História Think About Us - Capítulo 3


Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Mikoto Uchiha, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Toneri Otsutsuki
Tags Drogas, Hinasasu, Hinata Hyuuga, Little Mix, Naruto, Neji Hyuuga, Nejiten, Romance, Sakuino, Sasuhina, Sasuke Uchiha, Shor Fic, Tenneji, Tenten Mitsashi, Think About Us
Visualizações 135
Palavras 9.937
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amoresss! Como estão? Esperamos que muito bem!

Em primeiro lugar, sei que o capítulo estava previsto para amanhã, todavia, amanhã ia ser meio enrolado para postar por causa do Enem e tal, então decidimos postar hoje mesmo.

E bom, esse é o último capítulo.

Gostaríamos de agradecer a cada pessoa que leu, favoritou e comentou a nossa história. Garanto que estamos muito feliz e gratas por todo o carinho que recebemos com essa história.

Espero que apreciem esse último capítulo!

Boa leitura e novamente, muito obrigada!

Capítulo 3 - Do you think about us?


O coração de Tenten batia, com certeza, mais frenético do que a melodia que tocava ao fundo. Não importava quanto tempo eles passaram separados, Neji ainda tinha um controle absurdo das sensações de seu corpo.

O Hyuuga se inclinou mais para o lado, ao compasso que a Mitsashi levou as mãos até o longo cabelo castanho dele, aprofundando o beijo. Seus lábios já eram velhos conhecidos e a cada movimento, matava a saudade de anos. O ódio, as brigas e todas as coisas ruins que aconteceram antes da fatal separação haviam se tornado coisas pequenas ali.

Momentos depois, eles se afastam. Neji reparou que a Mitsashi sorria lindamente e ele com certeza fazia o mesmo. Contemplou a morena que estava com o corpo escultural envolto em um lindo vestido preto e saltos altos. No seu rosto, pouca maquiagem, pois ela nunca foi muito fã e os cabelos, agora longos e ondulados, caiam por seus ombros.

- Você está tão linda. - Ele elogiou, ainda sem tirar os olhos dela.

- Você também não está nada mal. - Tenten retrucou, ao fitar um Hyuuga elegante em um terno cinza chique, com sapatos de marca e cabelos castanhos lindos como sempre. Ele estava mais alto e mais forte, ela também reparou. - Tomando bomba?

- Como descobriu o meu segredo? - Ele rebateu divertido, algo que surpreendeu a Mitsashi. Ele não era de piadas.

A morena olhou em volta e reparou que todos estavam dançando alegres ao som da música. E bom, ela também amava dançar, não ia ficar de fora.

- Quer dançar? - Ela indagou.

Neji franziu as sombrancelhas.

- Sabe que eu sou péssimo.

- E sabe que eu não ligo para isso. - As palavras dela fizeram o Hyuuga pensar um pouco. No final, ele cedeu.

- Tá.

- Isso! - Tenten comemorou.

Neji bufou, se levantando e puxando a mão da Mitsashi para pista de dança. Ao chegarem, ficaram um na frente do outro e uma conexão de olhares se formou imediatamente. Eles sorriam em todo segundo, felizes por estarem juntos e por aquele reencontro estar indo tão bem.

Eles sabiam que precisavam falar daquela noite. Haviam feridas que ainda estavam abertas e problemas que precisavam de soluções. Coisas a serem acertadas e pedidos de desculpas a serem feitos.

Todavia, isso seria deixado para depois.

A música embalou os corpos e Neji rapidamente juntou o corpo de Tenten ao seu. Se moviam conforme a melodia, apenas sentindo o corpo um do outro. O Hyuuga estava inibriado pelo cheiro magnífico que só Tenten tinha. Sem exitar, abaixou a cabeça até o pescoço, inspirando aquele aroma inebriante.

Era ela ali. Sua Tenten.

- Não me deixe de novo. Sei que te dei todos os motivos, mas hoje, peço que fique. Por favor, não vá.

Tenten fez o Hyuuga levantar o rosto e encará-lá diretamente. Ela estava séria, mas logo sorriu.

- Eu não vou.

Woah, you put your hand on my waist

Oh, você coloca suas mãos na minha cintura

And then you pull me close

E então, me puxa para perto

Boy, I promise I won't let go

Garoto, eu prometo que não irei

E dessa vez, a Mitsashi que puxou o Hyuuga para um beijo intenso.

Now we're dancing in the club

Agora, estamos dançando na balada

And it's fire when we touch

E é como fogo quando nos tocamos

Do you think about us?

Você pensa em nós?

Do you think about us?

Você pensa em nós?

When we're deeper in the crowd

Quando estamos no meio da multidão

Can you feel my body now?

Consegue sentir meu corpo agora?

Do you think about us?

Você pensa em nós?

As mãos de Neji passearam nas costas da morena, enquanto suas línguas dançavam sua própria melodia. Para o Hyuuga, cada sensação era tão familiar e ao mesmo tempo tão nova. Era uma loucura e ele amava isso.

Os toques se tornaram mais ousados e os beijos mais longos. Os corpos tinham uma química divina e seus donos uma saudade esmagadora. Eles se queriam por completo.

E Tenten percebeu isso, ao sentir a ereção de Neji pressionando seu corpo.

- Eu quero você, Tenten… - Ele murmurou, ao se afastarem do beijo que trocavam. - Quero o seu corpo no meu, quero te levar ao céu e ao inferno. Quero agora.

Tenten sorriu maliciosa.

- E o que te impede?

Foi como um tapa na cara do Hyuuga. Ele, com a velocidade de um jato, guiou a Mitsashi até a saída da boate para o seu carro e do seu carro para o seu apartamento em questão de minutos. Se pegaram como selvagens no elevador e quando finalmente chegaram ao lar doce lar do homem dos olhos de pérola, ele viu que realmente nada o impediria de ter Tenten aquela noite.

Apenas deu tempo de entrarem no apartamento e trancarem a porta, pois logo após isso, voltaram a se beijar como dois animais sedentos pelo corpo um do outro. Os sapatos foram os primeiros a sumirem.

Neji a levantou a fazendo prender suas pernas em volta de sua cintura sem descolar seus lábios. As mão ágeis do Hyuuga já faziam seu serviço, e se encontravam apertando a bunda da morena.

Prendendo-a contra a parede, mesmo que com protestos da morena, Neji parou o beijo e direcionou toda a sua atenção no pescoço de Tenten. Deixava uma trilha de chupões e mordidas por toda a extensão.

Se recordavam de suas numerosas noites juntos na adolescência, seus corpos sempre se conectaram perfeitamente, e mesmo com a distância, essa química prazerosa não acabou.

- Você nunca foi de demorar tanto, Hyuuga. - Dizia Tenten entre os suspiros e gemidos. - Me fode logo.

Ouviu aquilo deixou Neji louco. Mesmo ainda estando na entrada de casa, o mais alto arrancou o vestido da morena largando por ali, e a guiou até seu quarto a beijando fervorosamente.

A camisa do mais alto foi perdida durante o percurso até o quarto. A calça também não tardou a desaparecer, em pouco tempo estavam apenas de roupa íntima sobre a cama desfrutando do corpo um do outro.

Já ansioso para o que viria mais a frente, Neji retirou a calcinha da sua parceira a penetrou com um dedo, foi muito bem retribuído com um gemido de sua parceira, que não deixou barato. Tenten inverteu as posições colocando sua intimidade na direção do rosto do Hyuuga, que se deliciava com a bela visão que estava tendo.

Rapidamente a morena tirou a cueca de seu parceiro e colocou o máximo que conseguiu do pênis em sua boca, começou movimentos frenéticos de subida e descida que arrancava suspiros e gemidos do Hyuuga. Sem querer ficar para trás, o mesmo começou a chupar sua morena assim iniciando um excitante 69.

