História Thirsty (EXO - KAI) One Shot - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, F(x)
Personagens Kai, Krystal Jung
Tags Exo, Exo Kai, Exo-k, F(x) Krystal, Jongin, Jongin Kim, Jung Soojung, Kai, Kim Jongin, Krystal Jung, Soojung Jung
Visualizações 315
Palavras 1.969
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Perdão por qualquer erro. :)

Capítulo 1 - Thirsty


Fanfic / Fanfiction Thirsty (EXO - KAI) One Shot - Capítulo 1 - Thirsty

Jung Soojung

 

Trocas de roupas,maquiagens,treinos árduos e flashes. Isso todos os dias. Ser um ídolo não era fácil,todos os dias fazendo coisas diferentes e sendo observada o tempo todo. Literalmente o tempo todo. Privacidade era a última coisa que existia nesse rumo. Isso se realmente existia.

 

A pior parte ainda sequer era ser observada o tempo todo,mas sim ter que ficar dando satisfações por coisas idiotas.

 

Sair com um ídolo do sexo oposto era pedir para criar a terceira guerra mundial. Sequer podia tomar um café com seu amigo que já vinham os inúteis netizens espalhando boatos que estão  em um relacionamento e que querem uma satisfação.

 

Apesar de tudo isso,ainda consegui arrumar um tempo para meu querido Kim Jongin.

 

Não diria que estávamos em um relacionamento,mas tentávamos sempre nos ver com uma certa frequência. Dentro e fora da empresa,mesmo que parecesse ser impossível.

 

Jongin era um rapaz incrível,mas eu não estava gostando muito do rumo que nosso suposto relacionamento estava tomando. Toda vez que nos víamos apenas dava em uma coisa...

 

Sexo.

 

Claro que tentávamos nos ver com frequência,mas mesmo assim era difícil e às vezes ficávamos vários dias sem nos ver,mas isso não significava que sempre teríamos que matar a saudade na cama.

 

Eu tentava conversar com ele sobre isso,mas toda vez que ele vinha para cima de mim era impossível dizer alguma coisa. Eu me tornava sempre submissa á ele.

 

Ele falava e eu apenas obedecia sem dizer um A.

 

Eu gostava disso,mesmo ao mesmo tempo querendo reverter isso.

 

Apenas em pensar nele,eu já sentia um calor imenso e incontrolável subindo pelo corpo. Ele me deixava excitada mesmo sem sequer saber,eu poderia me tocar agora,mas preferia ficar sedenta ao máximo para chegar ao meu ápice total está noite.

 

Queria por um ponto final nisso. Não literalmente um ponto final,talvez apenas...uma vírgula?

 

Desta vez,seria a última vez. Eu não seria submissa á ele. Eu ditaria as regras. Desta vez,eu iria o fazer implorar como sempre me fez fazer.

 

Hoje as coisas estariam ao contrário. Hoje Kim Jongin seria submisso a mim e faria todas as minhas vontades.

 

Depois de encerrar minhas atividades individuais de minha agenda,peguei o primeiro táxi que vi e entrei o mandando ir direto para Cheonggyecheon,onde ficava o apartamento de Jongin.

 

Fazia uma semana em que não nós víamos,com certeza ele já sabe o rumo que essa noite iria tomar. Ele tinha me mandando mensagem na noite anterior dizendo que estaria livre por hoje no fim do dia e por mais incrível que pareça,também estaria.

 

Paguei o táxi e sai de cabeça abaixada entrando o mais rápido possível no apartamento para não ser reconhecida.

 

Até o momento não tínhamos sido vistos juntos e nenhum boato de namoro surgiria se assim continuássemos.

 

Subi as escadas lentamente pensando em como o abordaria. Olhei para a bolsa que estava em meu braço e sorri com meus pensamentos.

 

Assim que cheguei na porta do apartamento do mesmo,abri com a chave que ele tinha me dado,fiquei feliz em ouvir o barulho do chuveiro ligado.

 

Parecia que o universo estava ao meu lado. Seria tudo perfeito.

 

Puxei uma cadeira que tinha na pequena área da cozinha e a coloquei no meio do quarto em frente à cama.

 

Diminui as luzes do local para deixar um pouco mais atraente e excitante,não diria romântico.

 

Não fiz nada além disso.

 

Tirei meus sapatos e abri aos poucos a porta do banheiro. Jongin ensaboava os cabelos cantarolando uma música com os olhos fechados.

 

Andei nas pontas dos pés para não fazer barulho e o abortei por trás o fazendo levar um susto enorme.

 

—Calma,meu anjo. —Falei sorrindo mesmo que ele não pudesse ver.

 

—Você me deu um susto enorme. —Riu tentando se virar,mas eu o impedia. —O que está fazendo?

