1. Spirit Fanfics >
  2. This is Infinity >
  3. Chapter Twenty-Five - SOKOVIA WILL TAKE A RIDE - part 1

História This is Infinity - Capítulo 27


Escrita por:


Capítulo 27 - Chapter Twenty-Five - SOKOVIA WILL TAKE A RIDE - part 1


◇ Capítulo 25 ◇

◇◇ SOKOVIA VAI DAR UM PASSEIO - parte 1 ◇◇

P.O.V AUTORA

O silêncio que predominava naquele jato era assustador. Os gêmeos encontraram um canto mais afastado e por ali ficaram; Steve deixara Katie guiar o Quinjet apesar da força exagerada que ela colocava sobre a Manche que fazia seus dedos se tornarem brancos.

Katherine não estava brava e tampouco furiosa, ela apenas estava pensativa demais. E isso era o pior. Torcia para que quando chegasse à Torre dos Vingadores, o que Wanda havia dito estivesse totalmente errado. Esperava que Tony aprendesse com o grande erro que cometeram.

Não ousou dizer nem meia palavra quando pousou o Quinjet na garagem. Steve e os Maximoff moveram-se silenciosamente atrás da moça, era mais simples que deixassem ela resolver. Dessa vez, Katie não iria concordar com o que quer que fosse que seu pai estava criando com aquele Berço Regenerador, a primeira vez havia sido traumática o suficiente para ela saber que existia risco e culpa no final de tudo.

Consertar tudo nessa altura do campeonato poderia ser mais uma tentativa falha.

-Pai?

Katie chamou quando parou na porta do laboratório. O Berço Regenerador ligado à tubos grossos de metais, Tony e Bruce aparentemente mais envoltos de uma criação que tinha grandes chances de querer a extinção de tudo também. E eles não precisavam de mais essa.

-Só vou dizer isso uma vez - Steve começou.

- Que tal nenhuma? - sugeriu o Stark aborrecido.

-Desligue agora - ordenou o Capitão.

-Não, não vai rolar.

- Vocês não sabem o que estão fazendo! - Katie brandou olhando entre o cientista e o seu pai, queria que algum deles concordasse com ela.

Ou pelo menos queria que Banner concordasse, até então acreditava que era mais sensato que Tony em suas escolhas.

-E você sabe? Ela não está na sua cabeça? - Bruce rebateu apontando para a Maximoff atrás da Stark.

- Eu sei que está com raiva - Wanda ponderou.

- Estou com muito mais do que raiva - disse Bruce displicente. - Eu te estrangularia agora e nem precisava ficar verde.

- Bruce, me escuta, por favor - implorou a morena aproximando-se do amigo, após ver uma fagulha verde se acender em seus olhos - Criar outro robô tão forte quanto Ultron é loucura…

- Não há nada comparado ao que vai acontecer! - gritou Tony.

- Não sabem o que tem aí dentro! - Wanda retorquiu igualmente irritada.

-Isso não é brincadeira! - exclamou Steve.

- Depois do Ultron vocês não aprenderam? - vociferou Katie gesticulando para o berço.

Pietro, que até então, se mostrava calado e apenas ouvindo a discussão, revirou os olhos quando as vozes se tornaram mais altas e irritadas à medida que eles tinham muito o que falar. Achando aquilo tudo uma verdadeira perca de tempo, o garoto usou sua velocidade e antes que qualquer pudesse perceber o que acontecia, ele desconectou os cabos ligados ao Berço.

-Não, não, continuem - disse ele assim que todos se silenciaram - O que estavam dizendo?

Nem um cinco segundos se passou após isso e Pietro caiu para o andar abaixo quando uma bala atravessou o vidro.

-Pietro! - gritou Wanda.

-Vou direcionar o upload - disse Tony.

Steve jogou o escudo no ar e o mesmo acertou os computadores. A mão de metal da armadura se direcionou para a mão do Stark que disparou uma rajada de propulsor no Capitão, fazendo o mesmo ser arremessado. Agora a briga era concentrada neles. Com parte da armadura cobrindo seu corpo, Tony usou o Reator Arc e disparou uma segunda vez em Steve, tamanha força usada e ambos os dois caíram longe.

