1. Spirit Fanfics >
  2. This I Love >
  3. Returning...?

História This I Love - Capítulo 6


Escrita por: SraRocket e JubsStradlin

Notas do Autor


E aí suas lindas (os) ficamos um tempo sem aparecer, pretendíamos postar dia 13, mas infelizmente não rolou, poréeem, esse capítulo de hoje promete..... Espero que gostem!!!

Criamos um trailer book especialmente para essa história, quem tiver interesse em ver, vale muito a pena!!

Link: https://youtu.be/mO4yPSBrznc

Capítulo 6 - Returning...?


Fanfic / Fanfiction This I Love - Capítulo 6 - Returning...?

Quando olho para o céu uma angustia me invade, tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe, como posso viver com sua falta...?

___

Pov's Kiara

We've been through this such a long, long time

Just tryin' to kill the pain, oh, yeah

(Nós já passamos por isto há muito, muito tempo

Simplesmente tentando acabar com a dor, ah, sim)


Eu batia freneticamente no volante enquanto nossas vozes consumiam o ambiente. Por um momento a chuva forte e violenta não me surtia efeito, eu quase não olhava para estrada de tão empolgante que estava esse nosso momento. Olhei de relance para Elô que cantava como se nossa vida dependesse disso. Sorri com seu jeito e voltei a batucar o volante.

Tentei pegar meu celular que estava no banco traseiro afim de gravar essa nossa cena alegre, precisava recordar esse momento e rever várias vezes, pois com certeza, valia a pena. Assim que alcancei meu objetivo, voltei a olhar para a estrada que agora se encontrava mais escura.. um verdadeiro cenário para filme de horror. Franzi a testa tentando enxergar há frente, mas sem um pingo de sucesso. Mexia no botão do parabrisa incansavelmente, e só o que ouvia era as águas da chuva baterem forte no teto do carro me causando um arrepio e um leve terror. Eu odiava dirigir na chuva, mas não saberia explicar o porque. 

Não sei o que deu em mim, mas meu pé pisou forte no acelerador como se tivesse vida própria, talvez eu estivesse tão aflita que só queria chegar nesse acampamento o mais rápido possível. Eu tentava soltar o pé do acelerador e nada adiantava. E quanto mais o carro seguia, mais eu ia perdendo a consciência... 

- O quê é isso? — Falei baixinho passando a mão pelo rosto.

Minha visão escurecia e por vezes, pensei que iria perderia o foco... 

- Que clarão é esse? — Disse para mim mesma sentindo uma luz forte na face. 

Estava em êxtase total, minha mente vagava por outro lugar... nem sequer parecia que há pouco estava dirigindo, lancei de novo um olhar para Elô, e a mesma estava com o rosto bem pálido.. parecia até apavorada. Meus olhos foram se fechando e meu corpo estava leve como uma pluma. Procurei a mão da minha amiga para conferir se ela estava sentindo a mesma coisa que eu. Mas antes que eu pudesse tentar... ouvi sua voz de pânico, gritando meu nome que ecoou pelos meus ouvidos me fazendo sair desse transe tão bizarro. Elô me sacudia e tentava pegar o volante de minhas mãos jogando o carro para o outro lado. Mas já era tarde demais, iríamos bater... em outro veículo que vinha numa velocidade monstruosa...

- KIARA CUIDADO!!! — Elô apontou para frente e escondeu seu rosto entre as pernas. Eu não tive reação alguma, ah não ser entrar em estado de choque. 

minha amiga subiu sua visão e assim que a fez, um clarão arrebatador nos cegou. Fechei meus olhos e aos poucos fui apagando. 

...

Dizem que quando estamos na beira da morte, conseguimos assistir nossa vida como um filme. E eu vi! 

Quando meu primeiro dente de leite caiu, quando eu consegui andar de bicicleta sem rodinhas... meu primeiro beijo... minha primeira vez... minha ida até São Paulo.. e meu primeiro abraço apertado na minha amiga Eloá. 

Eu via em minha mente os momentos mais felizes que já passei... o engraçado era que tinha alguém que eu não reconhecia.. um homem alto e loiro... ele também fazia parte desse meu final.. e parecia ter feito parte da minha vida...