O Hyuuga sabia que estava perto de gozar pela primeira vez naquela noite. Neji sabia o quão habilidosa ela era com a boca. Sentia saudades daquelas chupadas todas as noite. Se cansou de imaginar as noites juntos da morena, depois que ela foi embora. Mesmo já tendo transado com outras mulheres, nenhuma superou Tenten.

Não aguentando mais segurar, Neji gozou dentro da boca da morena, que engoliu cada gota.

Tenten se virou para a direção do Hyuuga e beijou. Surpreendendo o Hyuuga, a morena rapidamente sentou em cima de seu membro, fazendo entrar tudo de uma vez e arrancando gemidos altos dos dois.

A Mitsashi passou a cavalgar muito rápido em cima do Hyuuga que gemia rouco. Conforme Tenten subia, Neji descia, e quando ela descia, Neji subia, fazendo assim as penetrações serem mais fortes e muito mais prazerosas.

Os gemidos eram arrastados e carregados de luxúria. Queriam mais, muito mais. E com esse desejo se apossando de si, Neji inverteu as posições, colocando a morena de quatro e a penetrando mais fundo.

- Neji... - Escutá-la gemendo seu nome novamente depois de tantos anos o fazia ir ao céu. - Mete mais rápido. - Um pico de energia passou pelo corpo do mais alto.

- Seu desejo é uma ordem.

E assim passou a penetrar a morena mais rápido. Sentiam que iam gozar logo e assim Tenten passou a ir pra frente e para trás fazendo a penetração ser mais forte.

Quando estava prestes a gozar, Neji retirou seu membro de dentro de Tenten, e se masturbou por poucos segundos, assim se gozando sobre as costas da morena.

Ambos caíram cansados e felizes. O perolado a puxou para seus braços e a beijou na testa.

- Eu te amo. - Ele sussurou para Tenten que dormiu logo em seguida.


                          ***

Se alguém perguntasse a Sasuke como ele se sentia naquele momento, sem exitar, ele responderia que como um policial numa cena de perseguição. Afinal, pela última hora que passou, a única coisa que ele fez foi correr que nem um louco atrás de Hinata.

Depois que ela saiu da boate e entrou em um carro preto, ele a seguiu sem pestanejar. Não iria perdê-lá tão facilmente. Dirigiu por quilômetros, sempre atento ao carro preto que Hinata estava. Quando finalmente ele parou, Sasuke franziu o cenho.

Uma pousada?

- "Pousada recanto do sol"…- O Uchiha leu o nome que aparecia no letreiro do lugar.

Era uma posada comum, como qualquer outra pousada que aparece no meio do nada em filmes e séries. Viu Hinata estacionar o carro e subir as escadas e simultaneamente, fez o mesmo.

Enquanto subia, ele pensava se seguí-la até ali foi mesmo o certo a se fazer. Afinal, qual era o direito que ele tinha de ir atrás dela depois de tudo o que ele fez de ruim?

O Uchiha respirou fundo. Era exatamente por isso que precisava vê-la. Precisava pedir perdão por todas as atrocidades que fez contra aquela doce mulher.

Bateu na porta que viu a Hyuuga entrar e esperou por uma resposta da perolada. Entretanto, nada veio.

Repetiu o ato e outra vez, teve só o silêncio de retorno. Bufou irritado, será que ela estava o ignorando?

- Hinata? Sou eu, Sasuke. Sasuke Uchiha. - "O homem que fez da sua vida um inferno", completou mentalmente. O quão ridículo ele era? Por Deus! Devia pegar o resto de dignidade que tinha e deixar a pobre Hyuuga em paz. - Eu sei que está aí e sei que eu nem tenho moral para pedí-la para me olhar nos olhos, mas…Hina, por favor, eu imploro, me deixe falar com você. Não teve um dia em todos esses anos em que eu não me arrependa por não ter lhe dado o valor que merecia. Não teve um dia…- Ele engoliu em seco. - Que eu não senti sua falta. Por favor, Hinata. Só uma chance.

Cada segundo em diante foi uma tortura. Ele achou que ela não iria abrir e convencido disso, estava tomando coragem para catar os caquinhos de seu coração envolto na esperança de vê-la e ir embora. Entretanto, ao ouvir o som da porta sendo destrancada e a figura da linda Hyuuga aparecendo, ele sorriu.

- Hinata, eu…

- Se você estiver drogado ou qualquer coisa do gênero eu juro que eu te expulso e peço para Tenten fazer uma medida protetiva contra você. - A voz doce, porém séria o cortou.

Sasuke arregalou os olhos ônix e observou a bela mulher que Hinata se tornou. Sem dúvidas, o cabelo curto era a coisa que mais o chamava atenção pois as madeixas enormes de Hyuuga eram sua marca registrada. Agora, o atual cabelo em corte chanel contornava o rosto angelical da mulher. Os olhos lilases eram contornados por um deliniados e os lábios, por um baton rosinha. O corpo escultural trajava um vestido tubinho azul escuro brilhante e ao descer os olhos pelas coxas torneadas e alvas, pode ver que a Hyuuga estava descalça.

- Eu estou limpo. - Ele respondeu saindo de seu transe. - Estou limpo há anos.

Hinata o olhou desconfiada, mas assentiu logo depois. Deu passagem para o Uchiha, que deu uma seguiu-a para dentro da casa.

O moreno deu uma olhada rápida pelo local e viu que embora simples, era um belo quarto de pousada. Hinata se sentou na beirada da cama de casal e apontou uma cadeira para Uchiha, que a pegou e se sentou na frente da Hyuuga.

- Por que fugiu? - Sasuke indagou, mas não demorou a perceber o quão vago foi aquela pergunta. - Hoje. Por que fugiu hoje?

Hinata parecia desconfortável com a pergunta.

- Não sabia se estava pronta para falar com você depois de todo esse tempo.

- Então por que me deixou entrar?

- Eu não sei.

O Uchiha encarou as orbes peroladas receosas da mulher a sua frente. Não tinha jeito fácil de resolver as coisas do passado e ele sabia que sim, a culpa disso tudo era dele.

- Você desapareceu. Você e a Tenten. Kakashi disse que vocês pediram transferência, mas nunca disse o pra onde foram. Eu e o Neji procuramos vocês por meses e perguntamos a todos, mas nunca tivemos êxito. O que fizeram durante todo esse tempo?

- Bem…- Ela pareceu pensar um pouco, garantindo que Sasuke não estava chapado. - Fomos para o Canadá, pois o Kakashi conseguiu uma bolsa de estudo numa grande instituição de direito para a Tenten. Era uma oportunidade perfeita para ela e quis acompanhar. Quando cheguei lá, fiz uma prova numa universidade local e também consegui uma bolsa para estudar administração e o resto foi se encaixando aos poucos. Meus pais e o pai de Tenten, o delegado Hashirama, ajudaram muito. - Hinata sorriu fraco. - Montamos nossa vidinha lá. A Tenten se formou com mérito e se tornou uma advogada muito reconhecida. Eu terminei a faculdade e comecei a ajudar o papai com as contabilidades da empresa de exportação, a distância mesmo, e com o resto do meu tempo, abri uma cafeteria.

- Uma cafeteria? Sério?

A perolada assentiu com um olhar orgulhoso.

- Me senti incrível no dia da inauguração. Foi a primeira coisa que foi feita cem porcento por mim, sem ajuda dos meus pais ou de Neji. Atualmente, ela é bem conhecida e tem uma boa clientela.

- Se foi feito por você, tenho certeza de que é perfeito. - O Uchiha comentou sincero.

Hinata corou e isso fez o peito do moreno se encher de nostalgia.

- E você? Disse que está limpo há muito tempo. Como isso aconteceu? - A Hyuuga questionou curiosa.

Sasuke pigarreou tenso.