Katherine não sabia o que fazer, estava no meio do fogo cruzado entre os amigos e o seu pai. Não era nem de longe o que queria que acontecesse, aquilo não iria terminar bem se ela não intervisse.

Por sorte, o arco e flecha de Clint estava postos sobre a mesa. Katie apanhou uma das flechas e a posicionou no arco, mirou na iluminação do teto e soltou a corda. A flecha voou até as lâmpadas de led e causou uma pequena explosão o que foi suficiente para interromper a confusão.

-Se não pararem com isso, eu juro que vou cravar uma flecha em cada um de vocês!

Um som de trovão ecoou e Thor surgiu atrás de Katherine, a moça se virou na sua direção e o viu subir no Berço e convocar raios com a ajuda do Mjolnir. Ignorando os gritos de protestos vindo de Bruce, o Asgardiano usou os raios no Berço o fazendo ligar novamente e o upload reiniciar.

A potência usada havia sido grande demais, o Berço acabou explodindo e jogando o Deus para longe. De dentro daquele berço, um androide de pele avermelhada se ergueu aos poucos, um pedra de cor amarela brilhava no meio de sua testa. O silêncio reinava entre todos que encaravam aquilo com uma mescla de surpresa e admiração e talvez um pouco de apreensão.

O androide olhou para cada um presente naquele laboratório até que seus olhos pousassem em Thor, avançando na direção do mesmo que foi rápido o bastante para afastá-lo. Ele parou rente à janela da Torre, olhando para os prédios vizinhos, aquilo tudo era uma experiência nova.

Katherine e Tony desceram a rampa que os levaria até a sala, ainda destruída pelo incidente com Ultron. A moça não conseguia tirar os olhos da figura diante deles, não era nem perto do que já vira, nem mesmo com Ultron, tinha algo de muito diferente nele.

- Isso foi estranho - disse o androide voando até o meio da sala onde os Vingadores estavam. Ele se voltou para Thor e lhe deu um aceno com a cabeça - Mas, obrigado.

- Thor, você ajudou a criar isso? - perguntou Steve ao amigo.

- Eu tive uma visão, um redemoinho que suga toda a esperança de vida e o centro é aquilo - Thor explicou, apontando o dedo para a pedra brilhante na testa do androide.

-O que? A gema? - indagou Bruce, confuso.

-É a Joia da Mente, uma das seis Joias do Infinito. O maior poder do universo, com capacidade destrutiva incomparável.

-E por quê você…

- Porque Stark está certo - respondeu Thor interrompendo o Capitão.

-Sem dúvidas isso é o fim dos tempos - Banner comentou em voz baixa.

-Os Vingadores não podem destruir Ultron - concluiu o Deus.

-Não sozinhos - acrescentou o androide.

-JARVIS? - murmurou Katherine dando um passo à frente - Pai, por quê ele está falando como o JARVIS?

-Reconfiguramos a matriz do JARVIS - Tony explicou olhando a figura de cima à baixo. - Para criar uma coisa nova.

-Já atingi minha cota de coisas novas - Steve replicou.

- Vocês acham que eu sou um filho do Ultron - Visão disse.

-E não é? - indagou o Capitão.

-Eu não sou o Ultron, e não sou o JARVIS…eu sou…

-Olhei na sua mente - Wanda falou - E vi aniquilação.

-Olhe outra vez.

-O selo de aprovação dela não é nada para mim - Clint zombou.

-Os poderes dos gêmeos, os horrores nas nossas cabeças, o próprio Ultron. Tudo isso veio da Joia da Mente e não há nada comparado ao que que pode fazer - disse Thor. - Mas com ela do nosso lado…

- Ela está - Katie confirmou e olhou para Visão - Mas e você?

- Acho que não é tão simples. - respondeu.

-É melhor se tornar simples e rápido - disse Clint.

- Eu estou do lado da vida, Ultron não está - Visão começou dizendo - Ele vai acabar com tudo.

