1. Spirit Fanfics >
  2. Thinking Out Loud >
  3. Sociedade.

História Thinking Out Loud - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


OOOOOI povo!!

Olha quem tá por aqui...
Desculpem a demora em atualizar, mas é que eu ando trabalhando demais.

Espero realmente que curtam o cap.

Boa leitura mores :)

Capítulo 3 - Sociedade.


Fanfic / Fanfiction Thinking Out Loud - Capítulo 3 - Sociedade.

Aquele jantar estava longe de ser algo agradável para ela, Molly parecia excessivamente animada com a ideia de ver seu filho se casando com ela, Hermione achava que era culpa pelo que o marido havia feito, durante as conversas ela notou que ela não sabia sobre aquela reunião e principalmente sobre o acordo, quando questionou Ron ele simplesmente disse que quanto mais pessoas soubessem que aquele seria um casamento de fachada, pior seria, pois ele poderia ser anulado antes mesmo de acontecer e isso era tudo que ela não precisava, pois um homem cuidando dos negócios era garantia de segurança para investidores futuros.

Diana estava radiante com a ideia de não ter sua vida alterada por enquanto e apoiava a irmã em tudo o que ela sugeria de ideias.

- Vamos chamar toda nossa vizinhança e amigos da cidade! – Molly disse extremamente feliz, Hermione e Ron se olharam, a morena lhe lançando um olhar de desespero, o jovem pigarreou.

- Mamãe, não queremos uma grande festa, seria algo mais íntimo – pediu

- Oras Ronald Weasley! Você é meu menino caçula, merece uma festa grandiosa, casamentos acontecem uma vez só na vida, uma bela festa é tudo que merecem – ralhou com ele a jovem senhora.

Hermione só conseguia pensar “pobre molly, irá se decepcionar quando seu filho se divorciar” e foi pensando nisso que se intrometeu na conversa – Tudo bem Rony, deixe que a sua mãe faça os preparativos.

- Oh minha querida, Joanne me confidenciou uma vez que sonhava te ver de noiva, posso fazer seu vestido? – a informação mexeu com algo no fundo do coração de Hermione, logo ela apenas concordou e deu um meio sorriso – Ótimo, será a noiva mais linda que essa cidade já viu!

A animação de Molly contagiou a todos no jantar, menos Hermione, que permanecia quieta e contida, Diana já estava no piano, enquanto Gina cantava uma melodia animada, ela observava os chefes daquela família dançando na sala, Bill dançava com sua esposa Fleur, Harry estava ao lado dela, também observando a movimentação e convivência daquela enorme família.

- É uma família muito grande hein? – comentou com ela, tirando a morena de seus devaneios.

- Sim, grande e barulhenta – ela comentou baixo fazendo ele rir.

- Hermione, precisamos definir o acordo pré-nupcial – Harry comunicou, Hermione apenas acenou com a cabeça e aceitou a mão de Harry para irem ao escritório da casa, Ron os viu e seguiu, sabia do que se tratava.

Ron e Hermione estavam lado a lado com Harry explicando aos dois como funcionava o acordo, no final de seu monólogo ele pegou uma folha em branco, uma caneta e olhou para os dois – agora vocês terão que decidir o que irá no contrato – o casal se olhou, sem saber muito o que fazer, mas Ron logo tomou a frente com cautela.

- Acho justo colocar que se houver quebra de contrato a parte lesada fica com tudo – pontuou e Hermione concordou.

- O que quer colocar Hermione? – Harry perguntou, tantas coisas, ela respondeu mentalmente, mas limitou-se a suspirar e começar.

- Não se sinta ofendido Rony, posso ter convivido com a sua irmã, mas não te conheço – ele se limitou a assentir, já esperava isso dela – As quebras de contrato serão por desrespeito, agressão e também por traição – disse por fim.

- Pode colocar traição como minha também – Ron falou incomodado, não tinha como não se sentir julgado por aquela mulher.

- Não é assim que funciona, tudo o que for colocado aqui, valerá para os dois – Harry explicou, vendo o desconforto claro de Ron sobre aquele acordo, mas era algo que precisava ser feito – agora preciso saber, se daqui a algum tempo decidirem mesmo se separarem e houver filhos com quem irá ficar p...

- Não haverá filhos! – Hermione o interrompeu exasperada.

- Mas não tem como você saber, é estéril por acaso? – Ron perguntou confuso pra ela, já jovem estava mortificada.

- Acha que irá me tocar? – perguntou incrédula e se virou com raiva para Harry – Pode colocar isso ai Harry, ele não irá me tocar!

- Isso é um casamento Hermione! – o ruivo respondeu irritado.