 

—Tenho uma coisa para você hoje. —Dei nó na venda que tinha colocado em seus olhos há poucos segundos.

 

Desliguei o chuveiro e fui o guiando até a cadeira que estava no quarto. Lá o amarrei. Agora teria Kim Jongin totalmente para mim.

 

Sentei em seu colo tendo total contato com seu membro já que estava de saia.

 

—Está sem calcinha? —Perguntou sorrindo ladino.

 

—Não quero que nada nos atrapalhe esta noite. —Falei próximo a seu ouvido  vendo seus pelos se arrepiarem.

 

—Ainda está de roupa. —Sorriu e eu apenas coloquei meu indicador em sua boca.

 

Rebolei em cima de seu membro. Queria o ver mais sedento possível. Queria o ver implorar por meus toques,para me tocar,para o soltar,para fodermos.

 

—A-ahm. —Gemeu

 

—Ainda nem comecei e já está assim,Jongin? —Perguntei me referindo ao seu membro que em pouco tempo já estava duro.

 

Ele apenas falou algumas palavras desconexas por ainda estar rebolando em cima dele. 

 

Beijei sua boca com ferocidade. Como se não tivesse nos visto há anos Ele correspondeu na mesma altura.

 

Tirei sua venda para termos nosso primeiro contato visual na noite.

 

Tirei minha blusa —que já estava transparente graças ao abraço que dei em Jongin no banheiro.—

 

Fui distribuindo beijos até seu abdômen,onde deixei vários chupões. Queria que essa noite ficava marcada em sua pele.

 

Fui descendo até chegar em seu membro,a essa altura já podia ver sua barriga subir e descer com pressa como se buscasse por ar e não o achasse.

 

Peguei seu membro que estava com as veias saltadas e implorava por atenção e passei devagar para provocar o máximo possível minha língua em sua cabeça enquanto o mesmo me olhava sem tirar os olhos.

 

—Eu deveria? —Perguntei cínica.

 

—Deve! —Respondeu ofegante.

 

—Não. Assim não vai ter graça. —Sorri me levantando e indo até sua cama. —Se lembra disso? —Perguntei assim que tirei uma caixa da bolsa que tinha trazido e ele assentiu já que tinha sido ele mesmo quem tinha me dado. —O que é?

 

—Um vibrador. —Falou ainda ofegante.

 

—É isso que eu sou obrigada a usar quando eu não tenho você. —Disse abrindo minhas pernas ao máximo fazendo com ele tivesse visão total da minha intimidade.

 

Passei a mão pela minha intimidade a sentindo molhada. Coloquei meu dedo sobre meu clitoris e comecei o massagear e descia para a penetração.

 

—Meus dedos não são o suficiente para acabar com a minha vontade. —Falei pegando o vibrador.

 

—Então me deixe saciar sua vontade. —Falava como se não aguentasse mais estar naquela posição e eu ri.

 

—Você tem que entender o que eu passei hoje. Ficar te desejando e não poder te tocar. —Penetrei o vibrador em mim sentindo uma das melhores sensações deste mundo. —E-entender o que passo todos os AH...dias. —Falava pausadamente graças ao grande calor que sentia subindo por todo o meu corpo. Massageava meus seios,coxas e clitoris para ter mais prazer,Jongin olhava sedentamente enquanto mordia os lábios. Da cama eu sentia o gosto de ferro na sua de tão profundamente que mordia os lábios. —A-ahm J-jongin,isso é muito bom. Pena que não é você me fazendo sentir isso.

 

—E-eu posso fazer isso por você. —Disse com brilho nos olhos enquanto tentava se soltar da cadeira.

 

—A-ahm...—Gemi mais assim que aumentei a velocidade. —Ahm,Jongin. Acabe logo com isso. —Joguei minha cabeça para trás sentindo que meu orgasmo chegaria logo. —S-só mais um pouco.

 

—Soojung...acabe logo com isso. —Suplicou. —Eu não aguento mais,preciso te tocar.

 

—S-só mais um pouco,J-jongin. —Ainda permanecia com a cabeça pendida para trás enquanto massageava meu clitoris.

 

—Soojung! —Suplicou. —Eu juro que não aguento mais. Eu preciso foder com você. Agora!

 

—AHM...—Falei manhosa e ofegante assim que meu orgasmo chegou. —Você não tem noção de como isso foi maravilhoso.

 

—Posso fazer melhor. —Disse desafiador.

 

—Será que pode? —Me levantei mesmo com as pernas bambas indo em sua direção sentando novamente em seu colo.

 

—Você sabe que posso. —Selei nossos lábios enquanto passava minhas mãos pelo seu corpo,até indo de encontro com a corda e soltando seu braços e corpo.

 

Em um baque Jongin se levantou e me jogou na cama.

 

—Você me provocou ao máximo hoje. —Falou subindo em cima de mim.