-O que ele está esperando? - perguntou Tony.

- Vocês - Visão respondeu.

-Onde?

-Sokovia - Clint disse - Ele está com a Nat lá também.

Bruce deu um passo à frente, avaliando o androide de cima à baixo como se esperasse que o mesmo fosse começar atacar à qualquer momento.

-E se estivermos errado sobre você? - indagou Bruce - E se você é um monstro que Ultron construiu?

-O que farão? - Visão replicou.

Um silêncio sucedeu-se à essa pergunta. A equipe olhou entre si, ninguém realmente iria responder à isso.

-Não quero matar o Ultron, ele é único e está sofrendo muito. Mas esse sofrimento vai custar toda a Terra, por isso ele deve ser destruído, cada forma que ele construiu, cada traço da sua presença está na internet. Temos que agir agora e nenhum de nós fará isso sem os outros.

E novamente a equipe não teve palavras, todos ouvindo com atenção cada frase que Visão dizia. Havia um fundo de verdade em seu discurso.

- Talvez eu seja um monstro - ele continuou olhando para suas próprias mãos - Acho que eu não saberia se fosse um. Não sou o que vocês são e nem o que planejaram, talvez não tenha como fazê-los confiar em mim…mas temos que ir logo.

Houve um choque unânime no rosto de todos presentes ali. Visão se virou para eles com o Mjolnir em mãos e o entregou para Thor antes de se retirar da sala. O Asgardiano abriu e fechou sua boca várias vezes, não sabendo exatamente o que poderia dizer perante à uma situação daquelas.

-Tudo bem, vamos lá - Thor sorriu sem graça.

-É sério que ninguém vai comentar o fato de que ele mal apareceu e já conseguiu levantar o Mjolnir? - perguntou Katherine boquiaberta.

◇◇◇

A medida que os minutos se passavam, Katherine se mostrava cada mais preocupada. Não fazia a menor ideia do que aconteceria quando eles pisassem em Sokovia, era uma incógnita qualquer pensamento em relação à isso.

Poderia terminar da melhor forma? sim essa possibilidade existia.

Mas também poderia acabar resultando no fim dos Vingadores? Essa possibilidade ainda era maior e mais dolorosa de se imaginar.

Katie sentou no banco do vestiário, terminando de pôr sua bota. Ela parou com as mãos no rosto encarando o chão como se aquilo fosse a coisa mais chamativa que houvesse ali. Nunca, antes de uma missão, sentira tanto medo como estava a sentir agora. Seu coração batia disfuncionalmente em seu peito e ela jurava que a qualquer momento iria explodir.

- Você está muito preocupada, sabia? - Steve murmurou arrastando-se para o banco ao seu lado - Vai dar tudo certo.

-E se não der? Não vou saber o que fazer, Steve - disse ela baixinho - Ultron é mais forte e mais inteligente e…ele tem a Nat…

-Olha para mim - disse ele, segurando as laterais do rosto da jovem - Nós vamos conseguir, Ultron será destruído e você poderá pensar em outra coisa.

-Como o que, por exemplo? - Katie perguntou sorrindo.

-Que eu estou perto de você e o seu pai ainda não apareceu.

O tempo parecia não colaborar com a ansiedade de todos. Não era nenhum pouco parecido com o que aconteceu em Nova York, onde se reuniram pela primeira vez, agora tinha aquele ar de uma possível derrota. Mesmo que eles não admitissem isso, mas sabiam dessa realidade chocante.

-Nem todos sobreviveremos, se um dos bonecos de lata continuar em pé nós perdemos. Vai ser um banho de sangue - dizia Tony.

-Não temos planos para amanhã à noite - Steve encolheu os ombros e lançou um olhar divertido para a Stark.

-Bom, posso colocar meu sono em dia outra hora - disse Katie.

-Eu vou direto para cima do vilão, ele está esperando o Homem de Ferro.

- Isso é verdade, você é quem ele mais odeia - Visão disse ao passar atrás do Stark.

Katherine soltou uma risadinha fraca por conta da expressão desgostosa que persistiu no rosto de seu pai.

