História Things - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Sci-Fi, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Não se sabe como ou o por que


Fanfic / Fanfiction Things - Capítulo 1 - Não se sabe como ou o por que

Eu ainda me lembro... Quando eu era criança, essas coisas... Apareceram

No primeiro instante eu fiquei maravilhado

Pensando nas novas histórias que iam surgir, aventuras que eu sonhava... Mas eu percebi como é a realidade

Ao passar do tempo, coisas ruins começaram a acontecer, ataques, genocídios... Guerras

E em 2037, eu passava fome, as coisas ficaram caras, era frio até que a casa branca literalmente desmoronou... E os estados unidos desmoronou

Eu ainda me lembro de fugir com minha mãe, cetenas de pessoas nas ruas, atirando umas nas outras como animais, quebrando fachadas de loja e pegando os poucos produtos que sobraram

Eu e minha mãe sobrevivemos mas... Ela morreu 2 anos depois, agora... Em 2043, eu, quase morrendo de fome... Fui achado

Uma organização, gmvm, dizia ira matar as coisas, e poderia me recrutar

Sem alternativa, eu fui, treinado, ensinado a matar, concertar, tomar alguns choques e seguir adiante...

Em 2055, eu fui mandando como mecânico de drones, seattle.. Ou o que restou dela

E assim eu estou até hoje

*o homem acorda, se lavantandando e indo para um lavatório. Ele escova os dentes e toma um banho, se secando e vestindo uma roupa. Ele vai para o compartimento e toma uma pílula, a mesma dá todos os seus nutrientes diários. Ele segue, pega e veste uma mochila, colocando um visor, e um capacete, e prendendo bem eles, ele segue para uma porta, onde a mesma se abre, dando para um saguão com uma plataforma no meio, ele sobe nela, e a mesma começa a subir. Rapidamente ele chega no fim, com uma grande porta se abrindo em seu frente, e a luz do sol batendo em sua cara*

*Ele coloca o braço na frente dos olhos pois a luz é muito forte, mas logo tira. Um pequeno helicóptero chega e pousa em sua frente, fechando a porta e levantando vôo, após voar por algum tempo, uma luz vermelha aparece em seu painel *

— distrito 9, mark II... Espero que a coisa que quebrou esse não esteje por perto.

*Logo ele segue, para o local, pousando perto do local. Abrindo a porta do helicóptero e saindo, andando um pouco até achar o drone*

— que rombo feito...

*ele pega a placa, olhando atentamente*

Parece que foi um tipo de acido mas... É bem mais viscoso que o normal.

*Ele continua a abrir, vendo que o seu inteiror estava totalmente quebrado, tirando algumas ferramentas de sua mochila, e retirando peças quebradas e trocando por novas, até o concertar quase por completo, ele volta para pegar uma placa a blindagem destruída pelo acido, mas quando ele volta... O drone não estava mais lá*

— que?, onde ele está?.

*Drone sai de sua mochila outro drone, mas ele era diferente, dele sai 4 palitos, ficando em formato de " " com 3 velas se abrindo e as mesmas brilhando em verde claro, ele começa a girar e girar olhando para vários lados e trocando de coloração, mas logo ele vira para trás e lá fica, brilhando em rosa. O homem vira se se demara com uma coisa, a mesma olha pra ele e balança sua cabeça, fazendo barulhos semelhantes a sinos, sua mão como uma zarabatana, sua boca infla, colocando a mesma em sua mão/zarabatana, atirando uma bola. Por sorte acerta um carro enfurrajado, mas ela explode e o evento começa a deteriorar todo o carros*

— nossa, sua baba fede

*Logo ele pega uma pistola 10mm, efetuando 3 disparos mas só 2 acertam, a coisa começa a correr e sua boca inflar, e ele dá outro tiro, mas esse acerta seu peito o desacelerado, mas ele efetua um disparo que acerta seu pé, a dor é muito mas ele consegue tirar a ponta mas ela explode no ar, um pouco do acido pega em seu pé e começa a queimar se pé*

— AII CARALHO

*A criatura corre, seu dedo estica e vira uma mola, pulando e usando a mesma pra fazer ele pular muito alto, sua boca infla, ele guarda sua pistola e retira uma espingarda, mirando na cabeça dele mas, ele já estava perto, a boca da arma estava bem na testa da criatura e a zarabatana está mirada em seu peito, quem atirar, o outro morre*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...