- Depois que você se foi, eu me joguei de vez nas drogas. Tentei ficar sóbrio nos três primeiros dias, mas ao descobrir que você não iria mais voltar…eu surtei. E ter Karin ao meu lado ainda conseguia deixar tudo um bilhão de vezes pior. Ela me sufocava e eu tinha nojo de mim mesmo por me deixar ser manipulado daquela forma.

- Manipulado?

- A Karin tinha um vídeo meu comprando droga e cheirando pó, e me disse que ou eu ficava com ela ou ela mostrava para minha família esse vídeo. Foi por isso que naquela noite eu ia deixar você.

- Isso não é desculpa para me trair e me fazer de idiota por todo aquele tempo. - Ela rebateu áspera.

- Eu sei que não é. Todavia, foi isso que aconteceu. Eu sinto muito por ter sido tão ridiculamente escroto e estúpido. - Hinata não o respondeu e ele prosseguiu. - Mas continuando, Karin não pôde me ameaçar por muito mais tempo. Aproximadamente uma mês depois, eu fui internado por uma crise de overdose gravíssima. Eu estava entre a vida e a morte, e se eu pudesse escolher o meu futuro após ver o olhar de decepção de meu pai, a morte ganhava de primeira. Eu sobrevivi e fui internado numa clínica de reabilitação por meses. Quando saí, terminei minha faculdade e comecei a trabalhar na empresa, junto com Itachi. Meu pai e eu nos entendemos, e ele deixou a empresa nas minhas mãos e nas de Itachi. Recentemente estou tendo alguns problemas com os acionistas, mas nada que eu não possa resolver. - Pois o Uchiha não podia passar o resto de sua vida preso a um casamento de fachada.

- E a Karin?

- Soube que ela encontrou um velho podre de rico e saiu do país. Nunca mais ouvi falar dela. - Ele respirou fundo. - Hinata, eu realmente quero te pedir perdão por todas as coisas que eu fiz contra você.

- Está tudo bem, Sasuke. Já faz muito tempo, somos adultos agora, temos nossas vidas. Aquele amor já…acabou. Foi passageiro.

O Uchiha arregalou os olhos, se levantando chocado. Puxou Hinata para cima em um movimento brusco, mas não violento e fez a perolada o olhar nos olhos.

- Eu pensei em você em cada maldito segundo desses seis anos, Hinata. Pensando em como eu fui um tolo em perder a mulher que eu mais amei na vida e ainda amo. Caralho, Hinata! Eu ainda te amo com cada célula do meu corpo. - Ele engoliu em seco. - Então não me venha dizer que esse sentimento, esse amor, foi passageiro. Pois eu sinto ele todo o santo dia.

As lágrimas escorrendo pelo rosto de Hinata o fizeram se acalmar um pouco. Levou a mão até o rosto da mulher, tentanto conter as lágrimas que caíam.

- E-eu nã-não posso acreditar em você, Sasuke. - Chorosa, Hinata respondeu. - Você mentiu tanto pra mim antigamente. Não suportaria ser enganda por suas palavras outra vez. - Ela soluçou. - Eu também te amo, mas não confio em você.

O Uchiha aproximou os rostos, sem desfazer a ligação visual de ônix e pérolas. Seu coração batia acelerado e ele sabia que nenhuma droga que já usou na vida era tão satisfatória do que a presença de Hinata.

- Então não vou usar palavras. Vou provar meu amor por ações. Como esta… - E dito isso, ele a beijou.

O beijo que começou tímido e receoso logo se transformou em algo intenso e apaixonante. Se beijavam lascivamente, em um mix de saudade e necessidade. Sasuke deitou a Hyuuga na grande cama de casal, subindo em cima da mesma e se posicionado entre suas pernas.

O Uchiha desceu sua trilha de beijos pelo pescoço pálido de Hinata enquanto a morena arfava pelos toques sagazes que ele dava em sua cintura, quadril e nas coxas. Sasuke tirou sua camisa branca, expondo o seu corpo definido graças aos seus anos como atleta. A Hyuuga passou a mão em seu abdômen malhado, extasiada com aquela visão.

O vestido da azulada já tinha subido até o seu quadril e Sasuke não se importou de terminar de tirá-lo em um movimento só. Os olhos escuros criptaram de desejo ao ver os seios expostos de Hinata e a calcinha vinho que a mesma usava.

Voltou a beijá-la nos lábios, descendo pelo pescoço, chegando enfim ao seios fartos. Sugou o seio direito, ouvindo um gemido escapar da morena. Começou a revezar carícias naquela região, ora sugando e deixando marcas, ora os massageando. Continuou descendo os beijos finalmente chegando aonde queria.

- Sa-sasuke… A-aí não…- A Hyuuga o repreendeu ofegante. Entretando, o Uchiha estava disposto a lhe dar o máximo de prazer possível.

- Você vai gostar, Hina.

Sasuke desceu a peça vinho, passando-a pelas pernas da mulher. Pegou um travesseiro da cama e o colocou de baixo do bumbum da azulada, a deixando em uma posição mais favorável. Agachou de frente para a intimidade rosada da mulher, apreciando aquela visão totalmente inédita para ele.

Essa era a primeira vez deles. Tinha que ser perfeita.

O homem beijou o interior das pernas de Hinata, se aproximando do seu alvo sem pressa. Ao chegar lá, sugou a região do clitóris, fazendo a Hyuuga arquear o corpo. Continuou com as carícias na feminilidade de Hinata, lambendo e chupando ouvindo a melodia harmônica dos gemidos da azulada.

Sasuke introduziu um dedo, depois dois, movimentando de maneira lenta no interior da mulher. A essa altura, Hinata já se encontrava imersa em tanto prazer, gemendo com a oral muito bem feita do Uchiha. Não demorou muito e ela gozou nos dedos do moreno.

O Uchiha sorriu com o ato, levando os dedos até a boca e se deliciando com o prazer da mulher.

- Doce. - Ele comentou sorrindo malicioso.

- Pe-pensei que não gostasse de doces. - A Hyuuga rebateu ofegante.

- Desse eu gosto.

O moreno tirou suas roupas, ficando totalmente nú. Procurou no bolso de sua carteira uma camisinha, e a vestiu depois de achá-la. Se posicionou na frente da entrada de Hinata, louco de excitação. A Hyuuga estava linda e totalmente sexy, nua corada.

- Es-espera!

Sasuke fitou a morena.

- O que houve?

- Eu sou virgem.

Os olhos de Sasuke se arregalaram.

- Virgem?!

- Depois de você, eu não me senti preparada para fazer sexo com ninguém. Fora que eu estava tão ocupada com as outras coisas, e…

- E?

- Eu meio que sempre sonhei que seria com você.

Sasuke não podia negar que estava com o ego inflado. Saber que a Hyuuga o esperou por todos esses anos era incrivelmente satisfatório. O moreno se inclinou, capturando os lábios da mulher em um beijo quente.

- Prometo que vai ser perfeito. - Afirmou o mais velho, voltando a beijar todo o corpo da Hyuuga. Abriu as pernas da mulher e a beijou enquanto a penetrava.

Lágrimas desceram das orbes claras e Sasuke secou todas elas. Quando a dor ciessou, Hinata deu o sinal para Sasuke continuar e assim, ele o fez.

Os movimentos que começaram lentos e contidos, passaram a estocadas violentas e certeiras, com os gemidos do casal se tornando audíveis aos moradores dos quartos vizinhos.

Hinata estava em êxtase. Além disso, estaria mentindo se não dissesse que valeu a pena cada segundo que esperou por aquele momento. Chegaram ao ápice juntos, com ela gemendo o nome de seu amado e ele gritando o seu.

Mas aquele não foi o final.

Em uma virada repentina, Sasuke colocou Hinata em sentada sobre si, segurando firmemente o quadril da mulher. A Hyuuga, ainda trêmula pelo recente orgasmo, gemeu pela forma que foi posicionada.

- Hina…- Ele chamou rouco. - Rebola pra mim.

