1. Spirit Fanfics >
  2. This is love >
  3. Capítulo 12

História This is love - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Capítulo 12


Assim que os três agentes entraram no laboratório a equipe se surpreendeu com o fato de que, o até então suspeito, acompanhava Reade e Tasha. Depois de alguns minutos explicando a situação atual do Agente e da força tarefa, eles voltaram ao caso.

- Ok, o caso é... - Patterson começou e foi interrompida bruscamente por Oliver.

- Eu agradeço sua boa vontade Patterson. Mas tenho certeza que sei mais de caso do que vocês possam imaginar. - Oliver falou, ignorando os olhares de desaprovação da equipe. - Então, em vez de ficar me falando o que eu já sei, me diz o porquê de estarem em um beco sem saída

- Não estamos em um beco sem saída. - Patterson disse com a voz alterada. - E se não fosse por você metendo nariz onde não deve, teríamos recuperados as imagens da câmera de segurança!

- Ok... - Tasha falou tentando apaziguar a situação, sendo completamente ignorada.

- Metendo o nariz onde não devo? - Oliver questionou, com voz tão alta quanto a de Patterson. - Esse caso é tanto da CIA quanto de vocês.

- Chega! - Reade disse como um tom sério, tendo a atenção de todos. – Não importa de quem era o caso. Agora trabalharemos juntos. – Ele declarou, direcionando sua fala a Patterson e Oliver.

- O que exatamente aconteceu com as imagens? – A pergunta de Tasha fez todos direcionarem o olhar a Oliver.

- O sistema da empresa de segurança tinha sido hackeado. – Ele respondeu com a voz calma.

- Isso é o que você diz... – Patterson disse em um tom baixo.

- O que você quer dizer com isso.? – Oliver questionou virando na direção dela bruscamente. Patterson apenas deu de ombros e voltou ao seu computador.

- Você tem uma energia diferente. – Rich declarou fugindo totalmente do contexto.

- Obrigado? – Oliver respondeu com um tom debochado.

- Não foi um elogio. – Rich concluiu.

- Tudo bem! – Reade interrompeu os dois. – Por que não fazemos uma pausa? Nos reuniremos de novo daqui a quinze minutos.

- Ótima ideia chefe! – Oliver completou, debochando da fala de Reade e saindo o laboratório primeiro que todos.

- Seu amigo é um babaca. – Reade declarou se aproximando de Tasha, para que só ela ouvisse sua fala

- Eu sei bem disso. – Ela o respondeu, direcionando seu olhar ao dele. - Eu vou falar com ele. - Reade assentiu e viu Tasha sumir por de trás das grandes portas de metal.

Tasha não teve que procurar Oliver por muito tempo, o encontrou na sala de interrogatório, onde esteve não muito tempo atrás.

- Se você quiser, eu posso te algemar a mesa de novo. – Ela brincou se aproximando.

- Melhor guardar, para usar com seu namorado. – Oliver a provocou, ela assentiu com um sorriso fraco.

- Você precisa pegar mais leve com a equipe. – Tasha falou com um tom sério, mas com um olhar doce.

- Eles não gostam muito de agentes da CIA, não é?

- Eles odeiam agentes da CIA. – Ela falou com um sorriso conformada.

- Eles gostam de você. – Ele retrucou.

- Não é como se eles tivessem uma opção. – Oliver a olhou curioso, esperando que terminasse sua fala. – Eu durmo com o chefe, meus melhores amigos são esses agentes.

- É como se sua vida estivesse toda aqui. – Oliver completou, viu a feição da Tasha mudar sutilmente. - O que houve? Você e diretor assistente estão bem?

- Estamos vivendo um dia de cada vez... Mas não é isso que me preocupa.

Oliver assentiu, esperou atentamente para que ela terminasse sua fala.

- Acho que estou grávida...

