História This Is Love - JiHope - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, J-hope, Jihope, Jimin, This Is Love
Visualizações 236
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, LGBT, Policial, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


H33Y, tudo bom com vocês? Espero que sim!!!

E depois de dias sumida, voltei com um capítulo cheio de dúvidas e dúvidas...

Então se é nova aqui, não se esqueça de adicionar a fanfic aos seus favoritos para não perder nenhuma atualização e não deixem de comentar o que estão achando, okay?

Boa leitura!!

Capítulo 28 - Esquecer ou não esquecer?


P. O. V. Jimin

E depois da difícil despedida, Lilly e eu entramos no carro junto á Evan e Elena. Dean e Bob ficaram acenando até o carro entrar na primeira esquina e ali, vi que eu não poderia mais voltar atrás.

Diferentemente da última vez que nos encontramos, esses dois estão bem mais normais e o que mais me surpreendeu foi quando Evan e Bob deram um rápido aperto de mãos. Todo mundo ficou olhando pra cena com a cara do tipo “Que porra é essa?!”. Eu não vou dizer que não existe certo ódio ali, mas também não vou dizer que tenha sido apenas por pura aparência, não sei...

[***]

- Você vai amanhã né? – Lilly perguntou assim que sua mãe chegou para busca-la. Sobre ir pra escola, ainda não sei se estou pronto para aturar mais cenas desnecessárias do J-Hope.

- Qualquer coisa eu te aviso. – A garota confirmou com a cabeça e beijou minha bochecha assim que abri a porta para a mesma sair.

– Vê se não se isola do mundo. Não me faça agir agressivamente!

- Pode deixar! – Acenei pra tia Carla atrás do volante e voltei para a minha mais nova realidade e casa. – Vamos lá... Vamos desfazer as malas. – Resmunguei ao subir a escada. – Antes que me perguntem sobre a Elena e o Evan, já estão dormindo! “Como assim?!”. Fiquem calmos! Sou eu quem estou acordado no horário errado. Faltam poucos minutos para meia noite e não estou com nenhum pouco de sono. Talvez seja apenas o costume de ficar vendo Tv com o Bob até tarde... Ou de decidir sobre o jantar...

E o meu lance de desfazer as malas foi interrompido antes mesmo que eu começasse...

Ligação on

- Tá tudo bem? Você não apareceu hoje...

- Você também não! – Retruquei ao ouvir a voz de Dylan no outro lado da linha.

- Ressaca. – O garoto justificou e eu disse um “idem” espontâneo demais ao me jogar na cama. – Você vai amanhã? O time vai jogar na primeira fase do campeonato depois das aulas.

- Acho que não.

- Como não?! Você quase nunca falta! Eu vou passar na sua casa e aí vamos juntos.

- Não vai dar.

- Jimin por acaso você tá me evitando?

- Por que eu estaria te evitando Dylan?

- Pelo o que rolou naquela noite... – Ele sugeriu e eu revirei os olhos.

- Claro que não! De onde você tirou isso?! – Dei uma risadinha contida. – Eu gostei... – Pena que não foi o suficiente á ponto de superar os beijos do J-Hope. Pensei, mas logo me recompus. Se eu começar á pensar nesse idiota, sei que ficarei ainda pior.

- Eu também gostei. – Um curto silêncio se estendeu, mas o garoto teve a honra de quebra-lo. – Então eu posso passar aí amanhã?

- É que eu mudei de casa... É uma longa história e... – O garoto me interrompeu.

- Não importa. Me mande o endereço por mensagem e estarei aí bem cedinho.

- Dylan, sério mesmo, não precisa se preocupar. Eu não quero dar trabalho nem nada.

- Eu faço questão! Te vejo amanhã?

- Okay. – E por fim eu resolvi que seria uma ótima ideia. Só assim eu não fico em casa o dia inteiro. Não sei o que Elena e o marido pensariam de mim.

Ligação off

 

P. O. V. J-Hope

[***]

E como um fato raro, em plena terça-feira, acordei antes da dona Alice invadir o meu quarto e me mostrar sua nova invenção para me tirar da cama. Mas talvez exista uma boa explicação pra isso. Como se não me bastasse estar pensando mais besteiras do que o normal, hoje o time tem um jogo importante.

- Hope? – E depois de poucos minutos embaixo do chuveiro e mais alguns em frente ao espelho, esbarrei com Jasmine no corredor.