Prontamente, ela obedeceu. Com o auxílio do homem, subiu e desceu sobre o membro teso várias vezes, em um ritmo lento mas intenso. Sasuke gemia, excitado com a visão da Hyuuga cavalgando e rebolando sobre si. Hinata gozou um tempo depois e Sasuke não demorou para fazer o mesmo.

A azulada caiu sobre o corpo do Uchiha, que levou a envolveu em um abraço. Estavam suados e ofegantes, mas também felizes e satisfeitos. Sasuke se desfez do abraço, saindo do corpo da mulher e tirando a camisinha, a amarrando e a jogando em algum canto.

- Eu te amo. - Ele revelou, olhando nos olhos da mulher deitada ao seu lado.

- Sasuke…

- Você é a mulher mais maravilhosa que existe e porra, eu te amo. Te amo desde o dia em que eu te conheci. - Ele sorriu, lembrando o quanto foi difícil começar o namoro com a princesa Hyuuga. - Eu fui um babaca e estraguei tudo, mas agora é diferente.

- Eu só não quero mais ser enganada. Não quero ser alvo de mentiras, não quero ser a outra na sua vida.

- Você é a única mulher que eu amo, Hinata. A única que eu quero. Isso nunca vai mudar. - A imagem de Sakura, sua noiva de fachado brilhou em seus pensamentos. Ainda tinha que dar um jeito de romper com a rosada, de uma forma benéfica para ambos. O Uchiha acomodou a azulada em seus braços beijando seu rosto. Por agora, sua prioridade era Hinata. - Me dê uma chance.

- Está bem, uma chance, Sasuke. - Ela assentiu, fechando os olhos devido ao cansaço. - Eu também te amo. Sempre amei.

Movidos pela exaustão, os dois dormiram abraçados, compartilhando dos sentimentos de saudade e amor. Entretanto, algo aconteceu.

Horas depois, um barulho irritante dispertou Hinata de seu sono. Se levantou cuidadosamente e foi atrás do causador do som, achando um celular no bolso da calça de Sasuke, que estava jogada no chão.

A Hyuuga não queria ser enxerida, mas foi só ligar o visor que a mensagem surgiu em sua frente.

- Desgraçado…

"Não falte amanhã, preciso de você pontualmente na nossa festa de noivado. Sorria e vá bem vestido. Não esqueça, nós nos amamos muito e estamos muito felizes em nos casar".

A Hyuuga não pode conter as lágrimas que escorreram pelo o seu rosto. Leu que a pessoa que enviou essa mensagem se chamava Sakura, provavelmente a atual de Sasuke. Encarou o moreno que dormia serenamente, e sentiu nojo de si mesma. Caiu no mesmo truque, na mesma ladainha. Ele olhou nos seus olhos e disse que ela era única e ela acreditou. Entregou seu corpo para um homem que só sabia a machucar.

E ela sempre permitia.

Mesmo destruída sentimentalmente, Hinata se vestiu com uma roupa qualquer e saiu de seu quarto sem olhar para trás. Afinal, a última coisa que ela queria naquele momento era ficar no mesmo lugar que aquele canalha.


                       ****

O cheiro de comida fez Tenten se remexer na cama e abrir os olhos lentamente, para fitar uma belíssima bandeja de café da manhã que estava do seu lado.

- Bom dia, flor do dia. - A voz de Neji soou em seus ouvidos e ela sorriu ao fitar o moreno sentado na ponta da grande cama de casal.

- Bom dia. - Ela respondeu, se sentando. Não se importou com a nudez, afinal, não era nada de novo para Neji. - Você que fez tudo? - Indagou em relação aos croissant de queijo, o potinho com salada de frutas e um copão de suco de uva. A morena começou a comer, pois realmente estava com muita fome.

- Claro. - Ela o fitou com o cenho franzido, e ele sorriu. - Tem uma padaria no final da rua. Dei uma passadinha lá. - O Hyuuga explicou, fazendo Tenten entender o porquê ele estava vestido com uma roupa social.

- Meus parabéns ao proprietário. Só não é o melhor do que os lanches da cafeteria da Hinata.

- Cafeteria?

- É, a Hina é dona de uma cafeteria/doceria bem famosa lá no Canadá. Você sabe, ela sempre gostou de cozinhar e tudo mais. O lugar é a cara dela, todos gostam de lá. - A Mitsashi contou sorrindo.

- Canadá? Então vocês foram pra lá. Sabe, eu procurei as duas por anos e nada. - Ele suspirou. - Achei que nunca mais fosse vê-las. Vocês foram embora do nada.

- Foi o melhor para nós e você sabe. Naquela noite, eu e a Hinata percebemos que não dava para continuar aqui, vivendo uma vida infeliz. - A Mitsashi o cortou. - Você era um babaca e o Sasuke um mentiroso. Não faziam bem pra nós duas.

- Você não me deu nem a chance de tentar, Tenten!

- Claro que eu dei! Neji, você a coisa que eu mais fiz foi acreditar em você, pensar que iria mudar. Mas a cada dia que passava, você se achava mais o meu dono.

- Por que voltaram? - Ele indagou curioso. - Depois de todos esses anos, por que voltaram?

- Você já deve imaginar que eu continuei minha faculdade e hoje eu sou advogada, né? Trabalho mais com casos policiais, todavia, sou a representante legal da Hina. E você sabe que seu tio vai se aposentar e…

- Dividir as ações da empresa. Compreendo. Você veio para ajudar a Hinata.

- Parece chateado com isso. - Ela comentou em relação ao semblante triste do Hyuuga.

- Eu achei que tinha voltado por mim.

A Mitsashi engoliu em seco.

- Neji, eu te amo muito. Mas você também me magoou demais. Eu não sabia como ia ser o nosso reencontro…

- Foi ótimo.

- Sim, maravilhoso. Mas eu não ia arriscar voltar e chegar aqui e você ainda ser um escroto. - Tenten terminou de comer, colocando sua bandeja em um criado mudo ao lado da cama.

Neji deu os ombros.

- É, eu mereci essa. - Ele sorriu, se aproximando mais e ficando de frente para a morena. - Mas agora que você viu que eu mudei…você vai ficar, né?

Tenten respirou fundo.

- Neji…

- Olha, eu prometo que eu vou melhorar mais a cada dia. Sou sim ciumento e super protetor, mas eu não quero te perder outra vez. - Ele suplicou, segurando as mãos da mulher. - Fica comigo.

Tenten engoliu em seco e olhou para baixo.

- Eu não posso. Pelo menos, não agora. Eu tenho uma vida no Canadá, Neji. A Hinata também. Não posso deixá-la sozinha.

- Ela vai entender.

- Mas não seria o certo. Eu tenho meu escritório de advocacia, tenho meus amigos, minha casa…Eu iria precisar de tempo.

- Já não basta o tempo todo que você desapareceu?! - O Hyuuga retrucou, soltando as mãos da mulher.

- A culpa não foi minha.

- Eu sei, mas eu mudei. E eu te amo e você disse que também me ama…Por que você não quer ficar comigo?

Tenten respirou fundo, se levantando. Achou suas peças íntimas caídas e começou a vestí-las.

- Não se trata de você, Neji. Se trata de mim e da minha vida.

- Você tem outro?

Tenten parou.

- O quê?

- Outro homem. No Canadá, você tem outro homem?

- Acha que eu transaria com você se eu tivesse outro homem?!

- Me diga você! - Ele replicou ríspido. - É sempre assim, Tenten! Sempre tem outro quando se trata de você!

- Você é louco! - A Mitsashi gritou, pegando seu vestido do chão e o vestindo. Ajeitou seu cabelo e pegou seus sapatos.

- Onde você vai?

- Embora. - A morena avisou. - Eu achei que você tinha mudado, mas não. Você continua o mesmo imbecil! - Dito isso, a mulher começou a caminhar para saída do apartamento.

O Hyuuga correu atrás dela, percebendo enfim a burrada que fez. Viu ela passar pela porta e a seguiu.