- Por conveniência! Onde você ganha dinheiro e eu garanto minhas terras para Diana! – ela respondeu amarga.

- Se acalmem vocês dois! – Harry exasperou-se – Hermione eu realmente não posso por isso aqui, pois a falta de consumação do casamento pode anulá-lo e aí os dois perdem garantias perante a lei – comunicou calmamente, vendo Hermione empalidecer.

- Que seja um acordo de palavra então, não irá me tocar! – disparou e Rony apenas cruzou o braço, virando o rosto.

- Mesmo assim, eu preciso colocar no papel, se houver filhos... – Harry fez um gesto com a mão, como quem diz para que completem a frase.

- Ficaram comigo é claro! -  a jovem respondeu, acendendo a irritação novamente de Ronald,

- O que pensa que eu sou? Acaso pensa que eu não iria querer meus filhos? Acaso pensa que sou um homem desonesto? – agora ele estava totalmente virado para ela, enquanto jogaba suas palavras sobre ela.

- O que eu penso é que conheço a mim! – ela falou e se levantou – Pode colocar que ficaram comigo e se por acaso o senhor Weasley tentar tirá-los de mim eu fujo para o outro lado do mundo com eles! – Esbravejou ela.

- Nem sonhe com isso! – o ruivo devolveu incrédulo.

- Pague pra ver então – respondeu simplesmente empinando o nariz e deixando o escritório.

Quando Ron voltou-se para Harry encontrou o amigo rindo – qual é o seu problema, essa mulher é louca e você ri? – o ruivo reclamou fazendo o amigo rir mais um pouco.

- Eu estou rindo de vocês dois, uma hora estão brigando que não irão se tocar, na outra quem ficará com os filhos, é hilário! – ele ria mais ainda quando o ruivo o olhou com raiva.

- Sabe o que eu acho Harry? Que loucura pega e você está ficando igual a ela – reclamou o ruivo deixando o escritório.

Harry apenas tirou os óculos e massageou as têmporas – vai ser interessante de assistir.

**

 

Faltavam 20 dias para o casamento, o casal se encontrava na carruagem a caminho da cidade, haveria a feira anual de inverso e nas palavras da própria Molly, eles deviam se “mostrar a sociedade como casal”, Hermione odiou esse termo é claro, mas ela andava tão cansada com os preparativos desse casamento as pressas, que agradeceu aos céus a oportunidade de espairecer um pouco.

Diana estava com eles na carruagem, observava o casal a sua frente como se eles fossem o quebra-cabeça mais interessante da vida, estava orgulhosa e extremamente grata a irmã, mas não pode notar como ela se tornou fechada e séria para a vida. Hermione não era assim, o pouco que a adolescente se lembrava da irmã, Hermione era feliz, cantava durante as manhãs e ao se lavar, estava sempre lendo livros por todos os cantos da casa e amava andar a cavalo. Não havia motivos para ser feliz é claro, ela mesmo se sentia entristecida diversas vezes, mas ainda assim a falta de sorrisos no rosto da sua irmã lhe preocupava, ela só queria que a mais velha fosse feliz.

- Chegamos – o cocheiro anunciou ao parar a carruagem e abrir as portas, Ron desceu e auxiliou as irmãs a descerem, o local da feira parecia muito animado, o ruivo ofereceu o braço para a jovem que aceitou, desde o jantar eles conversaram somente o necessário, apesar de se verem todos os dias.

- Mione, posso ir até eles? – Hermione observou um grupo de adolescentes que acenava para eles, a morena sorriu abrindo a bolsinha que levava consigo, dando a irmã algumas moedas.

- Se divirta, mas tome cuidado! – sorriu ao vê-la correr até os amigos, sentiu-se nostálgica ao se lembrar da própria adolescência, foi tão feliz ali.

- Vamos? -  o ruivo a chamou delicadamente tendo o aceno dela em resposta, estava inclinado a parar com aquela briga versus birra deles, pelo simples fato de que ela estava linda. O luto havia sido deixado de lado, quinze dias conforme a sociedade ordenava e agora ela vestia um vestido azul, no mesmo tom da irmã e apesar do frio ali, o xale de lã claro feito rapidamente por sua mãe para ela dizia apenas uma coisa à sociedade, estava noiva.

Eles adentraram na feira e logo notaram os olhares, as moças solteiras se pudessem matavam Hermione com o olhar, ela já sabia que Ron seria desejado, ele era algo totalmente novo ali, alguém que viveu em outro continente e volta para a terra natal, só que além disso, o ruivo tinha presença, dentro de seu terno e casaco escuro, estava um homem alto e forte, com olhos azuis que Hermione reconhecia, apesar de não admitir, gentis e intensos, Ele era transparente e não conseguia esconder suas emoções, ela refreou um sorriso ao observá-lo segurando o riso, divertido.