- O que foi que eu fiz? – A encarei sonolento e a garota me mostrou o seu melhor sorriso... Nem são sete da manhã!

- Que eu saiba, nada. – Ela deu de ombros e estendeu uma folha de papel dobrado várias vezes.

- O que é isso? – Perguntei ao pegar o papel e alternar meu olhar entre ele e Jasmine.

- Tava no bolso da sua calça, foi o meu dia de lavar as roupas e... – A interrompi.

- Okay. Não precisa me deixar ciente de todos os detalhes. Eu tenho que ir! – Falei depressa ao guardar o papel no bolso da calça.

- Por acaso o Jimin é o mesmo garoto daquela noite? – A garota falou assim que comecei á descer a escada, então voltei á ficar de frente pra ela no mesmo segundo.

- O que você tá pensando em?!

- Nada... – Ela deu de ombros. – É só que você tava lá todo nervoso e tals, depois levou ele pra casa e agora guarda o endereço dele no bolso da calça... – A interrompi.

- Nem comece á criar mais daquelas suas teorias, okay?! – Falei secamente. – O Jimin e eu fazemos dupla para os trabalhos de biologia. Aliás, eu nem deveria tá te dando explicações.

- Eu não te pedi explicação nenhuma. – Ela sorriu e desceu a escada. – Aliás, o Jimin é bem mais bonito que o Anthony, não que o Anthony não seja bonito, mas agora ele tá com a Lilly então...

- Agora você tá dando em cima dos meus amigos? É isso mesmo?! – Perguntei ao acompanha-la para a cozinha.

- Ai Hope, também não exagere! – Garota curiosa!

Só os céus sabem o que essa garota tá pensando agora... Tudo por culpa do Jimin...

[***]

E como o meu dia já estava predestinado á piorar, ainda dentro do vestiário, Anthony veio me dizer que os belos desaparecidos resolveram assistir ao jogo... Isso mesmo! Além de estarmos todos com um peso enorme nas costas por termos ótimos adversários, ainda tenho que ver aqueles dois de papinho na arquibancada.

- Não tem nenhuma notícia boa pra hoje não? – Disparei rápido ao me afastar dos outros caras do time e ser seguido por Anthony.

- Eu e a Lilly vamos zoar na pracinha hoje á noite, você vem?

- Não sei... Talvez eu tenha que passar a tarde inteira dormindo.

- Ah J-Hope, desencana! Talvez o Jimin também vá, você já aproveita e... – O interrompi.

- E o quê? Vejo ele dizer na minha cara que tá ficando com o Dylan?

- E o que tem demais nisso? Não foi você quem inventou a “regra sem compromisso?!”

- Não me lembre disso. Você nem imagina o quanto me arrependo.

- Então quer dizer que...?

- Ai cara, podemos conversar depois do jogo? – Perguntei ao ouvir o treinador começar á reunir os outros garotos.

- Calma aí, você quer mesmo conversar? É isso o que eu estou ouvindo?

- Se você for me zoar pode ir esquecendo... – Falei emburrado.

- Claro que não filhinho. Almoçamos na minha casa e você desabafa com o tio aqui. – Anthony falou cinicamente ao passar o braço em volta do meu pescoço e juntos, seguimos os outros pra quadra. E claro, eu estava rezando para não encontrar aqueles dois, mas foi como se tivessem agido estrategicamente ao sentassem na primeira fileira. Os encarei furiosamente e revirei os olhos a ver Dylan acenar pra mim. Ridículo!

E foi no final do primeiro tempo que vi Dylan e Jimin abandonarem a quadra dando risadinhas. A minha única vontade foi de ir até eles e quebrar a cara daquele aproveitador idiota, mas o treinador nos veio com um sermão ultrapassado por estarmos empatados no zero com o outro time...

[***]

É agora ou nunca. Se eu não fazer o Jimin parar de andar com o Dylan, sou eu quem vou desistir dele. Depois de vencermos com dois gols á zero, eu e Anthony almoçamos na casa dele e eu literalmente me abri todo e resolvi escutar sem questionar tanto. Ao contrário de mim, ele tá de boa com a Lilly e isso é de se invejar. Eu daria tudo para poder imprensar o Jimin contra alguma parede e o beijar até perdemos o fôlego...

- Já...?! – Anthony falou surpreso assim que entrei em seu quarto sem um pré-aviso. O garoto está terminando de se arrumar em frente ao espelho e não duvido nada de que já esteja indo encontrar com a louca da Lilly.