- Tenten!

- Vai se fuder!

Quando Tenten sumiu no corredor, Neji gritou irado e deu um soco na parede. Pela segunda vez, deixou a mulher que amava escorrer pelos seus dedos por que ele era um idiota.

E estava quase se convencendo de que sempre seria um.


                       *****

Quando acordou, Sasuke possuía um genuíno sorriso no rosto. As lembranças da noite passada lhe davam vontade de pular e gritar, fora que o cheiro de Hinata também o dava uma sensação de felicidade, pois sabia que não havia sido mais um sonho.

Entretanto, quando abriu os olhos, não a viu.

Se levantou e se vestiu com as roupas da noite anterior. Achou o banheiro da suíte, lavou o rosto e rotornou para cama, esperando Hinata aparecer.

Mas ela não chegou.

Sasuke ficou aflito. O medo de ter sido abandonado novamente por Hinata o atingiu. Entretanto, para sua surpresa, a porta foi aberta.

Por Tenten.

- Sasuke? - A Mitsashi indagou chocada. Ela estava diferente, com os cabelos maiores e o corpo mais definido. Vestia um vestido curto preto e os pés descalços. Em sua mão, uma sacola de surpemecado e copos de café. - O que faz aqui?

Sasuke observou a Mitsashi se aproximar, botando a sacola e os copos de café sustentados por um suporte em cima da cama. Ela se sentou e sorriu, um sorriso que ele conhecia bem.

- O que o Neji aprontou dessa vez? - O Uchiha sentiu uma enorme nostalgia.

- Não foi nada. Nada demais…- Ela suspirou, tirando um copo do suporte e tomando o café quente. - Ainda não respondeu minha pergunta.

- Eu e a Hina passamos a noite juntos.

- E onde ela está? - Tenten olhou em volta, não achando rastro da amiga.

- Eu não sei. Quando eu acordei, não achei ela.

Tenten gargalhou.

- Poxa, geralmente o homem que é o ordinário. Dessa vez a Hinata se superou! - Ela ciessou as risadas. - Tô brincando, ela só deve ter saído para resolver alguma coisa. Toma. - Ela tirou um sanduíche de dentro da sacola e estendeu para o moreno, junto com o café. - Come.

- Valeu. - Ele aceitou, começando o seu café da manhã. - Então quer dizer que você virou advogada?

- A melhor. E você tomou um rumo na vida?

- Não uso mais nenhuma droga e sou o CEO da Uchiha's Tech, respeita o pai. - O moreno brincou, arrancando risadas da chocolate.

- Grandes merdas, sou a queridinha do departamento policial de Quebec.- Ela se exibiu.

- Um dos cinco homens mais desejados dos Estados Unidos, chora mais.

- Mas não adianta se tem o pinto pequeno.

- O quê? - Ele fez uma pose de ofendido. - Eu tô aqui dentro mas o meu brinquedo ainda não passou da porta!

Os dois gargalharam alto, se deliciando com aquele momento. Sasuke sabia que Hinata lhe fez uma falta imensa, mas Tenten, sua melhor amiga, também deixou um buraco em seu peito.

- Obrigada. - Tenten disse encarando o amigo

- Pelo o que?

- Naquela noite, sabe, aquela noite…- Ela deu ênfase na parte da noite. - Você me defendeu. Mesmo quase tendo uma overdose, você me defendeu. Obrigada mesmo.

- Você é minha melhor amiga e pelo menos uma coisa certa eu tinha que fazer naquele dia.

- Realmente. - Ela concordou.

- E você e o Neji? Te conheço, sei que estava com ele. Vocês se acertaram?

- É complicado. Eu achei que ele tinha mudado mas ele…

- Ele mudou, Tenten.

- Virou o melhor amigo dele agora, é?

- Pior que sim. - O Uchiha rebateu. - Depois que você foi embora, o Neji quebrou muito a cara. Sabia que ele teve uma queda gigante nas notas e quase não passou na faculdade? Isso e te perder deram um choque de realidade nele. Não sei o que ele fez ou disse, mas converse com ele de novo, com mais calma. Ele te ama muito você e está com medo de te perder de novo.

Tenten absorveu as palavras. Será que era verdade? Será que Neji tinha mudado?

A Mitsashi respirou fundo.

- Vivi pra ver Sasuke Uchiha falando bem de Neji Hyuuga.

- Acontece. - Ele deu os ombros, tirando do bolso da calça seu celular. Viu a mensagem de Sakura lhe lembrando da maldita festa de noivado de mentira. A irônia da Haruno o fez fazer uma careta. O Uchiha sabia que devia muito a sua família, mas aquela história de casamento arranjado era o cúmulo.

E ele daria um fim naquilo.

- Problemas? - Tenten questionou.

- Sempre.

Uma melodia começou a tocar e a Mitsashi tirou seu telefone de algum canto, prontamente o atendendo.

- Oi, Hana! Ah, ela está aí? Como? O Sasuke…Ah, que babaca! Eu não acredito. Pode deixar, tô indo pra aí. - Desligou a ligação e encarou Sasuke furiosa. - Você tem uma noiva?!

O Uchiha arregalou os olhos.

- Como você sabe disso?!

- A Hinata sabe disso! Hanabi me disse que ela leu a mensagem da sua noiva e que está desolada agora! E eu aqui ouvindo sua ladainha…Seu imbecil! - A morena se levantou sobressaltada, doida para chutar Sasuke de seu quarto.

- Ten, é um casamento arranjado! Eu não amo a Sakura, eu estou sendo obrigado a fazer isso!

- Você é um adulto de vinte cinco anos, para de usar a merda de desculpa que você está sendo obrigado a fazer as coisas e tome uma atitude!

- Mas…

- Mas nada! A Hinata ainda te ama e sempre te deu prioridade, mesmo você não merecendo. Dê um fim nesses seus problemas e coloque a mulher que você ama em primeiro lugar! Lute por ela, caralho!

Sasuke sentiu como se Tenten tivesse lhe dado um soco no rosto. Ele sempre fazia isso, se rendia antes de lutar por Hinata. Ele se permitiu ser manipulado por Karin, se permitiu ser dominado pelas drogas, sempre de cabeça baixa. Ele se rendia e culpava outros fatores, por isso ele perdeu Hinata. Por isso perdeu muita coisa.

Tenten estava pronta para dar um murro em Sasuke, quando sentiu os braços do Uchiha a cercando.

- Obrigado por ser minha melhor amiga.

A Mitsashi se rendeu ao abraço.

- A gente tenta. Vê se para de fazer merda, porque da próxima eu lavo as minhas mãos. - Tenten respondeu frustrada. - Nosso vôo de volta para o Canadá é as onze da noite. Resolva sua vida antes disso.

- Vocês vão embora de novo?

- Sabe aonde nos encontrar. - Ela disse, ignorando a indagação do moreno.

O Uchiha sorriu ladino e se afastou, terminando seu café e juntando suas coisas.

- Pode deixar. - Ele garantiu, indo em direção à porta. - Tchau, Tenten.

- Vai aonde?

O Uchiha piscou para a Mitsashi antes de sair pela porta.

- Desmanchar um casamento.


                      ****

Neji estava impaciente. Tudo que ele mais queria era correr pelas ruas de São Francisco e encontrar Tenten, para pedir desculpas por ter sido um completo otário. Entretanto, ali estava ele, no escritório de seu tio, ouvindo o mesmo contar o resumo de toda a vida dele, até o momento atual em que ele iria se aposentar.

A Hyuuga's Corp era a maior empresa de exportação de São Francisco e tinha diversas filiais nos Estados Unidos. Hiashi sempre administrou tudo sozinho depois da morte de Hizashi, o pai de Neji. Agora, o controle da empresa passariam para os herdeiros Hyuuga: Neji, Hinata e Hanabi.