- Acho que estamos sendo alvo da mais alta fofoca dessa cidade – ele sussurrou pra ela, Hermione finalmente riu e ele se perdeu um pouco no primeiro sorriso verdadeiro que ela dispensou para ele.

- Eu acho que eu estou sendo odiada – ela fez um aceno com os olhos ao grupo de moças que os olhava com certo ódio no olhar.

- Sinto muito senhorita minha noiva, mas está mesmo – ele brincou dançando com as sobrancelhas e Hermione riu novamente, segurando o braço dele e o tendo mais perto, Ron notou, eles voltaram a andar. Gina logo estava ao lado deles, querendo mostrar tudo a ela da feira, Hermione olhou para Ron esperando.

- Vá – ele tirou uma bolsinha de moedas do bolso e entregou a ela – gaste com o que precisar – ergueu a mão quando viu ela abrir a boca para contestar – considere um presente – e tendo ciência de todos os olhares sobre eles, Ron se aproximou e beijou a testa da jovem – divirta-se – desejou com um sorriso, Hermione foi puxada por Gina completamente aturdida, se sentiu atordoada quando o perfume amadeirado dele a tomou ao se aproximar.

A feira era realizada no final do inverno quase na primavera, era quando se tornava mais suportável o frio e as pessoas podiam se reunir, apesar de ser realizada por moradores de uma cidade pequena, Hermione notou como estava bem organizada, havia aquecedores pela tenta e do lado de fora uma fogueira mantinha todos aquecidos, ela andou por longos minutos com Gina, até que parou em uma mesa de produtos europeus, havia um creme e um perfumes especifico que ela procurava, distraída demais para ver com atenção quem se aproximava, uma voz conhecida a fez pular.

- Hermione? – ela olhou para o dono da voz e imediatamente seus olhos se arregalaram e o sorriso ergueu em seus lábios.

- Draco! Quanto tempo! – ela cumprimentou alegre, ele beijou sua mão de volta.

- Realmente muito tempo, a proposito, meus pêsames pela perda dos seus pais – ele falou realmente chateado.

- Obrigada, estamos nos recuperando de tudo –respondeu sincera.

- E como está Diana? – perguntou vendo a forma como o olhar dela tomava um brilho diferente ao falar da irmã.

- Está cada dia mais bela, está com os amigos agora, logo acredito que você a reconhece em meio as pessoas – falou simpática, Draco era uma das pessoas que mais lhe fazia falta por ali.

- Aqui senhorita – a dona da mesa chamou a atenção de Hermione lhe entregando a sacolinha com os cremes e perfumes que escolhera, Draco observou a jovem pagar a vendedora e se ofereceu para andar ao lado dela, que concordou.

- Então você voltou de vez? – perguntou curioso.

- Sim, por enquanto na verdade, até eu colocar Diana em uma universidade – contou e eles conversaram por um bom tempo, Draco foi amigo de Hermione na escola e consequentemente sua paixonite, o que a jovem não sabia é que ele também havia tido sentimentos por ela na infância, a vida os distanciou, mas Hermione se sentiu mexida quando o viu novamente, ali, conversando e trocando piadas deles e relembrando momentos que eles aprontavam ali naquela mesma feira, Hermione se sentiu um pouco chateada por estar noiva de outro, Draco havia voltado, se um dia ela fantasiou se casar com alguém, era com ele.

- Draco Malfoy! – o grito fez com que os amigos virassem e vissem uma ruiva fingindo irritação com as mãos na cintura – como assim o DOUTOR volta e rouba a minha amiga sem me procurar para falar um OI? – dramatizou ela tirando gargalhadas dos dois.

- PIRRALHA! – ele chamou ela pelo apelido de infância e a abraçou, Gina não estava noiva como Hermione então poderia receber abraços em público, fato que deixou a morena incomodada, sentia falta do amigo e achava aquelas regras ridículas.

Eles estavam do lado de fora da tenda, conversavam e riam entre si, não viram um grupo de homens do outro lado que estavam, nem quando um dos ruivos ali presente cutucou o seu irmão mais nova e soltou o veneno – Ih Roniquinho, tem gente querendo competir com você – nesse exato momento Draco abraçou novamente Gina e Fred riu – e com você também Harry – os amigos se entreolharam e Rony sentiu o estomago embrulhar quando viu os sorrisos de Hermione, cheios de alegria, carinho e felicidade sendo direcionados ao loiro, aguado, como ele já tinha apelidado. Harry não se movia, o monstro em seu peito ao ver como Gina e aquele cara eram íntimos acordou e o fez perceber que ele sentia por aquela ruiva, coisas que nunca sentiu por ninguém.