- Tasha isso é incrível! – Oliver falou com um sorriso sincero. – Reade deve estar muito feliz. – Ele desmanchou o sorriso quando viu que Tasha ainda tinha uma feição séria. - Reade é o pai, não é? Não diga que sou eu. - Ele brincou com um tom de voz dramático.

- Vai sonhando... - Tasha falou revirando os olhos. - É claro que o Reade é o pai.

-Então por que ainda não contou a ele?

- Em minha defesa, isso só passou pela minha cabeça hoje, ok? – Ela declarou levantando as mãos.

- Tash, você tem que falar com ele. - Oliver demandou. - Hoje, de preferência! - Tasha assentiu, devolvendo o sorriso.

- Temos que voltar ao laboratório. - Ela declarou, ao ver a mensagem de Patterson. Oliver assentiu com cara de desanimado e seguiram de volta ao laboratório.

- Oliver tem algo a dizer. - Tasha declarou assim que entraram na sala. Oliver manteve se em silencio, até receber o olhar sério de Tasha.

- Desculpa por ter sido rude. - Ele disse entredentes. - Eu não estou acostumado a trabalhar em equipe.

- E nem a viver em sociedade. - Patterson declarou, Oliver a lançou um olhar sério, mas logo cedeu a um sorriso. - Bom, seja quem for esse hacker, não é lá essas coisas.

- Você conseguiu recuperar as imagens? - Reade perguntou animado.

- Claro que ela conseguiu. - Rich respondeu antes que Patterson tivesse a chance.

- Conheçam, Brian Ahmad. - Patterson disse lançando a foto do suspeito na grande tela. - Mandei todas as informações dele, para todas as rodoviárias, aeroportos e estações de ônibus. Mas nenhum sinal dele por enquanto.

- O que exatamente esse Brian fez? - Oliver direcionou sua pergunta a Patterson.

- Achei que soubesse mais desse caso do que qualquer um no planeta terra... - Ela respondeu sarcasticamente. - Ele é o único suspeito de ter invadido a casa de Reade.

- O que ele queria?

- Achamos umas escutas espalhadas pelo apartamento, ele estava as colocando lá, quando Tasha e Reade chegaram - Tasha congelou ao ouvir aquelas palavras saírem da boca de Patterson. Ela sabia que Oliver não iria pensar duas vezes antes de corrigir Patterson.

- Escutas? - Ele questionou e Patterson apenas assentiu. - Não, ele não podia ter ido lá para instalar as escutas.

- Como assim? - Reade questionou.

- Essas escutas são propriedades da CIA, já estavam lá antes de Brian Ahmad chegar. - Oliver disse tranquilamente, mas só percebeu o estrago que tinha feito, quando viu todos os olhares se voltando para Tasha.

- Do que ele está falando? - Reade a questionou com um olhar furioso. Tasha não tinha ideia do que responder a ele, todas as respostas possíveis apenas piorariam a situação.

- Zapata não sabia de nada! - Oliver declarou de uma forma afobada, tentado desfazer a bagunça que tinha feito. - Ela sabe tanto quanto vocês sobre isso...

- É melhor você começar a falar! - Reade direcionou sua fala irritada a Oliver.

- Não estávamos atrás de você diretor assistente, mas sim da sua namorada. - Ele respondeu com um tom sério. - Infelizmente você foi pego no fogo cruzado, o lado ruim de namorar criminosos.

- Você chama de fogo cruzado, mas tem outro nome na constituição. - Reade declarou ainda tentando entender tudo e ignorando as alfinetadas de Oliver. - Parece que vocês já estão com tudo sob controle. - Ele finalizou e saiu sem muita cerimonia. Tasha pensou em ir atrás dele, mas desistiu, achou melhor dar um pouco de espaço para ele.

Já estava quase acabando o expediente quando Tasha decidiu ir na sala de Reade, para perguntar se ele voltaria para casa com ela, encontrando Oliver no caminho.