- Preciso que assinem esses papéis que o Neji e a senhorita Mitsashi providenciaram. Como foi combinado, Neji tomará conta das questões jurídicas e as meninas administrão as ações, Hinata a distância e Hanabi presencialmente. Fora a porcentagem que pertencem aos acionistas.

Neji encarou a prima pela enésima vez aquela tarde. Hinata estava muito diferente, com os cabelos mais curtos e o rosto com traços mais adultos. Vestia um vestido branco e estava muito bonita, mas com semblante triste. Ela estava sentada ao seu lado, mas não o olhava. Estava concentrada nas palavras de seu pai. Hanabi permaneceu em pé ao lado da irmã durante toda a tarde, como um furioso cão de guarda.

Mesmo sendo a mais nova, Hanabi era a mais madura e a mais protetora das irmãs. Por conta disso, foi escolhida ser a pessoa para ser a pessoa que comandaria a matriz das empresas.

- Você vai permitir que a Hinata vá embora de novo? Isso é um absurdo, tio! - Neji protestou, ao ver que Hinata já tinha planos de se mudar novamente.

- Ela é maior de idade, pode escolher o que quer da vida dela. - O patriarca Hyuuga rebateu.

- Por que você quer que ela fique, hein?! Para você e seu amiguinho ex drogado serem babacas com elas outra vez? Me poupe, Neji! O melhor para minha irmã é ficar longe daqui, pelo menos no Canadá ela está feliz.

- Nós somos a família dela, deveríamos ficar juntos!

- Você nem falou com ela desde a hora que chegou! Que porra de família é essa?!

- Hanabi… - Hiashi a repreendeu.

- Perdão, papai. - Ela sorriu constrangida. - Eu amo minha irmã mais do que tudo nesse mundo e me dói ficar longe dela. Mas eu prefiro ficar longe dela, do que vê-la infeliz.

Hinata assinou a papelada enquanto o bate boca se formou. Após isso, se levantou e abraçou carinhosamente Hanabi.

- Eu também te amo mais do que tudo no mundo. Vá me visitar quando quiser, fiz um bolo com o seu nome sabia? - Ela se afastou, indo para o lado do pai e lhe dando um beijo no rosto. - Também amo muito o senhor. Aproveite as férias com a mamãe no Caribe.

- Sua mãe quer me falir no meu primeiro mês de aposentado.

- Certa está ela! - Hanabi se meteu, arrancando risada dos dois.

- Vou para o meu quarto tomar um banho e descansar um pouco. Depois do jantar, eu vou voltar para o Canadá.

- Okay, minha menina. Descanse.

- Daqui a pouco eu tô indo lá. - Hanabi avisou.

Neji e Hinata se olharam fixamente antes da Hyuuga deixar o escritório. O Hyuuga respirou fundo e entendeu que sua idiotice e egoísmo não só o afastaram de Tenten, mas também de Hinata.

A Hyuuga tinha terminado de tomar banho e de se vestir com uma roupa confortável, quando batidas em sua porta foram feitas. Ela deu permissão para a pessoa entrar, pois já sabia quem era.

- Oi. - Neji disse assim que entrou no quarto. - Gostei do cabelo. - Ele se aproximou da cama da prima, se sentando do lado da azulada.

- Obrigada.

- Você está linda.

Hinata corou.

- Muito obrigada. - Ela agradeceu constrangida. - Precisa de alguma coisa?

Neji negou com a cabeça.

- Como é o nome da sua cafeteria?

A azulada se surpreendeu com a pergunta.

- Himawari. Significa girassol, em japonês.

- Sua cara fazer um negócio desses. - O mais velho respirou fundo. - Desculpa.

- Por que?

- Não tenho sido um bom primo. Quando éramos pequenos, nós dois éramos tão próximos. Mas conforme os anos passaram, eu me afastei porque tava ocupado demais sendo um babaca. Quero me desculpar, você é sangue do meu sangue, minha priminha bochechuda e eu senti muito a sua falta durante todos esses anos.

A perolada se inclinou para abraçar o primo com lágrimas nos olhos.

- Perdoado, manézão. - Ela brincou. - A Tenten vai adorar saber que você mudou.

- Não estou certo disso.

- Como?

- Já estraguei tudo. Fui um otário com ela. Disse coisas horríveis de novo. Eu não sei porque eu faço isso, Hinata!

A Hyuuga se afastou, olhando serenamente para o primo.

- Tenta me explicar. - Ela pediu.

- Eu tenho medo de perdê-la, Hina. Medo de ela me deixar porque encontrou alguém melhor que eu. Eu vivo me gabando que eu sou o melhor em tudo, mas no final eu sou um merda. - Neji confessou frustrado. - A Tenten é linda, é forte, corajosa e independente. Eu queria tanto obrigá-la ficar comigo, mostrar que meu amor é o suficiente, mas…

- Você não pode fazer isso. Tenten é uma mulher livre, não deve ser obrigada a nada. Ela também te ama, Neji. Mas nunca vai se submeter a ser controlada por alguém.

Neji se sentiu horrível. Então era isso? Seu fim era deixar Tenten ir embora?

Chocando Hinata, os olhos do moreno se encheram de lágrimas.

- Então o que eu faço? Perco ela para sempre?

Hinata sorriu, levando a mão direita ao rosto do primo e secando as lágrimas que caiam.

- Eu disse que ela não pode ser obrigada a ficar. Mas você pode dar motivos para que ela fique por vontade própria.

- Mas como?

- Mostre que a ama. Que a ama de verdade, acima de tudo e que não quer perdê-la. Mostre que você mudou.

Neji assentiu. Sua prima estava certa. Ele convenceria Tenten a ficar, não com ofensas e ordens, mas sim com amor. Puxou Hinata para outro abraço afável.

- Eu te amo, cara de bolacha. - Neji sorriu, lembrando do apelido que ele usava pra perturbar Hinata quando pequenos. Apertou Hinata em seus braços. - Não vá embora…

A Hyuuga suspirou, se afastando.

- Vai ser melhor pra mim. O Sasuke vai casar.

Neji arregalou os olhos. Como ela sabia?

- Hinata, o casamento é arranjado.

- Co-como? Mas na mensagem…

- Eu sou o melhor amigo do Sasuke e sei que a única mulher que ele ama é você! A Sakura é só uma estratégia dos acionistas da Uchiha's Tech de manter o Sasuke na linha. Ele vai romper com ela, sei que vai.

O coração de Hinata acelerou. Quis sorrir e gritar, feliz por Sasuke não ter mentindo para ela em relação a amá-la. Entretanto, segurou essas emoções, pois precisava ter certeza que Sasuke mudou.

- Quando ele estiver disponível totalmente para se relacionar comigo, nós podemos conversar e nos resolver. Até lá, eu não quero me arriscar. Já fui muito magoada nessa história.

Neji assentiu, se levantando e dando um beijo na testa de Hinata. Olhou para o seu relógio, era a hora da festa de noivado de Sasuke e ele tinha que comparecer.

- Preciso ir. É a festa…

- Do noivado. Eu sei. Está na internet. - A Hyuuga respirou fundo. - Você lembra do bar Sabaku'no? A Tenten vai encontrar a Konan lá antes de irmos. É sua última chance, Neji.

O Hyuuga engoliu em seco. E dessa vez, ele não estragaria.

- Está certo. Adeus, Hina. - Ele se despediu indo em direção a porta.

- Neji! - Hinata o chamou sorrindo. - Eu também te amo, piolhento. - Ela alegou, também usando o apelido de infância de Neji.

O Hyuuga bufou.

- Cara de bolacha.


               *******

O restaurante "Le rouge", um dos mais famosos e caros de São Francisco era o palco de um dos eventos mais comentados do ano: Sasuke Uchiha, um dos homens mais ricos dos Estados Unidos e Sakura Haruno, herdeira de um império de empresas de comésticos iriam se casar. Todas as mídias de informações compartilhavam essa informação.