Foi quando Diana alcançou o grupo e abraçou o loiro que o ruivo se incomodou, a sua cunhadinha já lhe tinha afeto, eles tinham piadas deles e até mesmo brincadeiras só deles, Hermione era impossível, enquanto observava de longe a interação deles e aquele cara apenas abraçava sua irmã, tudo bem, mas sua cunhadinha? Querer roubar sua família já era demais!

Ele nem viu quando começou a caminhar na direção do grupo animado, nem mesmo quando Harry apareceu na sua cola, por medo de que o amigo fizesse alguma besteira e por puro ciúme de Gina, mas a segunda parte ele jamais admitiria.

Quando Hermione notou o ruivo se aproximar com expressão de poucos amigos, empalideceu, o que só aumentou o ciúmes de Ron, porque ela estava assustada? Quem era aquele homem?

- Hermione – o ruivo chamou a atenção do grupo, Diana logo se colocou ao lado da irmã, olhando para o ruivo com certo receio.

- AH! Você está ai Ron! Draco, esse é meu irmão Ron e seu amigo Harry – o loiro prontamente sorriu os cumprimentando com um aperto de mão – meninos esse é o Draco Malfoy, nosso amigo, estudou conosco a vida toda.

- Prazer em conhece-lo Draco – Ron falou sem desviar o olhar de Hermione, que já retribuía altiva e brava, finalmente ele deu a devida atenção ao loiro – quantos reencontros ultimamente não é mesmo.

O loiro percebeu o clima estranho, não entendeu nada, mas percebeu, Gina por sua vez tentou amenizar – Ele voltou essa semana pra cidade Ron, Draco é médico, veio finalmente trazer um médico para a nossa cidade, finalmente! – ela comentou feliz, mas calou-se quando notou o olhar intenso de Harry sobre ela.

- Fico feliz então em conhecer uma colega de profissão – o ruivo comentou um pouco mais simpático.

- Que bom saber, se eu precisar de ajuda irei te procurar – Draco sorriu animado e se virou para Hermione.

- Mi, o que acha de todos nós irmos tomar um chocolate quente – perguntou a morena indicando a todos, ela iria responder, mas Ron foi mais rápido.

- Claro, assim a Mi conta as novidades – o ruivo ironizou tendo o olhar de fúria de Hermione retribuído.

- Novidades? – o loiro perguntou confuso.

- Oh, que falta de tato Mi, nem contou ao seu grande amigo que está noiva – olhos azuis nos castanhos, ambos exibiam o mesmo sentimento, apesar de diferentes motivos, raiva – Permita-me atualiza-lo Draco, eu e Hermione estamos noivos, nos casamentos em 20 dias.

- Noivos? 20 dias? – o loiro a olhou confuso, sendo tomado por um sentimento de mágoa – Você não era do clube, eu nunca vou casar? – indagou ainda confuso.

- Sim, mas aconteceu – ela falou como quem se desculpava e de repente o loiro entendeu toda a situação, os farpas entre os dois, o ciúme do ruivo e como o olhar dele era intenso pra ela, então ele soltou uma risada e resolveu atacar, a seu modo.

- Então quer dizer que o nosso acordo de nos casarmos caiu por terra? – Hermione o olhou assustada pro loiro, mas logo depois sorriu, deixando o ruivo mais incomodado ainda.

- Desculpe Draco querido, mas acredito não ser boa em cumprir promessas – respondeu divertida, Gina que foi a única que entendeu, riu.

Ron pigarreou – Certo, prazer em conhece-lo senhor Malfoy, nós já estamos indo – ele falou segurando Hermione pelo braço.

Diana se desesperou – Mas a gente mal chegou!

- Daiana...

- Deixe ela conosco Hermione, a levamos depois – Harry pediu e a morena assentiu.

- Obedeça e fico por perto – a irmã assentiu – Draco, que bom revê-lo, o espero em casa para tomarmos um chocolate quente como nos velhos tempos – falou simpática e de propósito, o loiro respondeu com um sorriso.

- E te enviamos o convite do casamento também! Até mais! – o ruivo completou e logo depois arrastou Hermione até o lugar onde a carruagem estava parada. Ela entrou sem falar nada, foi bem educada demais para saber que uma mera discussão viraria um escanda-lo com o nome dela, os dois seguiram em silencio por todo o caminho até a fazenda dos Granger’s e quando a carruagem parou, Hermione nem esperou o ruivo descer e se adiantou porta afora fuzilando de raiva, ele a seguiu para dentro da casa.