Não existia mais o agora, era como se não estivéssemos naquele plano e sim vagueando rumo à um lugar desconhecido. Meu coração batia mais devagar e meus pensamentos tinham a cor branca.. então o breu nos engolia.. e ia em direção as incertezas.

Respirei fundo e deixei que esse clarão me guiasse. Se algo acontecer... Me perdoa, Elô.

___

Pov's Duff 

Axl parecia pensativo, com um olhar distante, mesmo que com um sorriso no rosto eu bem o conhecia e sabia que talvez estivesse pensando na famosa mulher de olhos azuis e sofrendo a dor da perda que ele mesmo não entendia. 

Um pouco mais ao longe nossos velhos amigos de banda se divertiam dando risadas e conversando sobre vários assuntos que, de fato, era muito importante, claro, eles não tinham essas dúvidas e preocupações que assolavam tanto eu quanto Axl, então, não tinham motivos para se sentirem cansados e com peso nos ombros, o que era um verdadeiro alívio.

Fiquei encostado na parede por um bom tempo observando tudo e todos a minha volta, percorri meus olhos pelo local e parei na varanda que dava vista para a estrada. Meus olhos não se moviam, estavam estáticos naquele lugar. Com os braços cruzados comecei a suar frio, sentia meus músculos tensos e uma sensação estranha me invadia, era como se quisessem me avisar alguma coisa.. e pelo visto.. era algo muito bom, ou, muito ruim. É claro que eu achei muito bizarro o fato de termos marcado a reunião logo hoje e, eu sei que Axl sentia o mesmo. Com esses pensamentos confusos, me desencostei da parede e me aproximei do meu amigo que estava parado na sacada olhando vidrado para baixo, no local onde ocorreu o.... 

- Cara, acho muita coincidência termos marcado a reunião hoje. Você se lembra, né?! — Disse tentando puxar conversa, e claro, ver se o ruivo sentia essa mesma sensação de desconforto. 

Axl pareceu um pouco pensativo, mas com um fraco sorriso no rosto assentiu.

- Como poderia me esquecer? Pensar naquele som me causa arrepios até hoje. — Ele suspirou passando a mão no rosto. — Mas é como se algo tivesse mudado, não sei explicar, é um sentimento... por mais que aquilo que aconteceu há 33 anos atrás, tenha me abalado de alguma forma, também sinto que alguma coisa pode mudar a qualquer momento.

- Eu também sinto isso. — Olhei para o lado tentando não demonstrar o quanto aquilo me afetava. — Mas.. já passou, espero que os envolvidos desse acontecimento de anos atrás.. estejam bem... — Axl confirmou levemente com a cabeça, era muito estranho como isso mexia conosco, uma vez que, não foi com a gente. — Acho que não é bem o momento para entrarmos nesse assunto... já discutimos muito noite passada. — O ruivo me encarou dando um leve sorriso debochado, o que me fez rir também. 

Ficamos um tempo olhando para o nada a nossa frente, só nos mexemos quando o céu começou a escurecer. Estranhei esse fato, não se passava das 17h... não tinha motivo para anoitecer tão cedo.. 

Axl franziu a testa e novamente meu corpo se arrepiou.. definitivamente algo iria acontecer... 

- Ei, vocês. — Viramos o corpo quando ouvimos Steven nos chamar. — Parece que vai cair um temporal... entrem! Vamos colocar a conversa em dia. — Acenou com a mão e fomos ao seu encontro. 

Axl fechou a porta que dava acesso para a varanda e subiu o zíper da sua jaqueta... ficou bem frio de repente... 

- Que tempo doido, a previsão era de sol. — Ele comentou e eu apenas fiquei calado, mas achei muito estranho o tempo ter virado do nada.

___

Pov's Axl

- Pois é mano, meu filho teve que me ensinar a como mudar o wallpaper do celular. — Slash contava aos risos. — Me senti um grande tapado quando vi que era algo tão simples. — Todos sorrimos com suas lamúrias. 

- Nada a ver, é só que no nosso tempo não tinha essas tecnologias tão exuberantes, mas não te julgo... tive que procurar na internet como colocar Netflix na televisão. — Izzy dizia. — Mas não adiantou de nada, nem consegui acessar o Google. — Dito isso, nós caímos na gargalhada.. estávamos velhos mesmo. — Aí depois que eu me liguei.. sabe? No próprio controle tem o botão da Netflix, cara.. que humilhação. — Todos nós rimos e continuamos contando histórias constrangedoras. 