Afinal, seria o casamento do ano.

Os pais de de Sakura fizeram questão de fechar o restaurante para uma festa exclusiva, apenas para familiares e sócios de ambas as empresas. Todos apenas interessados em quanto iriam lucrar, e não na felicidade real do casal, que estavam tudo, menos felizes com a idéia.

Quando Sasuke chegou elegante em seu terno preto, todos os olhares se focaram nele. O moreno estava deslumbrante, digno de sua fama de um dos homens mais bonitos da América do Norte. Ao seu lado, Fugaku e Itachi chegaram, igualmente com sorrisos falsos para a comemoração.

- Sasuke, querido! - Mebuki, mãe de Sakura, o cumprimentou. Ela vestia um brilhante vestido verde e usava os cabelos loiros em um coque estiloso. - Estávamos lhe esperando!

- Me perdoe, Mebuki. O trânsito estava péssimo. - Fugaku comentou, pegando uma taça de champanhe com um garçom.

- Oh, claro. Compreendo, querido. - Ela sorriu alegre. - Docinho, me faça um favor e chame a Sakura pra mim? Ela já está tempo demais no banheiro.

Sasuke assentiu, pois precisava mesmo falar com Sakura. Em passos rápidos, chegou a porta do banheiro feminino e bateu na porta.

- Sakura? Sua mãe quer…

A porta foi aberta e de lá, saiu uma loira em prantos. Sasuke franziu o cenho, afinal, conhecia aquela mulher.

- Ino?

A loira se assustou ao olhar para o homem. Ela tentou secar as lágrimas o mais rápido possível.

- Ah, oi! Quanto tempo, Sasuke! - Ela forçou um sorriso. - Pa-parabéns pe-pelo…- A loira voltou a chorar. - Casamento. - Dito isso, ela correu para longe do Uchiha.

O moreno ficou muito confuso, mas estava sem tempo para questionar. Voltou a olhar para porta e enfim, viu a cabeleira rosa de Sakura sair de lá.

Ela, assim como Ino, estava com uma cara de choro.

- Podemos ir. - Ela afirmou séria.

- Você está bem?

A Haruno o encarou com os olhos vermelhos. Assim como sua mãe, vestia um vestido verde, mas estava com os cabelos róseos soltos. Mesmo com os olhos e nariz vermelhos, ela estava bonita.

- Eu estou ótima.

O casal voltou para o centro do restaurante, onde todos os esperavam. Uma hora ou outra, Sasuke observava Ino encarando de longe e não sabia o que isso significava. O moreno ficou ao lado de Sakura por um bom tempo, mas a rosada parecia uma muda.

Quando Neji chegou, Sasuke pediu licença para falar com o amigo.

- Tenten tá puta. - Sasuke informou.

- A Hinata tá chateada pra caralho. - Neji acrescentou. - Acaba logo com essa merda e vamos atrás das mulheres que amamos.

- Não vamos perdê-las de novo. - O Uchiha garantiu.

- Concordo com você.

Sasuke voltou para perto de seus familiares e pigarreou alto, chamando a atenção de todos. Ele respirou fundo antes de começar. Todos olhavam fixamente para ele, como um bando de lobos prontos para o bote.

- Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao meu pai e ao meu irmão pela segunda chance que me deram. Como todos devem saber, eu era usuário de drogas e graças a minha família, eu me reergui. - O Uchiha olhou para seu pai e irmão, que sorriam para ele. - Em segundo lugar, agradeço a Mebuki por essa festa incrível. E em terceiro, agradeço a todos que pararam suas vidas para celebrar essa festa de noivado.

Mebuki sorriu abertamente, orgulhosa de ter conseguido um casamento tão benéfico a sua filha problemática.

- Obrigada, meu queri…

- Mas infelizmente…- Sasuke continuou. - Não haverá casamento.

Um burburinho imediatamente se formou, ao compasso que Mebuki desfazia seu grande sorriso.

- O quê?! Do que você está falando, Sasuke querido? Como assim sem casamento?!

Sasuke olhou para o seu pai, que tinha adquirido um semblante sério.

- Antes da minha mãe falecer, ela me fez prometer que eu só me casaria com alguém que eu amasse de verdade. Amasse tanto, igual ela amava o meu pai. - Ele olhou para Sakura, que estava com a boca aberta. - Sakura, você é muito linda e gentil, mas eu não amo você. Eu mal te conheço.

- ISSO É UM ABSURDO! O CASAMENTO JÁ FOI ACERTADO NOS MÍNIMOS DETALHES! - A loira encarou o patriarca Uchiha furiosa. - ESSE NÃO FOI O COMBINADO, FUGAKU! MINHA FILHA VAI SE CASAR COM O SEU FILHO!

- Não vou não! - A voz de Sakura Haruno ecoou por todo o salão. - E você não vai me obrigar!

- Você está me contrariando, sua pirralha?! - Mebuki indagou para a filha. - Isso é o melhor pra você!

Sakura andou em passos firmes, até está de frente para a mãe. As íris verdes de ambas se encararam em irá.

- Sabe por que eu pinto meu cabelo de rosa? Por que eu não quero ser assemelhada a uma mulher tão ambiciosa e mesquinha igual a você! - Sakura gritou. - Você não está nem aí pra mim! Ia me condenar a um casamento infeliz porque estava interessada no lucro que isso ia te dar. - A rosada se afastou, indo para perto de Ino, que estava em um canto do salão. Quando ficou de frente para a loira, Sakura sorriu. - E quer saber? Sasuke, eu também não te amo. Eu amo a Ino. - E dito isso, Sakura beijou a loira.

Na frente de todos.

- Eu também te amo. - Ino respondeu quando se afastaram.

Mebuki ficou vermelha como uma pimenta, antes de sair às pressas do restaurante junto de Kizashi, seu marido. Pouco a pouco, os convidados foram indo embora e Sasuke se surpreendeu com o rumo que aquele dia estava tomando.

- Se livrou de uma boa, irmãozinho tolo. - A voz de Itachi fez ele se virar para encarar o irmão e o pai. - Essa família era meio problemática.

Fugaku colocou a mão no ombro do filho caçula.

- Sua mãe ficaria orgulhosa. Essa história de casamento arranjado... Eu apanharia se ela estivesse viva. - Ele sorriu fraco. - Vá atrás da jovem Hyuuga. Eu e o Itachi resolvemos as coisas por aqui.

Sasuke arqueou uma sombrancelha.

- Então…eu tenho sua bênção?

- Claro. Aliás, um casamento com uma Hyuuga é muito mais proveitoso. - O mais velho piscou para o filho.

Sasuke gargalhou. Seu pai nunca iria mudar.

- Sasuke…- Sakura parou em sua frente assim que sua família se afastou. Ino estava segurando sua mão. - Obrigada por dar um fim nessa loucura.

- Você me ajudou também.

Sakura sorriu, dando um abraço lateral em Ino.

- A gente é capaz de tudo quando está apaixonado.

Sasuke assentiu. Aquilo era uma verdade absoluta.

- Hanabi acabou de me mandar mensagem, elas foram em direção ao bar agora. - Neji disse, se intrometendo na conversa. - O bar é longe e o trânsito está uma porcaria. Precisamos ir.

- Podemos ir junto? - Ino indagou. - Eu era amiga da Hina, estou com saudades dela.

- E eu adoraria conhecer a mulher que acabou com o meu casamento. - Sakura brincou.

Neji balançou a cabeça positivamente.

- Vamos lá.


                           ***

Quando passaram pelas portas do bar Sabaku'no, quase uma hora e meia depois de deixarem o restaurante La Rouge, Sasuke e Neji foram antingidos por uma onda de Nostalgia.

- Aqui nunca vai mudar. - Neji comentou, olhando para todos os cantos do lugar.

- Ali, a Konan! - Ino gritou, apontando para uma mulher de cabelos roxos sentada no balcão.