. - Você já contou para ele? – Oliver questionou em relação a possibilidade de ela estar gravida, Tasha balançou a cabeça negando. – Você não aprendeu nada com essa História? Se não fosse eu tomando toda a culpa sobre as escutas, ele nem estaria olhando na sua cara agora.

- Eu sei Oliver! Eu vou falar com ele, só não agora... – Tasha disse com um tom baixo.

- Acho legal você esperar... – Oliver iniciou, deixando Tasha com um olhar curioso. – Aproveitando que você vai esperar o bebê nascer para contar... Espera mais um ano, aí o bebê pode contar pra ele

- Cala a boca. – Ela fala de uma forma ríspida, mas acaba soltando algumas risadas.

- Fale com ele Tasha. – Oliver a aconselhou.

- Tudo bem. E você tem que parar de alfinetar todos da equipe.

- Combinado. – Oliver disse com um sorriso fraco. – Foi na vez que você dormiu com ele na casa cheia de escutas? – Ele perguntou inconveniente, vendo Tasha revirar os olhos e saindo, com um sorriso em seu rosto ainda.

-Ei, posso falar com você? - Tasha disse enquanto entrava no escritório de Reade.

-Claro. Quer que eu chame o Keaton para participar dessa conversa também, ou ele já está a caminho? - Ele a questionou com um tom sarcástico. Tasha apenas desviou o olhar. - Desculpa. - Reade se levantou e foi em direção a ela. - Me sinto completamente manipulado, confuso. Como ele conseguiu entrar no meu apartamento pra começar?

-Eu não sei... - Ela disse com a voz fraca, se sentindo culpada por estar mais uma vez mentindo para ele.

-Mas não importa. - Reade falou enquanto guardava alguns arquivos. - Vamos para casa. - Ele concluiu, saindo do seu escritório acompanhado de Tasha, que se manteve em silencio quase o caminho inteiro.

-Eu sabia sobre as escutas. - Tasha admitiu assim que Reade estacionou o carro em frente ao prédio. Ele a olhou por um tempo, ainda não tinha noção do que aquilo realmente significava.

-Como assim? Sabia desde quando? - Ele questionou olhando fixamente para o volante, não se arriscaria a olhar nos olhos.

-Desde o começo. - Ela respondeu com a voz embargada.

-Desde o começo? - Reade questionou com a voz bem elevada, mas logo diminuiu o volume de sua voz voltando seu olhar para frente. - Você as colocou lá. Por isso você se recusava a dormir na minha casa, depois daquela noite... - Ele concluiu, se referindo a única noite em que Tasha dormira no apartamento dele.

-Se não fosse eu, seria outra pessoa desconhecida...

-Você me manipulou todo esse tempo, mentiu pra mim. - Reade disse em um tom baixo. – Você expôs minha privacidade.

- Eu também fui exposta. – Ela retrucou em um tom elevado.

- Você tem razão Zapata, eu coloquei escutas no seu apartamento e depois dormir com você com a CIA inteira ouvindo. – Ele declarou ironicamente. – Quer saber? Eu cansei.

Reade saiu do carro e entrou no apartamento acompanhado de Tasha. - Foi um dia muito estressante. – Reade disse, se jogando no sofá. Trocaram alguns olhares, as palavras ditas no carro ainda ecoavam na cabeça dos dois, eles estavam trabalhando na questão da confiança no relacionamento e a revelação de hoje fez com que dessem três passos para trás

- Vai dormir na sala? – Tasha perguntou com uma voz fraca, quando viu Reade arrumando o sofá, ele apenas assentiu. – Talvez pudesse...dormir no quarto... Nosso quarto, como sempre.

- Eu... Não sei se é uma boa ideia – disse Reade virando-se e com o olhar fixo no nada

-Eu sinto muito, por tudo. – Tasha disse enquanto se aproximava de Reade o suficiente para invadir seu espaço pessoal, ficou frente a frente, o encarou e com sua respiração descompassada, ele não aguentou a distância, mesmo que mínima, entre eles. Tudo ao seu redor parecia insignificante, ele estava realmente cansado, mas cansado de ter que lutar por uma coisas que já era dele.