Estava com saudades deles, de meus amigos todos reunidos conversando e dando risada sem parar. Eu queria muito voltar no tempo e.. sei lá.. arrumar um jeito de ficar todos juntos, tocando juntos.. como uma família. Se eu tivesse esse poder de voltar, teria feito tudo diferente, não demitiria Steven da banda, nem brigaria com Izzy ou chamaria Slash de câncer do Guns... Nossa.. como eu me arrependo.

Mas, o importante é que mesmo depois de todas essas minhas loucuras e defeitos, meus amigos ainda estão do meu lado, significa que.. eles talvez se importem comigo. Mesmo assim, se eu pudesse, teria feito tudo diferente... 

...

- Nossa.. parece que é uma chuva bem forte. — Steven comentou olhando para a fresta da cortina.

- Né? Não vejo uma chuva dessa há muito tempo. — Duff respondeu o amigo olhando para a janela. 

- Ahhh droga, isso quer dizer que vocês vão ter que ficar aqui até a chuva passar? — Fingi desapontamento. 

- Éééé ruivo, parece que voltamos aos anos 80. — Slash disse. 

- Verdade. — Izzy sorri. — Lembra quando morávamos todos juntos? Que desastre... melhorou depois que conhecemos a Beta, ela cuidou de nós como uma verdadeira mãe... por falar nisso, como ela está? — Perguntou e lançou o olhar para mim. 

- Está passando uns dias com a família no Brasil, mas o filho dela, Fernando, é nosso empresário.. sempre tenho notícias da Beta, ela está bem. — Digo feliz. 

Continuamos nossas conversas sem se importar com o barulho ensurdecedor do temporal, por vezes os raios eram barulhentos e fortes...iluminando minha sala. Não tinha medo de chuva.. mas naquele momento... confesso que fiquei, olhei para Duff e o mesmo parecia assustado...talvez? 

...

O aguaceiro durou pouco, mas para mim, pareceu horas, o mais engraçado é que no mesmo momento que a chuva parou.. o céu abriu.. e minha sala antes escura, estava agora coberta por leves raios de sol de fim de tarde. 

Fiquei com uma expressão confusa na cara, tentando raciocinar esse tempo definitivamente louco, mas antes que eu pudesse dizer qualquer coisa... ouvimos um estrondo monstruoso vindo do lado de fora que assustou a todos... foi o pior som que já ouvi na vida. Levantamos do sofá apavorados tentando entender o que havia acontecido. Foi um susto tão grande que meu coração faltava sair pela boca. 

- O quê foi isso??? — Slash disse em pânico com a mão no peito.

- Parece que algo grande bateu. — Izzy deduziu pelo barulho que escutamos.

Ficamos imóveis esperando que alguém tomasse qualquer atitude primeiro, quando meu segurança entra na sala em choque, notei suas mãos tremerem levemente e sua voz falhar um pouco.

Notando seu estado crítico, comecei a controlar minha respiração para meu coração não acelerar muito. Duff vendo meu jeito, se aproximou do segurança pedindo para que ele falasse o que havia acontecido. 

- Se-senhor.. aconteceu um.. — Collin puxou o ar, me deixando mais apreensivo. — Aconteceu um acidente na porta da sua casa, senhor Rose. 

- Aí meu Deus. — Steven disse levando sua mão a cabeça, sentando no sofá. — Foi a chuva forte.. tenho certeza.

Duff olhou para mim assustado, como se lê-sse meus pensamentos... não é possível.. outro acidente no mesmo dia.. mas em anos diferentes.

- E.. foi feio, Collin? — Izzy perguntou mantendo a calma. 

- Sim, senhor Stradlin. Dois carros colidiram um com o outro. — Ele respondeu fechando seus olhos por um breve momento. — Já chamamos o resgate, mas pelo estrago... acho que as vítimas devem ter vindo a óbito. 

Todos arregalaram os olhos com a notícia, eu precisei me sentar para processar isso.. outra tragédia.. no mesmo lugar. 

- Essa estrada da minha casa deve ter sido amaldiçoada.. não é possível. — Comentei rindo de nervoso. — Há 33 anos... — Duff veio ao meu encontro completando minha frase. 

- Aconteceu o mesmo acidente...