- Quem você pensa que é para falar comigo e com meus amigos daquele jeito? – ela perguntou exasperada, ciente de que ele estava no seu encalço.

- Pelo que eu vi ele me pareceu mais que um amigo e a senhorita estava animada demais conversando com ele – vociferou, estavam sozinhos na casa, Hermione havia dado folga aos funcionários.

- Crescemos juntos Ronald, uma infância e adolescência juntos não é algo que se apague! – gritou de volta.

- Que história é essa de acordo de casamento? – o ruivo estava vermelho, ela podia ver até mesmo a veia saltando em seu pescoço, bufou de raiva, ele estava sendo ridículo.

- Você está sendo ridículo! Éramos crianças! Crianças! – Exasperou-se enquanto retirava seu xale, suas luvas.

- Cadê o seu anel, porque não está usando? – perguntou bravo ao notar que ela estava sem anel e com as luvas, Hermione bufou abrindo a bolsinha, tirando a caixinha de dentro e colocando o solitário.

- Satisfeito agora? Não dá pra usar de luva! – respondeu azeda.

- Você é minha noiva Hermione!

- Não me diga, estou quase voltando atrás – respondeu irônica, mas se surpreendeu ao ter o ruivo segurando seus braços para que ela olhasse pra ele.

- Exijo respeito!

- Eu não te desrespeitei em nenhum momento! – vociferou em resposta.

- Você é minha noiva, será minha mulher! – a lembrou, enquanto vasculhava o rosto dela, quase sorriu quando ela revirou os olhos, aquela era Hermione, autentica, feroz, sua perdição.

- Gostaria de lembra-lo de que é um casamento de fachada, caso tenha esquecido – ela o olhou e ele se sentiu pequeno diante daquela pedra como mulher.

- Você não sente nada? – só depois dessa frase que Hermione notou que o aperto em seus braços havia se tornado um abraço e ela estava aninhada no peito dele.

- O-o-o que quer dizer com isso? – ela gaguejou num sussurro.

- Faz semanas que conversamos, planejamos juntos as coisas da fazenda, nos conhecemos melhor e mesmo assim você não consegue deixar de me odiar! – falou frustrado.

- Mas eu não te odeio! – ela respondeu sem pensar, era verdade, ele a irritava, mas não o odiava. Paralisou quando foi atingida novamente pelo perfume dele, quando notou o sorriso dele com a declaração dela e a proximidade dos dois.

Ron de repente estava sério, a ter ali em seus braços, mesmo que num momento de fúria mexeu consigo, alias, aquela mulher mexia consigo, tão inteligente, altiva, decidida e independente. Ele sabia que ela jamais precisaria dele, o sacrifício de se casar com ele era um ato de altruísmo, pela irmã, só que o destino é uma coisa muito doida e pra zombar dele, ele estava adquirindo sentimentos por aquela morena de língua afiada!

Ele tomou coragem e aproximou o nariz do dela e sentiu. Sentiu ela suspirar, sentir as mãos dela agarrarem o seu casaco como se o prendesse ali, sentiu a pele macia ao tocar o rosto dela, sentiu o perfume adocicado dela e sem pedir permissão para não dar chance daquela mente brilhante raciocinar ele colou os lábios nos dela.

Hermione suspirou novamente e ele aprofundou o beijo, invadindo a boca dela com a língua, sentindo, experimentando, para a sua completa surpresa ele foi retribuído, Hermione o beijou de volta, subindo uma mãe para lhe agarrar a nuca e outra em seu ombro, Ron suspirou e o que começou devagar se tornou mais intenso, ele a trazia mais junto a si e ela o agarrava cada vez mais forte, foi quando precisaram de ar que se afastaram.

Ron ainda dispersou mais um beijo em seus lábios e quando os olhos voltaram a se encarar ele não soube decifrar o que havia por trás da íris castanhas, a consciência de tudo aquilo o tomou e ele se afastou devagar. Hermione apenas o olhava, a enxurrada de sentimentos a deixando atordoada e ela não queria pensar, era a primeira vez que era beijada daquela forma, com tanta paixão e desejo.

- Boa noite Mione – ele sussurrou pra ela e saiu da casa, correndo para longe antes que fizesse alguma besteira, o sangue em suas veias ferviam em desejo e ele sabia, não tinha volta, estava apaixonado.


Notas Finais


ACONTECEU MEU POVO!!

Ai ai ai, esses dois tem jeito não... haha

E ai o que acharam? Comentem viu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...