- Nada disso me importa mais. - Reade agarrou a cintura de Tasha e num só movimento colou seus lábios aos dela em um beijo cheio de carinho e significado.

Tasha se entregou ao beijo, colocando suas mãos na nuca do homem a sua frente, o beijo agora era necessitado e cheio de luxúria, as mãos de Reade que se encontravam na cintura de Tasha agora a contornava de certa forma romântica.

Quando pararam finalmente o beijo em questão de instantes Tasha estava com suas pernas ao redor da cintura de Reade que a pusera cuidadosamente deitada sobre os lençóis no sofá que em princípio estava sendo transformado em uma cama enquanto sua mão frias passeavam por debaixo da blusa de Tasha que se arrepiava com o toque.

- Tem razão – disse Tasha em um sussurro deixando Reade confuso – Nada disso importa. – Completou antes de iniciar um beijo afoito e carregado de desejo.

Reade se desvencilhou do beijo de Tasha e traçou caminhos de beijos em seu pescoço enquanto a mesma suspirava de olhos fechados aproveitando aquele momento, a trilha continuou em direção ao sutiã que Tasha usava, a mesma que ansiava o toque acabou soltando involuntariamente um gemido em nome do moreno pedindo por mais.

As roupas que vestiam logo se encontravam espalhadas no chão da sala, o clima no ambiente mudou, o que antes era tensão agora era uma onda de desejo avassaladora que já consumia aos dois, seus corpos se encaixam, como se apenas aquilo fizesse sentindo, e nada mais importava.

Tasha estava vestindo apenas a camisa de Reade, ainda deitada no sofá, enquanto ele procurava o número de um restaurante qualquer

-Eu preciso te falar uma coisa. - Ela disse se aproximando de Reade, que estava encostado no balcão da cozinha.

-Não me diga que tem escutas aqui também! - Ele sussurrou com um tom dramático.

-Não é nada disso. - Tasha falou revirando os olhos, até teria dado risada da brincadeira de Reade se não estivesse tão nervosa.

-Que bom, quero deixar pelo menos esse momento intimo fora dos arquivos da CIA.

-Eu acho que estou gravida? - A declaração de Tasha fez com que Reade soltasse o celular no balcão quase que instantaneamente. – Eu sei que nós nunca conversamos sobre isso nem nada, e que isso é repentino e tudo bem se você não quiser participar, eu entendo...

-Tash! - Ele a interrompeu e puxou suas mãos para mais próximo dele. - Eu vou sair, e comprar um teste. - Reade falou com a voz bem calma e com um sorriso doce.

-Agora? - Ela questionou segurando firme as mãos dele.

-Precisamos saber. - Ele completou beijando seu rosto.

Reade correu até a loja mais próxima que tinha e voltou na mesma rapidez. Tasha ainda estava sentada na bancada, com os olhos fixos em algo, mas com sua mente em qualquer lugar que não fosse ali.

-Eu não acho que eu tenho tanto liquido no meu organismo, para fazer quatro testes. - Ela declarou após ver a quantidade de testes que Reade tinha comprado.

-Eu comprei alguns extras por precaução.

-Alguns? - Ela perguntou ironicamente.

-Está pronta? - Reade a olhava carinho, estava tão animado que temia sobrecarrega-la de esperança.

-Pronta!

-Não acredito que realmente consegui fazer xixi em todos. - Tasha declarou enquanto colocava o último teste junto com os outros.

-Eu acredito. - Ele disse entre risos, Tasha apenas o ignorou tava nervosa demais para pensar em piadas.

- Quanto tempo falta?