Logo a equipe se reuniu no Quinjet, Katie entregou os aparelhos de comunicação aos gêmeos e passou algumas rápidas informações à eles, atualizações sobre Ultron que talvez eles não saibam.

- Ultron sabe que estamos indo - começou o Capitão olhando para cada um dos colegas - É provável que nos receba com artilharia pesada e foi para isso que nós viemos. Mas as pessoas de Sokovia não sabem, nossa prioridade é tirar todos de lá. Só o que eles querem é poder viver em paz, isso não vai acontecer hoje. Mas faremos o melhor para protegê-los e cumpriremos a missão. Vamos descobrir o que Ultron está construindo, vamos achar Romanoff - Um aceno reconfortante enviado para a Stark - E tirar os civis de lá, mantenham a luta entre nós. Ultron pensa que somos monstros, que somos o que há de errado com o Mundo. Não tem haver apenas com derrotá-lo, e sim mostrá-lo se está certo.

- Ele fala tão bonito, não é? - Katherine cochichou com Wanda. 

Um sorriso orgulhoso projetou nos lábios da morena enquanto o admirava.

- Eu posso ler os seus pensamentos, sabia? - Wanda cochichou de volta.

- Ainda vamos conversar sobre isso.

◇◇◇

Wanda fazia um ótimo trabalho ao entrar na mente dos moradores, fazendo assim com que saíssem de suas casas. Katherine ficou ao seu lado, olhando tudo com muita apreensão. Tinha a vaga ideia de que Ultron fosse surgir de dentro de uma das latas de lixo.

O discurso de Steve ecoava em sua mente e a fazia lembrar da verdadeira missão que tinham. Aquelas pessoas nem ao menos imaginavam o que estava por vir e isso fazia sua consciência pesar. Crianças passavam por ela em direção à um lugar, até então, seguro.

As ruas cada vez mais lotadas de veículos e pessoas. Foi algo de última hora, alguns estavam tão confusos que mal tiveram tempo de pegar seus pertences, isso era o de menos. Eles cruzavam a ponte em uma lentidão preocupante, a aglomeração formada ali em forma de fila só aumentava e havia pouco espaço por entre os carros, quase colados um nos outros.

E quando ninguém podia processar os futuros acontecimentos, os robôs de Ultron invadiram a cidade por todos os cantos possíveis. E era, assustadoramente, um número ainda maior que os dos heróis e da polícia local, juntos.

Katherine atirou contra alguns deles, mas a forma física dos mesmos era arrepiante. Mais altos e com armas embutidas em seus corpos. Trocou um rápido olhar com Steve e os dois logo sabiam que aquilo seria uma longa batalha.

Um solavanco no solo e o mesmo começou à se abrir. A terra parecia querer se elevar sob eles, era como se uma parte da cidade começasse à flutuar. Não havia muito para onde correr, aqueles que não conseguiram sair à tempo estavam oficialmente presos.

Steve passou o braço ao redor do corpo de Katie e a puxou para longe do limite da ponte, a mesma se quebrou ao meio e os carros que ali estavam caíram em um precipício. O coração da mesma batia próximo à sua boca quando se agarrou no braço do Capitão. Uma nuvem imensa de fumaça cinzenta os cobriu, o braço do louro se apertou mais na cintura da moça. Um passo à frente e eles cairiam, era uma verdadeira visão do fim do mundo aquilo.

-Estão vendo? A beleza disso - a voz de Ultron ecoou pela cidade inteira - A inevitabilidade, vocês se erguem apenas para cair. Vocês, Vingadores, são o meu meteoro, minha espada certeira e terrível e a Terra irá rachar com o peso da derrota de vocês. Despluguem-me de seus computadores, voltem meu próprio sangue contra mim. Não significa nada, quando a poeira abaixar a única coisa viva nesse mundo…será de Metal.

Katie agarrou-se ainda mais forte em Steve quando o solo, pela segunda vez, se ergueu. Flutuando em meio à uma paisagem destruída.


Notas Finais


Espero que gostem.
Até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...