porém essa proximidade acabou no segundo seguinte, quando o barulho no chão e a luz rodopiando me fizeram dar um pulo para trás.

 -Ah me desculpa, eu deixei o celular cair eu devo estar muito distraída ou sono. -A garota vermelha se desculpava.

 -Não, eu que... que... Vou me trocar. Pode, pode deixar a porta destrancada que já, já eu entro. -Corri para o meu quarto.

 

~MARCELINE POV OFF~

~BONNIE POV OF~

 

 Entrei no quarto com sono e tirei o grande casaco que tinha um cheiro tão diferente do meu e que só me trazia a voz dela cantando. Acabei me perdendo em pensamentos e demorando mais tempo do que gostaria para me trocar.

 Abri a porta do frigobar e peguei uma garrafa de agua que estava quase no fim. Ouvi a porta abrir e me virei, segurando a água.

 -Marcy, quer água tamb....-- -Antes que terminasse a frase, vi as medalhas no peito, a farda azul e o ar gelado me fugindo aos pulmões. Dei um passo para trás, deixando a garrafa cair, molhando o chão.  Não era a Marceline, era o homem que me atacou na biblioteca.  

 


Notas Finais


Por essa você (provavelmente) não esperavam!
E vamos esperar o próximo capítulo chegar.
Muito obrigada por ler até aqui, comentem o que acharam do cap que isso sempre me anima <3

É isso, beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...