 

Jongin me beijava ferozmente,como se fosse comer minha boca.

 

Distribuía chupões meu pescoço,chupões tão fortes que nunca havia recebido antes.

 

Sequer sabia como iria esconder aquilo e sequer me importava.

 

Beijava meu seio com vontade,o chupava como se o amanhã não existisse,dividia atenção entre os dois.

 

Desceu deus chupões até minha intimidade que já estava molhada novamente e sedenta por seus toques. Sua boca,seus dedos,seu membro.

 

A boca de Jongin foi de encontro com minha intimidade e baque já foi de imediato.

 

Cravei minha mão nos cabelos de Jongin os puxando inconscientemente e levantava meu quadril para que sua boca tivesse mais e total contato com minha intimidade.

 

Sua sucções me levavam ao paraíso. A cada sucção era uma revirada de olhos.

 

Jongin passava sua língua por toda minha extensão,me deixando cada cada vez mais louca e com vontade de pedir mais.

 

Sentia minhas pernas tremerem e quererem fechar a qualquer momento,mas Jongin não deixava isso acontecer. Enquanto segurava minhas pernas com uma mão,com a outra estimulava meu clitoris.

 

Eu sentia minhas paredes se contraindo,eu sabia que a qualquer momento a partir dali eu iria soltar meu líquido em sua boca,eu iria me desfazer.

 

Se não fosse por Jongin ter parado com a oral me fazendo o olhar com repreensão.

 

—Não achou que seria tão fácil depois do me fez passar,não é? —Perguntou voltando a me beijar.

 

—Ha! Ha! para você Kim Jongin,termine logo com isso. —Pedi manhosa mesmo sem perceber.

 

Jongin levantou minha saia e me penetrou dois dedos fazendo movimentos de vai e vem. Não demorou muito para os tirar.

 

—Eu quero que você me chupe. —Ordenou.

 

Não era eu quem deveria mandar aqui hoje?

 

Eu não estava apta a reclamar disso agora. Apenas queria dar a melhor oral que ele já receberá em toda vida.

 

Me levantei e fiquei de quatro em sua frente. Passei minha língua por toda sua extensão o fazendo arfar. Coloquei sua cabeça em minha boca e ele ficou olhando esperando pelo resto.

 

Sorri ladina e coloquei o máximo de seu membro em minha boca masturbando o resto com as mãos e massageando suas bolas.

 

Não demorou muito para que Jongin colocasse suas mãos involuntariamente  meus cabelos e ditasse os movimentos que melhor o satisfazia.

 

Jongin pendeu sua cabeça para trás e soltava algumas palavras desconexas ao meio de alguns gemidos.

 

 

—Ah,Soojung...—Gemeu.

 

Era maravilhoso o ouvir gemer para mim,gemer meu nome,gemer pedindo mais.

 

Jongin logo soltou seu líquido em minha boca fazendo com que eu engolisse tudo sem deixar sequer uma gota escapar.

 

Fui de encontro com a sua boca e o beijei ferozmente.

 

—Eu quero você dentro de mim. —Falei 

 

Não precisou falar duas vezes. Jongin me jogou na cama subindo por cima de mim novamente,em um piscar de olhos ele já estava dentro de mim.

 

Vai e vem.

 

Uma,duas,três.

 

Dez,doze,quatorze.

 

Trinta,quarenta,cinquenta.

 

A essa altura já se podia ouvir a madeira da cama colidindo com a parede. Era capaz dos vizinhos ouvir.

 

Jongin se tornava um selvagem na cama.

 

—M-mais rápido. —Suplicava ao garoto.

 

Jongin apoiava suas mão na cabeceira da cama para que seus movimento fossem mais rápidos e precisos,as batidas na parede ficava cada vez mais alta vendo que Jongin estava dando o seu máximo.

 

—Ah...—Gemi manhosa assim que cheguei ao meu ápice.

 

Ainda tinha que esperar Jongin também chegar ao seu. Ele ficou naquela mesma intensidade até chegar ao seu ápice.

 

Assim se jogando ao meu lado respirando alto totalmente ofegante.

 

—Eu te amo,sabia? —Disse limpando o suor da testa. 

 

—Sabia. —Ri também ofegante. —Mas não queria que me falasse isso apenas pelo sexo.

 

—O que quer dizer? —Perguntou fazendo um esforço para apoiar a cabeça no braço para me olhar.

 

—Queria que tivéssemos algo a mais. —Falei e ele riu. —O que foi?

 

—Eu ia fazer um jantar romântico para te pedir em namoro hoje,sabia? —Falou rindo. —Mas você estragou tudo! Digo,melhorou tudo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Mais vez,perdão qualquer erro. :)

One Shot com Suho [ https://www.spiritfanfiction.com/historia/married-suho--exo-one-shot-11211036 ]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...