- Dois minutos e trinta e oito segundos. – Reade respondeu olhando para seu relógio. – Trinta e sete, trinta e seis, trinta e cinco...

- Se você não parar de contar, eu juro que faço você engolir esse relógio. – Ela disse seria enquanto encarava a parede.

- Relaxa Tasha.

- Não é possível que você esteja realmente pedido para eu relaxar. – Tasha falou em um tom alto, virando para ele. – Como você pode estar tão calma? Isso é tão insignificante assim pra você?

- Tash, você está lendo entrelinhas que não existem. – Ele respondeu calmo. – Você já está surtando o suficiente para nós dois.

- Eu falei sério, quando disse que podia ir embora se fosse demais pra você. – Ela disse com a voz embargada.

- É demais Tasha, e eu estou completamente apavorado. Mas eu nunca deixaria você. – Reade respondeu com uma voz doce.

- Eu só quis deixar claro que você tem opções.

- Eu sei disso. E eu escolho você e o bebê. – Ele declarou puxando ela para perto. – A não ser que você não esteja grávida, e estamos falando com seu útero vazio.

- Idiota. – Tasha falou ente risadas enquanto dava um tapa de leve no ombro de Reade, foram interrompidos pelo apito do relógio, indicando que era a hora de ver o resultado.

- Pronto? – Ela perguntou antes de direcionar o olhar aos testes.

- Para ver um teste que, independente do resultado vai mudar nossas vidas pra sempre? – Reade falou com um sorriso fraco.

- Certo. – Tasha disse enquanto se aproximava da pia. – Isso está certo?

- Sim, todos eles. – Reade disse com os olhos marejados. – Vamos ser papai e mamãe.

- De quatro bebês. – Tasha falou apontando para os quatro testes, enquanto ria e chorava ao mesmo tempo.

- Nem brinca com isso, tem muitos gêmeos na minha família. – Ele completou a abraçando. – A equipe vai ficar tão feliz.

- Não vamos contar para eles agora. – Ela declarou. – Eu não quero contar para ninguém até ter cem por cento de certeza de que o bebê está bem.

- Tash, isso nunca vai acontecer. – Reade falou com a voz calma, acompanhando a até o quarto.

- Parabéns, você realmente está me acalmando. – Tasha falou em um tom sarcástico enquanto se sentava na cama.

- Nós vamos ter um bebê, uma versão e miniatura de você e eu. – Ele falou com a voz doce. – Nunca pararemos de boa preocupar. Mesmo que ele tenha nossa idade e esteja tendo seus próprios bebês. É o que os pais fazem, se preocupam.

- Você tem razão.

- Quero dizer, eu acho que é isso que os pais fazem. – Reade brincou vendo Tasha revirar os olhos. – É só uma piada Tash.

- Não queremos suas piadas. Por falar nisso... – Ela falou figindo estar brava. – Você vai dormir na sala. Para aprender a parar de fazer piadinhas.

- O que? A duas horas atrás, você está implorando pra eu dormi com você. – Ele falou, fazendo ela gargalhar.

- Bom eu não me lembro disso. – Tasha respondeu cinicamente. – Só eu e o meu bebê vamos dormi aqui.

- Nosso bebê! – Reade a corrigiu deitando se ao lado dela. – Se você tem dúvidas eu posso de mostrar as gravações das escutas.

- Por que todos acham que esse bebê foi concebido nesse dia? – Ela questionou tendo a completa atenção de Reade.

- Todos? Todos quem? – Tasha apenas sorriu com as perguntas da Reade. – A CIA inteira. – Ele falou em confirmação.

- A CIA inteira. – Tasha concordou ainda dando risada.

- Me lembre de não ir na festa de Natal de lá. – Reade disse a puxando para perto. Passaram a noite inteira conversando sobre o bebê, os planos para o futuro e tantas outras coisas.


Notas Finais


BIANCA PERFEITAAAAA MINHA INSPIRAÇÃO kskskksksks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...