Olhei para o loiro sem reação, apenas concordei com sua afirmação realista. 

- Eu vou ver o que aconteceu.. — Disse me levantando do sofá, sendo seguido pelos outros. 

- Tem certeza, senhor Rose? — Collin perguntou. — Foi.. muito feio. 

Coloquei minha mão sob seu ombro assentindo com a cabeça. 

- Tenho, não se preocupe, Collin. — Sorri minimamente. 

- Eu irei com o senhor. — Meu segurança nos seguiu e fomos até o portão da minha casa. 

Assim que ele os abriu, meus olhos se arregalaram com a cena que via a minha frente. Duff colocou a mão na boca assustado e assim que foquei minha visão nos veículos, senti meu corpo se arrepiar e quase vacilar, me encostei no loiro não acreditando no cenário de terror que estava. 

- Desculpa, eu não consigo ver isso. — Steven disse e logo entrou para dentro, a cena era mesmo desastrosa. 

Segundos depois, duas ambulâncias chegaram acompanhadas de carros de polícia, fiquei observando tudo com um calafrio nas veias. 

Os socorristas foram no primeiro carro e estranhamente não havia ninguém lá, os polícias começaram a verificar o local para ver se encontravam rastros de sangue, provavelmente pensaram que as vítimas haviam fugido. Olhei para os meus amigos que também pareciam confusos com o que presenciaram.

Logo os socorristas se direcionaram para o outro veículo, o que parecia estar subindo a serra, os polícias — com todo cuidado do mundo — quebraram o vidro do carro para ver se tinha alguém.

- Encontramos vítimas. — Um deles gritou para os companheiros e logo retiraram a porta do carro.

- Vítimas..?? — Duff disse baixinho.

Os socorristas pegaram a primeira pessoa que estava no banco do carona e a levaram até a maca, não consegui ver quem era por conta dos polícias que estavam na frente. 

Em seguida foram para o banco do piloto e logo retiraram outro corpo do carro. Não sei o que deu em mim, mas estava ficando tenso e ansioso para saber quem era essas.. vítimas. 

Assim que o policial saiu da frente do corpo que estava na maca, senti meu coração palpitar bem forte. Duff que estava do meu lado começou a suspirar e ficar embasbacado. 

- Axl.. Axl?? O que está fazendo, não pode ir pra lá!! — Izzy me alertou tentando puxar minha jaqueta. 

Meus pés seguiam para a pessoa que estava na maca, eu não conseguia parar de me mover... 

- Senhor? Por favor, peço que mantenha distância. — O policial barrou minha passagem, se colocando na minha frente. 

- Eu.. eu só quero ver uma coisa. — Disse tentando passar por ele. — É rápido.. eu só preciso ver quem é...

- Eu lamento, senhor, mas precisa permanecer onde estava. 

Como um raio, Duff passou por entre eles querendo enxergar a outra pessoa que eles haviam resgatados. 

- Senhor, pare agora ou será preso por infligir a lei. — O outro policial mais afastado gritou. Duff nem sequer se importou, continuou andando até ver algo que o fez parar. O loiro ficou estático boquiaberto... pensei que iria cair de tanto choque que estava. 

O policial a minha frente ficou tão entretido com Duff que acabou se inclinando um pouco para o lado, e assim que vi o que ele tanto guardava... tive a mesma reação que meu amigo...

- Desculpe senhor, ele só está pasmo pelo acidente ter sido em frente há sua casa. — Izzy me puxou para longe, me tirando a vista que tinha. — Ficou doido, Axl? Poderia ter sido preso. 

Não respondi, fiquei calado enquanto minha mente rodava me mostrando... memórias. Ou eu estava muito louco.. ou muito são. 

___

...


















Notas Finais


Bom, não nos matem por esse final, pretendíamos postar tudo que planejamos para esse capitulo de uma vez, mas ai perderia todo o suspense, então, optamos por fazer uma parte 2, que diferente dessa esperamos poder postar em breve.
Nos digam ai, o que acharam? O que será que aconteceu que deixou o pessoal assim? E as meninas?
Alguma teoria pra parte dois?

Ah, não podemos nos esquecer do trailer book, tem o link na nota do autor e na nossa biografia, corram lá pra ver e sofrer de amores pelos meninos.

Nos vemos o mais breve possível.

Xx. Jubs e SraRocket


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...