- Ou ele saiu com o Dylan ou estava rindo da minha cara! – Falei irritado ao me jogar na cama.

- Talvez a Lilly saiba de alguma coisa. – Ele falou ao pegar o celular.

- O que pensa que está fazendo?! – O encarei. – Ela não precisa ficar sabendo que o amiguinho dela me deu um bolo!

- Que bolo o quê J-Hope?! – Ele pegou a carteira e guardou no bolso da calça. – Aliás, você nem avisou que ia na casa dele, nem mesmo mandou uma mensagem.

- Acontece que o Jimin não é de sair muito, mas parece que depois que ele começou á falar com o Dylan as coisas mudaram.

- Olha cara, eu adoraria debater mais sobre essa sua vida amorosa complicada, mas eu tenho que encontrar a minha garota.

- Pode ir, eu não estou te amarrando aqui! – Retruquei.

- Eu vou relevar, mas só porque você acabou de levar um bolo!

- Ah Anthony... – Chamei sua atenção antes que saísse do quarto. – Seus pais, onde eles estão?

- Em algum lugar do país, por quê? – Ele me encarou confuso.

- Tudo bem se eu ficar aqui? Meus irmãos estão em casa e talvez eu decida adiantar o tempo com alguma mina.

- Faça o que você quiser, a casa é sua, só não transe na minha cama, okay?!

- Pode deixar! E vê se me manda mensagem quando tiver chegando.

- Fique tranquilo. Não estou á fim de roubar o cargo do Jimin. – Ele deu uma risadinha e se mandou.

- Idiota! – Gritei e sem mais enrolar, decidi convencer alguma garota lá da escola á vim me ajudar com a lição de matemática...

 

P. O. V. Jimin

Depois de passar horas trocando mensagem com a Lilly e deixando claro sobre o sigilo da minha mudança, fiz o mesmo com Dylan. E agora, jogado nessa cama, posso concluir que o Dylan talvez seja a borracha que apagará o J-Hope da minha vida.  Que dia e que garoto! Primeiro veio me buscar aqui e me fez companhia durante toda a manhã naquele lugar de loucos. A Lilly por incrível que pareça não pegou no pé dele hoje, sem contar que vimos ao jogo do time. Pena que eu nem consegui prestar atenção direito. Não só pelas piadas que o Dylan disparava á cada cinco minutos, mas também no corpo daquele cretino do J-Hope... O jeito como alguns fios de cabelo grudavam na sua testa suada, sua camisa definindo seus músculos... Ah...

- Jimin? – Elena deu leves batidas na porta e a mandei entrar em seguida. – Te acordei? – A mulher perguntou ao sentar-se na cama e me encarar sorridente.

- Não... Eu só estava pensando. – Lhe ofereci um meio sorriso.

- O Evan acabou de chegar do trabalho e trouxe algumas coisas... Quer me ajudar com o jantar?

- Claro...

E eu fui... O jantar de hoje será cheio de consequências dos meus pensamentos no J-Hope... Sim, eu me equivoquei quando disse que esqueceria aquele idiota. Nesse exato momento eu só queria mesmo estar deitado com ele, ouvindo seu coração bater e sentido suas mãos no meu corpo e...

- Ai droga! – Resmunguei ao ver o sangue escorrer pelo meu dedo. Se por acaso me surgi lágrimas, foram apenas as cebolas que estou á cortar para a salada.

- Vem aqui... – Elena estava de olho em algumas panelas no fogão ao meu lado e parou tudo ao me ver sangrar. A mulher pegou minha mão e colocou em baixo da torneira.

- Ai... – Contestei ao sentir a água entrar em contato com o corte.

- Calminha aí... – Ela falou manso ao desligar a torneira e examinar o meu dedo indicador. – Não foi nada muito profundo. – E depois de abandonar a cozinha por alguns breves minutos, ela voltou com um curativo adesivo e beijou meu dedo em seguida. – Vai sarar.

- Obrigado! – Sorri ao encara-la e receber o mesmo sorriso em troca.

- Agora deixa que eu cuido da salada e enquanto isso você pode pôr a mesa. – E sem contestar, fiz o que a mulher pediu. Ela beijou o meu dodói...


Notas Finais


Então foi isso...

Bem confuso, mas resolveremos essas questões em breve... Eu espero.

Até o próximo capítulo!

Bjão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...