História This is Gospel - Capítulo 2


Escrita por: e Okumura_Girl

Postado
Categorias Sonic Boom, Sonic The Hedgehog
Personagens Princess Elise the Third, Scourge the Hedgehog, Shadow the Hedgehog, Sonic The Hedgehog
Tags Manic, Manourge, Scourge, Shadow, Sonadow, Sonic
Visualizações 38
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI TA AI MAIS UM CAP, ACHO Q DESSA VEZ A ESCRITA DA BEST GIRL E A MINHA FICOU MAIS EQUILIBRADA SLA N ESCREVI TUDO N KKKKKKKKKKKKKKK
SE A FORMATAÇÃO ESTIVER UM LIXO A CULPA MINHA, MITO
boa leitura to com sono mano

Capítulo 2 - Dois


E então os irmãos e a deusa deixaram o jardim, estava apenas Sonic e Shadow se encarando enquanto os pássaros voavam e cantavam com melancolia e tristeza.   

–Certo...Não sei por onde começar…—Citou Sonic.

—Que tal...Começarmos deixando algo claro. —Resmungou Shadow.

—Que seria? —Falou Sonic, pegando um passarinho.  

—Não quero nada com você. Nada. Mesmo.—Encarou o outro.

—Igualmente. — O encarou.

O silêncio se obteve no local, apenas o canto melancólico dos pássaros.

-Quero…- Começou. - Deixar claro, que não irei me rebaixar a você. Em nada. Só estou fazendo isso para proteger a Humanidade.

Totalmente Ridículo da sua parte. — Disse debochado. —Proteger a Humanidade, se você for olhar… —Se aproximou, pegando o pássaro das mãos de Sonic, o enfraquecendo. —Quando você os “salva”...Eles nem se quer agradecem?

—É apenas uma obrigação minha! —Pegou o pássaro novamente. — Não toque nele.

Pegou no braço do menor, ambos se encarando com “ódio” nos olhos.

Pegou o Pássaro novamente…

—Meu jogo…

Enfraquecendo-o…

—Minhas regras.

E por fim matando-o.

Engoliu em seco, logo empurrando o demônio para longe, e assim revivendo o pequeno passarinho e lhe soltando.

—Você é um monstro.—Falou.

—Você não pode ver. —Sussurrou, logo caminhando em direção a parede para se encostar em tal. - Apesar de eu não ir com sua cara… Você realmente é atraente.

Encarou o ouriço azul de cima a baixo, fazendo o mesmo corar com o comentário.

Bufou, virou o rosto logo assim cruzando os braços.

-Só porque vamos casar, não quer dizer que quero intimidade com você. - Disse inflando as bochechas.

-Adorável. - Sorriu malicioso. —Mas vamos selar o casamento com a lua de mel, você querendo ou não.  

—N-Não importa! —Indagou ele, pegando na barra tá túnica branca e curta que usava.  —Vai ser apenas um selamento, depois nada mais. —Sonic começou a caminhar em volta do jardim florido e belo, sendo seguido pelo ouriço negro.  —O que foi agora?

—Oras, mandou seus parentes se retirarem para termos uma meia conversa? —Sorriu de lado, seu interesse aumentou minimamente quando o anjo azulado corou.

—Não tem como ter uma conversa decente com você.  —Sonic continuou a caminhar, tendo dois passarinhos pousados em seus ombros. —E outra questão, não se ajuda os outros esperando algo em troca, é bom você entender isso, porque se algum dia eu te ajudar, com certeza não vou querer nada em troca.  

—Isso é o que veremos. —Ele cruzou os braços e parou ao lado de Sonic, que agora observava as nuvens e o riacho que refletia uma parte específica de algum local da terra, e a vida dos humanos. —O que você está fazendo?

—Eu preciso rezar. —Ele se ajoelhou e os pássaros voaram longe. —Pela segurança deles.  

—Isso é patético. —Shadow se sentou ao lado do azulado, olhando para uma parte do riacho que refletia uma criança de cabeça raspada em um hospital. —Olhe só aquilo...você acha mesmo que já não descobriram a cura para o câncer? É lógico que já. Porém...perderiam o lucro em tratamentos e remédios caros...os humanos são tão desprezíveis que se autodestroem por coisas fúteis. Foi por eles que você optou se casar comigo?

—Até porque matar um animal inocente para inflar o próprio ego não é nenhum pouco fútil, não acha? —Sonic sorriu sacana para o demônio negro, entrelaçando seus dedos lentamente enquanto deixava as mãos no meio do rosto e fechava os olhos, agora ele pronunciava em sua língua angelical e fazia a água do riacho tremer e distorcer as imagens refletidas, indo para outras imagens, de outro lugar do mundo.  —Shadow...não existe apenas um extremo entre nada nessa vida. Nem mesmo nós, seres divinos...somos perfeitamente bons ou ruins. —Os olhos esmeraldas agora se encontravam com o vermelho escarlate do outro ouriço. —Eu rezo por aqueles que realmente precisam de mim. Pelas pessoas boas, por aquelas que me fazem não perder minha fé na humanidade. É por elas quem eu continuo aqui, após todos esses milênios…

—Sabe o que eu acho? Que você só quer ver o que lhe convém. —Ele colocou a palma da mão na água divina e as imagens se distorceram para as partes de guerras e assassinatos. —Enquanto você protege os bons, acaba protegendo esse tipo de gente também.  Olhe bem para eles...a crueldade é maior que a bondade. Os humanos se destroem por pouco, por material, por coisas que não virão com eles em suas jornadas espirituais.  De que adianta a minoria bondosa?

