História Thiana - "Eu odeio amar Você" - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpas pela sumida. Boa leitura e nos vemos nas notas finais!

Capítulo 14 - Me beija!



Ana Narrando:

Para mim foi uma surpresa ele me pedi para ficar. Ficamos nos encarando enquanto ele ainda segurava meu braço de uma forma fixa. Depois, ele envolveu a mão esquerda no meu cabelo fazendo carinho no mesmo, me causando arrepios.

Ana - Tudo bem. Eu fico! (Ele sorriu e eu não consegui evitar admirar o sorriso dele. Mas infelizmente ele me soltou).

Thiago - Obrigado! Eu não sei o que faria sem você. (De repente, mais memórias me vieram a tona). 

Flashback On:

Ana - Obrigada Thiago, de verdade. Sinceramente... eu não sei o que faria sem você!

Thiago - Ana... (Ela me olhou esperando eu prosseguir). - Eu também não sei o que faria sem você. (Eu confessei).

Flashback Off. 

Ana - Não precisa agradecer, você já fez muito por mim. 

Thiago - Eu... eu me lembrei de umas coisas... (Não poderia esconder isso dela).

Ana - Pode me contar?

Thiago - Claro. Bom... mais cedo, quando o Victor estava aqui, eu deixei vocês dois a vontade e fui para a cozinha, certo?

Ana - Sim, prossiga.

Thiago - Eu ouvi você dizendo para o Victor que ele foi o seu primeiro amor, e me lembrei de um dia em que estavamos na sala, você sentada de frente para o piano e com a cabeça apoiada no mesmo. Quanto a mim, estava em pé com os braços também apoiados no piano. Você me disse que...

Ana - Que o Victor foi o meu primeiro amor... o único.

Thiago - Exato. Acredito que se eu continuar indo por esse caminho, me lembrarei de tudo.

Ana - Não tenho dúvidas. Se no meu caso, que foi pior, consegui recuperar minha memória, você também conseguirá, tenha fé. 

Thiago - Você tem razão. (Sorri).

Ana - E do que mais você se lembrou?

Thiago - Não sei quando foi, minhas lembranças não estão muito claras, porém... estávamos na cozinha, você me agradeceu por algo e disse que não saberia o que fazer sem mim, e eu te disse... 

Ana - "Ana... eu também não saberia o que fazer sem você", correto?

Thiago - E depois nos abraçamos.

Ana - E eu me senti muito protegida e segura, queria que aquele abraço não tivesse fim.

Thiago - Eu nunca imaginaria isso, por que não me disse?

Ana - Sei lá, vergonha talvez.

Thiago - Entendo. (De repente ela ficou séria). - Ei... o que foi?

Ana - As vezes eu me culpo por você está sem sua memória. Se eu estivesse mais presente nada disso teria acontecido. 

Thiago - Olhe pra mim... (Ela me olhou nos olhos). - Nada disso é sua culpa, okay? As coisas aconteceram como tinham que acontecer. (Ela sorriu). - O que foi? 

Ana - Mesmo sem memória você não perde esse seu jeitinho... tão meigo! 

Thiago - Agora vem, deita aqui! (Ela tirou o tênis, eu ajeitei a cama e ela deitou ao meu lado, depois eu a cobri com o meu lençol).

Ana - Boa noite, Thiago! 

Thiago - Boa noite, Ana! (Ela me deu um beijo na bochecha e se virou para o canto).

Thiago Narrando:

Provavelmente já deve ter passado uns 15 minutos que eu e Ana trocamos o "boa noite", mas eu não estou conseguindo dormir. Ela se virou para o canto, não tenho certeza se ela estar dormindo, porém posso ouvi a respiração dela. 

Eu quero muito abraça-la, muito mesmo.  Sempre sonhei em dormir a abraçando e talvez essa seja minha única oportunidade. Então resolvi dizer:

Thiago - Ana... 

Ana Narrando:

Depois que eu e Thiago trocamos o "boa noite", eu me virei para o canto. Porém, não consegui dormir como imaginaria. Fiquei apenas com os olhos fechados e pensando sobre a minha vida. E principalmente, em como eu sou horrível por namorar o Victor e querer tanto dormir abraçada com o Thiago. 

Fui surpreendida com a voz do Thiago me chamando. Fiquei em dúvida se ele estar sonhando ou acordado, mesmo assim me virei. 