Todos foram correndo em direção a mulher de olhos âmbar. Quando os viu, Konan sorriu.

- Neji? Sasuke?

- Aonde elas estão?! - Sasuke indagou.

- Elas saíram agora para o Aeroporto.

- Merda! - Bradou o Uchiha.

- Vocês não podem desistir! - Sakura alegou firme.

- Neji, vai atrás dela! - Konan exigiu severa.

- Você também, Sasuke! - Ino completou.

Foi como um déjà-vu. Só que dessa vez, eles fariam a coisa certa.

- Precisamos correr. - Sasuke alertou olhando para o relógio em seu bolso. - São dez e meia. O vôo delas é às onze.

- E estamos esperando o que porra?! - Neji retrucou, tirando a chave do carro do bolso.

- Boa sorte! - As três mulheres desejaram.

Segundos depois, Sasuke e Neji já estavam dirigindo nas estradas engarrafadas de São Francisco. Não falavam nada, mas a aflição entre eles era palpável.

- Anda mais rápido! - O Uchiha ordenou ansioso.

- Sou advogado, não motorista de racha! Sussega caralho!

Demorou, mas o aeroporto enfim pode ser visto. Neji estacionou o carro de qualquer jeito, saindo do veículo correndo com Sasuke ao seu lado.

Já tinha passado das onze.

- Ali! - Sasuke gritou, apontando para a área do portão de embarque, aonde as silhuetas das mulheres eram vistas.

Eles correram, ignorando os olhares curiosos das outras pessoas do aeroporto.

- Hinata!

- Tenten!

As duas se viraram imediatamente, saindo da fila para o embarque. Se aproximaram dos morenos ofegantes, com semblantes confusos.

- Eu posso falar com você? - O Hyuuga e o Uchiha perguntaram em uníssono, cada um para sua respectiva amada.

Hinata olhou para Tenten, que deu os ombros.

- O vôo vai atrasar mesmo. Temos quinze minutos.

Sasuke e Hinata se afastaram, deixando o casal de advogados sozinhos.

- Você pode ir.

Tenten arqueou uma sobrancelha.

- Perdão?

- Você pode voltar para o Canadá. Ou viajar para outros lugares, como o Japão ou o Brasil. Te privar dessas coisas seria um crime perverso pois você é uma mulher incrível e o mundo todo deve te conhecer. Então, eu peço que vá. - Ele colocou uma das mãos no ombro da mulher. - Mas, se você quiser voltar, eu vou estar aqui. Ainda sendo falho e cometendo erros, mas sempre disposto a te amar. Porque eu te amo, Tenten. De verdade. - O Hyuuga abraçou a mulher. - E sempre vou amar. Sinto muito por tudo.

O coração da Mitsashi batia frenético.

- Então você confia em mim?

- Confio.

Tenten ficou nas pontas dos pés para beijar Neji, mas mesmo assim, o fez. O beijou com paixão e ternura e ele prontamente retribuiu.

- Eu vou voltar pra você.

Neji sorriu.

- E eu vou estar aqui esperando.


                            *****

Sasuke levou Hinata até a lanchonete do aeroporto, pagando um cappuccino para a perolada. Eles se sentaram e Sasuke pensou muito no que diria a perolada.

- Eu menti para você sobre a Karin, sobre as drogas e sobre a Sakura. Eu escondi tudo isso.

- Eu sei. - A Hyuuga suspirou, bebendo um gole de seu café.

- Mas eu nunca menti quando disse que você é a única mulher da minha vida. Você, Hinata Hyuuga, é a única mulher que eu já amei e vou amar. Me perdoa por todas as vezes que eu te magoei e não ter te dado valor. Eu sei que não te mereço, mas eu não consigo mais viver sem você.

Hinata estava com os olhos cheios de lágrimas.

- E-e o casamento?

Sasuke se levantou, indo para frente da mulher e segurando a face clara de Hinata entre as mãos. Depositou um beijo suave na testa da mulher.

- O único casamento que eu vou ter na vida vai ser com a mulher que eu amo. - Ele observou um lindo sorriso nascer na face de Hinata. - Se ela me aceitar, é claro. Digamos que ela é boa demais pra mim.

Hinata gargalhou, deixando as lágrimas descerem pelo seu rosto.

- Eu acho que ela pode fazer esse sacrifício. - A Hyuuga respondeu, puxando Sasuke para um beijo abaixonado e com o gosto doce de café. Quando se separaram, Hinata lhe deu um soco potento no peito. - Se me enganar de novo, eu corto o seu pinto!

Sasuke grunhiu pela dor do soco. Que mão pesada!

- Anotado.


                       ****

Quando as mulheres enfim embarcaram, Sasuke e Neji sorriam feitos idiotas.

- No final, acabamos deixando elas irem. - Sasuke disse, analisando toda a situação.

- Elas vão voltar. - Neji respondeu calmo. - Sei que vão.


****

3 meses depois…

****


Hinata ajeitava as últimas coisas de sua papelada para ir para casa e enfim, voltar para São Francisco. Tenten tinha voltado na noite anterior e ela faria o mesmo.

Estava com saudades dele.

Guardou tudo em sua bolsa, saindo de seu pequeno escritório que ficava no segundo andar de sua cafeteria, a Himawari. Desceu as escadas, esbarrando em Sumire, uma das garçonetes. A moça de longos cabelos roxos estava com quatro bandeijas nas mão e uma cara de acabada.

- O que houve, Sumire? - Hinata indagou preocupada.

- A Minami e a Fuu saíram para o almoço e isso aqui encheu. Me perdoe pela confusão, senhorita Hinata.

Hinata sorriu, pegando uma bandeja das mãos da jovem.

- Qual mesa?

- Dez. - Sumire respondeu sorrindo. Tinha a melhor chefe do mundo. - Você é incrível.

A Hyuuga piscou para a moça e se encaminhou para a mesa. Serviu o café puro e bolo floresta negra para o homem com um boné esportivo e moletom preto.

- Aqui está, senhor.

- A Tenten tinha razão, aqui é a sua cara. - O homem disse a encarando.

Hinata deu um passo pra trás. Conhecia aquela voz…

- Sa-sasuke…

O Uchiha sorriu, tirando o boné com o símbolo de seu time para que Hinata o visse melhor. As bochechas coradas dela fizeram ele sorrir.

- Pensei que iria querer companhia para a viagem. E eu…- Ele suspirou, se levantando. - Não aguentava mais sentir sua falta.

Hinata abraçou o mais alto, exalando felicidade.

- Você quer minha companhia? - A Hyuuga perguntou sorridente.

Sasuke a apertou em seus braços, de uma maneira carinhosa.

- Pelo resto da vida, se possível.


                         ****

Neji estava em seu escritório quando sua secretária Natsu disse que ele tinha visitas. Todavia, ele estava aéreo.

Hoje se completavam três meses que ela partiu.

Sorriu lembrando de sua Tenten. Se perguntava se ela estava bem, se estava com tanta saudade dele como ele estava dela.

Entrou em um devaneio, lembrando de cada momento que passou ao lado da sua morena. Sorriu e estava tão imerso em sua memórias, que nem viu a porta sendo aberta.

- Espero que esse sorriso seja porque estava pensando em mim!

Neji quase caiu da cadeira. Fitou a Mitsashi, que estava como uma deusa em um terninho azul marinho. Ele lhe devolveu o olhar atrevido que ela o encarava, ignorando a frase que ecoava em sua mente.

"Ela voltou!"

- Não respondeu minha pergunta. - Ela alegou se aproximando.

- Eu estava pensando…- Ele levantou, colando os corpos e se preparando para beijar a mulher de sua vida. - Eu estava pensando em nós.


                           *****

The end.


Notas Finais


Eis o fim, meus queridos! Comentem pois queremos muito saber a opinião de vocês sobre o final dessa história que nos fez tão felizes.

Bjs e até uma próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...