—Você tem um bom ponto, meu noivo. —Sonic sorriu e fechou os olhos, voltando a distorcer a água para as imagens positivas da humanidade. —Mas de que adianta apenas se queixar sem fazer nada? A morte é a única solução? Para tudo? Não, Shadow... não é assim. —Sonic pegou na mão do demônio e a levou lentamente para a água, agora as imagens estavam em situações neutras. Pessoas humildes trabalhando, algumas roubando e outras em caridades. —Sempre haverá o bem e o mal. Veja com seus próprios olhos.  —Ele soltou a mão do demônio, que franziu o cenho.—Como uma entidade pura e divina, meus instintos fazem eu colocar minha fé e poderes naqueles que são bons, nos honestos, nas pessoas bondosas. Nem sempre ser bom significa ajudar alguém, é uma questão de caráter.

—Então quer dizer que um assassino é uma pessoa boa? Que piada. —Ele riu secamente.

—Quero dizer...que um ser como você pode ser bom, mesmo com esses pensamentos e atitudes monstruosas...você é muito neutro em minha visão, Shadow.  E existe pessoas com o mesmo pensamento que você, com algumas atitudes erradas que às vezes fazem apenas para... querer provar algo, mas...nem sempre elas são tão ruins assim, veja você mesmo, Shadow. —Sonic sorriu gentilmente, o ódio não levaria a nada em um casamento, apenas à tristeza e sentimentos ruins, teria que ser muito mais paciente com Shadow.

—Oras...—O demônio corou completamente e sentiu seu coração disparar.  —Hunf, você não teve uma impressão fiel ao que eu sou de verdade, Sonic. Irá voltar atrás dessas palavras. —Ele se levantou e cerrou os punhos, deixando toda a flora próxima ao rio apodrecida e obscura, e o próprio riacho encardido com cadáveres de peixes. E assim, ele se retirou da presença de Sonic.

—Ele não é tão ruim assim...—Ele apalpava o chão e fazia toda a flora voltar ao seu estado natural, enquanto encarava a si mesmo no reflexo da água. — Ou é?

—Ele é desprezível! Eu não acredito que você se envolveu nisso, Sonic!—Elise apareceu, a princesa a angelical estava atrás dele e completamente chorosa, as lágrimas cristalinas não paravam de escorrer sob seu rosto.  

—Elise...eu sinto muito. —Sonic se levantou e foi até ela, que escondeu o rosto entre as mãos com luvas brancas de seda.

—Eu pensei que fôssemos um do outro...—A moça ruiva se ajoelhou entre as margaridas e grama macia do jardim.  

—Mas...o meu coração sempre será seu, Elise...você é o ser dos meus sonhos, Shadow é apenas uma condição...—Por se sentiu mal em dizer isso sobre o demônio?! Ele não era nada de Sonic, apenas seu noivo.

—Mas... nunca ficaremos juntos, Sonic…—O azulado pegou em suas mãos delicadas e sorriu gentilmente para ela.

—Eu te amo Elise, sempre te amarei...—Agora as mãos pequenas da bela moça tocava sua cabeça azul.

—Eu também te amo, Sonic...—Ela aproximou seus lábios porém o anjo afastou.

—Eu... tenho alguém agora. Me desculpe. —Sonic seria fiel, mesmo que fosse à um demônio.  

—Isso mesmo. Ele tem dono.  —Shadow apareceu novamente, olhou tão feio para a princesa que fez a mesma se afastar de Sonic.  

—Você será infeliz com ele! Deixe-o em paz!—Ela suplicou irritada, enquanto o azulado abaixava a cabeça e Shadow entrava em sua frente.

—Infeliz ? Eu? —Debochou maldosamente. —Como eu serei infeliz vendo o sofrimento de um anjo todos os dias? Esse casamento vai ser o maior prazer da minha vida. Vocês merecem o pior, em especial uma intrometida com você.  —Ele sorriu ao ver as lágrimas da garota descerem com pressa.

—Shadow...—Sonic o encarou feio, enquanto o anjo feminino se foi desaparecendo junto com as lágrimas. —O que você fez?! Ela não merecia!

—Me acha bom ainda, Sonic? —Questionou ranzinza o demônio.

—Tudo por esse ego inflado que você nem tem? Eu acho é que você não passa de um estúpido ciumento.—Ele se esbarrou no  ombro do ouriço negro e foi embora irritado.


Notas Finais


É nois da like compartilhe se inscreva
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...