Quando me virei para ele, encontrei os seus olhos abertos e fixei meu olhar com o dele. 

Ele levou a mão até o meu rosto e fez carinho na minha bochecha e cabelo. 

Thiago - Eu posso te abraçar?

Eu não sei o que fazer, isso é tudo o que eu mais quero, porém não é certo. Ainda assim, por impulso eu disse... 

Ana - Sim. (Sorri).

Ele me puxou e eu apoiei minha cabeça no peitoral dele e pausei minha mão esquerda em sua barriga, além de entrelaçar minhas pernas com a dele. 

Com a mão esquerda ele começou a fazer carinho em meu cabelo, já com a direita, ele me segurou pela cintura. 

Ficamos sem dizer uma palavra, eu não sei de onde estou tirando forças para resistir a isso tudo. Ele está sem camisa, isso mesmo, sem camisa e eu me encontro abraçada com ele no estilo namorados. Tô tentando resistir de todas as formas, porém o corpo dele está quente e os batimentos cardíacos dele estão acelerados. Será que ele estar me desejando? Talvez. O Thiago era apaixonado por mim antes de perder a memória, será que esses sentimentos ainda estão guardados dentro dele?

Thiago - Eu não tô conseguindo dormir. (Disse quebrando o silêncio e fazendo cafuné nela).

Ana - Continua, está ótimo esse cafuné. (Disse, fiz carinho na barriga dele e senti ele se arrepiando juntamente com os batimentos cardíacos mais acelerados).

Thiago - Certo. Você tá com sono?

Ana - Nem um pouco. 

Thiago - Que tal fazermos brigadeiro?

Ana - Mas para isso precisaremos sair dessa posição, e eu não quero te soltar. 

Thiago - Eu... eu... (Pensa Thiago, pensa). - Eu também gosto muito de ficar assim com você. (Ela levantou a cabeça e me olhou nos olhos. Quero muito a beijar e não estou conseguindo evitar. Começamos nos aproximar mais, coloquei minha mão entre os cabelos dela e quando íamos nos beijar, ela virou o rosto, me deixando constrangido). 

Ana - Vamos fazer o brigadeiro!

Thiago Narrando:

Descemos em silêncio, pois estão todos dormindo e com todas as luzes desligadas. Eu conheço essa Residência totalmente, então segurei na mão da Ana até chegarmos na cozinha e ligarmos a luz. 

Eu queria muito aprender a fazer brigadeiro, então a Ana foi me auxiliando e agora o brigadeiro está no fogo e eu estou mexendo. Depois de alguns minutinhos, a Ana disse que está bom. Desliguei, coloquei em um prato e logo em seguida coloquei para gelar. A Ana rapidamente pegou uma colher e a panela do brigadeiro. 

Pedi 2 vezes mas ela não me deu, além de deixar eu ficar apenas olhando ela raspar a panela. Ela sujou o canto da boca, eu limpei com o meu dedo polegar e incontrolávelmente logo em seguida lambi meu dedo. 

Ana Narrando:

Reparei no gesto do Thiago e incontrolávelmente lubrifiquei meus lábios com a língua e em seguida mordi o lábio inferior. Percebi que ele viu o meu gesto e me envergonhei. Agora ele sabe que estou o desejando mesmo namorando, que situação.


Thiago - Ana... eu não sei o que aconteceu no nosso passado, mas nesse presente, eu sei que você tá com o Victor e você o ama, mas não dar pra negar que existe algo a mais entre nós além de uma linda amizade. Eu acho que... na verdade não acho, eu tenho certeza... Eu estou apaixonado por você Ana, sim, e estava tentando negar, mas não consegui. Eu te amo! E acho que desde sempre. Saiba que eu vou investir nesse sentimento. 

Ana Narrando: 

Como ele consegue dizer essas palavras tão idênticas em relação a quando estava com a memória normal?

Como ele agirá depois que souber que já nos beijamos? Que ele já se declarou para mim anteriormente? Que eu escolhi o Víctor?

São muitas dúvidas e da minha boca só saiu:

Ana - Thiago, me beija agora!





Notas Finais


E aí, o que acharam?
Amanhã postarei o próximo capítulo.

Quem ainda não leu, corre lá na minha fanfic do Wattpad "Thiana (Eu te odeio, eu te amo).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...