1. Spirit Fanfics >
  2. This Boy is My >
  3. Momento

História This Boy is My - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Momento


Fanfic / Fanfiction This Boy is My - Capítulo 14 - Momento

Erika

 

Porque um coração quebrado dói tanto? Eu queria conseguir entender Thomas, queria conseguir entender o porque dele ficar me olhando daquele jeito como se eu fosse a única coisa pelo qual ele se interessa em todos os lugares em que estamos juntos, queria entender porque ele me ligou naquela noite e disse que sentia minha falta.

Fungo tentando me controlar, esses momentos em que eu me decepciono com suas ações são os momentos que eu me lembro de que sou uma mulher. Que tenho sentimentos idiotas por ele e que sou frágil por debaixo desse disfarce igualmente idiota.

Tá na hora de acabar com isso, eu tem desaparecido lentamente durante o processo de tentar fazer ele me notar.

Com duas batidas firmes na porta de Freya eu aguardo menos de um minuto e então ela abre. Encaro seus olhos azuis por um segundo e quando estou prestes a contar toda a verdade sobre mim ela abre um sorriso. Engulo em seco perdendo as palavras, eu não sei se esse é um momento de fraqueza, talvez seja carência, mas eu preciso tanto de seus lábios nos meus agora. 

- Então como foi a festa?

Ela pergunta e eu respondo com um beijo, seguro seu rosto com minhas duas mãos e colo nossos lábios em um beijo afobado. Freya corresponde me puxando pela gola de minha jaqueta fazendo com que nossos corpos se choquem deliciosamente, agarro sua cintura e me movo com ela pra dentro de seu quarto. Paro abruptamente e pergunto me separando dela meio que atordoada.

- Sua colega de quarto...

- Ela saiu!

Olho ao redor me sentindo extremamente quente, coloco uma mecha de meu cabelo atrás da orelha e me pergunto o que eu estou fazendo! Era pra eu bater na sua porta, contar a verdade, pedir desculpas por tudo e terminar esse namoro!

- Erik

Ela me chama e eu encaro seu rosto avermelhado, com um pequeno sorriso ela diz.

- Nós podemos fazer agora se você quiser!

Ergo uma sobrancelha e pergunto meio que gaguejando.

- F-fazer o que?

Virando o olho pra mim ela suspende seu baby-doll pra cima ficando completamente nua na minha frente.

- Merda!

Sussurro dando um passo pra trás, nervosa eu tento focar apenas em seu rosto e ignorar todo o resto, mas ela torna tudo mil vezes mais difícil quando começa a se aproximar de mim.

- Freya não chega perto...

- Erik eu quero, não se preocupa tá! Eu sei que você é meio antiquado, mas eu quero isso...

Ela diz segurando a barra de minha jaqueta e puxando lentamente pra baixo de meus braços. Nego com um aceno completamente muda, a jaqueta cai sobre meus pés e ela diz segurando minhas mãos.

- Eu não libero tão facilmente, mas você é especial e eu gosto mesmo de você!

Lentamente ela põe minhas mãos em sua cintura, perco o ar quando sinto sua pele morna na ponta de meus dedos. Ela sorri meio que suspirando e encosta seus seios nos meus, mesmo por cima de minha blusa sinto o quanto eles estão durinhos por mim e isso me deixa excitada.

- Sua amiga pode voltar a qualquer momento...

- Sim. Por isso nós não podemos perder tempo meu gostoso!

Ela diz estalando um beijinho no canto de meus lábios, suspiro e tomo coragem, corro meus dedos por suas curvas até suas costas por debaixo de seu cabelo comprido.

- Tá, mas eu preciso ir no banheiro primeiro...

- Camisinha... por isso eu gosto de você!

Ela diz e eu sorrio nervosamente, Freya corre e pula em sua cama, corro para o banheiro e me tranco. Encaro a porta por minutos a fio pensando no que devo fazer, eu não tenho um pau entre minhas pernas pra fazer isso!

- Não dá pra fingir!

Sussurro pra mim mesma apontando para minha virilha, droga! Ando de um lado para o outro me perguntando se vou seguir a diante com isso. Existem outras formas de satisfazer uma mulher, mas eu nunca fiz isso na minha vida! Nem sei se quero!

Solto uma risadinha, me encaro no espelho e vejo o quanto minhas bochechas estão avermelhadas, até minhas orelhas. Droga pra quem eu estou querendo mentir? Eu quero fazer isso com ela! Droga!

- Erik está tudo bem ai?!

Ela grita lá de fora e eu me esperneio dentro do banheiro, solto o ar de meus pulmões e digo pra mim mesma me encarando no espelho.

- Eu não sou um Thomas, não tenho vergonha do que quero e nem do que sou!

Decidida eu saio do banheiro e subo na cama, ficando por cima de seu corpo eu a encaro olho no olho.

- Você ainda está vestido...

Beijo sua boca e sussurro.

- Vou te dar uma coisa...

Corro minhas mãos por seus seios acariciando, desço mais por sua barriga e sigo meu caminho até suas coxas. Afasto suas pernas e ela sussurra pra mim tocando seu rosto com sua mão.

- Você me ama né?

Confirmo com um aceno sem se quer pensar nisso, desço beijando seu queixo e pescoço, ela se retorce embaixo de mim estufando seus perfeitos seios pra cima me fazendo dar de cara com eles. Beijo de leve os dois arrastando minha língua entre esses dois pequenos montes até sua barriguinha, cada avanço que faço faz com que minha calcinha fique mais do que molhada.

- Quietinha Freya...

Sussurro contra seu quadril que se remexe dando pequenas reboladas na minha direção, faço carinho com o dedo bem de leve nos seus lábios vaginais, ela está tão lisinha e molhada que faz com que meus dedos escorreguem entre sua bucetinha. Dobro sua perna fazendo-a se apoiar em seu pé e passo a língua no seu clitóris bem de leve em movimentos circulares umas três vezes.

Encaro sua racha molhada com lábios entreabertos, merda ela é gostosa! Estou ficando com tesão. Fecho meus olhos e continuo a fazer círculos com minha língua em seu clitóris durinho de tesão, ela começa a gemer alto e eu passo a chupar e sugar bem de leve, chupando e saboreando como se fosse um doce.

- Ah Erik!

Ela grita segurando minha cabeça com suas duas mãos e rebolando na minha boca descontroladamente até que goza na minha língua. Meto minha língua nela levando-a a gritar e se estremecer na cama, lambo todo seu mel até que ela vai se acalmando.

- Nossa!

Ela sussurra e eu fico pasma comigo mesma, encosto minha cabeça em seu ventre e fecho meus olhos por um segundo. Acho que gozei também só de sentir ela gozando na minha boca.

- Freya cheguei...

Pulo da cama e dou de cara com Nina, sua colega de quarto que nos encara boquiaberta. Olho pra Freya e vejo que ela está rindo, viro o olho pra ela e digo envergonhada com toda essa cena.

- Eu vou indo!

- Pervertido!

Nina grita quando passo por ela, rindo eu corro pelo campus em direção a meu quarto e quando chego eu o vejo. Ele me encara de sua poltrona e diz apontando pra mim parecendo realmente sóbrio.

- Você vai se arrepender de ter feito isso meu amigo! 


Notas Finais


aah rsrs... Erika não amarelou na hora H! Além de se permitir fazer o que deseja, bem diferente de Thomas que está reprimindo seus sentimentos por causa das aparências.

Será que Erika está tendo sentimentos por Freya ou só é algo carnal? hmm...

E esse aviso de Thomas no final... próximo captl está imperdível e sai agorinha!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...